A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FORGRAD, 23 de maio de 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FORGRAD, 23 de maio de 2005."— Transcrição da apresentação:

1 1 SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FORGRAD, 23 de maio de 2005

2 2 Visão A educação superior brasileira tem a missão estratégica e única voltada para a consolidação de uma nação soberana, democrática, inclusiva e capaz de gerar a emancipação social. --Ministro Tarso Genro

3 3 Visão Missão Estratégica Nação Soberana Nação Inclusiva Nação democrática Sociedade Emancipada

4 4 No. e % de Instituições INSTITUIÇÕES% Número 88,9% 4,5% ,5% ,1% PRIVADAS FEDERAIS ESTADUAIS MUNICIPAIS ATUALMENTE, INSTITUIÇÕES ESTÃO REGISTRADAS EM NOSSO CADASTRO. 93,4%

5 5 % de Instituições IES PÚBLICAS 25,621,511,9 PRIVADAS 74,478,588,5 11,1 88,9

6 6 Tipos de Instituições IESNÚMERO % Universidades 163 8,7 Centros Universitários 81 4,3 Faculdades Integradas 119 6,5 Faculdades Isoladas, Escolas e Institutos Centros de Educação Tecnológica 93 5,0 TOTAL ,5 8,7

7 7 Matrículas na Graduação ANOTOTALPÚBLICOPRIVADO

8 8 Matrículas por Turno TURNO BRASILPÚBLICOPRIVADO DIURNO NOTURNO TOTAL

9 ,18% ao ano 1996 Taxas de crescimento em 2003: 11,77% Expansão das Matrículas Taxas médias anuais de crescimento das matrículas: Anos do Quadriênio : 7,73% Anos do Quadriênio : 13,18%

10 Projeção das Matrículas

11 11 Os Grandes Números Fundamental: estudantes Média: Superior:

12 12 Expansão METAS: 1) Matricular 30% da população da faixa etária apropriada até 2011, o que significa outros de estudantes; 2) 40% das matrículas nas IES públicas.

13 13 Garantia de Qualidade Maiores desafios. 1.Reestruturar os sistemas de avaliação, integrando instrumentos, espaços e momentos. 2.Melhorar os instrumentos de avaliação; 3.Otimizar o Censo e a interpretação dos dados.

14 14 Os 3 olhares do Sinaes Instituição Curso Estudante

15 15 Prédio (Instituição)

16 16 Dimensões da Avaliação Institucional 1.Missão e o PDI 2.Política de Ensino, Pesquisa e Extensão 3.Políticas de pessoal e condições de trabalho 4.Organização e gestão 5.Infra-estrutura física 6.Comunicação com a sociedade 7.Política de atendimento aos estudantes 8.Responsabilidade social da IES 9.Planejamento e avaliação 10.Sustentabilidade financeira

17 17 Apartamento (Curso)

18 18 Avaliação de Curso: O que diz a lei Art. 4º A avaliação dos cursos de graduação tem por objetivo identificar as condições de ensino oferecidas aos estudantes, em especial as relativas ao perfil do corpo docente, às instalações físicas e à organização didático- pedagógica. perfil do corpo docenteInstalações físicas Organização didático-pedagógica

19 19 ACG: O que diz a portaria Art. 20. As Comissões Externas de Avaliação de Cursos terão acesso antecipado aos dados, fornecidos em formulário eletrônico pela IES, e considerarão também os seguintes aspectos: I - o perfil do corpo docente; II - as condições das instalações físicas; III - a organização didático-pedagógica; IV - o desempenho dos estudantes da IES no ENADE; V - os dados do questionário socioeconômico preenchido pelos estudantes, disponíveis no momento da avaliação; VI - os dados atualizados do Censo da Educação Superior e do Cadastro Geral das Instituições e Cursos; e VII - outros considerados pertinentes pela CONAES.

20 20 Corpo docente Instalações Físicas Organização Didático- Pedagógica Dados do Enade Dados da IES Avaliação de Curso (ACG)

21 21 Morador(a) (estudante)

22 22 1.Avaliação Institucional (AI) 2. Avaliação de Cursos de Graduação (ACG) – visitas in loco 3. Enade Instrumentos do Sinaes 1.1 auto-avaliação 1.2 avaliação institucional externa

23 23 Instrumentos do ENADE Prova; Questionário Sócio-econômico; Questionário de Impressões sobre a Prova; Questionário aos Coordenadores de Curso.

24 24 Características da Prova 1.É aplicada, como prova única, a ingressantes e concluintes; 2.É construída com base no perfil do curso; 3. É aplicada a cada ano a estudantes de diferentes grupos de área: 2004 – Grupo I; 2005 – Grupo II; 2006 – Grupo III; 2007 – Grupo I 4.É aplicada, sempre que possível, por amostragem.

25 25 Partes da Prova 1.Formação Geral 2. Componente Específico da área. 10 questões 30 questões

26 26 Relatórios do Enade 1.Relatório do Aluno 2.Relatório do Curso 3.Relatório da Área 4.Relatório da Instituição 5.Resumo Técnico 6.Relatório de Conceitos 7.Relatório Técnico-Científico

27 27 Brasil - ENADE CURSOS 13 ÁREAS Norte 110 CURSOS 5,0% Nordeste 305 CURSOS 14,0% Sudeste CURSOS 51,8% Sul 448 CURSOS 20,5% Centro-Oeste 189 CURSOS 8,7% DISTRIBUIÇÃO DOS CURSOS NAS REGIÕES SUDESTE 51,8%

28 28 DISTRIBUIÇÃO DOS CURSOS POR CATEGORIA ADMINISTRATIVA Categoria Administrativa Número de Cursos Percentual de Cursos Brasil100 IES Federais 29513,5 IES Estaduais 21810,0 Municipais 602,7 Privada ,8% 2.184

29 29 Cálculo do Conceito O conceito foi calculado com base em três termos: 1.Desempenho dos concluintes no Componente Específico da área; 2.Desempenho dos ingressantes no componente específico da área; 3. Desempenho de ingressantes e concluintes na parte de Formação Geral.

30 30 Pesos na composição do Conceito 1.Componente específico = 75% 2. Formação Geral = 25% Obs.: no componente específico, o desempenho dos ingressantes tem peso igual a 15% e os concluintes igual a 60%) 75% 25%

31 31 Distribuição dos Conceitos NíveisFaixas 0,0 a 0,9 1,0 a 1,9 2,0 a 2,9 3,0 a 3,9 4,0 a 5,

32 32 Amostragem 1. Feita pelo Inep; 2. Para os cursos que já haviam sido previamente avaliados, usou-se como base o último ENC. Para os cursos novos e de áreas já examinadas previamente, usou-se com base a área. Finalmente, para cursos de áreas que participariam pela primeira vez do processo de avaliação, como, por exemplo, Educação Física, usou-se como base os sete cursos participantes em 2003; 3. Para as áreas com número reduzido de inscritos, como Terapia Ocupacional e Zootecnia, as avaliações foram censitárias; 4. Sempre que o número de estudantes foi pequeno demais para garantir a confiabilidade dos resultados, todos os alunos do curso foram submetidos ao exame.

33 33 Participantes do Enade 2004 Estudantes da Amostra Ingressantes Concluintes Estudantes Representados Áreas Cursos participantes Cursos com conceitos

34 34 Agronomia Educação Física Enfermagem Farmácia Fisioterapia Fonoaudiologia Medicina Medicina Veterinária Nutrição Odontologia Serviço Social Terapia Ocupacional Zootecnia Áreas Participantes do Enade 2004

35 35 Desempenho em Formação Geral ÁreaIngressantesConcluintes Agronomia33,640,8 Educação Física29,434,8 Enfermagem33,539,7 Farmácia35,442,5 Fisioterapia37,844,6 Fonoaudiologia37,343,4 Medicina Medicina Veterinária36,042,7 Nutrição32,839,7 Odontologia39,846,0 Serviço Social Terapia Ocupacional37,440,6 Zootecnia37,743,2 53,5 24,7 56,3 28,1

36 36 Em 246 cursos os ingressantes tiveram melhor desempenho do que os concluintes em Formação Geral. Formação Geral: Ingressantes com Desempenho Superior aos Concluintes = 17,2%

37 37 Formação Geral: Desempenho médio por Região NorteNordesteSudesteSulCentro- oeste Total 33,636,936,036,5 38,2 37,1 Observação: O sul tem melhor desempenho em 8 das 13 áreas; o nordeste em duas; o sudeste em uma e o centro-oeste em duas.

38 38 Formação Geral : Desempenho médio por Categoria Administrativa FederalEstadualMunicipalPrivadaTotal 45,940,534,835,136,5 As IFES superam a média nacional em todas as 13 áreas; as estaduais em 10; as municipais em duas; as privadas em uma

39 39 COMPONENTE ESPECÍFICO: Desempenho médio ÁreaIngressantesConcluintes Agronomia28,751,0 Fonoaudiologia41,966,8 Medicina19,647,2 Odontologia21,455,2 Serviço Social17,526,6 Terapia Ocupacional43,853,3 66,8

40 40 Componente Específico : Desempenho médio superior por Categoria Administrativa FederalEstadualMunicipalPrivadaTotal

41 41 Componente Específico : Desempenho médio superior por Região NorteNordesteSudesteSulCentro- oeste Total

42 42 Conceitos dos Cursos 79,0%

43 43 Número e Percentual de Conceitos 1 e 2 Cursos com conceito inferior a 3 = e 2% 14810, ,6%

44 44 Cursos com conceitos 1 e 2 por Categoria Administrativa Brasil100%148 Federal16,2%24 Estadual10,8%16 Municipal2,7%4 Privada104 70,3%

45 45 Cursos com conceitos 5 por Categoria Administrativa Brasil100% Federal57,3% Estadual24,6% Municipal Privada18,0%

46 46 Distribuição dos conceitos por Região 13,6 45,75,4

47 47 CONCEITOS 5 por Região, segundo a Categoria Administrativa Região% Público % Privado Norte0,0 Nordeste15,97,7 Sudeste43,02,6 Sul31,13,3 Centro-oeste19,60,0 43,02,6

48 48 CONCEITOS 4 por Região, segundo a Categoria Administrativa Região% Público % Privado Norte50,018,5 Nordeste50,832,7 Sudeste38,037,7 Sul54,437,2 Centro-oeste54,321,4 38,037,7

49 49 1.Solteiro; 2.Branco; 3.Tem até dois irmãos; 4.Mora com os pais e/ou parentes; 5.Vem de família que ganha até10 mínimos; 6.Não recebe bolsa de estudos ou financiamento para estudar; 7.Tem pais com escolaridade mínima de ensino médio ou superior; 8.Tem conhecimento praticamente nulo de inglês e espanhol; Perfil do Estudante 1

50 50 9. Lê, no máximo dois livros ao ano, excetuando-se os livros escolares; 10. Lê jornais apenas ocasionalmente; 11. Utiliza a TV para se manter atualizado sobre os acontecimentos do mundo; 12. Utiliza a biblioteca da IES com razoável freqüência ou muito freqüentemente; 13. Tem no acervo da biblioteca da IES a sua principal fonte de pesquisa; 14. Estuda no mínimo uma hora e no máximo 5 horas semanais; Perfil do Estudante - 2

51 Exerce alguma atividade acadêmica além das obrigatórias; 16. Tem no cinema a sua principal atividade de lazer; 17. Tem acesso à internet; 18. Utiliza o computador para trabalhos escolares e entretenimento; 19. Considera a aquisição de formação profissional a principal contribuição do curso; 20. Participa principalmente de eventos promovidos pela própria IES. Perfil do Estudante - 3

52 52 1.Apresentam e discutem o plano de ensino, com informações relevantes e muito relevantes; 2.Têm domínio atualizado do conteúdo que ministram; 3.Muitas vezes não têm disponibilidade para atendimento extra-classe; 4.Adotam muitas vezes procedimentos inadequados aos objetivos do curso; 5.Utilizam sofrivelmente os recursos audiovisuais e a tecnologia educacional com base em informática; 6.Muitas vezes não exigem dos alunos na medida certa. O que os estudantes dizem sobre os professores

53 53 1.O curso contribui para desenvolver competências relacionadas à tomada de decisões e resolução de problemas na sua área de atuação; 2.O curso contribui para a assimilação crítica de novos conceitos científicos e de novas tecnologias. 3.O curso contribui para a reflexão crítica sobre as questões sociais contemporâneas, meio-ambiente e para a formação cidadã; 4.As disciplinas do currículo freqüentemente estão desarticuladas; 5.O curso oferece poucas oportunidades para vivenciar aspectos relacionados a ações comunitárias. O Projeto Pedagógico segundo os estudantes

54 54 1.O espaço é adequado e os equipamentos são suficientes para o número de estudantes; 2.O acervo da biblioteca está desatualizado e o número de exemplares é insuficiente; 3.A IES muitas vezes não viabiliza o acesso dos estudantes aos computadores; 4.O serviço de pesquisa muitas vezes não dispõe de sistema informatizado local. Perfil das Condições de Ensino

55 55 Renda familiar no campus

56 56 Renda familiar no campus

57 57 Renda familiar no campus – 3 Até 3 mínimos

58 58 Renda familiar no campus – 4 Mais de 10 mínimos

59 59 A escolaridade dos pais e o campus

60 60 A escolaridade dos pais e o campus

61 61 A cor do campus - 1

62 62 A cor do campus - 2

63 63 A cor do campus - 3

64 64 1.Pequena diferença de desempenho entre ingressantes e concluintes em Formação Geral; 2. O bom desempenho das IES públicas; 3. O bom desempenho do Sul e do Nordeste; cursos tiveram conceitos 1 ou 2; Constatações Marcantes - 1

65 65 5. O melhor desempenho das Universidades em relação às outras IES, sejam elas públicas ou privadas; 6. As avaliações que estudantes fazem de seus professores, das condições de ensino e do projeto pedagógico são bastante semelhantes na maioria dos itens; 7. O acervo bibliográfico desatualizado é o item mais criticado pelos estudantes; 8. Há percentualmente mais ingressantes pobres, pretos e pardos do que concluintes; há percentualmente mais concluintes ricos e brancos do que ingressantes. Constatações Marcantes - 2

66 66 1.Para coordenadores de curso e para o corpo docente, a prova do Enade é um poderoso instrumento de revisão curricular e de ajuste das práticas pedagógicas; 2.Para os ingressantes, a prova permite uma exposição aos conteúdos do curso como um todo e permite identificar o que sabem e o que ainda não sabem; 3.Para os concluintes a prova permite revisar os conteúdos estudados e verificar o que sabem e o que não foi aprendido; 4.A parte da Formação Geral cria as bases para identificar a contribuição do curso para a formação cidadã dos estudantes; 5.A percepção da diferença de desempenho entre ingressantes e concluintes abre a possibilidade para, nas próximas edições do Enade, identificar o valor agregado na trajetória do estudante; 6.Os questionários aplicados, especialmente aos ingressantes, permitem um uso pró-ativo e formativo sem precedentes. Comentários Finais

67 67 OBRIGADO!


Carregar ppt "1 SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FORGRAD, 23 de maio de 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google