A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 MANUAL DE GERENCIAMENTO DE REGATA EDIÇÃO BRASILEIRA JAN 2010 REGATAS DE FLOTILHA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 MANUAL DE GERENCIAMENTO DE REGATA EDIÇÃO BRASILEIRA JAN 2010 REGATAS DE FLOTILHA."— Transcrição da apresentação:

1 1 MANUAL DE GERENCIAMENTO DE REGATA EDIÇÃO BRASILEIRA JAN 2010 REGATAS DE FLOTILHA

2 2 Prefacio da Quarta Edição Parte 1 –Organização de Regata Parte 2 – Ger. Regata de Flotilha Parte 3 – Ger. Regata de Oceano Parte 4 – Ger. Regata de Match Parte 5 – Ger. Regata de Equipe

3 3 Como usar este Manual Apresentação em Powerpoint –Use em um PC ou Laptop de uso pessoal –Use com um projetor slides em sala de aula Manual impresso –Detalhes impressos a partir das folhas de anotação da Apresentação em Powerpoint

4 4 No Início do Evento Registro e Inscrições Medição e Inspeções

5 5 Agenda diária da CR p.ex.: 0830Encontro na sala da secretaria 0845Reunião dos Oficiais de Regata GPR, GR, GRadj, Segurança, Júri Montador de Raia, COrg, Ch.Equipes 0900Saida da CR para a água 0930Início da Monitoração do Vento 1030Início da Montagem da Raia 1100PARTIDA

6 6 Plano de Trabalho dos OR Desenvolva um método de trabalho (Método: caminho pelo qual se alcança um objetivo ) Quais são os limites inferior e superior da força do vento? Qual a primeira marca do percurso a ser fundeada? Como você localiza as marcas em relação às demais? Seja claro na alocação de responsabilidades

7 7 Adaptabilidade no Trabalho Seja capaz de ajustar seu método de trabalho de forma a: –tirar o melhor proveito possível da competência de sua equipe na condução dos trabalhos na água e em terra –adequar sua competência a diferentes locais e equipes

8 8 Reunião com Participantes Reunião com: –Competidores –Técnicos –Chefes de Equipe –Comissão de Protesto Reuniões de Oficiais de Regata

9 9 Direção do Vento Escolhendo a melhor direção do vento para o posicionamento da raia. –Indicadores de vento –Ângulo de variação da direção do vento –A escolha de um Vento Médio" –A regata deve partir no horário programado se as condições de vento estão dentro do critério estabelecido. Esperar por um vento melhor não é justo

10 10 Força do Vento Medindo a força do vento –Anemômetros –Limite inferior da força do vento –Limite superior da força do vento –Siga as diretrizes publicadas pela classe! –Se as condições de vento estão dentro do critério estabelecido A regata deve partir no horário programado. Não é justo esperar por um vento melhor

11 11 Escolha de um bom percurso Configuração do Percurso –Triângulo e barlavento-sotavento –Barlavento-sotavento –Trapezoidal –Portões –Marcas de desvio

12 12 Barlavento-Sotavento e Triagular O ângulo na marca 1 pode ser; –60 0 –45 0 (90 0 na marca 2) –70 0 (para um perna de través apertada e a outra mais folgada) A chegada pode ser a sotavento da marca 3

13 13 Barlavento-Sotavento Alternativas para este percurso são: –Sem o portão na marca 2 –Mais voltas –Chegada a barlavento da Marca 1

14 14 Trapezoidal – Anel Interno e Externo É o mesmo que dois barlavento/sotavento paralelos Use com duas classes, ou Uma classe com duas ou mais baterias

15 15 Largura do Portão Depende de -Tamanho da flotilha -Velocidade dos barcos -Condições de mar e vento -Profudidade e tipo do fundo Tamanho da Zona (Comprimentos de Barco) MinMax 3 (regra geral) (barcos menores, lentos) (barcos maiores, rápidos)

16 16 Descrição do Percurso nas IRs B 1Partida, 1, (1a), Chegada B 2Partida, 1, (1a), 4be/4bbp, 1, (1a), Chegada B 3Partida, 1, (1a), 4s/4p, 1, (1a), 4s/4p, 1, (1a), Chegada I 1Partida, 1, 4s/4p, 1, 2, 3p, Chegada I 2Partida, 1, 4s/4p, 1, 4s/4p, 1, 2, 3p, Chegada O 1Partida, 1, 2, 3s/3p, 2, 3p, Chegada O 2Partida, 1, 2, 3s/3p, 2, 3s/3p, 2, 3p, Chegada

17 17 Local da Area de Regata Fatores Importantes que afetam o gerenciamento da regata –Ventos limpos; evite morros e áreas que criam rondadas de vento –Profundidade da água uniforme; facilidade de colocação das marcas –Correntes de maré; evite-as sempre que possível –Espaço suficiente para cada raia; evite que as áreas de regata se sobreponham

18 18 Perna para barlavento Existem três pontos importantes a serem considerados na posição da marca 1 –A direção principal do vento –Comprimento da primeira perna –Efeito de correntes que cruzam a raia lateralmente

19 19 Perna para sotavento A precisão do alinhamento da perna com a direção do vento é muito importante –Especialmente para barcos assimétricos –Correntes cruzadas tem maior efeito negativo nesta perna do que na perna para barlavento

20 20 Pernas de Través Ângulos de A vantagem do triângulo é a possibilidade de variar o ângulo de través conforme a classe ou tipo de barcos Marca 2

21 21 A marca de desvio –Distância e ângulo dependem dos requisitos da classe –Criado para que os barcos que iniciam a popa com balões fiquem mais distantes dos barcos que se aproximam da marca 1 em contravento Marca 1 Posições alternativa s da marca de desvio Posição 1 Posição 2 Vento

22 22 O portão Quase sempre o percurso barlavento- sotavento usa um portão na marca de sotavento –Um portão requer espaço para círculos de três comprimentos, ao redor de cada marca e algum espaço entre eles –Portanto sua largura deve ter pelo menos sete comprimentos de barco –A maioria dos portões têm entre 9 e 10 comprimentos de barco

23 23 O trapezoidal O percurso trapezoidal foi introduzido para se acomodar duas classes na mesma área de regata usando –A mesma linha de partida –A mesma linha de chegada –Na prática, são dois percursos separados

24 24 Compensação da Maré Perna de Contravento Regra Geral é: para cada nó de correnteza desloque a marca de barlavento 8º correnteza abaixo em vento fraco, dobre a correção Com maré na diagonal com o vento, use metade da correção B2 B1 vento Força 3 1 nó maré 8080

25 25 Compensação de maré perna de popa O ajuste na perna de popa é mais crítico para uma boa regata A mesma regra geral se aplica, neste caso, com maior precisão na colocação das marcas S2 S1 vento Força 3 1 nó maré 8080

26 26 Compensação de maré - uma solução de compromisso a perna de popa é mais crítica que uma de contravento; esta é uma solução de compromisso Mas não exagere na correção 2 Vento Força 3 1 nó maré

27 27 Compensação de maré outras soluções Percurso em X Percurso zigzag Corrente Vento

28 28 Posição da Linha de Partida Ao posicionar linha de partida na área de regata, leve em consideração –Carta de marés (hora e altura) –Profundidade da água –Fundo do mar –Previsão do tempo

29 29 Comprimento da linha de partida Fórmula: –Número de barcos x comprimento do barco mais 10% a 50% –Outros fatores: –Tamanho e manobrabilidade do barco –Condições do mar –Força do vento –Corrente

30 30 Regata Olímpica de 2008 ClasseComprimento de casco (m) Fator de Multiplicação Quantidade de barcos Compr. Da Linha de Partida RS:X2, Finn4,541, Laser M4,241, M4,71, er4, Tornado6, Star9,921, Yngling6,351,715160

31 31 Inclinação da linha de partida Aplique uma inclinação da linha para dar ao barco da extremidade de bombordo uma pequena vantagem –Mais longa a linha, menor o ângulo –Mais curta a linha, maior o ângulo É melhor começar com uma linha a 90º com o vento e ajuste se necessário Boa Má Vento

32 32 Inclinação da linha para compensar corrente lateral Vento Má Corrente Os barcos são lançados pela corrente sobre a marca de bombordo. Movendo-se a bóia para sotavento os barcos partem com mais facilidade porque se afastam mais da bóia Desloque a bóia para sotavento Boa

33 33 Montagem da linha de partida Ancore o barco da CR –de forma que o percurso possa ser ajustado para nova direção de vento sem a necessidade de mover o barco da CR –use um cabo de âncora longo de forma que a linha possa ser ajustada simplesmente recolhendo ou soltando alguns metros de cabo. –posicione a outra marca da linha inicialmente a 90 0 com o vento principal

34 34 Ajustando a linha de partida quando um lado da área de regata é favorecida maré mais fraca na baia maré mais forte fora da baia vento Se o lado de bombordo é mais favorável, adiante a marca de boreste Mark 1 Fatores a considerar: Rajadas força do vento Ondas Correnteza

35 35 Responsabilidades do GR Adjunto O Gerente de Regata Adjunto deve, antes do início da regata –Organizar o trabalho do pessoal do barco da CR Todos os sinais visuais prontos O sistema de sinais sonoros pronto Cronômetros e hora certa verificados Registradores e gravadores em posição Identificação do percurso pronta para ser exposta Isso deixa o Gerente de Regata livre para se concentrar na preparação da regata

36 36 Identificação do percurso As regras exigem que o percurso escolhido seja sinalizado antes ou com o Sinal de Atenção –Use o sistema descrito nas Instruções de Regata para sinalização do percurso –Se o rumo para a primeira marca é requerido nas IR, ele deve ser anunciado, no momento em que o percurso é sinalizado

37 37 A Partida O sistema padrão de partida é descrito nas regras –O padrão deve ser usado sempre que possível –O tempo especificado entre o sinal de atenção e o sinal de preparação pode variar –Quando hover mais de uma regata por dia, é preciso incluir nas IR o procedimento que indique aos competidores que nova sinalização de partida será feita em seguida –Decisão de fazer ou não a regata - Windsurfe –As punições de partida são sinalizadas no próprio sinal de preparação

38 38 Retardamento Existem quatro sinais de retardamento Retardamento Indefinido Retardamento por um tempo determinado Retardamento – nova sinalização em terra Retardamento – regata postergada para outro dia

39 39 O Sinal de Atenção É o primeiro sinal da seqüência de partida –Deve ser exposto precisamente no horário prescrito nas Instruções de Regata –Os velejadores estão sempre atentos para disparar seus cronômetros nesse exato momento –Para avisá-los, a bandeira da classe leva o emblema da próxima classe a partir: –Deve sempre ser acompanhado por um forte sinal sonoro

40 40 Sinais de Preparação Existem cinco sinais de preparação ´P – sem punições I – punição de contorno das extremidades I com Z Z – punição de pontuação Preta – desclassificação sem audiência

41 41 Contorno das Extremidades Bandeira I com 1 sinal sonoro provoca congestionamento de barcos junto às extremidades e abre um espaço vazio no meio da linha

42 42 Regra da punição de 20% Bandeira ´Z´ com 1 sinal sonoro –A área de punição é o triângulo formado pela linha de partida e a marca 1 –Um barco que está na área de punição no minuto que antecede seu sinal de partida pode cruzar a linha ao voltar para o lado de pré partida –Se o barco infringe novamente a regra após uma Chamada Geral ou Anulação ele recebe, adicionalmente, mais uma punição de 20%

43 43 A Bandeira Preta Bandeira Preta com 1 sinal sonoro –Essa punição só deve ser usada em último recurso –Para a CR, cria tantos problemas quanto os resolve –Um bom Oficial de Regata a usará com muita relutância!

44 44 Remoção do Sinal de Preparação Deve ser feita precisamente a um minuto antes do Sinal de Partida –nesse momento o sinal sonoro deve ser bastante longo –nesse momento, uma punição de partida entra em vigor, se o sinal de punição foi exposto como preparação

45 45 Gravador de Som Ligue o gravador de som a aproximadamente 90 segundos antes do sinal de partida para que tudo que você vê naquele momento fique registrado no gravador –descreva a cena como se você fosse um comentarista irradiando o jogo –condições de vento –condições de mar –numerais dos barcos e –sua posição sobre a linha –sua visibilidade da outra extremidade da linha –qualquer outro fato relevante que possa ser útil numa audiência de reparação

46 46 Mirando a Linha Fique na direção da linha, com o mastro à sua frente, a 1m de distância. Cuide para não cair fora do barco Tenha sempre a quantidade correta de pessoas mirando a linha Use o mesmo procedimento na outra extremidade da linha Lembre-se que os dois pontos da linha são pontos que se movem com o vento e as ondas Registre tudo no gravador de som.

47 47 Linha de Partida com Banda Larga O conceito de banda larga foi pela primeira vez usado no Mundial de Vela da ISAF em 1998 –Com barcos de alto desempenho, acelerando rapidamente através da linha de partida, é extremamente difícil julgar uma partida com precisão. –Considere a linha de partida como sendo uma faixa larga, pintada sobre a água, com 30cm de largura, na qual, se um barco alí está, tem o benefício da dúvida.

48 48 Comunicação com a outra ponta da linha O método mais eficiente é pelo telefone celular –É um circuito fechado –As duas pessoas podem falar ao mesmo tempo Pelo rádio –É aberto à escuta de qualquer pessoa –Somente uma pessoa fala de cada vez

49 49 Chamada Individual Bandeira X com 1 sinal sonoro –Este sinal deve exposto no prazo de 4 segundos após o sinal de.partida –Deve, sempre, ser acompanhado, simultaneamente, por um sinal sonoro. –Deve permanecer exposto até que todos os barcos OCS tenham retornado e partiram, por 4 minutos ou 1 minuto antes do próximo sinal –Deve ser removido sem qualquer sinal sonoro

50 50 Chamada Geral Bandeira 1a.Subs 2 sinais sonoros –Deve ser utilizada se os barcos sobre a linha não foram identificados –Uma boa linha de partida dispensa este sinal –Com poucos barcos e uma linha curta este sinal é quase desnecessário –Tome cuidado principalmente quando há punições de partida, especialmente a Bandeira Preta –Deve ser removido com um sinal sonoro

51 51 Controle da Regata Após Partida Logo após a partida o Oficial de Regata tem novas responsabilidades –Monitorar as condições de vento O vento está caindo? É seguro manter continuar em regata? Os limites de tempo serão alcançados? O vento mudou, à direita ou à esquerda? As marcas estão firmes em seus lugares? –Registros Ao final de cada volta (ou marca)

52 52 Anulação da regata N com 3 sinais sonoros Este sinal só pode ser usado após a partida Existem dois outros sinais de anulação - ambos requerem 3 sinais sonoros e - podem ser usados a qualquer momento N over H – Aguardar nova sinalização em terra N over A – Hoje não haverá mais regata

53 53 Alterando a próxima perna do percurso Se alterado o rumo da próxima marca –Bandeira C com sinais sonoros repetitivos com –O novo rumo para a próxima marca ou –Um retângulo vermelho quando a nova posição é a bombordo da original, ou –Um triângulo verde quando a nova posição é a boreste da original

54 54 Alterando a próxima perna do percurso Se o vento aumentou ou diminuiu Bandeira C com sinais sonoros repetitivos e Um sinal de mais se o comprimento da perna foi significativamente aumentado ou Um sinal de menos se o comprimento da perna foi significativamente diminuído

55 55 + percurso para a próxima marca Barco de sinalização percurso vindo da marca anterior Posição do Barco de Sinalização

56 56 Posição do Barco de Sinalização marca 1 90 Direção vindo da Partida ou das marcas 4be/4bb 10 compr. de barco Barcos chegando à marca 1 vindo da Partida ou marcas 4be/4bb 2 1 4be 4bb 3be 3bb Barco ancorado

57 57 Posição do Barco de Sinalização marca 2 90 Direção vindo da última marca (Marca 3be/4bb) 10 compr. de casco Barcos chegando à marca 2 vindo da marca 3be/3bb 2 1 4be 4bb 3be 3bb O barco deve estar ancorado

58 58 Posição do Barco de Sinalização marca 2 90 Direção vindo da marca 1 10 compr. casco Barcos chegando à marca 2 vindo da marca be 4bb 3be 3bb Este baraco deve estar ancorado

59 59 Posição do Barco de Sinalização Direção vindo da última marca (marca 1 ou marca 2) 10 compr. de casco Barcos chegando às marcas 3be/3bb vindo da marca 2 ou chegando às marcas 4be/4bb vindo da marca S 4P 3S 3P 20 m O barco deve estar ancorado

60 60 Gerenciamento de Regata e Regra 42 Algumas classes permitem que certas partes da regra 42 sejam –Off - Desligadas –On - Ligadas Cada classes tem limites de vento específicos a partir do qual o sistema está operante A CR é responsável pela decisão e aplicação de uma Instrução de Regata apropriada para que o sistema esteja em vigor

61 61 Sinais da Regra 42 Bandeira O – se aplicam as alterações da regra 42 Bandeira R – não se aplicam as alterações da regra 42 Sinais sonoros repetitivos são feitos quando cada bandeira é exposta

62 62 Barco que sinaliza a R42 Barco da marca que sinaliza R42. O barco deve estar em posição antes que o primeiro barco se aproxime e deve permanecer até que todos tenham passado. O sinal sonoro repetitivo deve ser feito até que o último barco contorne a marca. Direção do vento Rumo da próxima marca

63 63 Limite de vento – R42 O limite de vento no qual o sistema entra em operação deve ser especificado nas regras da Classe Se o limite de vento é 12 nós, então o Gerente de Regata deve aguardar que a velocidade do vento esteja consistentemente 1 nó acima ou abaixo desse limite antes de ativar o respectivo sinal Antes de ativar o sinal, a CR deve notificar o barco do Júri que deve confirmar a recepção da mensagem

64 64 Comunicação com o Júri regra 42 É importante que o Júri seja avisado de que haverá a mudança dos sinais –Para que se prepare com antecedência –Para que tenha tempo para se deslocar até o local onde ela será aplicada

65 65 Marca desaparecida Bandeira M com sinais sonoros repetitivos O objeto que exibe este sinal substitui a marca desaparecida –O objeto pode ser um barco ou outra marca –Antes de fazer isso, o Oficial de Regata deve reposicionar aquela marca ou substituí-la por outra de aparência semelhante

66 66 Encurtamento do percurso Bandeira S com dois sinais sonoros –Uma ou mais pernas do percurso especificado foram eliminadas –Sinalize logo que os barcos estejam na perna onde a linha de chegada será colocada. –O sinal feito no barco da CR está muito distante da flotilha, mais do que em qualquer outro momento em que seja feito um sinal. –Em alguns eventos o encurtamento de percurso não é permitido.

67 67 Local da Linha de Chegada Existem três posições do percurso onde a linha de chegada pode ser localizada A barlavento ou junto à marca de contravento A sotavento, usando a linha de partida original Numa perna de través

68 68 Posição da Linha de Chegada Numa perna de contravento, a linha de chegada deve ser posicionada a –90 0 com a direção do vento Nas demais pernas do percurso a linha deve ser posicionada a –90 0 com a direção vindo da última marca do percurso A linha de chegada deve ter de 50m a 60m de comprimento

69 69 A Bandeira Azul A Bandeira Azul indica que o barco da Comissão de Regata está em posição na chegada. Ela deve estar exposta, sem sinal sonoro, quando o primeiro barco inicia a última perna na direção da Linha de Chegada

70 70 A Chegada –Um barco ´chega´ quando qualquer parte de seu casco, tripulação ou equipamento cruza a linha de chegada vindo da direção da última marca –Um barco está ´em regata´ até que chegue e deixe livre a linha de chegada Os dois barcos já chegaram mas ainda estão em regata Os dois barcos chegaram e deixaram livre a linha de chegada

71 71 Deixando livre a linha e marcas de chegada Este barco chegou e deixou livre a linha de chegada. Pode ir para casa Este barco chegou e bateu na marca de chegada ANTES de ter deixado livre a linha de chegada. Deve ainda cumprir penalidade e chegar Depois de completar punição e cruzar a linha uma segunda vez, esta será registrada como sua posição de chegada

72 72 Anotadores Anotação da chegada –Uma equipe de anotação são o leitor e o anotador –O leitor canta os números em voz alta, registrando-os num gravador de som –O anotador faz o registro com papel e lapís –Tenha sempre pelo menos duas equipes de anotação –Para flotilhas maiores, tenha mais anotadores Lembre-se –Uma partida você pode refazer muitas vezes. A chegada é uma só!

73 73 Consistência no dia a dia Siga sempre o mesmo procedimento a cada dia. Isso inclui: –Ao retardar uma regata –Na chamada de volta dos barcos OCS –Punições de Partida –Comprimento das linhas de partida e chegada –Configuração do percurso e procedimento de montagem do percurso

74 74 Tarefas posteriores à Regata Contagem de todos os barcos –Por segurança –Para pontuação Processamento dos resultados Tempo de Protesto Converse com o Chefe da CP / Júri

75 75 Avaliação Final Sempre analise seu desempenho O que você poderia ter feito melhor Converse com os outros oficiais, mais importante ainda, converse com os competidores

76 76 Audiências de Reparação Não fique abalado se um competidor questiona sua capacidade de visão Registre todos os tempos e ações da CR em papel e gravador de som Procure corrigir erros antes da audiência Seja factual em seu depoimento Descreva seus procedimentos operacionais Não discuta!


Carregar ppt "1 MANUAL DE GERENCIAMENTO DE REGATA EDIÇÃO BRASILEIRA JAN 2010 REGATAS DE FLOTILHA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google