A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXERCÍCIOS CAMPO ELÉTRICO. 1 - (PUC RIO) Uma carga positiva encontra-se numa região do espaço onde há um campo elétrico dirigido verticalmente para cima.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXERCÍCIOS CAMPO ELÉTRICO. 1 - (PUC RIO) Uma carga positiva encontra-se numa região do espaço onde há um campo elétrico dirigido verticalmente para cima."— Transcrição da apresentação:

1 EXERCÍCIOS CAMPO ELÉTRICO

2 1 - (PUC RIO) Uma carga positiva encontra-se numa região do espaço onde há um campo elétrico dirigido verticalmente para cima. Podemos afirmar que a força elétrica sobre ela é: a) para cima. b) para baixo. c) horizontal para a direita. d) horizontal para a esquerda. e) nula. A

3 2 – (UFSM) Uma partícula com carga de 8 x C exerce uma força elétrica de módulo 1,6 x N sobre outra partícula com carga de 2 x C. A intensidade do campo elétrico no ponto onde se encontra a segunda partícula é, em N/C, a) 3,2 x b) 1,28 x c) 1,6 x 10 4 d) 2 x 10 4 e) 8 x 10 4 E

4 3 - (PUC MG)As linhas de força de um campo elétrico são um modo conveniente de visualizar o campo elétrico e indicam a direção do campo em qualquer ponto. Leia as opções abaixo e assinale a afirmativa INCORRETA. a) O número de linhas que saem ou que entram numa carga puntiforme é proporcional ao valor da carga elétrica. b) As linhas de força saem da carga negativa e entram na carga positiva. c) As linhas de força saem da carga positiva e entram na carga negativa. d) O número de linhas por unidade de área perpendicular às linhas é proporcional à intensidade do campo. B

5 4 – (UFV) A figura a seguir representa a configuração de linhas de campo elétrico produzida por três cargas puntuais, todas com o mesmo módulo Q. Os sinais das cargas A, B e C são, respectivamente: a) negativo, positivo e negativo. b) negativo, negativo e positivo. c) positivo, positivo e positivo. d) negativo, negativo e negativo. e) positivo, negativo e positivo. E

6 5 – (UFSCAR) Na figura está representada uma linha de força de um campo elétrico, um ponto P e os vetores A, B, C, D e E. Se uma partícula de carga elétrica positiva, suficientemente pequena para não alterar a configuração desse campo elétrico, for colocada nesse ponto P, ela sofre a ação de uma força F, melhor representada pelo vetor: a) A. b) B. c) C. d) D. e) E. A

7 6 – (FEI )Um elétron penetra num campo elétrico uniforme com velocidade v 0, perpendicular às linhas de força que são verticais para baixo, conforme a figura. Desprezando-se as ações gravitacionais, pode-se dizer que a trajetória do elétron será uma: a) parábola para cima b) parábola para baixo c) retilínea d) circunferência e) hipérbole para baixo A

8 7 – (UFF) A 60m de uma linha de transmissão de energia elétrica, submetida a 500kV, o campo elétrico dentro do corpo humano é, aproximadamente, 3,0×10 -6 N/C. Este campo atua num certo íon, de carga 3,0× C, no cromossoma dentro de uma célula. A força elétrica exercida sobre o íon é cerca de: a) 9,0 × N b) 1,5 × N c) 1,0 × Nd) 1,5 × N e) 1,0 × N A

9 8 – (UFRS) Entre 1909 e 1916, o físico norte-americano Robert Milikan ( ) realizou inúmeras repetições seu famoso experimento da "gota de óleo", a fim de determinar o valor da carga do elétron. de O experimento, levado a efeito no interior de uma câmara a vácuo, consiste em contrabalançar o peso de uma gotícula eletrizada de óleo pela aplicação de um campo elétrico uniforme, de modo que a gotícula se movimente com velocidade constante. O valor obtido por Milikan para a carga eletrônica foi de aproximadamente 1, 6 × C. Suponha que, numa repetição desse experimento, uma determinada gotícula de óleo tenha um excesso de cinco elétrons, e que seu peso seja de 4, 0 × N. Nessas circunstâncias, para que a referida gotícula se movimente com velocidade constante, a intensidade do campo elétrico aplicado deve ser de aproximadamente a) 5, 0 × 10 2 N/C. b) 2, 5 × 10 3 N/C. c) 5, 0 × 10 3 N/C. d) 2, 5 × 10 4 N/C. e) 5, 0 × 10¥ 4 N/C. C

10 9 – (UFRN) Mauro ouviu no noticiário que os presos do Carandiru, em São Paulo, estavam comandando, de dentro da cadeia, o tráfico de drogas e fugas de presos de outras cadeias paulistas, por meio de telefones celulares. Ouviu também que uma solução possível para evitar os telefonemas, em virtude de ser difícil controlar a entrada de telefones no presídio, era fazer uma blindagem das ondas eletromagnéticas, usando telas de tal forma que as ligações não fossem completadas. Mauro ficou em dúvida se as telas eram metálicas ou plásticas. Resolveu, então, com seu celular e o telefone fixo de sua casa, fazer duas experiências bem simples. 1 - Mauro lacrou um saco plástico com seu celular dentro. Pegou o telefone fixo e ligou para o celular. A ligação foi completada. 2 - Mauro repetiu o procedimento, fechando uma lata metálica com o celular dentro. A ligação não foi completada. O fato de a ligação não ter sido completada na segunda experiência, justifica-se porque o interior de uma lata metálica fechada a) permite a polarização das ondas eletromagnéticas diminuindo a sua intensidade. b) fica isolado de qualquer campo magnético externo. c) permite a interferência destrutiva das ondas eletromagnéticas. d) fica isolado de qualquer campo elétrico externo. D

11 10 – (UFF) Em 1752, o norte-americano Benjamin Franklin, estudioso de fenômenos elétricos, relacionou-os aos fenômenos atmosféricos, realizando a experiência descrita seguir. Durante uma tempestade, Franklin soltou uma pipa em cuja ponta de metal estava amarrada a extremidade de um longo fio de seda; da outra extremidade do fio, próximo de Franklin, pendia uma chave de metal. Ocorreu, então, o seguinte fenômeno: quando a pipa captou a eletricidade atmosférica, o toque de Franklin na chave, com os nós dos dedos, produziu faíscas elétricas. Esse fenômeno ocorre sempre que em um condutor: a) as cargas se movimentam, dando origem a uma corrente elétrica constante na sua superfície; b) as cargas se acumulam nas suas regiões pontiagudas, originando um campo elétrico muito intenso e uma consequente fuga de cargas; c) as cargas se distribuem uniformemente sobre sua superfície externa, fazendo com que em pontos exteriores o campo elétrico seja igual ao gerado por uma carga pontual de mesmo valor; d) as cargas positivas se afastam das negativas, dando origem a um campo elétrico no seu interior; e) as cargas se distribuem uniformemente sobre sua superfície externa, tornando nulo o campo elétrico em seu interior. B


Carregar ppt "EXERCÍCIOS CAMPO ELÉTRICO. 1 - (PUC RIO) Uma carga positiva encontra-se numa região do espaço onde há um campo elétrico dirigido verticalmente para cima."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google