A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Microdureza de fase sigma em aço inoxidável dúplex SAF 2205 AUTOR: Luciane Emi OiyeOrientador: Prof.Dr.Rodrigo Magnabosco

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Microdureza de fase sigma em aço inoxidável dúplex SAF 2205 AUTOR: Luciane Emi OiyeOrientador: Prof.Dr.Rodrigo Magnabosco"— Transcrição da apresentação:

1 Microdureza de fase sigma em aço inoxidável dúplex SAF 2205 AUTOR: Luciane Emi OiyeOrientador: Prof.Dr.Rodrigo Magnabosco Materiais e métodos O material em estudo, de procedência sueca (Sandvik), foi adquirido como chapa laminada a quente de 3 mm de espessura, recebendo posteriormente tratamento térmico de solubilização a 1120ºC por 30 minutos, atingindo dureza de 256 HB. Resultados e discussão Agradecimentos: Ao Centro Universitário da FEI pelo patrocínio do projeto e concessão de bolsa de iniciação científica. Ao nosso orientador Prof. Rodrigo Magnabosco pelo apoio e incentivo Aos técnicos do LabMat-FEI Objetivos Este trabalho visa definir os mecanismos que governam a formação de fase sigma no aço inoxidável a temperaturas de 700ºC, 750ºC, 800ºC e 900°C durante períodos de até 1032 horas, descrevendo as reações de formação e crescimento da fase sigma e o desenvolvimento das microestruturas. Especificamente, esta etapa do trabalho visa caracterizar a fase sigma formada através da determinação desta nas diferentes condições de formação. Laboratório de Materiais do Centro Universitário da FEI A partir do material solubilizado, foram produzidas quatro séries de amostras através de envelhecimento isotérmico a 700ºC, 750ºC, 800ºC e 900ºC, por tempos de 10 minutos a 1008 horas. Os corpos-de-prova metalográficos foram submetidos a lixamento até 500 mesh, para em seguida serem polidos utilizando pasta de diamante de diâmetros 6 m, 3 m e finalmente 1 m. Para a revelação da microestrutura utiliza-se o reativo de Behara modificado, e todas as amostras preparadas metalograficamente são observadas num microscópio LEICA DMLM, identificando as fases presentes. A fim de comprovar a formação de sigma, além de outras possíveis ocorrências microestruturais que possam acarretar a aumento de dureza (como a formação de nitretos de cromo e fase chi) mede-se a dureza das amostras, utilizando microdurômetro modelo HMV-2, fabricado por SHIMADZU. Em cada amostra são efetuadas quarenta medidas, usando escala Vickers com 0,5 kg de carga. Para caracterizar as possíveis diferenças entre a formação de fase sigma em diferentes temperaturas de envelhecimento, o projeto previa a medição da microdureza desta fase, utilizando o mesmo microdurômetro. No entanto a fase sigma apresenta tamanho diminuto, o que dificulta a medição, e portanto tal etapa não será executada. A dureza da fase sigma então será extrapolada a partir da construção de gráficos da dureza em função da fração volumétrica de sigma (medida no trabalho do bolsista Gustavo Henrique Bolognesi Donato). Micrografia 1. Amostra solubilizada. Ferrita (escura) e austenita (cinza) Ataque:Behara modificado Micrografia 3. Amostra envelhecida a 900ºC por 8 horas. Ferrita (escura), austenita (cinza) e sigma (sem ataque). Nota-se aumento da fração volumétrica de fase sigma e diminuição da fração volumétrica de ferrita Ataque: Behara modificado Micrografia 2. Amostra envelhecida a 900ºC por 0,67 horas. Ferrita (escura), austenita (cinza) e sigma (sem ataque) Ataque: Behara modificado Micrografia 4. Amostra envelhecida a 900ºC por 1032 horas. Austenita (escura) e sigma (sem ataque). Ataque: Behara modificado A composição química do material estudado: Figura 1. Evolução da dureza em função da porcentagem de fase sigma no aço SAF2205 a 850°C. Curva tipo exponencial, regida pela equação HV = 237.5e Figura 2. Evolução da dureza em função da porcentagem de fase sigma no aço SAF2205 a 900°C. Curva tipo exponencial, regida pela equação HV = e Efetuar medidas para as amostras submetidas a tratamentos de 800ºC, 750ºC e 700ºC, a fim de se obter respectivos gráficos da evolução da dureza em função da porcentagem de fase sigma, extrapolando a dureza da fase sigma, comparando os valores encontrados aos descritos na literatura, e averiguando a validade da extrapolação aqui conduzida. Próximas EtapasConclusão Até o momento, nota-se uma grande diferença entre os valores obtidos para a dureza extrapolada da fase sigma pela lei exponencial e a dureza encontrada na literatura (940 HV). As diferenças encontradas, contudo, deverão ser analisadas com maior critério. Visto que os valores obtidos para a dureza extrapolada da fase sigma até o momento não equivalem ao valor apresentado na literatura, inclui-se a este item o estudo do motivo desta diferença e que parâmetros de medição de dureza deve-se alterar, para se obter um resultado próximo ao apresentado pela literatura. Dureza extrapolada da fase sigma considerando um aço apresentando 100%, a partir das equações indicadas acima: Elemento Cr NiMoMn SiVNCPS % em peso 22,25,72,981,60,440,070,1610,0160,020,001


Carregar ppt "Microdureza de fase sigma em aço inoxidável dúplex SAF 2205 AUTOR: Luciane Emi OiyeOrientador: Prof.Dr.Rodrigo Magnabosco"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google