A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cistos dos Maxilares QUISTES DE LOS MAXILARES Dr. Benjamín Martínez R. Facultad de Odontología Universidad Mayor Santiago – Chile patoral.umayor.cl.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cistos dos Maxilares QUISTES DE LOS MAXILARES Dr. Benjamín Martínez R. Facultad de Odontología Universidad Mayor Santiago – Chile patoral.umayor.cl."— Transcrição da apresentação:

1 Cistos dos Maxilares QUISTES DE LOS MAXILARES Dr. Benjamín Martínez R. Facultad de Odontología Universidad Mayor Santiago – Chile patoral.umayor.cl

2 Diagnóstico de lesiones de os ossos maxilares Histopatologia RX Imagens Clínica Outros Examineis de lab Seguimento

3 Bibliografía 1. Regesi, Sciubba, Jordan. Oral Pathology: Clinical Pathology Correlations, Neville, Damm, Allen, Bouqout. Oral & Maxillofacial Pathology, Shear M. Cysts of the oral regions, 4ª. Ed, por publicarse, Blackwell, junio 2007.

4 Lámina dentaria Restos de Serres Epit. Int. orgão do E. Bainha epit. Radicular de Hertwig, origem do Restos de Malassez

5 Freqüência dos cistos maxilares (Crepo) TIPO n % C radicular143151,3 C dentígero 43817,4 Queratocisto 37413,4 C residual 36913,2 C paradentario 87 3,1 Outros 23 1,6 TOTAL ,0

6 Cisto Radicular % de todos os cistos - Regiões mais freqüente - Maxila: anterior > posterior - Mandíbula: posterior > anterior - Idade : 3°-7° décadas - Assintomático, achado radiográfico

7 Distribuição dos cistos radiculares

8 Mecanismos involucrados en el crecimiento de los quistes (Soames, 2005) Lumen quísticoPared quística Contenido hipertónicoMembrana semipermeable Alto Gradiente Osmótica Bajo Movimiento de agua Presión hidrostáticaExpansión Exudado inflamatorio Productos celulares

9 Marcadores de proliferação em cistos MarcadorQC (n) ± ds CD (n) ± ds CR (n) ± ds Ref. Bib. PCNA* (11) 94,4 ± 22,7(10) 5,1 ± 3,0(10) 11,0 ± 4,1(Li et al, J. Oral Pathol 23: 184, 1999). p53* (11) 25,5 ± 11,0(5) 9,3 ± 4,9(5) 6,7 ± 2,6(Li et al, J. Oral Pathol 25: 249, 1996). TGFa* n / total (%) 24 / 27 (89%) n / total (%) 5 / 10 (50%) n / total (%) 5 / 10 (50%) (Li et al, Mol Pathol 50: 21, 1997). * p < 0,05QC: Queratocisto; CD: c dentígero; CR: c radicular

10 Cisto Paradentário -Homem (56%), idade x: 26 a. -Terceiros molares inferiores -Antecedente de pericoronaritis - Associada à erupção parcial da peça dentaria

11 Philipsen, Reichart, Ogawa, et al. The inflammatory paradental cyst: a critical review of 342 cases from a literature survey, including 17 cases from the authors files. J Oral Pathol Med 2004; 33: 147. Em distal ou disto-vest dos molares vitais, com historia de pericoronaritis (3er molar: 65%). Zona idade media n 1M 8,7 a M 17,4 a M 27,6 a.

12 Cisto folicular inflamatório Compromisso inflamatório do folículo do pré- molar associado geralmente ao molar decíduo tratado endodonticamente Idade: 1ª década (8-12 anos) Região: mandíbula (2º molar decíduo) Tratamento exodoncia Peça decídua ¿cistectomia?

13 Distribuição do CFI, CMvI e CPar

14 Cisto folicular inflamatório (Rinsche, Martínez, 2003) n = 51, Idade x ± DS: 10,5 ± 1,9 anos Distribuição por gênero: H (33) : M (18) H:M = 1,8 H: 65%, M: 35% Localização: Corpo mandibular direito : 12 (29%) Corpo mandibular esquerdo : 20 (48%) Maxila direita: 3 ( 7%) Maxila esquerda: 7 (17%)

15 Cisto odontogênico do desenvolvimento Cisto dentígero Cisto de erupção Queratocisto Cisto gengival do (alveolar) recém nascido Cisto gingival do adulto Cisto periodontal lateral Cisto odontogênico calcificante Cisto odontogênico glandular

16 Cisto dentígero Patogênese: -Degeneração do retículo estrelado do órgão do esmalte. -Tem acúmulo de líquido entre o epitélio reduzido do esmalte e a coroa do dente

17 Cisto dentígero 20% de todos os cistos Localização: 3º molar inferior e canino superior Idade: anos Gênero: 1.6: 1= H : M Clínica: ocasionalmente assintomático; expansão de tabuas

18 Queratocisto Origem: restos epiteliais da lâmina dental Patogenia: Crescimento tem relação com fatores desconhecido, próprio do mesmo epitélio cístico ou atividade enzimática da parede fibrosa

19 Queratocisto Queratocisto 10 – 12 % dos cistos do desenvolvimento Idade: anos (60%) Gênero: Preferência por homem Região: mandíbula 60-80% (Corpo posterior, rama) Clínica: ausente (tamanho pequeno), dor, aumento de volume, fístula (maior tamanho) ASPECTO RX VARIADO

20 Importância do Ceratocisto Algumas vezes de grão tamanho Rx: Se confunde com outras lesões A presença de recidiva é freqüente Múltiplo CC: associa-se ao SCNB

21 Ceratocisto 25 – 40% associados a dentes inclusos

22 Síndrome do Carcinoma Nevóide Basocelular (SCNB) (S. GORLIN) Autossômica dominante Penetrância completa Expressividade variada 35-50% nova mutação RJ Gorlin

23 Característica SCNB Freqüência >50% - Carcinomas basocelulares - Queratocistos - Cistos epidermóides da pele - Disceratose palmoplantar - Calcificação da foice cerebral - Macrocefalia (aumento da.. circunferência da cabeza) - Anomalias das costelas - Hipertelorismo leve - Costelas bífidas cervical ou. torácica Freqüência 15 a 49% - Fibromas ováricos calcificados - 4º metacarpo curto - Cifoescolioses - Pectus Excavatum - Estrabismo Freqüência <15% - meduloblastoma - Meningioma - Fibromas cardíacos - Aspecto Marfanoide - Fenda palatina ou labial - Atraso mental - Hipogonadismo

24 Critério para diagnosticar o S. de Golin (Kimonis et al, 1997) O diagnóstico se fundamenta na presença de dois critérios maiores ou um maior e dois menores

25 Critérios Maiores Presença de dois ou mais carcinomas basocelulares, ou um em menores de 20 anos. Presença de ceratocistos demonstrado com estudos histológico Presença de três ou mais depressões palmo- plantares (Pits) Presença de calcificação bilaminar da foice cerebral Costelas bífidas, fundidas ou expandida Familiar em primeiro grau com SCNB

26 Origem S de Gorlin Mutação no gene supressor do tumor na 9q22.3 (PTCH) ( melhor: regulador do ciclo celular) - Gene: regula ciclo celular detendo divisão celular Inativação do gene superior, precisa dois golpes - Primeiro golpe: mutação num alelo, AD (sem fenótipo) - Segundo golpe: perda de outro alelo ou perda da característica de heterozigoto pela: * Deleção * Não disjunção mitótica * Recombinação mitótica

27 Queratocistos no SCNB Número de cc: 1 a 30, x = 6 Idade do inicio: 15 anos Relação Mand:Max = 3:1

28 Cisto Periodontal Lateral Cisto localizado na face lateral ou entre a raízes das peças dentarias vitais e origina-se dos restos epiteliais odontogênico, mais não é resultado de uma estimulação inflamaria

29 Cisto Periodontal Lateral Localização PM inferior e região ântero-superior Clinica: assintomática, geralmente achado radiográfico Idade: depôs dos 30 anos Gênero: de preferência em homens Diagnostico Diferencial: Ceratocisto colateral, cisto gengival do adulto, cisto radicular

30 Cisto Gingival do Adulto Cisto se - origina dos remanescentes epiteliais odontogênico e comprometam a gengiva dos adultos

31 Cisto do desenvolvimento não odontogênico Cisto glóbulo maxilar (eliminado) Cisto do ducto nasopalatino (canal incisivo) (cisto palatino mediano ou alveolar mediano) Cisto nasolabial (nasoalveolar)

32 Cisto Nasopalatino Idade: 4ª - 6ª década Clínica: divergência dos incisivos, aumento do volume da porção anterior do paladar duro, flutuação. Assintomático a maioria das vezes. Tamanho: 1,5 cm Variedade extra - ósseo: Cisto da papila incisiva

33 Pseudocisto dos maxilares Cisto ósseo aneurismático Cisto ósseo simples Solitário Traumático Hemorrágico

34 Cisto ósseo aneurismático Idade: antes dos 30 anos Gênero: leve predomínio em mulheres Localização: região dos molares (mais freqüente em mandíbula que maxila) Clínica: aumento do volume, o crescimento é rápido, e freqüentemente dói.

35 Cisto ósseo Simple Cisto intraósseo com um fino recobrimento do tecido conetivo sem epitélio. Cavidade vazia.

36 Cisto ósseo Simple Idade: 2ª década, estranho depois dos 25 anos. Localização: corpo (M e PM) e sínfise mandibular Gênero: 60% homem Clínica: normalmente assintomático, aumento do volume em 20% dos casos; as vezes dor e parestesia.


Carregar ppt "Cistos dos Maxilares QUISTES DE LOS MAXILARES Dr. Benjamín Martínez R. Facultad de Odontología Universidad Mayor Santiago – Chile patoral.umayor.cl."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google