A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CLASSIFICAÇÃO DOS AÇOS INOXIDÁVEIS. ALUNOS: FRANCISCO DE ASSIS GUILHERME ANDRADE MARCUS MATEUS BRAGA RODRIGO NOBRE TURMA: TF DATA: 07/12/05 ESCOLA POLITÉCNICA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CLASSIFICAÇÃO DOS AÇOS INOXIDÁVEIS. ALUNOS: FRANCISCO DE ASSIS GUILHERME ANDRADE MARCUS MATEUS BRAGA RODRIGO NOBRE TURMA: TF DATA: 07/12/05 ESCOLA POLITÉCNICA."— Transcrição da apresentação:

1 CLASSIFICAÇÃO DOS AÇOS INOXIDÁVEIS

2 ALUNOS: FRANCISCO DE ASSIS GUILHERME ANDRADE MARCUS MATEUS BRAGA RODRIGO NOBRE TURMA: TF DATA: 07/12/05 ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO - UPE

3 1.Introdução; 2.Constituição e Diagrama de Equilíbrio; 3.Aços Inoxidáveis Martensíticos; 4.Aços Inoxidáveis Ferríticos; 5.Aços Inoxidáveis Austeníticos; 6.Aços Inoxidáveis Duplex; 7.Aços Inoxidáveis Endurecíveis por Precipitação; 8.Aplicações e Resumos Tópicos

4 Definição Os aços inoxidáveis são ligas ferro-cromo que contém, tipicamente, um teor acima de 11% de cromo. A partir desse teor e em contato com oxigênio ocorre a formação de uma fina película de óxido de cromo sobre a superfície do aço, que é impermeável e insolúvel nos meios corrosivos usuais. Apresenta, em geral, maior resistência à oxidação a alta temperatura em relação a outras classes de aços.

5 Classificação Aços Inoxidáveis Martensíticos; Aços Inoxidáveis Ferríticos; Aços Inoxidáveis Austeníticos; Aços Inoxidáveis Duplex (ferrítico-austenítico); Aços Inoxidáveis Endurecidos por Precipitação.

6 Histórico Alemanha (20%Cr 7%Ni) - Aço Inoxidável Austenítico; Inglaterra (12,8%Cr 0,24%C) – Aço Inoxidável Martensítico; 1913 – (16%Cr 0,015%C) – Ferrítico; 1945 – EUA – (U.S. Steel) – Aço Inoxidável Endurecido por Precipitação; 1950 – EUA – Escasses de Ni – Aços Inoxidáveis com Mg e N em substituição parcial de Ni (AISI 200); 1970 – EUA – (Processo OAD) – Permitiu a redução drástica de C sem perda acentuada de Cr para escória – Carga menos cara; ~1970 – LC – Custo e Homogenidade Química; 2005 – Aço Inoxidável de Alto Desempenho.

7 Passivação Fenômeno da Passivação película estável impermeável aderente alta veloc. formação

8 Corrosão e Sensitização Tipos de Corrosão corrosão intergranular - sensitização corrosão sob tensão - meios agressivos (soluções de Cl) corrosão por pites - meios com solução aquosa de Cl e Br condições da superfície - grosseira, fissuras Sensitização - corrosão intercristalina diminuição teor de Cr - corrosão intergranular solução: C em baixos teores < 0,1% uso de elementos de liga - Ti, V, Nb teor de Cr acima de 12% tratamento térmico - solubilização e resfr. rápido

9 Produção DESDE A PRODUÇÃO DO AÇO NO CONVERSOR ATÉ A LAMINAÇÃO A QUENTE

10 Sistema Fe-Cr-Ni DIAGRAMA DE SCHAEFFLER 40 M A+MA+M A+F A+M+F A % Equivalente de Cr % Equivalente de Ni Cr equival. = Cr + Mo + 1,5x%Si + 0,5x%Nb Ni equival. = Ni + 30x%C + 0,5x%Mn F M+F DIAGRAMA DE SCHAEFFLER

11 Essencialmente ligas de Cr (10,5~18%) e C (~1,2%) com estrutura martensítica (ambos são balanceados) com carbeto disperso; C aumenta dureza mas favorece sensitização; Trabalhável a frio e a quente, pcp quando C é baixo; Pouco carboneto no CG; Ferromagnético; Endurecível por tratamento térmico; Relativamente POUCO resistente a corrosão; Tempera pode melhorar a resistência a corrosão; Nb, Si, W e V modificam a resposta de revenido após o endurecimento; Excesso de Carboneto pode estar presente para aumentar a resistencia ao desgaste ou manter o poder de corte; Pouco de Ni pode elevar a resistência corrosão e a tenacidade; S e/ou Se aumenta a usinabilidade; Revenido a baixa T (150°C a 400°C); INOX MARTENSÍTICO

12 Composição Química

13 Propriedades

14 Microestrutura I Microestrutura: Martensita Fina com dispersão de Carbonetos de Cromo. Aumento: 100 x Ataque: Marble (tempo: 10 s) Dureza: 53HRc Material: AISI / SAE 440 C DIN x105CrMo17 Aplicação: Facas, canivetes, rolamentos. Composição Química: Fonte: ABNT NBR 5601/1981

15 Microestrutura II Aplicação: Instrumentos cirúrgicos e dentários, eixos, peças de bombas e válvulas, pás, moldes para plásticos e ind. de vidros. Composição Química: Microestrutura: Grãos de Ferrita com dispersão homogênea de Carbonetos Complexos de Ferro / Cromo. Material sofreu Tratamento de Recozimento de Coalescimento. Aumento: 400 x. Ataque: Reagente Marble (tempo: 10 a 15 s) Dureza: 186 HB Material: AISI / SAE 420 Modificado DIN x20Cr13 Fonte: ABNT NBR 5601/1981

16 Essencialmente ligas de Cr (11~30%) e C (~1,2MAX%) com estrutura cristalina CCC (ferrítica) e carbonetos dispersos; Não são endurecíveis por solubilização e têmpera então são utilizadas no estado recozido; Ferromagnético; Mo, Si, Al, Ti, Nb para caraterística específicas; S e/ou Se aumenta a usinabilidade; Baixa Ductilidade; Baixa Formabilidade; Relativamente Pobre Resistencia a tensões em altas temperaturas; Tenacidade limitada em baixas temperaturas e seções grossas; Susbtitui Fe-Cr-Ni-C em aplicações de resistência a corrosão com menos custo. Inox Ferrítico

17 Composição Química AISICCrOutros 4050,0811,5 - 13,5 Al (0,1 – 0,3) 4060,1512 – 14 Al (3,5 – 4,5) 4300,1214 – F0,1214 – 18 Pou S ou Se (0,07) Mo ou Zr (0,6) 4420,218 – ,218 – 23 Cu (0,9 – 1,25) Si (0,75) Ni (0,5) 4460, N (0,25)

18 Propriedades AISILRT kg/mm² LE kg/mm² Along. % Dureza Brinell RChoque kgm , ,8-4, , ,524,520 – ,1-4,8 430 temp ,1-4,8 430 F 4931,515 – ,1-4, ,531,530 – ,7-2, ,1-1,4

19 Microestrutura I Aplicação: Estufas, churrasqueiras em geral, bandejas, revestimentos, tampo de mesas, grelhas. Fonte: ABNT NBR 5601/1981 Microestrutura: Grãos de Ferrita Encruados provenientes de sua conformação (Laminação a frio). Observa-se a presença de Maclas. Aumento: 100 x Ataque: Marble (tempo: 10s) Dureza: 255 mHV (max 190HB) Material: AISI / SAE 430 DIN x8Cr17 Composição Química:

20 Microestrutura II Recozido a 788 C - estrutura ferrítica com grãos equiaxiais e partículas de carbetos (100X) Temperado a partir de 1200 C -Matriz ferrítica com ilhas de martensita (500x) Aço Inox 430 C=0,15% Cr=16,5%

21 Cr (16~26%), Ni (>35%) Mg (>15%)com estrutura cristalina CFC; Atingida através de elementos austenitizantes (ex.: Ni, Mn, N); Não magnético na condição recozido; Melhor resistência a corrosão; Endurecível apenas por trabalho a frio; Exelentes propriedades criogênicas; Boa Resistência em altas temperaturas; Série 2xx (Ni e Mn); Mo, Cu, Si, Al, Ti e Nb melhoram certas características; S e/ou Se aumenta a usinabilidade; Inox Austenítico

22 Composição Química AISICCrNiMoOutros 3020,1517,58,3 3030,1517,58,50,15 min S 3040,0818,38,5 304 L0, , , ,5 316 L0, ,5

23 Propriedades AISILRT kg/mm² LE kg/mm²Along. % Dureza Brinell RChoque kgm 30259,524, ,7-15, ,524, ,7-15, , ,7-15, ,9-13, , ,7-15,2

24 Microestrutura I Aplicação: Ind. química, farmacêutica e têxtil, do petróleo e do papel, instalações criogênicas em geral, pistões, parafusos. Composição Química: Microestrutura: Matriz Austenítica. Aumento: 200 x Ataque: Marble (tempo: 10 s) Dureza: 282 HB Material: SAE / AISI 304 DIN x5CrNi189 Fonte: ABNT NBR 5601/1981

25 Microestrutura II Microestrutura: 95% de Austenita e 5% de Ferrita residual no sentido da conformação do material. Matriz proveniente de Recozimento. Aumento: 100 x Ataque: Marble (tempo: 10 s) Material: AISI / SAE 316 DIN x5CrNiMo1810 Composição Química: Dureza: 156 HB Fonte: ABNT NBR 5601/1981 Aplicação: Ind. química, farmacêutica e têxtil, do petróleo e do papel, peças utilizadas na construção naval e aplicações criogênicas em geral, utilizado nos meios mais corrosivos.

26 Cr e Ni com estrutura cristalina misturada de ferrita (ccc) e austenita (cfc); ccc/cfc é função da composição e do tratamento térmico; Maior parte das ligas contém iguais quantidades de fases quando recozido; Ni, Mo, Cu, Si, W balanço estrutural ou características de resistencia a corrosão; Resistência a corrosão igual ao Aço Inox Austenítico com liga similar; Resistência Mecãnica superior ao Aço Inox Austenítico com liga similar; Tenacidade intermediária entre ferrítico e ustenítico. Inox Duplex

27 Composição Química Ni – aumento da tenacidade e usinabilidade; Cr – resistência a corrosão; Mo – aumenta a resistência de corrosão por pitting; C – em baixos teores diminuem a corrosão intergranular

28 Propriedades Tensão de escoamento elevada: vantagem nos projetos de engenharia; Ductilidade menor que os austeníticos mas adequados às exigências de mercado; A resistência à corrosão depende principalmente dos teores de Cr e Mo; Em geral a grande quantidade de ferrita melhora a resistência à corrosão sob tensão;

29 Microestrutura

30 Ligas Cr-Ni contendo elementos precipitantes (Cu, Al, Ti) Pode ser tanto austenítico quanto martensítico quando no estado recozido; O austenítico frequentemente é transformado em martensítico em determinadas condições de tratamento térmico, inclusive com tratamento sub-zero e atingem alta resistência pela formação da martensita. Inox por Precipitação

31 Composição Química AISICMnSiCrNiMoOutros W Inoxidável 0,070,5 16,756,75-0,8 Ti 0,2Al 17-4 PH0,040,40,515,504,25-0,25 Nb 3,6 Cu 17-7 PH0,070,70,4177-1,15 Al PH 15-7 Mo0,070,70,41572,251,15 Al AM 3500,10,750,3516,54,252,250,1 N

32 Propriedades

33 FATORES DE SELEÇÃO: Resistência a Corrosão; Características de Fabricação; Disponibilidade; Propriedades Mecânicas em variaçõesátípicas de temperaturas; Custo do produto. Aplicações e Resumos

34 Martensíticos são magnéticos, elevada resistência mecânica / dureza aplicáveis até 550 o C lâminas turbinas, peças estruturais para aviões, engrenagens, esferas p/ rolamentos, instrumentos cirúrgicos, lâminas p/ navalhas Ferríticos Austeníticos são magnéticos, mais baratos que os austeníticos baixas propriedades mecânicas (são moles), baixa resistência a fluência, boa trabalhabilidade, mas sem estampagem profunda como nos austeníticos só resistem a corr. atmosférica se houver lavagem frequente concent. sais adornos de automóveis, apar. eletrodomésticos, pias comuns. não são magnéticos elevada resistência à corrosão / alta res. a fluência aplicáveis em alta temperatura (até 1200 o C) aceitam grandes deformações (endurecem muito) difícil usinagem (devido ao encruamento) peças para fornos, parafusos, pias, tubos resistentes a meios agressivos, tanques para indústrias químicas, aplicações arquitetônicas (resistem a corrosão marinha ou urbana) Aplicações e Resumos


Carregar ppt "CLASSIFICAÇÃO DOS AÇOS INOXIDÁVEIS. ALUNOS: FRANCISCO DE ASSIS GUILHERME ANDRADE MARCUS MATEUS BRAGA RODRIGO NOBRE TURMA: TF DATA: 07/12/05 ESCOLA POLITÉCNICA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google