A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

História da língua portuguesa Unidade I – Origens da língua portuguesa Unidade II – Fonética histórica Unidade III – A LP a partir do séc. XVI.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "História da língua portuguesa Unidade I – Origens da língua portuguesa Unidade II – Fonética histórica Unidade III – A LP a partir do séc. XVI."— Transcrição da apresentação:

1 História da língua portuguesa Unidade I – Origens da língua portuguesa Unidade II – Fonética histórica Unidade III – A LP a partir do séc. XVI

2 Unidade I – Origens da língua portuguesa 1.1 – Introdução – Objetivo: ilustrar as transformações da LP através de enfoque diacrônico; apoiado por estudo da estrutura sincrônica dos textos. – Perspectivas históricas: História interna: estrutura da língua. História externa: história da cultura e da sociedade em que a língua se desenvolveu. – Fases da LP: Pré-histórica: das origens da língua até o séc. IX (docs. latino- portugueses); Proto-histórica: do séc. IX ao séc. XII (poesia galaico- portuguesa); Histórica: – Arcaica: do séc. XII ao séc. XVI; – Moderna: do séc. XVI aos dias atuais.

3 Unidade I – Origens da língua portuguesa 1.2 – Fases da língua – Origem linguística: latim vulgar, assim como as demais neolatinas ou românicas. Você sabe o que foi o latim vulgar? – Perspectiva geolinguística:

4 Unidade I – Origens da língua portuguesa 1.2 – Fases históricas da língua – Perspectiva geolinguística - substratos: Íberos; Gregos; Fenícios; Celtas; Celtíberos; Romanos; Bárbaros (vândalos, suevos e visigodos); Árabes. 1.3 – Características do português arcaico (ver pg. 17) – Léxicais : Mudança da forma e/ou do significado das palavras. Fremosa (formosa); fazenda (façanha). – Fonéticas: hiatos se transformam em crase ou em ditongo. Maa>má; meo>meio.

5 Unidade I – Origens da língua portuguesa 1.3 – Características do português arcaico (ver pg. 17) – Morfologia: nomes uniformes terminados em –nte, -or, -ês. – A infante; mha senhor; língua português. gêneros diferentes: – Fim, planeta, mar, cometa (femininos); tribo, coragem, linguagem (masculinos). flexão no plural diferenciada: – Simpleses (para simples); ouriveses (para ourives). particípio em –udo: – perdudo, conhoçudo, escondudo. – Sintaxe: Pronome reto em função de objeto: Verbos de movimento seguidos de EM: Períodos extensos: Predomínio da ordem inversa.

6 Unidade II – Fonética histórica Objetivo: – levantar, analisar e classificar todas as mudanças observadas na pronúncia das palavras tomando por base duas ou mais épocas distanciadas. 2.1 – Vocalismos – Quadro das vogais Latim clássico Latim Vulgar Português a (longo) e a (breve) a a e (longo) e (aberto) é e (breve) e i (longo) e (fechado) ê i (breve) i i o (longo) o (aberto) ó o (breve) e u (longo) o (fechado) ô u (breve) u u 10 vogais 7 vogais

7 Unidade II – Fonética histórica – Quadro dos ditongos OrigemMudançasExemplos LATINOSae > écaelu > céu au > ou ou auaudace > audaz tauro > touro Obs.: ou alterna com oilouro e loiro cousa e coisa oe > ê/époena > pena ROMÂNICOSPor síncope da consoante intervocálicavanitate > vaidade Por vocalizaçãonocte > noite Por hipértese (transposição entre sílabas)rabia > raiva Por epêntese (desfazendo hiatos)credo > creo > creio Por oclusão (desfazendo hiatos) e>i e o>u malo > mao > mau amatis > amades > amaes > amais As terminações latinas -anu, -ane, -one, - udine, -ant, -unt passam a -ão paganu > pagão pane > pão ratione > razão solitudine > solidão dant > dão sunt > são

8 Unidade II – Fonética histórica Consonantismos (ver metaplasmos) Leis fonéticas – Quadro das leis fonéticas: Observação: tais leis ou regras não são absolutas: – cáthedra>cathédra>cadeira LEICAUSA PROVÁVELEXEMPLO DO MENOR ESFORÇOFacilitar a pronúnciaDolore>doore>dor DA PERSISTÊNCIA DA CONSOANTE INICIAL Manutenção do que está no início da pronúncia Persona>pessona>pessoa DA PERSISTÊNCIA DA SÍLABA TÔNICA Manutenção da sílaba de maior relevo na pronúncia legale> legal

9 Unidade II – Fonética histórica Metaplasmos – Quadros de metaplasmos: POR AUMENTOEXEMPLO Prótese stare > estar spiritu > espírito scutu > escudo thunu > atum mostrar > amostrar levantar > alevantar A aglutinação do antigo artigo árabe __ al __ constitui uma maneira especial de prótese: lacuna > alagoa Minacia > ameaça Epêntese stella > estrela Humile > humilde Umero > ombro A Epêntese possui uma modalidade denominada suarabácti, que consiste na intercalação de uma vogal para desfazer um grupo de consoantes: plano > prão > porão Blatta > brata > barata Grupa (do germânico Kruppa) > garupa Paragoge ante > antes

10 Unidade II – Fonética histórica POR SUPRESSÃOEXEMPLO Aférese acume > gume attonitu > tonto episcopu > bispo deglutição (o contrário da aglutinação), isto é, à supressão das vogais a e o, em início de palavra, para evitar confusões com o artigo definido ou desfazer o hiato: horologiu > orologio > relógio Apotheca > abodega > bodega (taberna, tasca; porcaria) Síncope legale > leal legenda > lenda malu > mau HAPLOLOGIA, redução da primeira de duas sílabas sucessivas iniciadas pela mesma consoante: bondadoso > bondoso Tragicocomédia > tragicomédia Formicicida > formicida Apócope mare > mar amat > ama male > mal

11 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSPOSIÇÃOEXEMPLO Metátese pro > por semper > sempre inter > entre Hipértese capio > caibo primariu > primairo > primeiro fenestra > festra > fresta Hiperbibasmo Toma o nome de SÍSTOLE, quando o acento tônico sofre um recuo: pantanu > pântano campana > campa idolu > ídolo Toma o nome de DIÁSTOLE, quando, inversamente, o acento tônico sofre um avanço: limite > limite ponere > ponere tenebra > tenebra

12 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSFORMAÇÃOEXEMPLO Assibilação t + vogal (e, i) > Ç ou Z: capitia > cabeça lentio > lenço bellitia > beleza ratione > razão d + vogal (e, i) > Ç: audio > ouço ardeo > arço c + vogal (e, i) > Ç ou Z: minacia > ameaça Gallicia > Galiza Judiciu > juízo lancea > lança Assimilação ASSIMILAÇÃO TOTAL (COMPLETA): persona > pessoa Mirabilia > maravilha Per + lo > pello > pelo ASSIMILAÇÃO PARCIAL (INCOMPLETA). auru > ouro lacte > laite > leite ASSIMILAÇÃO PROGRESSIVA. nostro > nosso; etc. ASSIMILAÇÃO REGRESSIVA. persico > pêssego Captare > cattar > catar Ipsa > essa septe > sette > sete; etc.

13 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSFORMAÇÃOEXEMPLO Apofonia in + aptu > inepto in + barba > imberbe Sub + jactu > sujeito Consonantização iam > já Iesus > Jesus uita > vida uacca > vaca Dissimilação liliu > lírio Memorare > membrar > lembrar Rotundu > rodondo > redondo DISSIMILAÇÃO ELIMINADORA: aratru > arado Cribru > cribo Rostru > rosto Desnasalização luna > lúa > lua bona > bõa > boa ponere> põer > pôr Ditongação malo > mao > mau sto > estou do > dou arena > area > areia

14 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSFORMAÇÃOEXEMPLO Metafonia debita > dívida tepidu > tíbio tosso (de tossir) > tusso cobro (de cobrir) > cubro Monotongação fructu > fruito (arc.) > fruto lucta > luita (arc.) > luta Auricula > orelha Nasalização nec > nem Mihi > mim Bonu > bom

15 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSFORMAÇÃO EXEMPLO Palatalização__ n + vogal (e, i) > NH: vinea > vinha aranea > aranha seniore > senhor junio > junho __ l + vogal (e, i) > LH: palea > palha folia > folha juliu > julho __ d + vogal (e, i) > J: video > vejo hodie > hoje invidia > inveja __ pl, cl, fl > CH: pluvia > chuva implere > encher clave > chave masculu > masclu > macho flamma > chama inflare > inchar __ cl, pl, gl > LH: oculu > oclo > olho apicula > apecla > abelha tegula > tegla > telha __ sc, ss (i, e) > X: pisce > peixe passione > paixão miscere > mexer russeu > roxo __ s (i) > J: cerevisia > cerveja basiu > beijo ecclesia > igreja

16 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSFORMAÇÃO EXEMPLOS Sonorização __ de p para b: capio > caibo lupu > lobo sapui > soube __ de t para d: civitate > cidade citu > cedo maritu > marido __ de c para g: pacare > pagar aqua > água aquila > águia __ de c (+e, +i) para z: acetu > azedo vicinu > vizinho facere > fazer __ de f para v: profectu > proveito aurifice > ourives __ de b para v (degeneração): caballu > cavalo faba > fava populu > pobo > povo Vocalização nocte > noite regnu > reino multu > muito

17 Unidade II – Fonética histórica POR TRANSFORMAÇÃO EXEMPLOS Sonorização __ de p para b: capio > caibo lupu > lobo sapui > soube __ de t para d: civitate > cidade citu > cedo maritu > marido __ de c para g: pacare > pagar aqua > água aquila > águia __ de c (+e, +i) para z: acetu > azedo vicinu > vizinho facere > fazer __ de f para v: profectu > proveito aurifice > ourives __ de b para v (degeneração): caballu > cavalo faba > fava populu > pobo > povo Vocalização nocte > noite regnu > reino multu > muito

18 Atividades de fixação 1 - A que generalizações podemos chegar a partir da observação dos exemplos abaixo? cattu>gatomuttu>mudopede>pé faba>favastuppa>estopalupu>lobo plicare>chegarregale>realsiccu>seco 2 - Aponte uma irregularidade nas evoluções abaixo e justifique-a. a)pectu>peito b)uidere>veer>ver c)nouus>novo d)fructu>fruto

19 Atividades de fixação 3 – Nos textos abaixo, compare e classifique as estruturas em que aparece o verbo habere. Pode-se dizer que o verbo apresenta o mesmo sentido nos três fragmentos? Transcreva o texto com a ortografia atual para facilitar sua análise. a)E pelos filhos que dos ovos sae~ entendemos o amor do nosso deus e de nosso próximo que deve a aver todos aqueles que ente~de~ salvaçõ das almas pela morte do filho de Deus que na cruz recebeu b)E, elles asy hordenados, começou Santo Antonio de pregar sole-pmente, dizendo: Irmaãos meus pexe, muito sodes theudos en vosa maneira de cantar e dar graças a Deus, nosso Creador, o qual vos deu por morada tam nobre elemento, asy que tenhades agoas doçes e salgadas, segundo que avedes mester c)Na çidade nom havia triigo para vemder, e, se o avia, era mui pouco e tam caro, que as pobres gemtes nom podia chegar a elle


Carregar ppt "História da língua portuguesa Unidade I – Origens da língua portuguesa Unidade II – Fonética histórica Unidade III – A LP a partir do séc. XVI."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google