A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PARTIR DE JESUS CRISTO OLHAR JESUS COM ATENÇÃO (Doc. 94 da CNBB)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PARTIR DE JESUS CRISTO OLHAR JESUS COM ATENÇÃO (Doc. 94 da CNBB)"— Transcrição da apresentação:

1 PARTIR DE JESUS CRISTO OLHAR JESUS COM ATENÇÃO (Doc. 94 da CNBB)

2 2 Doc. 94 da CNBB Toda ação eclesial brota de Jesus Cristo e se volta para Ele e para o Reino do Pai. Jesus Cristo é nossa razão de ser, origem de nosso agir, motivo de nosso pensar e agir (nº 4). CRISTO: o centro da nossa fé. CRISTOLOGIA, o centro da Teologia.

3 3 Doc. 94 da CNBB Em atitude orante, contemplativa, fraterna e servidora, somos convidados a responder, antes de tudo, a nós mesmos: quem é Jesus Cristo? (n. 4) Mc 8,27-29 O que significa cristo para nós hoje?

4 4 CRISTO CRISTO >>> CHRISTÓS >>>MASHIAH (grego) (hebraico) O UNGIDO 1 Sam 9,37-10,1 >>>>> 1 Sam 26,7-11 Missão do rei: – manter união do povo; – garantir liberdade; – fazer justiça (= defender os pobres, fracos, viúvas)

5 5 EXPECTATIVA MESSIÂNICA A esperança dos judeus era que o messias instalaria o Reino de Deus, que é paz, felicidade, salvação. Is 52,7-11: Javé reinará em Sião Is 61,1-4: O Reino dos pobres Is 55,1-3: Um reino de fartura

6 6 Grupos político-religiosos da Judeia no sec. I: SADUCEUS Só aceitavam como Palavra de Deus, a Torá (equivale ao nosso Pentateuco); Defendiam que saúde, riqueza, bem-estar, eram a recompensa de Deus aos seus fiéis; Não aceitavam a ressurreição; Acomodados ao Império Romano

7 7 Grupos político-religiosos da Judeia no sec. I: FARISEUS (os separados; camaradas) Palavra de Deus = Torá, Profetas e Escritos; Tradição oral como fonte de verdade sobre a fé; Ressurreição dos mortos; Cumprimento rigoroso da Lei de Deus (Torá). Tinham um certo desprezo pelo povo analfabeto que, não podendo ler as Escrituras, não teria condições de alcançar a salvação.

8 8 Grupos político-religiosos da Judeia no sec. I: SICÁRIOS / ZELOTES Luta pela libertação da opressão romana e da opressão dos poderosos de sua terra ( saduceus, nobres, anciãos corruptos, etc.); O Messias estava próximo e seria o grande líder que os conduziria à vitória contra os romanos e restauraria o Reino de Israel.

9 9 Grupos político-religiosos da Judeia no sec. I: ESSÊNIOS Messias: o Servo de Deus, Sacerdote, Profeta e Rei que realizaria a Nova Aliança Toda a organização da sociedade estava errada; Os sacerdotes eram usurpadores do sacerdócio; Os saduceus tinham assassinado os verdadeiros sumos sacerdotes e tomado seu lugar; Só os filhos da luz (os essênios) participariam da Nova Aliança.

10 10 Grupos político-religiosos da Judeia no sec. I: ESSÊNIOS Haverá um Messias enviado por Deus que será o Servo de Deus, Sacerdote, Profeta e Rei; Toda a organização da sociedade estava errada; Os sacerdotes eram usurpadores do sacerdócio; Os saduceus tinham assassinado os verdadeiros sumos sacerdotes e tomado seu lugar;O Messias realizaria a Nova Aliança; Só os filhos da luz (os essênios) participariam da Nova Aliança.

11 11 EXPECTATIVA MESSIÂNICA No tempo de Jesus, a expectativa é que o messias viria libertar o povo de todas as opressões e explorações. Seria um rei: Forte e dominador; Expulsaria os romanos; Eliminaria os políticos corruptos; Garantiria alimento, segurança e paz para o povo.

12 12 SINAIS DO REINO Milagres: força (dynamis) obra (érgon) sêmeion (sinal) Lc 4,18-19; 7,18-23: os cegos veem. Jo 6,1-15: multiplicação dos pães

13 13 SINAIS DO REINO AS ATITUDES DE JESUS Come com os pecadores: Lc 19,1-9; Acolhe as crianças: Mc 10,13-16 Cura no Sábado: Lc 6,1ss Convive com pobres e pecadores: Lc 7,36-50.

14 14 Doc. 94 As atitudes de alteridade e gratuidade marcam a vida do discípulo missionário de todos os tempos. Alteridade se refere ao outro, ao próximo, àquele que, em Jesus Cristo, é meu irmão ou irmã… É o reconhecimento de que o outro é diferente de mim e esta diferença nos distingue mas não nos afasta (n. 8).

15 15 JESUS E A ALTERIDADE Numa sociedade de preconceitos, de divisões, de medos e superstições, Jesus aparece como um homem livre. As crianças são postas de lado, Jesus as acolhe. Trata as multidões, os doentes, os velhos com carinho, impondo a mão sobre eles e os curando. Jesus se relaciona livremente com as pessoas: aceita os almoços dos fariseus do mesmo modo que aceita os almoços dos publicanos. Jo 8,1-11 – o caso da mulher adúltera. Lc 7,36-50 – a mulher pecadora.

16 16 Doc. 94 Todo relacionamento é, igualmente, chamado a acontecer na gratuidade. À semelhança de Cristo Jesus que, saindo de si, foi ao encontro dos outros, nada esperando em troca (n. 9). Lc 10,25-37 – parábola do bom samaritano

17 17 O SERMÃO DA MONTANHA (Mt 5-7) O DISCURSO DA PLANÍCIE (Lc 6,20-49) 5,1-12: Os cidadãos do Reino; 5,13-16: Testemunhas do Reino; 5, 17-48: A Lei no Reino; 6,1-34: Nova postura no Reino; 7,1-23: Conselhos diversos; 7,24-29: Conclusão.... e a multidão ficou impressionada... Ele falava com autoridade.

18 18 JESUS O CRISTO A visão humana sobre o Cristo: Poder e domínio – Mt 20,20-28 Exclusão e punição – Lc 9,51-56 A visão de Jesus sobre o Cristo: Serviço e doação Inclusão e perdão As tentações de Jesus: Lc 4,1-13

19 19 JESUS O CRISTO Apesar dos ensinamentos de Jesus, as pessoas o viam como esperança ou ameaça. Mc 11,15-19 Jo 7,25-52 E ele acaba sendo condenado por isso: Mt 26,57-67; 27,

20 20 JESUS, O CRISTO ? CRUZFRACASSO (GOYA)

21 21 JESUS, O CRISTO ? Os judeus pedem sinais, e os gregos andam em busca de sabedoria; nós, porém, anunciamos Cristo crucificado, que para os judeus é escândalo, para os gentios é loucura... (1 Cor 1,22s.). Lc 24,13-32: Voltando pra casa - Emaús Mas os discípulos que haviam se escandalizado com o fracasso da cruz voltaram e testemunharam: JESUS É DE FATO O CRISTO!

22 22 A RESSURREIÇÃO At 1,14-36: 1º Discurso de Pedro. 1 Cor 15,1-11: O querigma Jo 20,1-18: Aparição às mulheres

23 23 A RESSURREIÇÃO A partir da ressurreição, tudo é iluminado: SUAS PALAVRAS SUAS ATITUDES SEUS MILAGRES SOBRETUDO SUA MORTE

24 24 A RESSURREIÇÃO Rom 5,19: Como pela desobediência de um só homem, todos se tornaram pecadores, assim pela obediência de um só, todos se tornaram justos. ADÃO diz não ao projeto de Deus. JESUS diz sim – até as últimas consequências. Como Jesus via sua missão: Mc 12,1-12.

25 25 A RESSURREIÇÃO... E... creram finalmente que Jesus era... Mt 16,13-20 Jo 20,24-28 Jo 1,1-14 Flp 2,1-11

26 26 E NÓS SOMOS TESTEMUNHAS DE SUA RESSURREIÇÃO: DE QUE JESUS ESTÁ VIVO NA GLÓRIA DO PAI E, SIMULTANEAMENTE, NO MEIO DE NÓS.

27 27 A NOSSA CONVERSÃO PASTORAL CONSISTE EM TER AS MESMAS ATITUDES DE JESUS FRENTE ÀS PESSOAS E SITUAÇÕES DE NOSSO TEMPO.

28 28 MUITO OBRIGADO E BOM TRABALHO PASTORAL PRA VOCÊS!


Carregar ppt "PARTIR DE JESUS CRISTO OLHAR JESUS COM ATENÇÃO (Doc. 94 da CNBB)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google