A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação de Sistemas Operacionais Marcos José Santana Regina Helena Carlucci Santana Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação de Sistemas Operacionais Marcos José Santana Regina Helena Carlucci Santana Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação de Sistemas Operacionais Marcos José Santana Regina Helena Carlucci Santana Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Sistemas de Computação Maio 2009

2 Conteúdo O que deve ser feito no projeto: 1.Planejar um Experimento que envolva avaliação de Sistemas Operacionais 2.Realizar o experimento – Determinar a melhor técnicas para a Avaliação 3.Apresentação e Análise de Resultados

3 Motivação Porque avaliar Sistemas Operacionais? Porque o Sistema Operacional influencia no desempenho? Em diversas ocasiões o Sistema Operacional apresenta grande influência no desempenho de um sistema

4 Motivação Diversos Motivos, relacionados aos requisitos básicos de SOs: 1. Necessidade de Confiabilidade –Desempenho X Confiabilidade –Duas características conflitantes 2. Facilidade de Utilização –SOs são de utilização ampla –Diferentes tipos de usuários –Usuários menos experientes requerem facilidade de aprendizagem/utilização. Ex, plug and play.

5 Motivação Diversos Motivos, relacionados aos requisitos básicos de SOs: 3. Oferecimento de Novas Versões –Visando a evitar a estagnação do produto –Visando a perda de clientes 4. Adequabilidade à Aplicação –Necessidade de características específicas –Exemplos: formas de escalonamento, threads usuário ou kernel, aplicações I/O ou CPU bound

6 Motivação Diversos Motivos, relacionados aos requisitos básicos de SOs: 5. Execução em segundo plano –Por exemplo, deamons no Unix –Processos carregados sem o conhecimento explicito do usuário. 6. Etc., etc., etc....

7 Motivação Como Agilizar? 1.Identificar os pontos de atraso e verificar o impacto desse atraso: Verificar a freqüência com que o procedimento ocorre –Eventos raros e lentos: Pouco impacto Muita otimização para ser perceptível Exemplo: procedimento ao ligar o computador, falha ao entrar em uma região crítica –Eventos freqüentes: Muito impacto Pequena otimização pode ser perceptível Exemplo: processo escalonador 2. Propor soluções 3. Avaliar soluções Avaliação de Sistemas Computacionais

8 Conteúdo 1.Planejamento de Experimentos –Motivação –Introdução –Etapas de um Experimento –Planejamento do Experimento Conceitos Básicos Carga de trabalho Modelos para Planejamento de Experimento 2.Técnicas para Avaliação de Desempenho 3.Análise de Resultados

9 Avaliação Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

10 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? Exemplo....

11 Por quê se preocupar com Avaliação de Desempenho? 1.Suponha que você tenha um sistema que apresenta problemas de desempenho – usuários reclamando!! 2.É disponibilizada verba para fazer um upgrade de um sistema. Mais memória CPU mais rápida Aumentar memória virtual Processadores adicionais Mais unidades de disco RAID Nova configuração O que fazer?

12 Avaliação de Desempenho Exemplo Decisão: Aumentar o tamanho da memória virtual Objetivo do sistema: Executar programas de alunos, com tamanho médio de três páginas Resultado: Algoritmo de gerenciamento torna-se mais complexo; Sobrecarga na CPU aumenta Desempenho global do sistema piora

13 Avaliação de Desempenho Objetivo do sistema: Oferecer um sistema seguro para armazenamento de dados Resultado: Sincronização entre o Gerenciador de Memória, de CPU e os dispositivos de E/S Sobrecarga na CPU aumenta Tempo de resposta aumenta e perda de produtividade Exemplo Decisão: Implementar um Sistema de Multiprogramação

14 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar em avaliar um sistema? Obter o melhor desempenho possível a um menor custo. O que é melhor desempenho possível? O que deve ser analisado? Depende do ponto de vista

15 Avaliação de Desempenho O que o sistema precisa? Qual é o tipo de usuário? Qual é o objetivo do SO? Como se dá o gerenciamento de recursos?

16 Avaliação de Desempenho? Análise detalhada: Dos recursos do sistema Dos gerenciadores Dos Usuários Caso contrário pode-se trocar um conjunto de problemas por outro

17 Avaliação de Desempenho Precisamos saber responder.... O que o sistema precisa? Qual é o tipo de usuário? Qual é o objetivo do Sistema? Como se dá o gerenciamento de recursos? Para podermos avaliar o sistema e oferecer um melhor serviço

18 Exemplo Como avaliar um aquário?

19 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

20 O que vem a ser Avaliação de Desempenho? Avaliar um sistema (computacional ou não) buscar uma métrica que indique quantidade ou qualidade, por exemplo, de um serviço prestado; Determinar a eficiência com a qual um sistema atinge seus objetivos

21 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

22 Avaliação de Desempenho Quando se preocupar com a avaliação de desempenho? Usuário reclamando Troca de sistema Comparação entre sistemas Avaliação de um projeto

23 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

24 Avaliação de Desempenho Quem deve se preocupar com a avaliação de desempenho? cada domínio implica em um profissional exemplo: sistemas computacionais: analista de sistemas; gerente de sistemas; engenheiro de sistemas; projetista de hardware ou software; programador; etc.

25 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

26 Avaliação de Desempenho Técnicas e Ferramentas cada domínio tem seu instrumental próprio ferramentas variam de acordo com o domínio e a técnica: avaliar o desempenho de um automóvel é diferente do caso de uma impressora, ou de um servidor de arquivos; mas a essência da técnica pode ser a mesma: por exemplo modelagem, com solução analítica

27 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

28 Avaliação de Desempenho O que medir? ter informação o mais fiel possível sobre o comportamento de um sistema e com isso poder otimizar: seu desenvolvimento; sua implementação; sua utilização; sua evolução; sua desativação.

29 Avaliação de Desempenho Medidas de desempenho computacionais Tempo de Resposta (visão do usuário) Capacidade de Trabalho/Utilização Disponibilidade do Sistema Produtividade do Sistema

30 Avaliação de Desempenho Por quê se preocupar com isso? O que vem a ser isso? Quando se preocupar com o desempenho? Quem deve se preocupar com a avaliação? Como medir o desempenho? Que técnicas utilizar? O que medir? Como confiar nas métricas obtidas?

31 Avaliação de Desempenho Como confiar nas métricas obtidas? Avaliação versus Análise Qual a diferença? Avaliar obter, produzir, levantar dados a respeito de uma entidade; exemplo: determinar o consumo de um automóvel usar alguma técnica para medir a distância percorrida e o volume de combustível consumido;

32 Avaliação de Desempenho Avaliação versus Análise Qual a diferença? Analisar verificar a precisão, a validade, o significado da grandeza produzida durante a avaliação. exemplo: se a avaliação do automóvel levou a 20 Km/litro de gasolina, então a análise se preocupa em se certificar que: a metodologia utilizada foi correta; que os números levantados são suficientemente precisos; e, então, conclui se o desempenho avaliado é bom, ruim, etc.

33 Avaliação de Desempenho Como analisar as métricas obtidas? Exemplo: Tempo de Resposta em dois sistemas A e B SistemaCarga 1Carga 2 A2010 B1216 Será que estes valores são válidos? Qual a carga usual do sistema? Qual o objetivo desta avaliação? Qual o melhor sistema?

34 Pontos Importantes para a Avaliação 1. Entendimento completo do sistema, dos problemas e dos objetivos da avaliação 2. Abordagem sistemática 3. Não devem ser considerados parâmetros, cargas, métricas, etc. arbitrários. 4. Definição de uma carga de trabalho característica 5. Definição da metodologia mais apropriada 6. Definição do nível de detalhamento 7. Análise dos resultados 8. Considerar os limites, suposições e margem de erro

35 Projeto de Sistemas Operacionais Avaliação de Sistemas Operacionais –Desempenho –Segurança –Confiabilidade Experimento com Sistemas Operacionais


Carregar ppt "Avaliação de Sistemas Operacionais Marcos José Santana Regina Helena Carlucci Santana Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google