A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

JOÃO GUIMARÃES ROSA. Nascimento:27/06/1908 Natural:Cordisburgo - MG Morte:19/11/1967 no discurso de posse da Academia Brasileira de Letras, três dias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "JOÃO GUIMARÃES ROSA. Nascimento:27/06/1908 Natural:Cordisburgo - MG Morte:19/11/1967 no discurso de posse da Academia Brasileira de Letras, três dias."— Transcrição da apresentação:

1 JOÃO GUIMARÃES ROSA

2 Nascimento:27/06/1908 Natural:Cordisburgo - MG Morte:19/11/1967 no discurso de posse da Academia Brasileira de Letras, três dias antes de morrer, diz: "...a gente morre é para provar que viveu." O SERTÃO ESTÁ EM TODA PARTE

3 Ficamos sem saber o que era João e se João existiu de se pegar. DRUMMOND

4 João era fabulista? fabuloso? fábula? Sertão místico disparando no exílio da linguagem comum? Projetava na gravatinha a quinta face das coisas, inenarrável narrada? Um estranho chamado João para disfarçar, para farçar o que não ousamos compreender? Tinha pastos, buritis plantados no apartamento? no peito? Ficamos sem saber o que era João e se João existiu de se pegar. Carlos Drummond de Andrade

5 "Quando escrevo, repito o que já vivi antes. E para estas duas vidas, um léxico só não é suficiente. Em outras palavras, gostaria de ser um crocodilo vivendo no rio São Francisco. Gostaria de ser um crocodilo porque amo os grandes rios,pois são profundos como a alma de um homem. Na superfície são muito vivazes e claros, mas nas profundezas são tranqüilos e escuros como o sofrimento dos homens."

6 GRANDE SERTÃO VEREDAS

7

8

9 "o sertão é o mundo". Sertão é o sozinho. sertão é do tamanho do mundo. Sertão: é dentro da gente. Sertão. O senhor sabe: sertão onde manda quem é forte, com as astúcias....sertão é onde o pensamento da gente se forma mais forte do que o poder do lugar.

10 A historia ocorre no sertão mineiro, sul da Bahia e Goiás, numa narrativa densa, repleta de universal.

11 Eu queria decifrar as coisas que são importantes. E estou contando não é uma vida de sertanejo, seja se for jagunço, mas a matéria vertente.

12 Contar é muito dificultoso. Não pelos anos que se já passaram. Mas pela astúcia que tem certas coisas passadas - de fazer balancê, de se remexerem dos lugares.

13 Mãe Brigi A amizade com o menino Reinaldo "sou diferente (...) meu pai disse que eu careço de ser diferente (...). Reinaldo

14 O padrinho Selorico Mendes. Contato com o grande chefe Joca Ramiro e com os chefes Hermógenes e Ricardão. Contato com os estudos. Assume a função de professor de Zé Bebelo. Riobaldo troca as letras pelas armas.

15 O encontro com Reinaldo O ingresso no bando do "grande chefe". A morte de Joca Ramiro A traição de Hermógenes e Ricardão ("os judas"). A reação de Diadorim

16 Riobaldo faz o pacto com o Diabo para vencerem os judas. Acaba assumindo a chefia do bando com o nome de "Urutu-Branco";

17 Diadorim enfrenta Hermógenes, ocasionando a morte de ambos. Riobaldo descobre então que Diadorim se chama Maria Deodorina da Fé Bittancourt Marins, filha de Joca Ramiro. Luta sangrenta.

18 Cerro. O senhor vê. Contei tudo. Agora estou aqui, quase barranqueiro. (...) Amável senhor me ouviu, minha idéia confirmou: que o Diabo não existe. Pois não?

19 O senhor é um homem soberano, circunspecto. Amigos somos. Nonada. O diabo não há! É o que eu digo, se for... Existe é homem humano. Travessia.

20 REFLEXÕES DE RIOBALDO

21 Deus nos dá pessoas e coisas, para aprendermos a alegria... Depois, retoma coisas e pessoas para ver se já somos capazes da alegria sozinhos... Essa... a alegria que ele quer.

22 O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.

23 Digo: o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia. Talvez não devesse, não fosse direito ter por causa dele aquele doer, que põe e punge, de dó, desgosto e desengano.

24 Representar é aprender a viver além dos levianos sentimentos, na verdadeira dignidade.

25 O passado é que veio até mim,como uma nuvem, vem para ser reconhecido; apenas não estou sabendo decifrá-lo. Quando se curte raiva de alguém, é a mesma coisa que se autorizar que essa própria pessoa passe durante o tempo governando a ideia e o sentir da gente.

26 "Penso que chega um momento na vida da gente em que o único dever é lutar ferozmente por introduzir no topo de cada dia, o máximo da eternidade..."

27 Amigo, para mim, é só isto: é a pessoa com quem a gente gosta de conversar, do igual o igual, desarmado. O de que um tira prazer de estar próximo. Só isto, quase; e os todos sacrifícios. Ou amigo é que a gente seja, mas sem precisar de saber o por quê é que é.

28 O senhor… mire, veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam, verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra montão.

29 Viver não é? é muito perigoso. Porque ainda não se sabe. Porque aprender-a-viver é que é o viver mesmo. -"a colheita é comum, mas o capinar é sozinho..."


Carregar ppt "JOÃO GUIMARÃES ROSA. Nascimento:27/06/1908 Natural:Cordisburgo - MG Morte:19/11/1967 no discurso de posse da Academia Brasileira de Letras, três dias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google