A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Figure 5. CP em 1000 ppm de HS - e Cl -, pH 7,9, nos potencias E = E ca, e em E = -503, -466 e -437 mV (a). Área dos pites número dos pites (b), estipulado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Figure 5. CP em 1000 ppm de HS - e Cl -, pH 7,9, nos potencias E = E ca, e em E = -503, -466 e -437 mV (a). Área dos pites número dos pites (b), estipulado."— Transcrição da apresentação:

1 Figure 5. CP em 1000 ppm de HS - e Cl -, pH 7,9, nos potencias E = E ca, e em E = -503, -466 e -437 mV (a). Área dos pites número dos pites (b), estipulado pelo processamento da imagem binarizada. Área média dos pites (c). Figure 6. Profundidade média dos pites. Medidas de E ca Figura 3. Microscopia óptica sequencial in-situ do aço carbono AISI 1040 em 1000 ppm de HS - (a), estabilização do E ca (b), [9]. CP Anódica Figura 4. Microscopia óptica sequencial in-situ do aço carbono AISI 1040 durante a polarização anódica em 1000 ppm de HS - e Cl -. Tabela 1. Valores de E ca, E pite e taxa de corrosão (Região 1 e 2). Pode ser figura ou um texto curto. Introdução pode ser trocada por motivação. Eletrodos e célula eletroquímica: Eletrodo de Trabalho (ET): Aço carbono AISI Eletrodo de Referência (ER): Ag/AgCl/KCl (Sat.). Figura 1: Célula eletroquímica acoplada a um microscópio óptico invertido. Soluções: Solução de Sulfeto Na 2 S.9H 2 O, 1000 ppm, ou 32 mmol L -1. Eletrólito Tampão Fosfato, pH = 7,9, e com 3,5% NaCl (w/w). Técnicas: MO in situ, E ca e Curvas de Polarização (CP). Metodologia: E ca por 3600s com filmagem a 0,1 frame s -1. CP a 0,1 mV s -1, ΔE 200 mV, com filmagem a 0,5 frame s -1. Processamento de imagens: Alexsandro M. Zimer, Emerson C. Rios, Ernesto C. Pereira e Lucia H. Mascaro*. 1 Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) – Departamento de Química – São Carlos, SP, Brazil. Desenvolvimento de uma técnica óptico-eletroquímica para obter informação local durante a corrosão por pites O presente método é válido para o estudo de reações de corrosão, por meio de imagens sequenciais da superfície obtidas in-situ, em tempo real ou durante a polarização anódica. Os estágios iniciais da corrosão por pites como, tempo de indução, número de ataques e seu aumento de área, e profundidade, foram investigados. A análise das imagens durante a medida de E ca, mostraram que ocorre uma acentuada queda em direção a valores mais negativos de potencial, ao mesmo tempo em que se inicia a corrosão puntiforme. Já a análise das imagens durante a CP, mostraram que pequenas variações na inclinação do sinal de corrente, ocorrem com o início do incremento da área dos pites. Rod. Washington Luís, km 235 CEP Caixa Postal 676 São Carlos, SP - Brazil Tel/Fax: Referências [1] M.M. Amin, S.S. Abdelrehim, A.E. Elsherbini, Electrochim. Acta 51 (2006) [2] K. Choi, S. Kim, Corros. Sci. 47 (2005) [3] J.C. Oliveira, A. Cavaleiro, C.M. Brett, Corros. Sci. 42 (2000) [4] R.M. Pidaparti, Struct. Health Monit. 6 (2007) [5] C. Punckt, M. Bölscher, H.H. Rotermund, A.S. Mikhailov, L. Organ, N. Budiansky, J.R. Scully, J.L. Hudson, Science 305 (2004) [6] L. Organ, J.R. Scully, A.S. Mikhailov, J.L. Hudson, Electrochim. Acta 51 (2005) [7] E. Hansson, M. Odziemkowski, R. Gillham, Corros. Sci. 48 (2006) [8] M. Pourbaix, in:, Texas: Pergamon Press, second ed., Houston, [9] A.D. Davydov, Russ. J. Electrochem. 44 (2007) Agradecimentos : Quando o E pite é alcançado, ocorre um grande incremento no número dos ataques puntiformes na superfície do aço. A taxa de corrosão por pites foi sempre maior no meio com sulfeto e cloreto nas duas regiões onde ocorre um incremento de área e número de ataques puntiformes. Essa disposição das colunas pode mudar (sugerimos 3), façam o que for mais conveniente e der mais destaque ao vosso trabalho.


Carregar ppt "Figure 5. CP em 1000 ppm de HS - e Cl -, pH 7,9, nos potencias E = E ca, e em E = -503, -466 e -437 mV (a). Área dos pites número dos pites (b), estipulado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google