A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ivens Consult 1 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Compromisso: Emprego e renda Conteúdo local Trabalho decente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ivens Consult 1 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Compromisso: Emprego e renda Conteúdo local Trabalho decente."— Transcrição da apresentação:

1 Ivens Consult 1 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Compromisso: Emprego e renda Conteúdo local Trabalho decente Tecnologia

2 Ivens Consult 2 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Visão mundial Economia Brasileira Investimentos no Offshore Mercado de construção naval Capacidade dos estaleiros Indústria de construção naval brasileira

3 Ivens Consult 3 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Visão Mundial Menor expansão da economia em 2009 Comércio Mundial: Importações de US$ 14 trilhões Demanda por petróleo: 112,5 milhões de barris / dia, em 2030 (US-Department of Energy)

4 Ivens Consult 4 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Visão Mundial Menor crescimento Econômico Fonte: Unctad * 4,0% 3,5%3,8% 2,7%2,5% 1,0%

5 Ivens Consult 5 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Visão Mundial Comércio vigoroso mesmo com menores taxas de expansão Fonte : Unctad Exportações Mundo7,59,110,412,113,8 Desenvolvidos 4,95,86,37,18,1 Em desenvolvimento2,43,03,74,55,2 Importações Mundo7,79,410,712,314,0 Desenvolvidos5,36,37,16,08,9 Em desenvolvimento2,52,83,43,94,6 US$ Trilhões

6 Ivens Consult 6 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Visão Mundial – demanda por petróleo US Department of Energy (Energy Information Administration) Demanda mundial por petróleo: 2008 = 86 milhões de barris / dia; 2015 = 95.6 milhões de barris / dia; 2030 = milhões de barris / dia.

7 Ivens Consult 7 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Economia Brasileira Anos US$ trilhões Taxa expan ,95,7% 20052,13,2% 20062,34,0% 20072,55,1% 2008*2,5*2,0% 2009*2,5*0,5% Avaliação do FMI em 2008: Política macro- econômica correta; Crescimento consistente. * estimativas

8 Ivens Consult 8 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Economia Brasileira Avaliação do FMI em 2008: Redução da dívida externa na relação com o PIB Crescimento das reservas internacionais Reservas internacionais

9 Ivens Consult 9 Superavits comerciais permitem expansão das reservas internacionais AnoExport.Import.Superavit USD billions SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Economia Brasileira Indústria de construção naval brasileira

10 Ivens Consult 10 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Exportação Importação US$ biPart. US$ bi 43,021,6%América Latina15,8%27,4 13,8%US7,2%25,6 5,52,8% Europa Oriental3,0%5,3 46,323,4%Comun. Européia20,9%36,1 37,418,9%Ásia27,147,1 8,04,0%Oriente Médio3,6%6,2 10,15,1%África9,1%15,7 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Economia Brasileira Indústria de construção naval brasileira

11 Ivens Consult 11 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) A região do triângulo de ouro (golden triangle) da produção de petróleo em águas profundas: Africa, Golfo do México e Brasil representa 75% dos investimentos globais. SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

12 Ivens Consult 12 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) A atividade na América Latina, com investmentos de US$29 bilhões, tem como destaque o Brasil e, considerando as descobertas do pré-sal, essa posição destacada vai continuar. SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

13 Ivens Consult 13 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Investimentos em E&P SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

14 Ivens Consult 14 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Royal Dutch Shell SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

15 Ivens Consult 15 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Carteira de investimentos da Shell: BC-10 começa produção em 2009 BS-4 em exploração Royal Dutch Shell SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

16 Ivens Consult 16 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

17 Ivens Consult 17 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Campo de Frade, no Brasil, deve produzir primeiro óleo no segundo trimestre de Esse campo representa o mais completo sistema submarino da FMC no Brasil. Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore

18 Ivens Consult 18 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) BG Group Exploração de óleo e gás na Bacias de Santos. SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

19 Ivens Consult 19 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) BG Group: Três descobertas na área de concessão BM-S-11: Iara Tupi Tupi Sul Participações na área de concessão: BG Group = 25% (Operador) Petrobras = 65% Galp Energia = 10% SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

20 Ivens Consult 20 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) OGX: Operações em quatro bacias produtoras, com 22 blocos concedidos. Quatro sondas de perfuração iniciam exploração em Programa de exploração: 51 poços até 2013 Reservas potenciais estimadas: 4.8 bilhões de barrís de óleo, considerando o risco de prospecção com uma taxa de sucesso de 27%. SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Cenário Offshore Indústria de construção naval brasileira

21 Ivens Consult 21 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Petrobras – Plano de Negócios Indústria de construção naval brasileira

22 Ivens Consult 22 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Investimentos de US$ 47,9 bilhões, 76,4% em E&P SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Petrobras – Plano de Negócios Indústria de construção naval brasileira

23 Ivens Consult 23 Política de Conteúdo Nacional SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Petrobras – Plano de Negócios Indústria de construção naval brasileira

24 Ivens Consult 24 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Meta de aumento da produção de petróleo SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Petrobras – Plano de Negócios Indústria de construção naval brasileira

25 Ivens Consult 25 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Petroleiros para Transpetro ProgramaQuant. / tipoTPB milhões status Promef I23 petroleiros2,7Contratados Promef II23 petroleiros 1,3Em contratação Total46 petroleiros 4,0 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Construção naval brasileira Indústria de construção naval brasileira

26 Ivens Consult 26 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Equipamentos de E&P para Petrobras Encomendar Quant. / tipoCampostatus Plataforma de produção 02 semi-subs P-55 P-56 Bacia de Campos P-55 – Roncador P- 56 – Marlim Sul Contratado Plataform a fixa 01 plataforma fixa de produção de gás Mexilhão Contratado Total 3 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Construção naval brasileira Indústria de construção naval brasileira

27 Ivens Consult 27 Fonte: ONU / Unctad (* previsão) Equipamentos de E&P para Petrobras EncomendaQuant. / tipoCampostatus Plataformas e FPSOs 08 Novas plataformas planejadas P-57 - Jubarte P-61 e P 63 – Papa-Terra P-62 – Roncador Outras quatro em projeto Prontas para licitar Planejado Navios sonda 28Profundidades maiores que 2 mil m Licitações em 2013 Total36 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Construção naval brasileira Indústria de construção naval brasileira

28 Ivens Consult 28 Navios para afretamento pela Petrobras EncomendasQuant.TPBstatus Petroleiros VLCC 02 navios (300 mil TPB cada um) Contratado (EAS) Navios de apoio marítimo 146 navios (2 mil TPB cada um - estimado) Contratação em processo Total148 navios SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Construção naval brasileira Indústria de construção naval brasileira

29 Ivens Consult 29 Promef I – petroleiros para Transpetro (contatados) EstaleiroiTipo de navioData do contrato EAS – Estaleiro Atlântico Sul 10 SuesmaxJaneiro 2007 EAS5 AframaxNovembro 2008 EISA4 PanamaxDezembro 2008 Mauá4 productsNovembro 2007 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Construção naval brasileira Indústria de construção naval brasileira

30 Ivens Consult 30 Promef II – Petrtoleiros para Transpetro ( a contratar) Lot A – 20 naviosTipo Lot 14 Suesmax (DP – Posicionamentos Dinâmico) Lot 23 Aframax (DP) Lot 33 navios de produtos leves (45 mil toneladas) Lto 45 navios ( 3 de produtos leves, 2 proidutos escuros - 30 mil toneladas) Lot 52 Gazeiros semi pressurizados (12 mil m3) Lot 63 Gazerios pressurizados (4 mil m3) Lot B – 3 ships3 navios de abastecimento (bunker) SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Construção naval brasileira Indústria de construção naval brasileira

31 Ivens Consult 31 Economia brasileira Práticas macro-econômicas saudáveis. Comércio internacional brasileiro é apenas 15% do PIB – há espaço para crescimento e expansão da frota mercante. Reservas financeiras depositadas no exterior capazes de financiar principais projetos. SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Conclusões Indústria de construção naval brasileira

32 Ivens Consult 32 Mercado brasileiro de construção naval Financiamentos assegurados pelo FMM US$ 10,5 bilhões em financiamentos ou prioridades concedidas desde SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Conclusões Indústria de construção naval brasileira

33 Ivens Consult 33 Mercado brasileiro de construção naval Carteira de encomendas (contratada e planejada): 4,8 millions TPB até Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Conclusões

34 Ivens Consult 34 Mercado brasileiro no segmento offshore A Douglas Westford vê o Brasil como o principal mercado em função das descobertas do pré-sal. As maiores petroleiras internacionais estão investindo no off-shore brasileiro. Indústria de construção naval brasileira

35 Ivens Consult 35 Produção brasileira de petróleo pet´rodepetróelozilian domestic oil production Fonte: Petrobras – millões de barrís/dia SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Conclusões Indústria de construção naval brasileira

36 Ivens Consult 36 SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Empregos diretos nos estaleiros associados40mil42 mil 19mil 14 mil Indústria de construção naval brasileira

37 Ivens Consult 37 Brazilian Shipbuilding Industry 28 principais estaleiros de grande porte 570 mil t. / ano Processamento de aço 4.7 milhões de m² Aréa total 19 Diques secos / flutuantes 22Carreiras 43 Cais de acabamento SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Capacidade produtiva dos estaleiros

38 Ivens Consult 38 Tipos de projetoEstaleiros Plataformas (FPSO, semi-submersíveis, módulos e navios- sondas) Brasfels; Mauá; Atlântico Sul; Rio Grande; QUIP; UTC; Mac Laren Oil. Petroleiros, de produtos e gaseiros EISA; Atlântico Sul; Mauá; Itajaí; Rio Nave; Renave-Enavi; Estaleiro da Bahia Porta-contêineres e graneleiros EISA; Atlântico Sul; Mauá; Itajaí; Rio Nave; Renave-Enavi Navios de apoio marítimo, rebocadores, empurradores, barcaças, chatas, etc. Aker-Promar; Aliança; Wilson, Sons; Sermetal, Navship; TWB; Detroit; Inace; Rio Maguari; Superpesa; Cassinú; Transnave; São Miguel Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Capacidade produtiva dos estaleiro

39 Ivens Consult 39 Estaleiros EstadoProcess. De aço (mil t. / ano) Area (mil m²) DiquesCarreirasCais BrasFelsRJ EisaRJ MauáRJ SermetalRJ Atlântico SulPE1601, Rio GrandeRS AkerRJ AliançaRJ Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Capacidade produtiva dos estaleiro

40 Ivens Consult 40 Estaleiros Estad o Process. De aço (mil t. / ano) Area (mil m²) DiquesCarreirasCais Wilson, SonsSP UTCRJ Renave-EnaviRJ InaceCE ItajaíSC SRDRJ SuperpesaRJ São MiguelRJ TransnaveRJ SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Capacidade produtiva dos estaleiro Indústria de construção naval brasileira

41 41 Estaleiros EstadoProcess. De aço (mil t. / ano) Area (mil m²) DiquesCarreirasCais Rio NaveRJ NavshipSC TWBSC DetroitSC Rio MaguariPA CassinúRJ Mac LarenRJ Estaleiro da Bahia BA QUIPRS Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Capacidade produtiva dos estaleiro

42 SINAVAL Av. Churchill, 94, 2º andar – Conj. 210 a 215 – CEP – Rio de Janeiro, RJ Tel.: (21) / – Fax: (21) / Contact: / Strategic Communication Consultancy Ivens Consult / Ivan Leão – Brazilian Shipbuilding Industry 42


Carregar ppt "Ivens Consult 1 Indústria de construção naval brasileira SINAVAL – Cenário 2009 (1° Trimestre) Compromisso: Emprego e renda Conteúdo local Trabalho decente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google