A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MAIO/2011 REVISÃO: Segunda Unidade Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MAIO/2011 REVISÃO: Segunda Unidade Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto."— Transcrição da apresentação:

1 MAIO/2011 REVISÃO: Segunda Unidade Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

2 Sumário Introdução ao Metabolismo Celular; Respiração; Fotossíntese; Apoptose; Ciclo Celular.

3 INTRODUÇÃO AO METABOLISMO Energia Energia é a capacidade de realizar trabalho, que ocorre quando uma força age sobre um objeto pela distância.

4 Energética básica Mudanças de energia estão relacionadas a mudanças na matéria. Energia cinéticaEnergia cinética: é a energia de movimento. Esse tipo de energia realiza trabalho. Energia potencialEnergia potencial: é a energia de estado ou posição, isto é, energia armazenada.

5 Energética básica

6

7 Em todas as células de todos os organismos ocorrem dois tipos de reações metabólicas: Reações anabólicaReações anabólica: ligam moléculas simples, formando moléculas mais complexas. Reações catabólicasReações catabólicas (catabolismo): decompõem moléculas complexas em moléculas mais simples.

8 Energética básica

9 Bioenergética A energia existe sob diversas formas, e as células transformam a energia de um tipo para outro. A energia cinética é a energia associada ao movimento relativo dos objetos. Objetos em movimento podem executar o trabalho de transmissão de movimento para outro; O calor ou energia térmica é a energia cinética associada ao movimento aleatório dos átomos ou moléculas; Fótons de luz pode ser capturada e sua energia aproveitada para a fotossíntese nas plantas de energia verde. Energia potencial é a energia que a matéria possui devido à sua localização ou estrutura. Água atrás de uma represa possui energia por causa de sua altitude acima do nível do mar; As moléculas possuem energia por causa do arranjo de seus átomos; A energia química é uma forma de energia potencial armazenada nas moléculas por causa do arranjo de seus átomos.

10 Bioenergética Reações químicas liberam e absorvem energia A quantidade de energia liberada ou captada está diretamente relacionada à tendência que uma reação tem em se completar.

11 Bioenergética Reação espontâneaReação espontânea: Quando uma reação passa da metade de sua trajetória para se completar sem entrada de energia. Reação não-espontâneaReação não-espontânea: Necessita de energia para iniciar.

12 Bioenergética Reação exergônicaReação exergônica: reação que desprende energia livre. Reação endergônicaReação endergônica: exigem energia livre do ambiente.

13 Bioenergética

14

15 Bioenergética

16 Bioenergética ATP: Transferindo Energia nas Células Todas as células vivas precisam de ATP; Responsável pela capitação, transferência, e armazenamento da energia livre; Pode ser hidrolisado e pode doar um grupo fosfato a muitas moléculas diferentes.

17 Bioenergética Uma molécula de ATP consiste de uma base nitrogenada adenina ligada à ribose (açúcar), que é unida a uma seqüência de três grupos fosfato. A hidrólise do ATP forma ADP e íons fosfato inorgânico além de energia livre.

18 Bioenergética

19

20 RESPIRAÇÃO CELULAR

21 Respiração Celular A maioria dos seres vivos produz ATP por meio da respiração celular; É um processo de Oxidação; ácidos graxosglicoseNeste processo moléculas de ácidos graxos e glicose são degradados, principalmente glicose.

22 Respiração Celular C 2 H 12 O 6 + 6O 2 6CO 2 + 6H 2 O

23 Respiração Celular A degradação de glicose e ácidos graxos forma moléculas de água (H 2 O) e gás carbônico (CO 2 ); Com liberação de energia; Armazenada em moléculas de ATP apartir de ADP + P i.

24 Respiração Celular

25

26 A degradação da glicose na Respiração Celular ocorre em três etapas: Glicólise Ciclo de Krebs Fosforilação oxidativa

27

28

29

30

31

32 FOTOSSÍNTESE

33 Aspectos Gerais da Fotossíntese FotossínteseFotossíntese: do grego, photos, luz, e syntithenai, produzir; Realizada pela maioria dos seres autotróficos; A energia provem da luz e fica armazenada nas moléculas de glicídios (energia potencial química); Possui como reagentes CO 2 e H 2 O e gera glicídios e O 2.

34 Cloroplastos Sede da Fotossíntese Organela citoplasmática (coloração verde); ClorofilaPresença de Clorofila; Envolto por duas membranas; Membrana interna (membrana tilacóide) Granum Grana Lúmen do tilacóide Estroma.

35 Etapas da Fotossíntese Produção de ATP A passagem dos elétrons pela Cadeia transportadora de elétrons força a passagem de íons H + através da membrana tilacóide; Devido a alta concentração de íons H + no lúmen do tilacóide estes tendem a retornar para o estroma; sintetase de ATPO retorno só é possível pela proteína sintetase de ATP; QuimiosmoseEste processo é denominado Quimiosmose.

36

37 Etapas da Fotossíntese Fixação de Carbono O NADPH e o ATP gerados fornecem hidrogênio e energia para a produção de glicídios; Os glicídios são produzidos a partir do CO 2 (fixação do carbono);

38

39 Cloroplastos

40

41 Etapas da Fotossíntese A fotossíntese em plantas possui quatro etapas: Absorção da Luz; Transporte de elétrons (redução do NADP + a NADPH; Produção de ATP; Fixação de carbonos (converção de CO 2 em glicídios);

42 Etapas da Fotossíntese Reação de Claro e Escuro Reação de Claro (Fotoquímica); Formada pelas três primeiras etapas da fotossíntese: Fotólise da água Transporte de elétrons Síntese de ATP Dependem diretamente da Luz

43 Etapas da Fotossíntese Reação de Claro e Escuro Reação de Escuro (etapa puramente química); Ocorre a fixação de carbono; Produção de glicídios. Independem da Luz, depende apenas da presença de ATP e NADPH

44

45

46 APOPTOSE

47 APOPTOSE Do grego declínio Citado em poema grego clássico referindo- se a folhas caindo da árvore.

48 APOPTOSE Morte celular programada Células infectadas; Danificadas; Simplesmente alcançado o fim do período funcional.

49 APOPTOSE

50 CICLO CELULAR

51 Papéis da divisão celular A capacidade única de procriar (gerar vida da vida) é a característica que melhor diferencia os seres vivos da matéria não vivente.

52 Papéis da divisão celular Omnis cellula e cellula

53 Papéis da divisão celular Importância Apenas uma etapa do ciclo celular; Gera um organismo inteiro (unicelulares); Em alguns organismos multicelulares pode gerar um progênie (enxerto em plantas); Capacita organismos de reprodução sexuada a se desenvolverem a partir de uma única célula; Após o organismo alcançar pleno desenvolvimento atua na renovação, manutenção do organismo.

54 Divisão Celular Fases do Ciclo Celular mitosedivisão celularA mitose ou divisão celular é apenas uma fase do ciclo celular (fase mitótica (M)); Fase mais curta interfaseA interfase é a maior fase do ciclo celular; Fase G 1 Fase G 2 Fase S

55 Divisão Celular

56 A mitose é dividida em cinco estágios. Contudo este número pode variar de autor para autor. Prófase Prometáfase Metáfase Anáfase Telófase

57

58

59

60 Mitose

61 BOA PROVA!


Carregar ppt "MAIO/2011 REVISÃO: Segunda Unidade Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google