A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Instituto Politécnico de Setúbal – Escola Superior de Saúde Pós-Graduação em Enfermagem Perioperatória Outubro, 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Instituto Politécnico de Setúbal – Escola Superior de Saúde Pós-Graduação em Enfermagem Perioperatória Outubro, 2011."— Transcrição da apresentação:

1 1 Instituto Politécnico de Setúbal – Escola Superior de Saúde Pós-Graduação em Enfermagem Perioperatória Outubro, 2011

2 2

3 3

4 4 (ASA Task Force on Management of the Difficult Airway)

5 5

6 6 (Afonso, et al, 2006)

7 7

8 8

9 9 (Ferreira et al, 2009)

10 10 (Ferreira et al, 2009, p.5)

11 11 Abordagem da Via Aérea com o doente vigil Abordagem da Via Aérea após indução de anestesia geral

12 Intubação com o doente vigil Abordagem da V. Aérea com técnicas de intubação não-invasivas Abordagem da V. Aérea com técnicas de intubação não-invasivas Abordagem da V. Aérea com técnicas invasivas Abordagem da V. Aérea com técnicas invasivas Sucesso FALHA Abordagem da V. Aérea com técnicas invasivas Abordagem da V. Aérea com técnicas invasivas Considerar viabilidade de outras opções Considerar viabilidade de outras opções Adiar Cirurgia Adiar Cirurgia Sociedade Portuguesa de Anestesiologia: Adaptado de Difficult Airway Algorithm (ASA Task Force on Management of the Difficult Airway) Acesso Invasivo da V. Aérea Cricotirotomia Traqueostomia percutânea ou cirúrgica Máscara facial ou laríngea Anestesia local Anestesia regional Intubação traqueal com Broncofibroscopia

13 Acesso Invasivo Emergente da V. Aérea Acesso Invasivo Emergente da V. Aérea Técnicas para ventilação não- invasiva de emergência Combitube Estilete para jet intratraqueal Broncoscópio rígido A partir deste ponto considerar: 1.Chamar ajuda 2.Retornar à ventilação espontânea 3.Acordar o doente A partir deste ponto considerar: 1.Chamar ajuda 2.Retornar à ventilação espontânea 3.Acordar o doente Tentativa de Intubação após indução de Anestesia Geral Tentativa inicial de intubação FALHA Tentativa inicial de intubação FALHA Tentativa inicial de intubação com SUCESSO Tentativa inicial de intubação com SUCESSO Ventilação sob máscara facial não adequada Ventilação sob máscara facial não adequada Ventilação sob máscara facial adequada Ventilação sob máscara facial adequada Máscara Laríngea (ML) ML não adequada ML adequada Situação Emergência Não Ventilo, Não Intubo Situação Emergência Não Ventilo, Não Intubo Chamar Ajuda Situação Não-Emergente Ventilo, Não Intubo Situação Não-Emergente Ventilo, Não Intubo Abordagens alternativas para a intubação Abordagens alternativas para a intubação SUCESSO na Intubação SUCESSO na Intubação FALHA após múltiplas tentativas Se Ventilação Sob Máscara Facial ou ML Se tornarem inadequadas Se Ventilação Sob Máscara Facial ou ML Se tornarem inadequadas Ventilação Emergência não-invasiva Ventilação adequada Ventilação adequada FALHA Acordar o doente Acordar o doente Acesso invasivo Via Aérea Acesso invasivo Via Aérea Considerar viabilidade outras opções Considerar viabilidade outras opções Sociedade Portuguesa de Anestesiologia: Adaptado de Difficult Airway Algorithm (ASA Task Force on Management of the Difficult Airway) Ténicas não invasivas para intubação difícil Lâminas de laringoscópio alternativas (McCoy ou Miller) Estiletes para intubação (Bougie, Frova) Máscara Laríngea Fastrach Intubação por fibroscopia Intubação às cegas

14 14 Lidocaína gel e neosinefrina gotas 0,5% Lidocaína gel e neosinefrina gotas 0,5% Lidocaína spray e silicone Lidocaína spray e silicone Pinças de Maguill Pinças de Maguill Fibroscópio retromolar Fibroscópio retromolar Lâminas de Laringoscópio McCoy, Macintosh e rectas Lâminas de Laringoscópio McCoy, Macintosh e rectas Cabos de laringoscópio normal, curto e pediátrico. Cabos de laringoscópio normal, curto e pediátrico. Máscaras laríngeas de todos os tamanhos Máscaras laríngeas de todos os tamanhos Tubos de Guedell de todos os tamanhos Tubos nasofaríngeos Máscaras faciais de borracha e tubos de intubação laríngea Tubos endotraqueais flexíveis e de microcirugia da laringe Tubos orotraqueais com/sem cuff e aramados Confutores rígidos e flexíveis Fibroscópio fléxivel Fast-track Frova Óculos de segurança Adesivo

15 15 (HUGHES, 2009)

16 16 (HUGHES, 2009)

17 17

18 18

19 19

20 20

21 21

22 22

23 23 (Centeno, 2011)

24 24

25 25

26 26


Carregar ppt "1 Instituto Politécnico de Setúbal – Escola Superior de Saúde Pós-Graduação em Enfermagem Perioperatória Outubro, 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google