A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Geber Ramalho e Osman Gioia 1 Microfones: funcionamento e características Tipos de microfones e seu funcionamento Características fundamentais acessórios.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Geber Ramalho e Osman Gioia 1 Microfones: funcionamento e características Tipos de microfones e seu funcionamento Características fundamentais acessórios."— Transcrição da apresentação:

1 Geber Ramalho e Osman Gioia 1 Microfones: funcionamento e características Tipos de microfones e seu funcionamento Características fundamentais acessórios

2 Geber Ramalho e Osman Gioia 2 Cadeia de gravação/reprodução nfunções dos microfones: captação do som controle acústico nTécnico: saber escolher e posicionar

3 Geber Ramalho e Osman Gioia 3 Microfone nDefinição dispositivo que converte sinais acústicos (ondas sonoras) em sinais elétricos. Transdutor acústico- elétrico nFuncionamento: Duas operações onda sonora pressiona o diafragma, superfície capaz de sofrer pequenos deslocamentos para frente e para traz reproduzindo o movimento das partículas do ar o movimento do diafragma causa uma variação correspondente em uma propriedade de um circuito elétrico

4 Geber Ramalho e Osman Gioia 4 Tipo de conversão tipo de microfone nEletrodinâmica ou eletromagnética microfones dinâmicos (bobina móvel e fita) nEletrostática microfones capacitivos (condensador) nPiezoelétrica microfones a cristal e microfones cerâmicos nResistência de contato variável microfones de carvão (telefone)

5 Geber Ramalho e Osman Gioia 5 Microfone capacitivo Dielétrico de ar Diafragma Backplate capacitor A pressão do ar desloca o diafragma, que modifica a espessura do dielétrico, que modifica a a capacitância que produz uma (fraca) corrente elétrica variável que é amplificada Tensão contínua (DC) corrente Pré-amplificador Phanton power 48V

6 Geber Ramalho e Osman Gioia 6 Dinâmico: Bobina móvel A pressão do ar desloca o diafragma, que movimenta a bobina que faz variar o campo magnético dentro dela que induz uma corrente elétrica variável na bobina SN imã Bobina Diafragma corrente

7 Geber Ramalho e Osman Gioia 7 Dinâmico: De fita N S imã Fita metálica Vista superior polos A pressão do ar desloca a fita, que faz variar o campo magnético atravessando-a que induz uma tensão variável nas bordas da fita corrente

8 Geber Ramalho e Osman Gioia 8 Microfone de carvão (de telefone) corrente -+ A pressão do ar desloca o diafragma, que faz variar a densidade de partículas que varia a resistência elétrica que faz variar a corrente diafragma Partículas de carvão

9 Geber Ramalho e Osman Gioia 9 Outros microfones nMicrofone de cerâmica e Microfone de cristal ambos baseado no efeito piezoelétrico: deformação => corrente nMicrofones especiais de superfície (contorno) miniatura estéreo

10 Geber Ramalho e Osman Gioia 10 Características dos microfones Direcionalidade Resposta em freqüência Efeito proximidade Nível máximo de pressão sonora Sensibilidade Resposta a transitórios Impedância Nível de saída Robustez mecânica alimentação e polaridade da saída etc.

11 Geber Ramalho e Osman Gioia 11 Operação do diafragma nMicrofones de pressão qualquer diafragma exposta à onda sonora em um único lado ex. bobina móvel, capacitivo, etc. nMicrofones de velocidade (gradiente de pressão) o diafragma é exposto à onda sonora de ambos os lados seu movimento depende da diferença de pressão, ou seja, da velocidade instantânea da onda sonora ex. Microfone de fita –pode ser usado por dois cantores, instrumentistas ou grupos simultaneamente

12 Geber Ramalho e Osman Gioia 12 Direcionalidade Dependendo da resposta às diferentes direções de incidência do som, os microfones podem ser: 1) Omnidirecionais captam igualmente sons de todas a direções –ex. microfone do console 2) Unidirecionais captam som somente de uma direção dividem-se em cardióide, super-cardióide, hiper- cardióide e shot-gun 3) Bidirecionais (figure 8) captam som de duas direções opostas

13 Diagramas polares: omni e bi

14 Diagramas polares: cardióide e super

15 Geber Ramalho e Osman Gioia 15 Diagrama polar: hiper-cadióde

16 Geber Ramalho e Osman Gioia 16 Direcionalidade x tipo de microfone nCapacitor omnidirecionais unidirecionais: todas as categorias bidirecionais nBobina móvel omnidirecionais unidirecionais: todas as categorias nCapacitor omnidirecionais unidirecionais: só hiper-cadióide bidirecionais

17 Geber Ramalho e Osman Gioia 17 Efeito de proximidade nOs unidirecionais enfatizam os graves quando usados perto da fonte sonora legal para bateria mas ruim para voz e outros solução: cortar graves na mesa ou usar microfones com low cut embutido

18 Geber Ramalho e Osman Gioia 18 Resposta em freqüência nObservação Como o microfone é o primeiro elo da cadeia, a resposta de freqüência deve ser adequada! nTrês fatores afetam a fidelidade de reprodução Faixa de freqüência: quanto mais extensa mais fiel Resposta suave: não deve possuir picos ou vales abruptos em nenhuma freqüência Resposta plana: a resposta deve permanecer no mesmo nível durante toda a faixa de freqüência. A reposta será a mesma para qualquer freqüência

19 Geber Ramalho e Osman Gioia 19 Resposta em freqüência n Faixa de freqüência com tolerância de +/- 3dB, de 50 a 15kHz é razoável, de 40 a 18kHz é ótimo, de 20 a 20kHz é excelente mas tudo depende do que se grava a resposta às baixas freqüências deve se limitar ao do instrumento nExemplos (Senheiser) Os valores são medidos em referência a resposta em 1KHz a 0 dB

20 Geber Ramalho e Osman Gioia 20 Exemplos (Senheiser)

21 Geber Ramalho e Osman Gioia 21 Exemplos (Senheiser)

22 Geber Ramalho e Osman Gioia 22 Como escolher o microfone? (parte I) nUsar omnidirecionais para captar sons de toda a parte captar reverberação da sala diminuir a sensibilidade ao pop (explosão) obter baixo ruído anular efeito de proximidade Estender respostas nas baixas (mics. Capacitivos) gastar menos dinheiro $$ nUsar unidirecionais para captação seletiva rejeitar acústica da sala (reverberação e eco), vazamentos (leakage), ruído de fundo e realimentação obter efeito de proximidade –obs. o mais popular é o cardióde!

23 Geber Ramalho e Osman Gioia 23 Sensibilidade nÉ a medida de eficiência do microfone para uma mesma fonte sonora, microfones sensíveis produzem uma sinal de saída mais forte do que os pouco sensíveis Mics. pouco sensíveis exigem um maior ganho de entrada da mesa => maior ruído –Crítico em instrumento acústicos de baixa faixa dinâmica No entanto, a sensibilidade não altera a qualidade (sound quality) nMedida: tensão gerada por um tom de 1kHz a 74 dB-SPL –capacitor: -65dB (alta sensibilidade) –bobina móvel: -75 (média sensibilidade) –fita: -85 (baixa sensibilidade)

24 Geber Ramalho e Osman Gioia 24 Sensibilidade nObservação importante cuidado ao usar um microfone de alta sensibilidade em uma fonte sonora de alta intensidade isto pode sobrecarregar o pré-amplificador da mesa nestes casos, use atenuadores (da mesa ou do microfone - PADs)

25 Geber Ramalho e Osman Gioia 25 Resposta aos transitórios nUma boa reposta aos sinais transitórios (rápidos) implica em clareza, detalhamento, e qualidade. nNeste aspecto... o melhor é o Capacitivo –ex. bom para ouvir o tin de um chimbal Bobina tem baixa resposta –pode ser usado em metais para cortar as arestas Fita está entre os dois –metais para suavizar, dar som cheio,...

26 Geber Ramalho e Osman Gioia 26 Impedância de saída nA impedância de saída de um microfone pode ser alta (>10000 ohm) - micros dinâmicos média ( ohm) baixa ( ohm) - micros capacitivos –Obs: a impedância é medida a 1kHz nBaixas impedâncias são preferidas permitem uso de cabos longos sem grande captação de ruídos e perdas nas altas freqüências as mesas estão preparadas para tal

27 Geber Ramalho e Osman Gioia 27 Máximo nível de pressão sonora nMaximum SPL ponto a partir do qual o microfone distorce (3% de distorção harmônica) 120 dB é bom, 135 é muito bom, e 150 é excelente nNeste aspecto Mics de bobina agüenta mais sons fortes e por isto pode ser usado para percussão (surdo), bateria (bumbo, surdo), amplificadores de guitarra, etc. Mics capacitivos saturam antes...

28 Geber Ramalho e Osman Gioia 28 Outros nRuído próprio ruído elétrico que o microfone produz è geralmente ponderado pela figura-A,que e um filtro de exclui a resposta em freqüência do ouvido (pouco de baixas e altas freqüências) nNível de saída normalmente expresso, a 1kHz, em mV/Pascal, dBm ou dBV áudio balanceado: + 4dBm áudio não-balanceado: -10 dBV nRobustez Capacitivos são mais frágeis, e Fita mais ainda

29 Geber Ramalho e Osman Gioia 29 Como escolher o microfone?

30 Geber Ramalho e Osman Gioia 30 Como escolher o microfone? (parte III) nMic. Capacitivo excelente resposta em freqüência exclente qualidade de reprodução não é afetado por variações de temperatura nível de saída reduzido frágil nMic. Dinâmico baixa impedância bom nível de saída suporta bem altas pressões sonoras boa resposta em freqüência e qualidade de reprodução

31 Geber Ramalho e Osman Gioia 31 Acessórios nAnti-puff usado em vocalistas para evitar os puffs (explosões do tipo letra b, p e t O anti-puff fica entre a fonte e o microfone nPedestais (estantes e girafas) e luvas serve para posicionar os microfones Deve ter base de metal pesada + mecanismos de rotação + telescopagem nAranha (Shock mount) segura o microfone com material elástico evita contato direto com os suportes, isolando-o de choques mecânicos

32 Geber Ramalho e Osman Gioia 32 Acessórios nCabos e conectores nMulticabos nSplitters netc.


Carregar ppt "Geber Ramalho e Osman Gioia 1 Microfones: funcionamento e características Tipos de microfones e seu funcionamento Características fundamentais acessórios."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google