A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Linguagem de Banco de Dados - SQL Disciplina de Linguagem de Banco de dados – QI – Aula2 Prof. Luciano Monteiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Linguagem de Banco de Dados - SQL Disciplina de Linguagem de Banco de dados – QI – Aula2 Prof. Luciano Monteiro."— Transcrição da apresentação:

1 Linguagem de Banco de Dados - SQL Disciplina de Linguagem de Banco de dados – QI – Aula2 Prof. Luciano Monteiro

2 Modelo de Dados - níveis de abstração

3 Modelo conceitual Independente de tipo de SGBD – Registra Estrutura dos dados podem aparecer no banco de dados – Não registra Como estes dados estão armazenados a nível de SGBD

4 Modelo conceitual - diagrama ER Técnica mais difundida de modelagem conceitual – Abordagem entidade-relacionamento (ER) Modelo conceitual é representado através de: – diagrama entidade-relacionamento (DER)

5 Modelo conceitual - diagrama ER

6 Modelo lógico Nível de abstração visto pelo usuário do SGBD Dependente do tipo particular de SGBD que está sendo usado Ex.: PostgreSQL <> Oracle <> Interbase

7 Modelo lógico SGBD relacional para o exemplo

8 Modelo lógico para o exemplo TipoDeProduto(CodTipoProd, DescrTipoProd) Produto(CodProd, DescrProd, PrecoProd, CodTipoProd) CodTipoProd referencia TipoDeProduto

9 Modelo Físico Contém detalhes de armazenamento interno de informações Detalhes que – não têm influencia sobre a programação de aplicações no SGBD – influenciam a performance da aplicações Usados por profissionais que fazem sintonia de performance em banco de dados

10 Idéia fundamental do projeto de banco de dados Através da identificação das entidades que terão informações representadas no banco de dados, possível identificar os arquivos que comporão o banco de dados

11 Projeto de Banco de Dados Há múltiplas modelagens possíveis… qual escolher? Pessomóvel (Id, Nome, Chassis, Modelo, Ano…)

12 Problemas na Concepção Redundância (espaço de armazenamento) – Proprietário de diversos automóveis ! Atualização inconsistente – Alteração de nome em uma tupla… em todas ?! Anomalias de Atualização – (inclusão) Pessoa que não tem automóvel; – (exclusão) Perde informações da pessoa quando último carro é vendido!

13 Teoria da Normalização Formalismos para boa concepção de um esquema de BD relacional – Sem informações redundantes – Evita anomalias de atualizações Principais conceitos envolvidos – Dependências funcionais (DFs) – Formas normais – Algoritmos de decomposição

14 Dependências Funcionais O que são Dependências ? Especificam propriedades sobre dados válidos no banco de dados – Dependência de inclusão: todo aluno é uma pessoa – Dependência funcional: todo empregado trabalha no máximo em um departamento

15 Dependências Funcionais Utilização: Verificação de restrições de integridade Otimização de consultas Concepção de esquemas: formas normais

16 Objetivo da Decomposição Particionar a tabela em esquemas relacionais menores de forma a eliminar, parcial ou totalmente, as redundâncias e anomalias de Atualização.

17 Normalização da Informação Conduz a um esquema da BD relacional capaz de suportar os dados relevantes a um dado universo. Ao normalizarmos a informação estamos a garantir: – A não existência de redundâncias (cada dado deve ser armazenado uma única vez e numa única localização); – Consistência da Informação - Qualquer operação de manipulação da informação (Inserção, Alteração, Destruição) deve afetar uma só ocorrência de um dado; – Visão relacional dos dados. 1ª, 2ª e 3ª Formas Normais, Boyce-Codd Normal Form, 4ª e 5ª formas normais.

18 Formas Normais Primeira Forma Normal (1FN) – Uma relação R está em 1FN se todos os atributos são atômicos/indivisíveis Segunda Forma Normal (2FN) – Uma relação R está em 2FN se estiver em 1FN e nenhum atributo não-primo depender funcionalmente de uma parte da chave

19 Formas Normais Terceira Forma Normal (3FN) – Uma relação R está em 3FN se estiver em 2FN e todo atributo não primo depender apenas de um atributo primo;

20 Ponto de equilíbrio... Objetivos: flexibilidade vs. desempenho. Na maioria dos casos o processo de normalização pára na 3FN.

21 Tipos de dados do Banco de Dados VARCHAR CHAR SMALLINT INTEGER BIGINT FLOAT DOUBLE PRECISION TIMESTAMP TIME DATETIME DATE BLOB NUMERIC

22 Comandos SQL ComandoDescrição SELECTRecupera dados do Banco de Dados INSERT UPDATE DELETE Insere novas linhas, altera linhas existentes e remove linhas de tabelas do banco de dados, respectivamente. Estes comandos são conhecidos como comandos DML (Data Manipulation Language). CREATE ALTER DROP RENAME TRUNCATE Cria, altera e remove objetos do banco de dados. São conhecidos como comandos DDL (Data Definition Language). COMMIT ROLLBACK SAVEPOINT Gerenciam as modificações realizadas pelos comandos DML. As modificações efetuadas pelos comandos DML podem ser agrupadas em transações lógicas. GRANT REVOKE Atribuem e removem direitos de acesso ao banco de dados e aos objetos a ele pertencentes. São conhecidos como comandos DCL (Data Control Language).

23 Instruções DDL - SQL (Data Definition Language) Comandos de definição de estrutura no SGBD.

24 Criação de Tabelas CREATE TABLE TABELA1 ( COLUNA1 TIPO NOT NULL, COLUNA2 TIPO, COLUNA3 TIPO, COLUNA4 TIPO, PRIMARY KEY (COLUNA1), FOREIGN KEY (COLUNA2) REFERENCES TABELA2 (COLUNA1), CHECK (COLUNA3 < COLUNA4));

25 Exclusão de Tabela DROP TABLE TABELA1;

26 Alteração de Tabela ALTER TABLE TABELA1 ADD CAMPO5 TIPO ADD CAMPO6 TIPO NOT NULL, DROP CAMPO3, ALTER CAMPO1 TO CAMPO2;

27 Criação de Índices CREATE INDEX NOMEINDICE ON TABELA (CAMPO1, CAMPO2,…);

28 Alteração de Índice ALTER INDEX NOMEINDICE INACTIVE; ALTER INDEX NOMEINDICE ACTIVE;

29 Exclusão de Índice DROP INDEX NOMEINDICE;


Carregar ppt "Linguagem de Banco de Dados - SQL Disciplina de Linguagem de Banco de dados – QI – Aula2 Prof. Luciano Monteiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google