A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético."— Transcrição da apresentação:

1

2 Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável

3 Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 2 de 61 Distribuição de energia Última etapa do processo para entregar energia aos consumidores.

4 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 3 de 61 Distribuição de energia Petróleo e derivados; Gás natural; Energia elétrica; Outras fontes.

5 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 4 de 61 Distribuição de energia

6 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 5 de 61 Distribuição de petróleo e derivados Distribuição desses combustíveis possibilita o atendimento de automóveis, aviões, caminhões etc. A maioria dos derivados de petróleo é constituída por líquidos que podem ser acondicionados em tanques e bombeados de um local para outro. Os produtos mais difíceis de manuseio são os que se encontram nas extremidades da escala de ponto de ebulição: gases, graxas, combustíveis pesados, parafinas e asfalto. O gás liqüefeito de petróleo (GLP) tem de ser armazenado e transportado sob pressão - normalmente distribuído em cilindros.

7 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 6 de 61 Distribuição de petróleo e derivados Graxas e alguns óleos lubrificantes são distribuídos em barris e latas Combustíveis pesados e asfaltos, que se solidificam à temperatura ambiente, têm de ser armazenados e distribuídos em recípientes aquecidos ou isolados. Os produtos mais utilizados, tais como gasolina e óleo diesel, são transportados em caminhões- tanque das refinarias para os postos combustíveis. Em algumas regiões podem ser transportados por via ferroviária ou marítima/fluvial.

8 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 7 de 61 Qualidade dos derivados de petróleo Derivados de petróleo de baixa qualidade, ou mesmo adulterados, gera um desempenho ruim dos equipamentos, podendo inclusive danificá-los de forma irreversível. Algumas adulterações dos combustíveis são: mistura: Concentração incorreta de aditivo/marcador; Solvência de aditivo / marcador. Contaminação: Uso de produtos de terceiros, Mistura com produtos de custo mais baixo. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) fiscaliza a qualidade legislação específica; fiscalização de distribuidoras e postos de combustíveis.

9 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 8 de 61 Distribuição de gás natural Gás natural: denominação adotada para os Hidrocarbonetos leves que são encontrados armazenados em formações porosas no subsolo, normalmente encontrados associados ao petróleo. Produção: consiste na extração do combustível fóssil e o processo de separá-lo de outras substâncias, através de Separadores. Processamento: nas unidades de Processamento de Gás Natural - UPGN, o gás é desidratado e sofre o processo de fracionamento, que propicia a obtenção dos seguintes elementos: metano e etano; propano e butano (gás liquefeito utilizado em cozinha - GLP).

10 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 9 de 61 Distribuição de gás natural

11 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 10 de 61 Distribuição de gás natural Transporte: no estado gasoso o gás natural é transmitido através de gasoduto, caso contrário é armazenado e transportado em cilindros de alta pressão (GNC ou GNL). Distribuição: é a etapa que antecede o consumo, portanto tem que atender as especificações para uso. Utilização: O gás natural é um energético versátil e é adotado para uso residencial, comercial, industrial e automotivo. Impactos ambientais: O gás natural, em relação a outros combustíveis fósseis, apresenta um menor grau de elementos poluentes.

12 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 11 de 61 Sistema de Transporte de Gás Natural no Brasil Lateral Cuiabá (no Brasil): 267 km Em Construção 267 km Uruguaiana-Porto Alegre: 615 km Trecho 1: 25 km Trecho 2 (em construção): 565 km Trecho 3: 25 km Gasodutos: km Transferência: km Transporte: km Transpetro: km Bolívia-Brasil (no Brasil): km Trecho Norte: km Trecho Sul: km

13 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 12 de 61 GÁS NATURAL SPS

14 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 13 de 61 Distribuição de gás natural A distribuição é a etapa final do sistema de fornecimento. É o momento em que o gás chega ao consumidor para uso industrial, automotivo, comercial ou residencial. Nesta fase, o gás já deve estar atendendo a padrões rígidos de especificação, e, praticamente, isento de contaminantes, para não causar problemas aos equipamentos onde será utilizado como combustível ou matéria-prima. De acordo com a Constituição Federal e a Lei Nº 9.478, a distribuição de gás canalizado com fins comerciais junto aos usuários finais é de exploração exclusiva dos Estados, exercida diretamente ou através de concessões

15 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 14 de 61 Distribuição de Gás Natural Exclusividade (Comercialização) Prazo determinado (Contrato de Concessão) Vantagens Implantação de Redes - Investimentos. Desenvolvimento sustentado da indústria do gás - Mercado incipiente. Universalização do atendimento. Facilidades na Regulação. Mitigação de Riscos nos contratos TOP. Maior facilidade nas compras no produtor

16 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 15 de 61 DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL Exclusividade (Distribuição) Prazo, o da concessão Vantagens As Vantagens da Exclusividade de Comercialização Atendimento a requisitos de segurança e qualidade Barateamento das tarifas

17 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 16 de 61

18 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 17 de 61 Distribuição de Gás Natural Dimensionamento Hidráulico: a partir da definição dos consumidores a serem atendidos, do traçado e suas extensões, dos critérios de pressões máximas e mínimas de operação, das vazões dos consumidores e das características do gás, é feito o dimensionamento hidráulico para a determinação dos diâmetros a serem utilizados na Rede de Distribuição.

19 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 18 de 61 Distribuição De Gás Natural Dimensionamento Mecânico: o dimensionamento mecânico define basicamente a especificação do material e a espessura de parede requerida para os tubos e demais componentes da tubulação, para resistir a pressão interna e externa, e também o nível de inspeção das soldas das juntas dos tubos durante a construção.

20 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 19 de 61 Distribuição De Gás Natural Instalação e Equipamentos da Rede de Distribuição: o assentamento das tubulações, em grande parte, acompanha o traçado de rodovias e quando em áreas urbanas será instalado nas ruas, a distâncias seguras dos limites de propriedades e de redes de água, esgoto, telefone, elétrica e outras.

21 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 20 de 61 Distribuição De Gás Natural Estações de Redução de Pressão - ERP: as Estações de Redução de Pressão regularão a pressão do sistema e serão compostas basicamente dos seguintes equipamentos: filtros, válvula de "Shut off ", válvula de alívio e válvulas reguladoras. Estações de Redução de Pressão e Medição - ERPM: a Estação de Redução de Pressão e Medição regula a pressão e mede o volume do gás transferido ao consumidor.

22 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 21 de 61

23 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 22 de 61

24 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 23 de 61 O Gás Natural passa pela válvula de entrada da ERPM, sendo então filtrado e passando pelo regulador, onde a pressão é reduzida e controlada dentro de limites estabelecidos para a transferência do Gás Natural ao consumidor. A quantidade transferida é determinada através da medição da vazão, da medição da pressão e da temperatura. Estes dados serão transferidos a um computador de vazão, onde será calculado o volume para as condições de base (20 °C a 1 atm). Distribuição De Gás Natural

25 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 24 de 61 Lançadores e Recebedores de Raspadores: são previstas instalações para o uso de Lançador e Recebedor de Raspador Portátil para a limpeza da tubulação após a construção e para futuras manutenções da Rede de Distribuição. Válvulas de Bloqueio Intermediárias: a instalação da Válvula de Bloqueio Intermediária em um sistema de distribuição de Gás Natural é um dos itens necessários para a parada do sistema em uma eventual ocorrência de vazamento, manutenção, extensão de rede etc. Distribuição De Gás Natural

26 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 25 de 61 Sistema de Odorização: a Rede de Distribuição será dotada de um Sistema de Odorização de modo a permitir, em caso de vazamento, a sua pronta detecção, pois o Gás Natural terá um cheiro característico. Sistema de Proteção Contra Corrosão: a tubulação, além do revestimento anticorrosivo, será protegida contra corrosão, através de um Sistema de Proteção Catódica. Distribuição De Gás Natural

27 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 26 de 61 No estado de São Paulo o fornecimento de gás natural canalizado é regulamentado pela Portaria 160 de 20 de dezembro de 2001, da Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE). A portaria 160 estipula os direitos e deveres de consumidores e concessionários de gás natural canalizado no estado. Distribuição De Gás Natural

28 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 27 de 61 Classificação dos consumidores de gás natural canalizado: residencial; comercial; industrial; grandes consumidores: consumo médio mensal contratual de no mínimo m 3 ; pequena cogeração (até m 3) ; cogeração. Distribuição De Gás Natural

29 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 28 de 61 Classificação dos consumidores de gás natural canalizado: termelétrica; gás natural veicular; Interruptível - IN: a prestação do serviço de fornecimento de Gás cujo contrato permite a interrupção do fornecimento pela Concessionária, nos termos de regulamentação específica da CSPE. Distribuição De Gás Natural

30 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 29 de 61 Qualidade da Distribuição do Gás Natural Três dimensões: produto e serviço; segurança no fornecimento; atendimento comercial.

31 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 30 de 61 Produto e serviço: ligada com as propriedades físicas do gás e com a operação e manutenção do sistema de fornecimento. pressão: mínimos valores para o bom funcionamento do sistema; poder calorífero superior e caracterísiticas físico-químicas do gás: expressam valores mínimos para essas grandezas; perdas: perdas máximas admíssiveis. Qualidade da Distribuição do Gás Natural

32 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 31 de 61 Segurança: odor: característica conferida ao gás de forma a permitir a percepção de vazamentos; índice de vazamento no sistema de distribuição: expressa o número de vazamentos ocorridos na rede em um certo período de tempo. tempo de atendimento de emergência: indicar o tempo gasto para sanar uma situação de emergência; freqüência média de atendimento de emergência: expressa o número médio de situações de emergência na rede em um certo intervalo de tempo. Qualidade da Distribuição do Gás Natural

33 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 32 de 61 Comercial : prazo máximo para atendimento de pedido de religação; prazo máximo para religação por corte indevido; tempo máximo para devolução de valores cobrados indevidamente; prazo máximo para execução de serviços de assistência técnica ao usuário, após aceito o orçamento proposto pela concessionária. Qualidade da Distribuição do Gás Natural

34 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 33 de 61 Distribuição de Gás Natural Comprimido O gás natural comprimido (GNC) pode ser distribuído pelos chamados caminhões-feixe. Os caminhões-feixe são carretas que rebocam conjuntos cilíndricos de GNC, podendo transportar até m 3. Permitem a chegada do gás natural a pontos ainda não atendidos pela tubulação.

35 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 34 de 61 Distribuição de Gás Natural Comprimido

36 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 35 de 61 O Sistema Elétrico

37 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 36 de 61 Distribuição de Energia Elétrica Monopólio natural. Direito do cidadão. Estado - zelar por esse direito. Estado executa o serviço. Estado concede o serviço - papel de agente regulador.

38 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 37 de 61 O fornecimento de energia Resolução 456/00 da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. A Resolução 456 estipula os direitos e deveres de consumidores e concessionários de energia elétrica no país. Distribuição de Energia Elétrica

39 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 38 de 61 Modalidades de consumo de energia elétrica: residencial; comercial; industrial; iluminação pública; poder público e serviço público; rural. Distribuição de Energia Elétrica

40 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 39 de 61 Curva de carga semanal

41 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 40 de 61 Tarifas de energia elétrica Baixa tensão - tarifas monômias: cobra-se o consumo de energia elétrica. Alta e média tensões: tarifa binômia: existe uma tarifa associada à máxima demanda registrada no período e, também, uma tarifa associada ao consumo de energia elétrica. As tarifas também podem ser horo-sazonais.

42 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 41 de 61 Qualidade de energia elétrica Três dimensões: produto; serviço; comercial.

43 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 42 de 61 Produto: tensão constante; frequência constante; forma de onda senoidal. Qualidade de energia elétrica

44 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 43 de 61 Serviço: tempo de retorno de uma falta; quantidade de faltas por ano; podem ser apurados indicadores por grupo ou individuais. Qualidade de energia elétrica

45 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 44 de 61 Comercial: Atendimento de novas ligações; Cobranças irregulares; Desligamentos irregulares. Qualidade de energia elétrica

46 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 45 de 61 O Sistema de Distribuição

47 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 46 de 61 Subtransmissão Subestações terminais de transmissão: recebimento de energia em áreas próximas dos grandes centros de consumo; abaixamento da tensão através da transformação da tensão de transmissão em tensão de subtransmissão, considerando-se, para isso, os níveis já padronizados de uma região; repartição da energia em corredores de subtransmissão.

48 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 47 de 61 Subtransmissão Linhas de subtransmissão: constituído de linhas e subestações seccionadoras com a função de fornecer energia em áreas próximas aos centros de consumo (consumidores recebem energia em tensões mais elevadas: kV).

49 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 48 de 61 Rede primária de distribuição ( ,5 kV) Normalmente têm estrutura arborescente, com o atendimento à carga sendo feito de forma radial. Existem redes com alimentadores muito longos, havendo exemplos no Brasil de alimentadores primários com cerca de até 400 km. Para suprir a carga em contingências, podem existir ligações de socorro que fornecem alternativas de atendimento em caso de faltas.

50 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 49 de 61 Rede secundária de distribuição ( V) Redes que atendem consumidores atendidos em baixa tensão (residenciais, comerciais). A estrutura das redes secundárias pode ser: radial (mais comum); em anéis; em malhas.

51 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 50 de 61

52 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 51 de 61 Universalização - Conceitos I. ACESSO FÍSICO – UNIVERSALIZAÇÃO Art. 14 da Lei n o ,4 milhões de domicílios sem acesso (300 mil urbano) 11 milhões de pessoas II. ACESSO CONTÍNUO – BAIXA RENDA Art. 1 o §§ 1 o 5 o 6 o 7 o da Lei n o milhões de domicílios baixa renda (antes da Lei) 14 milhões de domicílios baixa renda (após a Lei) mais de 50 milhões de pessoas

53 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 52 de 61 PROBLEMAS DETECTADOS Universalização - Baixa renda Sistema de checagem com o Cadastro Único convênio ANEEL/MME Baixo consumo não tem correlação com baixa renda Programas Sociais do Governo Federal (critério) Dec. n o 4.336/2002 e Dec. n o 4.102/2002 Cadastramento junto a prefeituras e DF 300 municípios não estão cadastrando

54 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 53 de 61 PROBLEMAS DETECTADOS (Financeiros) Universalização - Baixa renda Perda de Receita das concessionárias ~ R$ 400 milhões/ano) Financiamento das perdas ( Dividendos ELETROBRAS ou RGR a fundo perdido ) Solução provisória Transferência para tarifas (revisão tarifária) Impactos nas tarifas (regionais) Não aplicada (até o momento)

55 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 54 de 61 SITUAÇÃO ANTERIOR: Universalização - Acesso físico Participação financeira do consumidor Sem participação financeira do consumidor SITUAÇÃO ATUAL: Atendimento sem ônus em tensão secundária (§ 7 o Art. 14) desde 31/07 Lei n o – atribui à ANEEL definição de áreas (prazo de um ano – abril/2003) A não fixação das áreas de universalização – obrigação de atendimento sem ônus em toda a área de concessão.

56 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 55 de 61 O Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica

57 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 56 de 61 Posicionamento Institucional FOME ZERO Prevenção Na Saúde BOLSA ESCOLA Geração de Emprego Inclusão Social Crescimento Sustentável Qualidade De Vida

58 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 57 de 61 ANEEL Atores Institucionais ELETROBRÁS CONCESSIONÁRIAS COOPERATIVAS BNDES e Agentes Financeiros GOVERNOS ESTADUAIS GOVERNOS MUNICIPAIS OUTROS MINISTÉRIOS MME ONGs e AGENTES LOCAIS

59 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 58 de 61 Gestão do Programa Comitê Gestor Nacional Coord. NE CHESF Coord. N ELN Coord. S Eletrosul Coord. SE/CO Furnas / ELB Comitês Estaduais NE Comitês Estaduais N Comitês Estaduais S Comitês Estaduais SE/CO

60 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 59 de 61 Municípios Concessionárias Cooperativas Estados Governo Federal Recursos CDE Prodeem Outros Ministérios MAPA / MDA /... Universalização RGR BNDES Agentes Financeiros

61 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 60 de 61

62 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini 61 de 61 Obrigado! 11 –


Carregar ppt "Distribuição de Energia Luiz Henrique Alves Pazzini Treinamento – 3, 4 e 5 de novembro de 2004 Araçatuba - SP Novos Instrumentos de Planejamento Energético."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google