A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Escolas Estaduais do Rio de Janeiro Percepções e Expectativas de Alunos Pesquisa Quantitativa Dezembro 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Escolas Estaduais do Rio de Janeiro Percepções e Expectativas de Alunos Pesquisa Quantitativa Dezembro 2011."— Transcrição da apresentação:

1 Escolas Estaduais do Rio de Janeiro Percepções e Expectativas de Alunos Pesquisa Quantitativa Dezembro 2011

2 OBJETIVO Identificar percepções e expectativas do aluno do Ensino Médio público estadual. UNIVERSO Pesquisa quantitativa: alunos do Ensino Médio público do estado do Rio de Janeiro e responsáveis.

3 METODOLOGIA Pesquisa Quantitativa, com realização de entrevistas com alunos do Ensino Médio estadual em dezembro de Cotas proporcionais à quantidade de alunos por região do estado, por sexo e série do Ensino Médio. A amostra foi elaborada a partir de dados fornecidos pela Secretaria Estadual de Educação. A margem de erro de referência máxima para a pesquisa com alunos é de 1,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

4 Perfil do Aluno

5 5

6 6 56% são do sexo feminino 80% com no máximo 18 anos de idade: No 1º ano, 60% têm até 16 anos e 78% até 17 anos No 2º ano, 61% têm até 17 e 79% até 18 No 3º ano, 66% têm até 18 e 79% até 19

7 7 Grau de Instrução dos Responsáveis Há grande semelhança entre o grau de instrução do pai e da mãe. Comparativamente, de 2008 para 2011, passa de 40% para 45% os pais que possuem ao menos nível médio, e de 41% para 48% as mães.

8 8 84% moram com ao menos um dos pais; 27% unicamente com a mãe 54% com ambos 7% moram com outro parente; 6% moram com cônjuge; 2% sozinhos; 9% têm filhos

9 9 Entes as Meninas 12% x entre os Meninos 5% Dos alunos do 1º ano: 8% têm filhos Do 2º ano: 9% Do 3º ano: 12% Até 3ª série do Fundamental: 21% Da 4ª à 7ª Fundamental: 11% Da 8ª fund. Ao 2º ano do Médio: 7% Ao menos Médio completo:5% Sobre o total: Grau de instrução dos pais: 21% dos alunos cujos pais têm nível de instrução mais baixa têm filhos, contra 5% dos alunos cujos pais têm instrução mais alta:

10 10 Quanto menor o grau de instrução dos pais, maior o percentual de alunos com idade superior a 18 anos 37% dos alunos com pais c/ até 3ª série do Fundamental 22% com pais da 4ª à 7ª Fundamental 15% com pais da 8ª fund. ao 2º ano do Médio 12% com pais c/ ao menos o Médio completo

11 11 A posse de celular entre os alunos do Ensino Médio da rede estadual sobe de 76% em dezembro de 2008 para 93% em dezembro de 2011.

12 12 92% têm acesso frequente a computador com internet – índice bastante semelhante ao de 3 anos atrás. Do total de alunos, acessam: (A soma ultrapassa 100% em virtude de alunos que têm múltiplos acessos)

13 13 Embora o percentual de alunos que acessam a internet se mantenha, a posse de computador sobe bastante, de 55% para 78%. A banda larga que antes chegava a 24% das residências de alunos, agora mais do que dobra: está presente em 59%. Na capital chega a 71%, na periferia 56%, caindo para 46% no interior

14 14 51% dos alunos leram de 0 a 3 livros nos últimos 5 anos. Ainda que o índice não seja positivo, melhorou em relação a 3 anos atrás, quando era de 63%. 32% leram mais de 5 livros em 5 anos contra 21% em Leitura Nos últimos 5 anos

15 15 Não leram livros nos últimos 5 anos: 18% dos homens 10% das mulheres 17% no interior 12% na Região Metropolitana O percentual dos que não leram livros pouco oscila em função do grau de instrução dos pais

16 Relação com a Escola e os Estudos

17 17 O ensino público Médio estadual é bem avaliado por 67% dos alunos. Para 13% é excelente, enquanto que para 54% é bom. Apenas 4% o avaliam negativamente. Qualidade do Ensino

18 18 Para 51% o ensino melhorou no último ano. Para 32% a qualidade não se alterou, enquanto que para 15% piorou. A percepção de queda na qualidade aumenta um pouco junto a alunos do 1º ano: 20%. Ensino 2010 x 2011

19 19 86% dos alunos gostam de ir para a escola. Junto a alunos do 3º ano esse percentual aumenta para 91%, enquanto cai para 83% junto a alunos do 1º ano. O resultado se encontra em um patamar semelhante ao de Gostar da Escola

20 20 Em relação à pesquisa anterior, sobe de 80% para 85% o percentual dos que nunca interromperam os estudos 8% interromperam durante o Fundamental 7% interromperam durante o Ensino Médio 11% no interior 13% na periferia 18% na capital 31% dos alunos cujos pais têm nível de instrução mais baixo – até 3a série fundamental - já interromperam os estudos e retornaram à escola O percentual cai para 14% entre os alunos com pais que estudaram até o antigo Primário ou Ginasial E cai para 9% entre os alunos com pais que possuem ao menos o Ensino Médio completo

21 21 Predisposição à conclusão do Ensino Médio Se mantém em 95% o percentual dos que pretendem concluir o Ensino Médio.

22 22 Na opinião dos alunos, quem conclui o Ensino Médio: Não tem qualquer vantagem Só tem de melhor o diploma Tem mais conhecimento 84% 13% 3% % 11% 4% Há amplo reconhecimento de que quem conclui o Ensino Médio alcança maior conhecimento. O resultado é bastante semelhante ao de 2008.

23 23 Melhorias Avaliação das Escolas

24 24 Levados a apontar até 3 matérias consideradas mais importantes para a vida pessoal, 86% mencionam Português e 80% Matemática. Em 3º lugar, Língua estrangeira, eleita com 52%. Na faixa de 37% História e Biologia. De modo oposto, em ordem, Artes, Religião e Filosofia são as menos importantes para mais de 35%, seguidas por Sociologia e Educação Física. X

25 Testes de Aceitação de Projetos

26 Ensino Médio Integrado Caso todos estivessem cursando o Ensino Médio, 85% estariam predispostos a cursar o Ensino Médio Integrado (com curso de capacitação profissional). No interior os interessados chegam a 90%. O interesse cai diante da lembrança de que é necessário ficar mais horas na escola para fazer o curso. Cai para 79% diante da hipótese de 1 hora adicional. Cai para 71% pensando em 2 horas. Diante da hipótese de 3h adicionais, cai para 57%. Apesar de elevado, o interesse inicial cai um pouco em relação a 3 anos atrás, quando era de 93% - contra os atuais 85%. Os que tinham muito interesse eram 62%, passando a 50%.

27 27 Interesse por cursos Quanto aos cursos que exercem maior atratividade, considerando as três primeiras opções, dois cursos atraem mais de 20% dos alunos de todas as regiões: Montagem e manutenção de computadores e Profissionalizante de administração. Um pouco abaixo na escala de preferências, mas ainda com índices superiores a 20%, na capital e na periferia se destacam: Técnico em enfermagem e Turismo e hotelaria. Na capital Qualificação em informática (sistema operacional, planilhas, etc). No interior, Mecânica e Plataformista- considerando 3 opções, o interesse pelo curso sobe para 16% no total, chegando a 24% no Interior. Na periferia, Artes e música.

28 28 Interesse por cursos – resultado global *sistema operacional, planilhas eletrônicas, etc

29 29 Interesse por cursos

30 30 Principais cursos de Interesse – resultado por região

31 31 Expectativas quanto a medidas De um conjunto de possíveis medidas de serem implementadas, as duas que mais se destacam se referem a profissionalização: 51% têm expectativas por cursos profissionalizantes e 47% pelo estabelecimento de convênios de estágios entre a escola e empresas. Embora recebam notas não muito elevadas, considera-se que melhoraram no último ano. Ainda assim, permanecem expectativas de que os professores continuem aprimorando e mudem o jeito de ensinar, buscando linguagem e métodos mais modernos, atualizados, ajustados aos dias de hoje. Também permanecem os anseios de que expliquem melhor as matérias.

32 32 Expectativas quanto a medidas Outra medida bem avaliada é a orientação vocacional. Vale registrar que ter uma biblioteca ou sala de leitura na escola aparece em último lugar provavelmente pelo fato de que, como mostra a pesquisa, muitas escolas já possuem espaços dessa natureza. Não há diferença significativa na expectativa por este quesito nos últimos 3 anos.

33 33 Expectativas quanto a medidas

34 34 Expectativas quanto a medidas

35 35 Instrumentos de Avaliação 73% concordam com a idéia de que deveria haver mais fiscalizações e outras formas de avaliar a qualidade do ensino nas escolas 90% afirmam ter conhecimento de que avaliações como Saerj e Saerjinho foram criadas para cumprir esse papel (de avaliar a qualidade do ensino das escolas). 73% são favoráveis a tais avaliações, enquanto 19% são contrários. Saerj e Saerjinho servem para avaliar a qualidade do ensino em cada escola

36 ESTIMULARIA Prêmio em viagem para os melhores alunos das escolas que se saírem melhor na prova 86% Sorteio de computadores para alunos das escolas que se saírem melhor na prova 84% As escolas que se saírem melhor na prova ganharem computadores, projetores e equipamentos 83% O aluno que tiver uma nota acima da média global da prova ganhar 1 ou 2 pontos na escola * 76% Prêmio em viagem para alunos das escolas que se saírem melhor na prova – os alunos seriam escolhidos por sorteio 67% NÃO ESTIMULARIA 10% 12% 16% 27% Estímulos Saerj e Saerjinho * Lembrando que hoje tem escola que dá ponto para quem faz a prova, independentemente da nota do aluno, e que isso a princípio não será mais permitido

37 CONCORDAM Estudar é fundamental para se buscar uma melhor condição de vida 98% O bom professor é o que interage com a turma 94% O Enem é uma importante oportunidade para se tentar entrar na faculdade 91% Deveria ter mais fiscalizações e outras formas de avaliar a qualidade do ensino nas escolas 73% Passar de ano não é difícil 62% DISCORDAM 1% 3% 4% 16% 25% Teste de argumentação

38 CONCORDAM 30% 25% 13% A maioria dos professores da sua escola não faz questão de ensinar 9% DISCORDAM 45% 58% 74% 79% Teste de argumentação Na minha escola tem bastante professor que sabe menos inglês ou informática do que a maioria dos alunos A maioria dos professores fica escrevendo a aula no quadro negro a maior parte do tempo A maioria dos professores da sua escola não se mostra interessada em dar aula Na minha escola deveria haver uma disciplina mais rígida 41%44%

39 Outras Questões

40 40 Segundo os alunos, os pais em maior grau exercem cobranças do que efetivamente participam da vida escolar, comparecendo a reuniões, acompanhando as notas ou verificando se realmente os filhos comparecem à aula. Segundo os alunos, 36% dos responsáveis não têm o hábito de ir a reuniões na escola. Na capital sobe para 42%, caindo para cerca de 30% na Periferia e no Interior. Cerca de 79% exigem que seus filhos não tirem notas ruins e que estudem. Entretanto, cai um pouco o percentual dos que habitualmente acompanham as notas, 72% - 21% não têm tal hábito. 82% cotidianamente exigem a presença na escola. Entretanto 35% não costumam verificar se o filho realmente foi para a escola.

41 41 Exigências de Pais/Responsáveis

42 42 Sucesso x Fracasso de uma escola Responsáveis 52% 40% 25% 45% 35% Quando indagados sobre os dois principais atores responsáveis por um possível sucesso ou fracasso de uma escola, em 1º lugar o estado, depois os alunos, em terceiro os professores e em 4º diretores. O Secretário de Educação é o que aparece com menor percentual.

43 43 O Futuro A intenção de cursar uma faculdade sobe de 58% em 2008 para 66% em Aumenta também o percentual de alunos que pretendem trabalhar após a conclusão do Ensino Médio, de 47% para 55%; bem como os que pretendem fazer um curso técnico ou profissionalizante, chegando a 46%; e o interesse por outros cursos, como de idiomas, embora seja o mais baixo, triplica.

44 44 Bullying Apenas 4% dos alunos consideram o bullying uma prática inteiramente normal ou parcialmente normal e que não merece intervenção da escola. São 74% os que consideram que a escola deveria intervir necessariamente – sendo que para 68% esse tipo de ato é inteiramente inaceitável. Para outros 20%, dependendo do caso deveria haver intervenção por parte da escola.


Carregar ppt "Escolas Estaduais do Rio de Janeiro Percepções e Expectativas de Alunos Pesquisa Quantitativa Dezembro 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google