A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MBA FAFICA - SEGURANÇA DO TRABALHO - 4 1. 2 ERGONOMIA Estuda a interação física entre as pessoas e o seu trabalho. MARCILIO CUNHA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MBA FAFICA - SEGURANÇA DO TRABALHO - 4 1. 2 ERGONOMIA Estuda a interação física entre as pessoas e o seu trabalho. MARCILIO CUNHA."— Transcrição da apresentação:

1 MBA FAFICA - SEGURANÇA DO TRABALHO - 4 1

2 2 ERGONOMIA Estuda a interação física entre as pessoas e o seu trabalho. MARCILIO CUNHA

3 3 Adaptar o trabalho ao trabalhador na forma: de ferramentas, de ferramentas, de equipamento. de equipamento. de máquina. de máquina. o ambiente de trabalho o ambiente de trabalho

4 4 Definição de Ergonomia É o estudo da adaptação do trabalho ao homem. MARCILIO CUNHA

5 5 Conceito de ergonomia conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários a concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficiência. ( A. Wisner ). MARCILIO CUNHA

6 6 Objetivos da Ergonomia a ) REDUZIR : a ) REDUZIR : o cansaço do operário o cansaço do operário a possibilidade de erros a possibilidade de erros os acidentes de trabalho os acidentes de trabalho as ausências ao trabalho as ausências ao trabalho os custos operacionais os custos operacionais MARCILIO CUNHA

7 7 Objetivos da Ergonomia b ) AUMENTAR : b ) AUMENTAR : o conforto do trabalhador o conforto do trabalhador a produtividade a produtividade a rentabilidade a rentabilidade MARCILIO CUNHA

8 8 Objeto central do estudo de Ergonomia HABILIDADE HOMEM CAPACIDADE HOMEM CAPACIDADE RENTABILIDADE RENTABILIDADE MARCILIO CUNHA

9 9 De posse destes conhecimentos podemos definir as ferramentas e materiais método de trabalho arranjo dos instrumentos local de trabalho MARCILIO CUNHA

10 10 Estudos periféricos relações do trabalhador com os seus colegas. relações do trabalhador com os seus colegas. relações do trabalhador com os seus relações do trabalhador com os seus superiores. superiores. relações do trabalhador com a própria relações do trabalhador com a própria familia. familia. higiene industrial. higiene industrial. redução dos tóxicos redução dos tóxicos e outros agentes e outros agentes prejudiciais a saúde. prejudiciais a saúde. MARCILIO CUNHA

11 11 Ergonomia : dimensão * Posto de trabalho ** Situação de trabalho *** Contexto da atividade

12 12 Ergonomia : contribuições Macroergonomia No diálogo social em condições de trabalho, - No diálogo social em condições de trabalho, segurança e saúde. segurança e saúde. - Maior produtividade e competitividade.

13 13 Ergonomia : contribuições Microergonomia - Adequar a carga de trabalho as capacidades e limitações do trabalhador. - Fomentar o enriquecimento das tarefas. - Desenvolvimento das personalidades. - Propiciar a ergonomia participativa.

14 14 Ergonomia - NR 17 Portaria 3214/78 MTE Condição de trabalho: Condição de trabalho: carga física, mobiliário, postura, exigêncial sensorial e equipamentos. Condições ambientais de trabalho: Condições ambientais de trabalho: (conforto) ruído, temperatura, velocidade do ar, umidade. Organização do trabalho: Organização do trabalho: norma de produção, modo operatório, exigência de tempo, determinação do conteúdo(tempo, ritmo de Trabalho) e o conteúdo das tarefas.

15 15 Estresse Físico/Psíquico Estresse Físico/Psíquico : Meio Ambiente do Trabalho Organização do trabalho Suscetibilidade Individual Condição de trabalhoAmbiente de trabalho Capacidade de adaptação Carga de trabalho F / P Adoecimento Sofrimento

16 16 Ergonomia : administração científica do trabalho Charles Chaplin´s

17 17 Ergonomia : administração científica do trabalho

18 18 Formação da equipe de estudos Várias disciplinas científicas e tecnológicas, formam o arcaboço da ergonomia. As informações acumuladas nos campos afins do conhecimento humano formam a base da Ergonomia. Utiliza o conhecimento para fazer as próprias pesquisas para determinar o desempenho humano no trabalho. Portanto, participação de diversos especialistas no estudo de uma atividade de trabalho. MARCILIO CUNHA

19 19 Formação da equipe de estudos MARCILIO CUNHA

20 20 Formação da equipe de estudo Serviço Médico Serviço Médico Serviço Social Serviço Social Serviço de Segurança no Trabalho Serviço de Segurança no Trabalho Serviço de Nutrição Serviço de Nutrição Recrutamento e Seleção Recrutamento e Seleção Cargos e Salários Cargos e Salários Treinamento Treinamento Área cliente Área cliente MARCILIO CUNHA

21 21 Parte operacional da equipe técnica Funcionar de maneira integrada. Funcionar de maneira integrada. Contribuir em todos os momentos levando Contribuir em todos os momentos levando e buscando informações com relação a e buscando informações com relação a função analisada. função analisada. Reunião periódica dos técnicos envolvidos Reunião periódica dos técnicos envolvidos no projeto. no projeto. Conclusão de estudo, com a junção de todos Conclusão de estudo, com a junção de todos os pontos vistos e analisados formando um os pontos vistos e analisados formando um só trabalho. só trabalho. Proposta concreta de melhorias e mudanças Proposta concreta de melhorias e mudanças a serem introduzidas. a serem introduzidas. MARCILIO CUNHA

22 22 Classificação da Ergonomia Pode ser classificada em três tipos : ergonomia de concepção ergonomia de concepção É o estudo ergonômico dos instrumentos de trabalho É o estudo ergonômico dos instrumentos de trabalho antes de sua construção. antes de sua construção. exemplo: como colocar serra elétrica para cortes exemplo: como colocar serra elétrica para cortes de peças inteiras de carne, dentro de um de peças inteiras de carne, dentro de um ambiente de trabalho onde se encontram ambiente de trabalho onde se encontram outras máquinas e pessoas. outras máquinas e pessoas. MARCILIO CUNHA

23 23 Ergonomia de Concepção

24 24 Classificação da Ergonomia MARCILIO CUNHA Pode ser classificada em três tipos : ergonomia de concepção ergonomia de concepção É o estudo ergonômico dos instrumentos de trabalho É o estudo ergonômico dos instrumentos de trabalho antes de sua construção. antes de sua construção. exemplo: como colocar serra elétrica para cortes exemplo: como colocar serra elétrica para cortes de peças inteiras de carne, dentro de um de peças inteiras de carne, dentro de um ambiente de trabalho onde se encontram ambiente de trabalho onde se encontram outras máquinas. outras máquinas.

25 25 Classificação da Ergonomia ergonomia corretiva ergonomia corretiva É a que modifica sistemas já existentes. É a que modifica sistemas já existentes. Portanto, o estudo ergonômico só é feito após Portanto, o estudo ergonômico só é feito após a construção do instrumento e/ou ambiente de a construção do instrumento e/ou ambiente de trabalho. trabalho. MARCILIO CUNHA

26 26 Classificação da Ergonomia ergonomia corretiva ergonomia corretiva Exemplo: a situação dentro de uma cozinha, Exemplo: a situação dentro de uma cozinha, onde se verifica repetidos acidentes com onde se verifica repetidos acidentes com lesões e perda de dedos e mãos em lesões e perda de dedos e mãos em operadores de máquina de moer carne no operadores de máquina de moer carne no triturador. triturador. MARCILIO CUNHA

27 27 Classificação da Ergonomia ergonomia corretiva ergonomia corretiva Exemplo: Exemplo: Há de esclarecer que o acionamento Há de esclarecer que o acionamento convencional da máquina é feito pela convencional da máquina é feito pela pressão de um bastão de madeira com pressão de um bastão de madeira com o uso de uma das mãos do operador. o uso de uma das mãos do operador. MÁQUINABASTÃO DE MADEIRA MARCILIO CUNHA

28 28 Classificação da Ergonomia ergonomia corretiva Solução : Solução : deverá ser analisada, encontrando uma solução adequada de execução, impedindo solução adequada de execução, impedindo a possibilidade de ocorrência destes a possibilidade de ocorrência destes acidente. acidente. MARCILIO CUNHA

29 29 Classificação da Ergonomia ergonomia seletiva É feita selecionando-se o homem ideal para É feita selecionando-se o homem ideal para um equipamento, atividade ou ambiente de um equipamento, atividade ou ambiente de trabalho já existente. trabalho já existente. A atuação do recrutamento e seleção de A atuação do recrutamento e seleção de pessoal é importantíssima neste campo. pessoal é importantíssima neste campo. MARCILIO CUNHA

30 30 Ergonomia seletiva

31 31 Classificação da Ergonomia ergonomia seletiva Exemplo: pessoas predisposta a lombagias ( dores lombares ) não devem ser selecionadas lombares ) não devem ser selecionadas para executar trabalhos e utilizar para executar trabalhos e utilizar máquinas que provoquem ou agravem máquinas que provoquem ou agravem este problema, como por exemplo este problema, como por exemplo atividades que envolvam levantamento atividades que envolvam levantamento de carga pelo trabalhador. de carga pelo trabalhador. MARCILIO CUNHA

32 32 Coluna Vertical: postura correta

33 33 Coluna Vertical : desvio de postura

34 34 Coluna Vertical: ortopedia e traumatologia

35 35 Artroplastia Cervical: recupera movimentos da coluna

36 36 Postura : errada e correta

37 37 Postura: correta e errada

38 38 Postura: correta no levantamento e movimento

39 39 Postura: correta e errada

40 40 Postura: correta

41 TEGAEL, SA Postura: correta e errada

42 42 Estrutura e funcionamento do corpo humano Para que se possa projetar máquinas, equipamentos Para que se possa projetar máquinas, equipamentos e painés de instrumentos, deve-se estar atentos: e painés de instrumentos, deve-se estar atentos: dispositivos de comando ou de controle possam ser dispositivos de comando ou de controle possam ser acionados ou observados de uma maneira fácil, acionados ou observados de uma maneira fácil, segura e eficiente. segura e eficiente. é necessário conhecer os limites de movimentação é necessário conhecer os limites de movimentação das partes do corpo mais solicitado em tarefas das partes do corpo mais solicitado em tarefas profissionais. profissionais. MARCILIO CUNHA

43 43 Estrutura e funcionamento do corpo humano ANTROPOMETRIA : ANTROPOMETRIA : estuda as medidas características do corpo estuda as medidas características do corpo dimensões linhares dimensões linhares diâmetros diâmetros pesos pesos MARCILIO CUNHA

44 44 Estrutura e funcionamento do corpo humano BIOMECÂNICA : trata geralmente com os aspectos mecânicos trata geralmente com os aspectos mecânicos do movimento humano. do movimento humano. Inclui considerações de : Inclui considerações de : alcance dos movimentos do corpo alcance dos movimentos do corpo força dos movimentos do corpo força dos movimentos do corpo velocidade dos movimentos do corpo velocidade dos movimentos do corpo MARCILIO CUNHA

45 45 Estrutura e funcionamento do corpo humano ANTROPOMETRIA ESTÁTICA : está relacionada com as dimensões físicas do está relacionada com as dimensões físicas do corpo parado. Dependendo dos objetivos, podem ser feitas medidas específicas de determinadas características. O uso destes dados são empregados nos seguintes campos : MARCILIO CUNHA

46 46 Estrutura e funcionamento do corpo humano ANTROPOMETRIA ESTÁTICA : ANTROPOMETRIA ESTÁTICA : projetos de assentos. projetos de assentos. mesas. mesas. passagens. passagens. equipamentos pessoais. equipamentos pessoais. MARCILIO CUNHA

47 47 Estrutura e funcionamento do corpo humano ANTROPOMETRIA DINÂMICA : Está voltada para as medidas funcionais, isto é, medidas das pessoas enquanto executam algumas funções. MARCILIO CUNHA

48 48 Estrutura de funcionamento do corpo humano ANTROPOMETRIA DINÂMICA ANTROPOMETRIA DINÂMICA As características relativas de tais funções As características relativas de tais funções incluem : incluem : ângulos ângulos faixas de velocidade faixas de velocidade faixas de aceleração faixas de aceleração padrões de rítmos padrões de rítmos padrões de movimentos padrões de movimentos forças e espaços envolvidos forças e espaços envolvidos MARCILIO CUNHA

49 49 Estrutura do funcionamento do corpo humano Os estudos baseados em medidas dinâmicas Os estudos baseados em medidas dinâmicas contribuem para o conforto eficiência e contribuem para o conforto eficiência e segurança nas várias fases da vida humana. segurança nas várias fases da vida humana. MARCILIO CUNHA

50 50 Estrutura do funcionamento do corpo humano As aplicações podem contribuir para melhorar o projeto de ferramentas, As aplicações podem contribuir para melhorar o projeto de ferramentas, salas de aula, veículos, móveis, salas de aula, veículos, móveis, cozinhas, roupas para trabalho e cozinhas, roupas para trabalho e outros ítens. outros ítens.

51 51 Estrutura do funcionamento do corpo humano POSTULADO IMPORTANTE : POSTULADO IMPORTANTE : Na execução de várias funções físicas os Na execução de várias funções físicas os membros do corpo humano não operam membros do corpo humano não operam independentemente, mas em conjunto. independentemente, mas em conjunto. MARCILIO CUNHA

52 TEGAEL, SA Estrutura do funcionamento do corpo humano Valores importantes em projetos industriais: Valores importantes em projetos industriais: movimentação da cabeça. movimentação da cabeça. movimentação das mãos. movimentação das mãos. movimentação dos braços. movimentação dos braços. movimentação dos antebraços. movimentação dos antebraços. movimentação das pernas. movimentação das pernas.

53 53 Estrutura do funcionamento do corpo humano Princípios para aplicação dos dados Princípios para aplicação dos dados ANTROPOMÉTRICOS ANTROPOMÉTRICOS projetos para tipo médio ( homem médio ou padrão) projetos para tipo médio ( homem médio ou padrão) MARCILIO CUNHA

54 54 Estrutura do funcionamento do corpo humano Princípios para aplicação dos dados Princípios para aplicação dos dados ANTROPOMÉTRICOS ANTROPOMÉTRICOS projetos para indivíduos projetos para indivíduos extremos (dimensão máxima ) extremos (dimensão máxima )

55 55 Estrutura do funcionamento do corpo humano Princípios para aplicação dos dados Princípios para aplicação dos dados ANTROPOMÉTRICOS ANTROPOMÉTRICOS projetos para faixas projetos para faixas especificadas da população especificadas da população ( assentos ajustáveis, ( assentos ajustáveis, calçados fabricados calçados fabricados para diversos tamanhos ) para diversos tamanhos )

56 56 Estrutura do funcionamento do corpo humano Princípios para aplicação dos dados Princípios para aplicação dos dados ANTROPOMÉTRICOS ANTROPOMÉTRICOS projetos para o indivíduo ( aprelhos ortopédicos, projetos para o indivíduo ( aprelhos ortopédicos, roupas de astronauta, terno por encomenda ) roupas de astronauta, terno por encomenda )

57 TEGAEL, SA Horrores no escritório… Costas não apoiadas no encosto da cadeira Pés não apoiados no chão Mouse longe causando força no ombro Teclado mal posicionado Monitor mal posicionado Candeeiro de secretária mal posicionado Cactos crescem em ambientes secos e quentes! Pescoço virado para olhar para o monitor Almofadado a pressionar a zona inferior da coxa

58 58 Posição sentada Ajuda a reduzir a fadiga,aumenta o equilíbrio Ajuda a reduzir a fadiga,aumenta o equilíbrio e a estabilidade ( contra vibrações,balanços) e a estabilidade ( contra vibrações,balanços) MARCILIO CUNHA

59 59 Posição sentada Permite operações mais eficientes ( pedais, Permite operações mais eficientes ( pedais, apoio para os pés, apoio para o antebraço, apoio para os pés, apoio para o antebraço, as costas apoiadas ) as costas apoiadas )

60 TEGAEL, SA Ambiente de trabalho ideal… Cabeça levantada Ombros relaxados Costas erectas e apoiadas Material de referência bem posicionado Monitor à altura dos olhos e braços distanciados Olhar em frente Mãos alinhadas com o antebraço Pressão moderada do almofadado da cadeira Pés firmes no descanso de pés

61 61 …Ambiente de trabalho ideal… Elimine qualquer reflexo no seu monitor. Posicione os restantes equipamentos em locais acessíveis. MARCILIO CUNHA

62 62 Posição em pé Permite maior mobilidade ( aumentando a Permite maior mobilidade ( aumentando a área visual e manual ). área visual e manual ). Permite maiores forças ao operar com Permite maiores forças ao operar com controles manuais e maior controle nos controles manuais e maior controle nos movimentos ( como na operação de movimentos ( como na operação de alavancas grandes ou volantes circulares) alavancas grandes ou volantes circulares) MARCILIO CUNHA

63 63 Outras posições Como a inclinada, ajoelhada, de cócoras ou Como a inclinada, ajoelhada, de cócoras ou dorsal em algumas situações são inevitáveis dorsal em algumas situações são inevitáveis principalmente em trabalhos de manutenção principalmente em trabalhos de manutenção de máquinas. de máquinas. De preferência, estas posições devem ser De preferência, estas posições devem ser evitadas porque dão pouca estabilidade, evitadas porque dão pouca estabilidade, atrapalham a mobilidade ou provocam atrapalham a mobilidade ou provocam fadiga exagerada. fadiga exagerada. MARCILIO CUNHA

64 64 Exercícios no escritório Um dos maiores fatores de risco é a postura estática. Despenda de, pelo menos, 5 minutos por hora longe do seu computador. Execute exercícios ou movimentos de alongamento periodicamente. Este slide mostra algumas ilustrações de movimentos de alongamento que pode executar no escritório: Exercícios com as mãos Feche firmemente a mão contra o pulso e abra, esticando os dedos. Repita 3 vezes MARCILIO CUNHA

65 65 Exercícios para as costas e ombros Levante-se, com as costas direitas, coloque a mão direita no seu ombro esquerdo e mova a cabeça para trás suavemente. Repita o exercício para o ombro direito MARCILIO CUNHA

66 66 Exercícios para a cabeça e o pescoço Movimente a cabeça da esquerda para a direita e novamente para a esquerda Movimente a cabeça de trás para a frente MARCILIO CUNHA

67 67 Alongamentos na cadeira … Sentado ao computador por longos períodos causa, geralmente, tensão no pescoço e nos ombros e dores na zona lombar. Exercite os alongamentos, conforme abaixo indicado, várias vezes ao dia e/ou sempre que se sinta cansado. Não se esqueça de se levantar de vez em quando e passear pelo escritório! Vai ver que se sentirá melhor! segundos 2 vezes segundos 8-10 segundos Para cada lado segundos MARCILIO CUNHA

68 68 … Alongamentos na cadeira … 3-5 segundos 3 vezes segundos Cada braço 10 segundos MARCILIO CUNHA

69 69 … … Alongamentos na cadeira 8-10 segundos Cada lado 8-10 segundos Cada lado segundos 2 vezes 8-10 segundos Abane as mãos MARCILIO CUNHA

70 70 O espaço de trabalho É um espaço imaginário, necessário para É um espaço imaginário, necessário para o organismo realizar os movimentos o organismo realizar os movimentos requeridos por um trabalho. requeridos por um trabalho. Muitos trabalhos exijem o deslocamento Muitos trabalhos exijem o deslocamento de todo o organismo quer andando,correndo de todo o organismo quer andando,correndo ou subindo escadas. ou subindo escadas. A maioria dos trabalhos conhecidos,envolve A maioria dos trabalhos conhecidos,envolve movimentos relativos maiores dos membros movimentos relativos maiores dos membros do que do tronco. do que do tronco. MARCILIO CUNHA

71 71 ANALISANDO O POSTO DE TRABALHO IDENTIFIQUE OS PROBLEMAS ERGONÔMICOS

72 72 (81)


Carregar ppt "MBA FAFICA - SEGURANÇA DO TRABALHO - 4 1. 2 ERGONOMIA Estuda a interação física entre as pessoas e o seu trabalho. MARCILIO CUNHA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google