A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PATOLOGIA ÓSSEA I. Lesões fibro-ósseas benignas Displasia fibrosa Displasias cemento-ósseas PeriapicalFocalFlorida Fibroma cemento-ossificante central.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PATOLOGIA ÓSSEA I. Lesões fibro-ósseas benignas Displasia fibrosa Displasias cemento-ósseas PeriapicalFocalFlorida Fibroma cemento-ossificante central."— Transcrição da apresentação:

1 PATOLOGIA ÓSSEA I

2 Lesões fibro-ósseas benignas Displasia fibrosa Displasias cemento-ósseas PeriapicalFocalFlorida Fibroma cemento-ossificante central

3 Lesões fibro-ósseas benignas Processos caracterizados pela troca do osso normal por tecido fibroso contendo produto mineralizado recém-formado Radiolúcidas, mistas ou radiopacas Diagnóstico Clínico Radiográfico Histopatológico

4 Displasia fibrosa Alteração do desenvolvimento Monostótica (80 a 85%) - 1ª e 2ª décadas; aumento de volume pétreo indolor; crescimento lento; maxila; craniofacial Poliostótica ou tipo Jaffe (10 a 15%) - maxilares e ossos longos; fratura patológica e dor Síndrome de McCune-Albright – DF poliostótica + manchas café- com-leite + alterações endócrinas (precocidade sexual) Radiolúcida, mista ou radiopaca dependendo da fase; mistura-se com osso normal adjacente; vidro fosco Trabéculas ósseas imaturas de formato irregular + estroma fibroso celular; caracteres chineses; não há cápsula Acompanhamento; tratar no início da vida adulta; cosmético – recidiva de 25 a 50%); RXT contra-indicada

5 Displasia cemento-óssea periapical Displasia cementária periapical, cementoma periapical Mulheres, adultas e negras Região anterior inferior; usualmente múltiplas Dentes vitais; assintomática Início como radiolucências periapicais; tornam-se mistas e posteriormente maduras (aumento da radiopacidade) Proliferação fibroblástica e formação osteo-cementóide Nenhum tratamento; testes de vitalidade pulpar; biópsia ?

6 Displasia cemento-óssea focal Entre as formas periapical e florida 80% em mulheres adultas; + em brancos Mandíbula posterior; < 1,5 cm; assintomática Radiolúcidas à densamente radiopacas; usualmente mistas bem-definidas Tecido conjuntivo denso + osso trabeculado e material osteo-cementóide Biópsia para confirmação; cisto ósseo simples associado

7 Displasia cemento-óssea florida Cementoma gigantiforme (OMS, 1992) 90% em mulheres negras adultas ou idosas Bilateral; simétrico; dor eventual; exteriorização fístula Radiopacas lobulares interpostas por áreas mistas e radiolúcidas; áreas dentadas ou não; cisto ósseo simples associado Proliferação fibroblástica + trabéculas ósseas irregulares + material osteo-cementóide Acompanhamento; evitar trauma, exposição ou manipulação das áreas (exodontias, doença periodontal, próteses mal adaptadas) – osteomielite Autossômica dominante ? – cementoma gigantiforme familiar

8 Fibroma cemento-ossificante central Fibroma ossificante, fibroma cementificante Neoplasia osteogênica (ou odontogênica?) Osso e cemento são comuns na mesma lesão Adultos jovens; + em mulheres Até 90% na mandíbula posterior Assintomático ou abaulamento indolor (assimetria facial) Lesão unilocular bem-definida; radiolúcida, mista ou radiopaca Divergência e reabsorção radiculares; bordo esclerótico Tecido fibroso celularizado com material calcificado - trabéculas ósseas e/ou calcificações basofílicas cementóides Enucleação cirúrgica; recorrência rara

9 Doença óssea de Paget (Osteíte deformante) Reabsorção e deposição anormais do tecido ósseo 2 a 4%; etiologia – inflamatória? Genética? Endócrina? Viral? Idosos; + em H brancos; dor óssea; ossos aumentados e fracos (pelve, crânio, fêmur, vértebras lombares) Andar simiesco; aumento da circunferência craniana Maxilares (10 a 15%) - aumento terço médio (leontíase óssea) Radiolúcida, mista, radiopaca (flocos de algodão), hipercementose fosfatase alcalina sérica e hidroxiprolina urina; Ca e P normais Linhas reversas basofílicas – quebra-cabeça ou mosaico Dor óssea (AAS), antagonistas do PTH - calcitonina e bifosfonatos Risco de osteossarcoma (1 a 13% - fêmur e pélvis) e de tumores de células gigantes (região crânio-facial)

10 Lesão (Granuloma) Central de Células Gigantes Não neoplásica; algumas com comportamento agressivo Etiologia desconhecida 60% abaixo dos 30 anos); + em M; 70% na mandíbula Assintomática; abaulamento das corticais; dor Radiolúcida uni ou multilocular bem-delimitada Células gigantes multinucleadas (osteoclastos?); estroma de células fusiformes e vasos; osteóide HP similar ao querubismo e hiperparatireoidismo Curetagem (recorrência de 11 a 50%) ou ressecção Esteróides (triancinolona) ou calcitonina intra-lesionais Tumor de células gigantes epífises de ossos longos – maligno em 10% espectro de variantes? (lesões extra e intra-bucais)


Carregar ppt "PATOLOGIA ÓSSEA I. Lesões fibro-ósseas benignas Displasia fibrosa Displasias cemento-ósseas PeriapicalFocalFlorida Fibroma cemento-ossificante central."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google