A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Luis Otavio Alvares

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Luis Otavio Alvares"— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Luis Otavio Alvares
Aula de revisão Prof. Luis Otavio Alvares

2 Quantas variáveis serão necessárias para ler os valores?
Seja o problema: Ler 9 valores, calcular a média aritmética dos mesmos e imprimir a média e os valores iguais ou superiores à média. Pergunta-se: Quantas variáveis serão necessárias para ler os valores? 9? Ou 1? Resposta: 9 variáveis (de mesmo tipo!)

3 Solução para o problema das múltiplas variáveis de mesmo tipo:
um vetor Nome: comum a todas as variáveis abc (...) 1 2 3 4 5 6 7 8 A posição dentro do vetor (índice) identifica os valores individuais Ex.: abc[0] … abc[8]

4 Vetores: variáveis compostas homogêneas
Um só tipo; Um só nome; Múltiplas posições de memória identificadas por índices.

5 Seja um vetor inteiro de 9 elementos chamado valor
valor[i] (...) i = 1 2 3 4 5 6 7 8

6 Declaração de um vetor ( = arranjo de uma só dimensão)
Exemplo: int valor[9]; //valor corresponderá a 9 variáveis, com // índices variando de 0 a 8 valor[i] (...) i = 1 2 3 4 5 6 7 8

7 ATENÇÃO A primeira posição de um vetor é a posição zero.
Ex.: maior = vet[0]; // inicializacao de variável maior //com o primeiro valor do vetor vet O sistema não controla a correção dos índices usados. Quem deve garantir que os índices estejam dentro do intervalo correto é o programador. Vetores não são inicializados automaticamente pelo sistema. Inicialmente contém valores quaisquer (= “lixo”).

8 Algumas formas de inicialização de um vetor:
Por leitura: for (i = 0; i <MAX;i++) scanf(“%d”, &valor[i]); Por atribuição, para garantir valor inicial zero a posições que funcionarão como contadores ou acumuladores: for (i = 0; i <MAX;i++) cont_valores[i]= 0;

9 O que pode ser usado como índice de um vetor?
Tanto variáveis inteiras quanto constantes numéricas. Ex.: printf(“Escore do aluno %d: “, escore[i]); printf(“Escore do primeiro aluno %d: “, escore[0]); Variáveis diferentes podem ser usadas para acessar um vetor em momentos diferentes de um programa: Ex.: scanf(“%d”,&valor[i]); ... printf(“Valor: %d ”, valor[j]); Uma mesma variável pode ser usada no mesmo momento ou em momentos diferentes para acessar vetores diferentes. Ex.: printf(“\n%d %d”, gabarito[i] , resultado[i]);

10 Ainda sobre índices de vetores:
Não existe vinculação permanente entre um valor ou variável e um vetor. Qualquer índice (variável ou constante) usado para acessar um vetor deve corresponder a um valor dentro do intervalo de índices válidos para o vetor.

11 Arranjo multidimensional
(ou matriz, tabela) Um arranjo multidimensional é o arranjo que necessita de mais de um índice para referenciar seus elementos. Ex.: arranjo bidimensional ou matriz de duas dimensões.

12 coluna linha Declaração de notas como matriz bidimensional: …
float notas [7] [6]; Outra forma: #define MAXLIN 7 #define MAXCOL 6 float notas [MAXLIN] [MAXCOL]; Acesso a um elemento de Notas: printf(“%6.2f” , notas[1] [2]); coluna linha

13 Arranjos bidimensionais em C
Primeiro índice : linha; Segundo índice : coluna.

14 Acesso a elementos determinados da matriz:
Considerando uma matriz definida como notas[7][6] com as notas de alunos, em que cada linha corresponde a um aluno e cada coluna a uma prova: Primeira nota do primeiro aluno: printf(“Nota 1 do Primeiro Aluno: %6.2f“, notas[0] [0]); Primeira nota do terceiro aluno , ou seja, i = 2 j = 0: scanf(“%f”, ¬as[i] [j]); Última nota do último aluno: if (notas[6] [5] > 9.5) ...

15 Seja qual for o número de dimensões*
ATENÇÃO: Seja qual for o número de dimensões* os elementos de um arranjo são sempre de mesmo tipo! * (número de índices necessários para acessar um elemento da matriz = número de dimensões da matriz)

16 Strings Não existe um tipo String em C.
Strings em C são vetores do tipo char que terminam com ‘\0’. Para literais string, o próprio compilador coloca ‘\0’. #include <stdio.h> #include <stdlib.h> main(){ char re[8] = "lagarto"; //tamanho máximo de 7 caracteres printf ("%s", re); system("pause"); }

17 Para ler uma String Comando gets #include <stdio.h>
#include <stdlib.h> main(){ char re [80]; printf ("Digite o seu nome: "); gets(re); printf ("Oi %s\n", re); system("pause"); }

18 Tratamento de strings #include <string.h>
Principais funções para manipulação de strings: strcmp (s1, s2): comparação de strings (0 p/ iguais) strlen(s1): devolve o tamanho da string strcpy(para, de): copia string strcat(str1,str2): concatena duas strings strupr(str): coloca str em letras maiúsculas strlwr(str): coloca str em letras minúsculas

19 Tratamento de strings Como os strings são armazenados como um vetor de caracteres, eles podem ser manipulados como um vetor normal, acessando cada caracatere pelo respectivo índice

20 Funções Funções são segmentos de programa que executam uma determinada tarefa específica. Funções (também chamadas de rotinas, ou sub-programas) são a essência da programação estruturada. Ex: sqrt(), strlen(), etc. O programador também pode escrever suas próprias funções, chamadas de funções de usuário, que tem uma estrutura muito semelhante a um programa.

21 Forma geral da declaração de uma função
tipo_da_funcao nome_da_função (lista_de_parâmetros) { //declarações locais //comandos } tipo_da_funcao: o tipo de valor retornado pela função. Se não especificado, por falta a função é considerada como retornando um inteiro. nome_da_função: nome da função conforme as regras do C lista_de_parâmetros: tipo de cada parâmetro seguido de seu identificador, com vírgulas entre cada parâmetro. Mesmo se nenhum parâmetro for utilizado, os parênteses são obrigatórios. Os parâmetros da declaração da função são chamados de parâmetros formais. 21

22 Exemplos de cabeçalhos de funções
soma_valores (int valor1, int valor2) // por falta é inteira void imprime_linhas(int num_lin) void apresenta_menu ( ) float conv_dolar_para_reais(float dolar); 22

23 retorno de valor e fim lógico da função
Comando return(): retorno de valor e fim lógico da função Ao ser executado o return numa função, um valor é atribuído à função e ela encerra sua execução. No ponto onde ocorreu a chamada da função, um valor passa a estar disponível para processamento. 23

24 retorno de valor da função (cont.)
Comando return(): retorno de valor da função (cont.) Se uma função é declarada com tipo diferente de void (int, char, float, etc.) significa que ela pretende explorar a possibilidade de retorno de um valor em seu nome, e então pode ser usada em expressões. Uma função que retorna um valor em seu nome deve conter pelo menos uma ocorrência do comando return, uma vez que é pela execução de um comando return que um valor é atribuído ao nome de uma função.

25 Quando uma função encerra sua execução?
Uma função encerra sua execução quando: o fim do seu código é atingido; ou um comando return é encontrado e executado. 25

26 O quê é necessário para usar-se uma função em Linguagem C?
A declaração da função. A chamada da função. Dependendo do caso, o protótipo da função. 26


Carregar ppt "Prof. Luis Otavio Alvares"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google