A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Manifestações infanto- juvenis da infecção pelo HTLV-1 Alexandra Prufer de Q. C. Araujo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Manifestações infanto- juvenis da infecção pelo HTLV-1 Alexandra Prufer de Q. C. Araujo."— Transcrição da apresentação:

1 Manifestações infanto- juvenis da infecção pelo HTLV-1 Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

2

3 Revisão na literatura Child + HTLV = 320 artigos ( ) J Pediatr Early neurologic abnormalities associated with human T-cell lymphotropic virus type 1 infection in a cohort of Peruvian children. Kendall EA, González E, Espinoza I, Tipismana M, Verdonck K, Clark D, Vermund SH, Gotuzzo E. J Pediatr (Rio J) Manifestations of the human T-cell lymphotropic virus type I infection in childhood and adolescence. Bittencourt AL, Primo J, Oliveira MF. Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

4 Introdução Infecção pelo HTLV-I estimada 10 to 20 milhões no mundo. Doenças relacionadas: – Leucemia-linfoma de células T do adulto – Mielopatia associada ao HTLV-I / paraparesia espástica tropical Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

5 Epidemiologia Soroprevalência aumenta com idade Mulheres > homens (acima de 30 anos) Taxa de soroprevalência em gestantes 5% (Japão) Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

6 Transmissão Leite materno (pelos linfócitos do LM) – Antígeno do HTLV-I presente no LM de mulheres infectadas; – Modelos animais comprovam transmissão por esta via ; – Risco de infecção LM > artificial – LM > 1 ano aumenta em 4 x o risco de infecção da criança Risco de transmissão pelo LM estimado de 16 a 30 % Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

7 Transmissão Quanto mais prolongado LM maior o risco – Mais de 7 meses taxa de soroconversão HTLV-I of 14.4 %, – Até 6 meses soroconversão equivalente ao aleitamento artificial (4.4 e 5.7 %, respectivamente) Carga proviral, HLA Proteção dos anticorpos maternos nos primeiros meses Congelar e descongelar LM pode reduzir a transmissão Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

8 Transmissão Transmissão vertical por outra via – 3 a 4 % das crianças infectadas nascidas de mães infectadas que receberam aleitamento artificial – 0.6 % no primeiro ano e 4.6 % ao final do segundo ano de vida, sem novas soroconversões até os 10 anos Via? – Provirus HTLV-I no sangue do cordão e saliva materna, – Sem evidências convincentes Estudo prospectivo (7 RN com provirus no cordão) soronegativas aos 2 anos Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

9 Manifestações do HTLV em crianças e adolescentes Mielopatia Dermatite infectiva ATL Outros: uveíte, polimiosite, alveolite linfocítica, púrpura trombocitopênica Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

10 Clin Infect Dis Jul 15;35(2): Epub 2002 Jun 24. Juvenile human T lymphotropic virus type 1-associated myelopathy. Araújo AP, Fontenelle LM, Pádua PA, Maia Filho HS, Araújo Ade Q. Abstract We report the cases of 5 adolescents with human T lymphotropic virus type 1-associated myelopathy/tropical spastic paraparesis, acquired in all but 1 case from the mother. The first symptom in all patients was difficulty in running, which was present for many years before the final diagnosis was made. Follow-up showed an indolent progression, regardless of treatment strategy. Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

11 Mielopatia HAM/TSP é relatado em crianças Suspeitar nas áreas endêmicas se: – Dificuldades parta correr – Dor nas pernas ou lombar crônica – Dermatite – Baixa estatura – História de LM ou transfusão sem triagem para HTLV Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

12

13

14

15 Dermatite Infectiva Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

16 Dermatite Infectiva Início no pré-escolar com tendência para melhora com idade Série de 42 casos (Brasil) – Idade média de início 2.6 anos (2 meses a 11 anos), – 1/3 de início no primeiro ano, remissão em 36 % aos 15 anos. Erupção eczematosa exudativa Couro cabeludo, retroauricular, face, axilas, pernas Descarga nasal, lesões crostosas nas abas nasais, linfadenopatia HTLV-1 + Staphylococcus aureus ou streptococcius beta hemolítico Associação com HAM/TSP Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

17 ATL Idade média 42 a 49 anos Há casos descritos em crianças e adolescentes Pele, linfonodos, fígado, baço, medula óssea Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

18 Guia de Manejo Clínico do Paciente com HTLV Aconselhamento e Orientação a Portadores da Infecção por HTLV-I/II Indivíduos que apresentarem sorologia positiva ou indeterminada para infecção por HTLV- I/II devem ser orientados sobre o significado da soropositividade para o HTLV e sobre o potencial evolutivo desta infecção. Além disso, devem ser aconselhados a evitar a transmissão inter-humana dos vírus. Os portadores devem ser orientados a: a) abster-se da doação de sangue, órgãos, leite ou esperma; b) abster-se do uso compartilhado de agulhas, seringas ou outros objetos perfurocortantes; c) discutir com seus parceiros(as) sexuais a transmissão da infecção por esta via e a adoção de medidas preventivas, como uso de preservativos; d) evitar o aleitamento materno, buscando garantir a nutrição do lactente através de aleitamento artificial; e) todos os filhos de mulheres infectadas devem ser testados. Para casais discordantes que desejam ter filhos, ainda não há recomendações consolidadas. Os pacientes devem encontrar espaço necessário Alexandra Prufer de Q. C. Araujo

19

20 Obrigada


Carregar ppt "Manifestações infanto- juvenis da infecção pelo HTLV-1 Alexandra Prufer de Q. C. Araujo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google