A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

S UBUNIDADE 4 - V ÍDEO Escola Secundária de Cantanhede Aplicações Informáticas B Abril de 2013 U NIDADE 4 – U TILIZAÇÃO DOS SISTEMAS M ULTIMÉDIA 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "S UBUNIDADE 4 - V ÍDEO Escola Secundária de Cantanhede Aplicações Informáticas B Abril de 2013 U NIDADE 4 – U TILIZAÇÃO DOS SISTEMAS M ULTIMÉDIA 1."— Transcrição da apresentação:

1 S UBUNIDADE 4 - V ÍDEO Escola Secundária de Cantanhede Aplicações Informáticas B Abril de 2013 U NIDADE 4 – U TILIZAÇÃO DOS SISTEMAS M ULTIMÉDIA 1

2 R ECORDAR … O vídeo corresponde a um conjunto de imagens, também conhecidas por fotogramas ou frames. O número de frames apresentadas por segundo (fps) designa-se por frame rate. O vídeo pode ser apresentado no formato analógico (criado por uma câmara de vídeo analógica ou através do sinal de um canal de televisão analógico). O formato digital corresponde, por exemplo, ao vídeo criado por uma câmara de vídeo digital ou ao sinal da emissão de um canal de televisão digital. A animação corresponde ao movimento sequencial de um conjunto de gráficos no formato digital, que vão sofrendo alterações ao longo do tempo. A animação é geralmente produzida no computador através de software específico. 2

3 A QUISIÇÃO, EDIÇÃO E REPRODUÇÃO DE VÍDEO Os valores de 24, 25 e 30 frames por segundo (fps) são os mais utilizados na produção e edição de imagens em movimento. Enquanto a televisão mostra imagens com frame rate de 25 ou 30 fps, a maior parte dos filmes mostra 24 fps, enquanto um vídeo da Web mostra imagens com uma frame rate de 15fps ou até menos. Uma imagem para ser visionada numa televisão ou num monitor, tem de ser construída ponto a ponto, segundo linhas horizontais e de cima para baixo, de maneira a formar cada uma das frames. Pode haver entrelaçamento onde as imagens são formadas pelo desenho alternado das linhas pares e ímpares. 3

4 4

5 A QUISIÇÃO, EDIÇÃO E REPRODUÇÃO DE VÍDEO Nas imagens de vídeo temos de considerar também o aspect ratio, que corresponde à razão entre a largura e a altura das imagens mostradas. 4:3 na maioria das televisões ou monitores (vídeos com 640x480 ou 320x240 píxeis são exemplos com resolução 4:3) 16:9 em filmes, DVD e Televisão de Alta Definição (as imagens de vídeo têm 720x480 píxeis) Principais operações relacionadas com a manipulação vídeo: Na aquisição, as imagens de vídeo são capturadas diretamente de uma câmara de vídeo digital ou analógica. No primeiro caso obtém-se diretamente um vídeo digital. No segundo é necessário depois digitalizá-lo através de uma conversão analógica digital. Através da síntese em computador é possível animar um conjunto de imagens e obter, também, uma sequência de imagens de vídeo digital. Na edição qualquer vídeo pode ser modificado e transformado noutros formatos. Na reprodução pode ser visualizado. 5

6 F ORMATOS DE VÍDEO - A NALÓGICOS Os standards analógicos são mais antigos e referem–se aos sinais utilizados pela televisão. São três os standards analógicos mais usados: O PAL, o NTSC e o SECAM. O formato PAL, é o mais utilizado na Europa ocidental e em alguns países da ásia e define os sinais de vídeo composto com 25fps, 625 linhas de varrimento horizontal. O formato NTSC é mais utilizado nos EUA, América central e Japão, define os sinais de vídeo composto por 30fps, 525 linhas de varrimento, neste formato, assim como no formato PAL, a informação do brilho, da cor e da sincronização é codificada num único sinal, mas a forma de codificação da cor é diferente da do PAL. O formato SECAM é uma norma de televisão desenvolvida em França e utilizada na europa oriental, na Rússia, no Médio Oriente e nas caraíbas. Este formato define os sinais de vídeo composto com 25fps, 625 linhas de varrimento. Codifica num único sinal a informação do brilho. Utiliza um método diferente do utilizado pelo formato PAL para a codificação da cor, baseando-se na transmissão de diferentes cores em linhas alternadas 6

7 F ORMATOS DE VÍDEO - D IGITAIS Os standards digitais referem-se aos formatos usados na digitalização (usando também as fases de amostragem, quantização e codificação) e reprodução de vídeo. O vídeo digital pode ser apresentado e manipulado em computadores, utilizando formatos MPEG e codec vídeo como DivX. Alguns formatos standards digitais usados: O formato AVI para ficheiros de vídeo foi desenvolvido pela Microsoft para conjugar áudio e vídeo. Extensão é avi. O formato MOV foi desenvolvido pela Apple permite criar, editar, publicar e visualizar ficheiros de multimédia para além do vídeo, como animação, gráficos 3D e realidade virtual. Extensões são mov, moov e qt. O formato FLA (flash) foi desenvolvido pela Macromedia. Os ficheiros neste formato incluem imagens vetoriais para utilizar em animações, timelines de controlo da reprodução das animações e som. Podem incluir também vídeo bitmapped e ActionScripts para maior interatividade. A extensão editável é fla. O formato swf é o formato executável para a Web. Para receber a Televisão Digital Terrestre TDT, necessita de ter equipamento compatível com a tecnologia DVB-T (Digital Video Broadcasting Terrestrial) e com a norma MPEG-4/H

8 C OMPRESSÃO A necessidade de compressão do vídeo surge da crescente divulgação por diversos meios (suportes digitais, Internet e comunicações móveis) com capacidades de armazenamento ou transmissão limitadas. codecs Como no áudio, os codecs ( CO mpression/ DEC ompression ) são algoritmos implementados sob a forma de programas que permitem comprimir e descomprimir os ficheiros de áudio e de vídeo. COMPRESSÃO de vídeo resulta de resulta da eliminação de informação redundante. Pode ser efetuada logo na criação do vídeo, sendo escolhido um formato já comprimido ou convertendo um formato não comprimido para comprimido. SEM PERDA no caso do vídeo é possível mas na prática não é usada. COM PERDA de informação, ficheiros menores, onde são removidos dados desnecessários. Formatos: MPEG (1, 2 e 4), OGG (Theora) Open Source para Linux criado para competir com o MPEG-4, DivX recente está para video como mp3 para música, Sorenson (Sorenson Video Codec 3 ou SVQ3) da Apple. 8

9 S OFTWARE 9

10 10 Software De Edição De Conversão De Reprodução De gravação em suporte óptico DescriçãoFormatosLocal Windows Movie Maker xxxxPermite importar vídeos de camaras digitais e analógicas para o computador. A partir de um conjunto de videodips, o utilizador pode, manualmente ou através da opção AutoMovie, criar um filme. asf, avi, m1v, mp2, rnp2v, mpe, mpeg, mpg, mpv2, wm, wmv Windows Superintern et Tv XxA partir de uma lista de estacoes de televisão e vídeos disponíveis pela Internet e possível selecionar o que se pretende ver. mpeg, aviwww.ahusoft.c om/ super- internet-tv Virtual Dub xxPermite, entre outras operações, comprimir, importar, processar e exportar vídeo. avihttp://virtuald ub. sourceforge.ne t Blaze Media Pro xxxxÉ um programa completo que permite editar, converter, construir e gravar ficheiros de vídeo e também de áudio. mp3, wav, wma ogg, rnpeg-4, aiff, m4a, aac, 3c3, flac, abc, avi, mpeg-1, mpeg-2. wmv, Divx Player XReproduz vídeos.avi, divx, div, tix, qt, mov, npg, mpe, rnpeg, mlv, vob, dat, dv, asf, wmv, mkv, ogrn en/win

11 S OFTWARE 11 Software De Edição De Conversão De Reprodução De gravação em suporte óptico DescriçãoFormatosLocal DivX Converter x Converte para divx vários formatos de video. avi, vob, wmv, mpeg, divx n/win Adobe Premiere x Programa completo e direcionado para a edição de vídeo aviwww.adobe.com / downloads Windows Media Player X Reproduz vídeos. wrn, asf, mpg, mpe, mlv, mp2, avi, wmv, mpeg, vob, swf Windows VideoStudio xxxxÉ um programa completo que permite editar, converter, construir e gravar ficheiros de vídeo. avi, wmv, mov, qt, mpeg1, mpeg2, mpeg4. asf servlet/ satelite/gb/en/C ontent/ VR Worx xÉ um programa que permite criar filmes panoramicos, de objec- tos e cenas, a partir de fotografias orx, otx, prx, ptx, srx, stx vjww.vrtooibox. com VLC xx É um programa capaz de ler vários formatos de vídeo e áudio, assim como converter ficheiros noutros formatos. MPEG-2, MPE6- 4,divx, MPEG-1, mp3, oqa,aac rg/vLc

12 T AREFAS Hoje, sexta e terça: Com o Movie Maker realizar um vídeo (cerca de 3 minutos de duração) com um tema à tua escolha mas que contenha fotografias e capturas vídeo tuas (grava vídeos com telemóvel, máquina de filmar ou fotográfica). Com o programa Photostory3, criar um vídeo com fotografias sobre um determinado acontecimento, atividade, encontro, etc. Terça abordaremos o programa de captura das operações (imagem e vídeo) realizadas no computador (programa Jing) que poderão utilizar no vosso vídeo. TPC para sexta dia 3: Instalar Jing em casa para fazerem screencasts. Por exemplo: como funciona ou truques dos programas Sony Vegas Pro, Adobe Premiere ou Photoshop. Ou como se faz a limpeza de disco, ou outra operação no computador. 12

13 B IBLIOGRAFIA Fonseca, D., Pacheco, D., Marques, F., & Soares, R. Aplicações Informáticas B 12.º Ano. Porto Editora. 13


Carregar ppt "S UBUNIDADE 4 - V ÍDEO Escola Secundária de Cantanhede Aplicações Informáticas B Abril de 2013 U NIDADE 4 – U TILIZAÇÃO DOS SISTEMAS M ULTIMÉDIA 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google