A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Interoperabilidade Semântica no Governo Eletrônico: Informação Legislativa e Jurídica João Lima Senado Federal / Prodasen

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Interoperabilidade Semântica no Governo Eletrônico: Informação Legislativa e Jurídica João Lima Senado Federal / Prodasen"— Transcrição da apresentação:

1 Interoperabilidade Semântica no Governo Eletrônico: Informação Legislativa e Jurídica João Lima Senado Federal / Prodasen

2 Tópicos O Problema – Interoperabilidade Semântica Entidades Assunto O caminho para a solução – Ranganathan Plano das idéias Plano verbal Plano notacional

3 Quatro Tipos de Heterogeneidade Ouksel & Sheth (2004): Sistema – incompatibilidades entre hardware e sistemas operacionais Sintática – diferenças na codificação e representação Estrutural – variações nos modelos de dados, estruturas de dados e esquemas Semântica – Inconsistências na terminologia e significados

4 Problema Cada Sistema de Informação possui – seu próprio modelo de dados estrutura / semântica – sua própria forma de codificar encoding Sintática – Fácil de resolver: XML + Unicode + encoding scheme Semântica / Estrutural – Não é resolvido pelo XML + Unicode + encoding scheme

5 Semantic Interoperability Semantic interoperability is characterized by the capability of different information systems to communicate information consistent with the intended meaning of the encoded information (as intended by the creators or maintainers of the information system). (Patel et. al, 2005)

6 2 Sistemas - Mapeamento Sistema 1 Modelo A Sistema 2 Modelo B A Mapeamento B A1 = B1 A2 || A3 = B2 A4 = Func(B4)

7 n Sistemas – Mapeamento x Sistema 1 Modelo A Sistema 6 Modelo F Sistema 2 Modelo B Sistema 3 Modelo C Sistema 5 Modelo E Sistema 4 Modelo D Mapeamento

8 A falta da interoperabilidade Provoca o problema dos – silos de informação Fontes de Informações heterogêneas que não podem ser – pesquisadas com precisão com opções avançadas – comparadas – combinadas – migradas – etc

9 Em suma, The overall objective of semantic interoperability is to support complex and advanced, context-sensitive query processing over heterogeneous information resources. (Patel et al., 2005)

10 Acordo Semântico Sistema 1 Modelo A Sistema 6 Modelo F Sistema 2 Modelo B Sistema 3 Modelo C Sistema 5 Modelo E Sistema 4 Modelo D Modelo Comum

11 O caminho para a Solução Qual é esse modelo comum?

12 DC ? Não, não é o Dublin Core Problemas do DC – Foco no Recurso – Estrutura flat – Não trata adequadamente os eventos temporais – Top-Down Approach 15 Qualificadores – (abandonado pelo DCC) DC1 DC2

13 DC.Date The date of publication A date associated with the creation or availability of the resource A date associated with an event in the life cycle of the resource – [Qualifers] created, valid, available, issued, modified 2002 – [Qualifers] accepted, submitted, copyrighted A point or period of time associated with an event in the lifecycle of the resource. p c a e... c v ai m ee eee c v ai m eee asc c v ai m eee asc sees 8 8

14 SW Cake? Não, não é o Semantic Web Cake. –When Tim Berners Lee first outlined his vision of a semantic web at WWW 7 (Brisbane, 1997), he focused on using logic to ensure which things were true and which things were not, in order that one could trust what was being shared. – The following year at WWW8 (Toronto, 1998), this aspect of reliability was underlined. The semantic web was presented as synonymous with a web of trust. – In the course of the next years ( ) there was increasing emphasis on acronyms and on trust with respect to transactions. (Kim Veltman)

15 By contrast, culture faces a much larger challenge, namely, to represent changes in ways of knowing; changing meanings in different places at a given time (synchronically) and over time (diachronically). Culture is about both objects and the commentaries on them; about a cumulative body of knowledge; about collective memory and heritage. (K. Veltman)

16

17 Core ontology? Sim, é uma core ontology. Comprometimento ontológico – Vocabulário comum Recently, more and more projects and theoreticians support the use of formal ontologies as common conceptual schema for information integration (Doerr) Grande Economia – Reuso (não tem que começar do zero) Tipos de ontologia – Terminological Ontologies Grandes, conceitos, isA, domain-specific – Core Ontology Concisas, esquemas de dados, isA + outros, genérico

18 ISO 21127:2006 CIDOC - Conceptual Reference Model

19 Por que esta ontologia? Suficientemente genérica e flexível Foco no evento e não no recurso Bottom-Up Approach (criação) – Museus, Arquivos e Bibliotecas (Instituições de Memória) Separa a discussão da terminologia da parte essencial da ontologia – keep the basic ontology in a manageable size. Trata – Nomes, Identificadores, Títulos – Período, Evento, Atividade – Pessoa, Organização – Tipos, Objetos Físicos e Conceituais, Localidades – Obras, Expressão, Manifestação

20 The CIDOC CRM is a formal ontology intended to facilitate the integration, mediation, and interchange of heterogeneous cultural heritage information. It was developed by interdisciplinary teams of experts, coming from fields as diverse as computer science, archaeology, museum curation, history of arts, natural history, library science, physics and philosophy, under the aegis of the International Committee for Documentation (CIDOC) of the International Council of Museums (ICOM). Museus – 5 % das classes/relacionamentos ISO 21127:2006 CIDOC - Conceptual Reference Model

21 Como foi criada It started bottom-up, by reengineering and integrating the semantic contents of a multitude of database schemata and documentation structures from all kinds of museum disciplines, archives, and more recently libraries. Iniciou em 1996 Tamanho – 80 classes – 128 propriedades Representa a semântica de centenas de esquemas

22 ActorsEventsObjects extracted factual knowledge (network) Categorical data (Thesauri) extent the core ontology Sources and metadata Factual Background Knowledge / Authorities Core Ontology/ CRM relationships, language neutral, global terms, multilingual, domain specific Conceptual Reference Model - Architecture

23 The CIDOC CRM Top-level Entities relevant for Integration participate in E39 Actors E55 Types E28 Conceptual Objects E18 Physical Thing E2 Temporal Entities E41 Appellations affect or / refer to refer to / refine refer to / identifie location at within E53 Places E52 Time-Spans

24 ActorsEventsObjects extracted factual knowledge (network) Categorical data (Thesauri) extent the core ontology Sources and metadata Factual Background Knowledge / Authorities Core Ontology/ CRM relationships, language neutral, global terms, multilingual, domain specific Conceptual Reference Model - Architecture

25 KOS - Instâncias KOS – Vocabulários – Classificações – Taxonomias – Authority Lists – Tesauro W3C SKOS – Simple Knowledge Organization Systems – Representação – Mapeamento

26 KOS - Instâncias LexML Brasil: urn:lex:br:federal:lei:1990;8112

27 Identificador Um identificador é uma associação de um nome com uma coisa. (PILIN Ontology) Um label único que torna o recurso referenciável. (DOI Handbook) Coisa Nome B [ Contexto 2 ] Nome A [ Contexto 1 ] Alias de B [ Contexto 2 ]

28 Identificador Persistente Identificador gerenciado e mantido por uma entidade – Persistência > Localização Cria-se um nível de redirecionamento Intermediado por um serviço de resolução – Persistência > Referente O referente não será trocado (reaproveitamento de ID) A persistência não é garantida por nenhum tipo de identificador Depende do – comprometimento da entidade que publica a informação na manutenção da associação entre o recurso/coisa e a respectiva manifestação (e localização). – política de preservação digital

29 Dois Pontos de Vista (1) – Atribuir um ID a um recurso Óbvio Tecnológico (2) – Atribuir um recurso a um ID Menos óbvio Análise de conteúdo Coisa Nome [ Contexto ] Coisa Nome [ Contexto ] Fonte: Paskin (2004) Both viewpoints valid, (2) is now becoming more relevant

30 ISO TC 46 / SC 9 Information and Documentation - Identification and Description ISO 2108 International Standard Book Numbering (ISBN) ISO 3297 International Standard Serial Number (ISSN) ISO 3901 International Standard Recording Code (ISRC) ISO International Standard Technical Report Number (ISRN) ISO International Standard Music Number (ISMN) ISO International Standard Audiovisual Number (ISAN)* ISO International Standard Musical Work Code (ISWC)* ISO Project Version identifier for Audiovisual Works (V-ISAN)* ISO Project International Standard Text Code (ISTC)* * trend towards identifiers of abstract entities Fonte: Paskin (2004)

31 Iniciativas Identificadores Genéricos – URL – PURL – URN – Handle DOI (Direitos autorais) – ARK (Archival Resource Key) – PILIN Informação Bibliográfica – OpenURL Informação Legislativa e Jurídica – URN – LexML Brasil

32 urn : lex : br;sao.paulo : estadual : lei : ;6134 urn : lex : br : ministerio.fazenda;secretaria.receita.federal : instrucao.normativa : ;117 urn : lex : br;sao.paulo;campinas : camara.municipal : projeto.lei : ;4903

33 Pattern: Complexo - Individual Complexo – Conjunto Individual – Unidade (membro) LexML Brasil: urn:lex:br:federal:lei:1990;8112

34 ActorsEventsObjects extracted factual knowledge (network) Categorical data (Thesauri) extent the core ontology Sources and metadata Factual Background Knowledge / Authorities Core Ontology/ CRM relationships, language neutral, global terms, multilingual, domain specific Conceptual Reference Model - Architecture

35 urn:lex:br:federal:lei: ;7682 Lei nº 7.682, de 02 de dezembro de 1988 ALTERA O DECRETO-LEI 2.406, DE 5 DE JANEIRO DE 1988, E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. urn:lex:br:imprensa.nacional:publicacao.oficial;diario.oficial.uniao;secao.1: !pag1

36 Assinatura do Projeto da Constituição de 1891 G. Hastoy Modelo

37 Publicaç

38 CIDOC / FRBR IFLA - FRBR CIDOC – CRM IFLA + CIDOC CRM + FRBR + FRAD IFLA - FRAD IFLA FRSAR ISO LexML

39 Expression Work Item Manifestation Product Type Container Work Individual Work Complex Work

40 Conclusão Nível das Idéias – ISO 21127: CIDOC CRM Não começar do zero! Especializar para o Governo Eletrônico Nível Verbal – W3C SKOS Por classe/assunto, criar vocabulários Nível Sintático – XML + UTF-8 + Encoding Schemas Coleta: OAI-PMH

41 Referências M. Patel, T. Koch, M.Doerr, C. Tsinaraki, Semantic Interoperability in Digital Library Systems, Report of DELOS2 Network of Excellence in Digital Libraries, Doerr M., Semantic Problems of Thesaurus Mapping. Journal of Digital Information, Special Issue on Networked Knowledge Organization Systems, Volume 1, issue 8, April Doerr, M. Semantic problems of thesaurus mapping. In: Journal of Digital information, Volume 1 Issue 8. Article No. 52, Doerr, M. The CIDOC conceptual reference module: an ontological approach to semantic interoperability of metadata. AI Magazine Veltman, K. Towards a Cultural Semantic Web: From Substance to Relations. Veltman, K. Towards a Semantic Web for Culture. Journal of Digital Information, Vol. 4, No. 4. (15 March 2004) Ouksel A.M. and Sheth A. (1999) Semantic Interoperability in Global Information Systems, ACM SIGMOD Record, Vol 28(1) March 1999, pp 5-12.


Carregar ppt "Interoperabilidade Semântica no Governo Eletrônico: Informação Legislativa e Jurídica João Lima Senado Federal / Prodasen"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google