A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SERMÃO DA MONTANHA. O objetivo deste estudo é relembrar as regras básicas do comportamento humano, trazidas por Jesus, no sentido de melhor auxiliar a.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SERMÃO DA MONTANHA. O objetivo deste estudo é relembrar as regras básicas do comportamento humano, trazidas por Jesus, no sentido de melhor auxiliar a."— Transcrição da apresentação:

1 SERMÃO DA MONTANHA

2 O objetivo deste estudo é relembrar as regras básicas do comportamento humano, trazidas por Jesus, no sentido de melhor auxiliar a elaboração de nosso pensamento e das nossas atitudes. As pregações de Jesus se davam nas proximidades de Cafarnaum. Numerosas pessoas o aguardavam para ouvir o seu verbo redentor. Entre elas estavam aqueles que seriam os seus seguidores, e que deveriam dar prosseguimento à divulgação da Sua boa-nova.

3 As Bem-Aventuranças, dentro do Sermão da Montanha, não são somente ensinamentos, são na verdade experiências íntimas da vida de Jesus. Não é para ser lida e ouvida simplesmente. É para ser sentida e refletida num profundo estado de espiritualidade. O objetivo deste texto, é recordar e fazer uma pequena reflexão sobre estes ensinamentos tão atuais, e ainda tão incompreendidos. Imagine chamar felizes os pobres de espírito, felizes os que choram, felizes os injustiçados, felizes os que sofrem perseguição,... Quanto masoquismo e ironia, iriam pensar os materialistas e os incrédulos.

4 Nestas Bem-Aventuranças, Jesus ensina a progressão evolutiva do Espírito, a Lei da Causa e Efeito, e não faz promessas para serem saboreadas somente no futuro! O Reino dos Céus está dentro de nós mesmos. São ensinamentos que podem ser exercitados em nosso lar, em nosso ambiente de trabalho, é para ser vivenciado no nosso dia-a-dia. Com certeza, para conquistar as Bem- Aventuranças são necessárias muitas vidas, muitas reencarnações, mas nada impede que possamos praticá-las a partir deste momento.

5 A FINALIDADE DE PREGAÇÃO

6 Era chegado o momento de fazer o sermão àqueles doze, o qual abrangesse todos os seus ensinamentos, um esclarecimento formal de sua mensagem, e que os apóstolos deveriam saber de cor. Para isso, Ele os conduzira longe das multidões, para uma elevação rochosa, ali numa encosta da montanha, trecho isolado onde poderiam ficar a sós.

7 Depois que os discípulos se acomodaram, proclamou o mais conciso e ordenado sistema de uma filosofia universal. Ali se achava tudo o que alma necessitava saber a respeito de Deus, da criação e da vida quotidiana, tanto naquela época como nas vindouras. Foi ali que ELE comunicou à humanidade inteira as oito regras básicas para todo o comportamento humano.

8 AS OITO REGRAS

9 1.ª) Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus. 2.ª) Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. 3.ª) Bem-aventurados aqueles que são brandos e pacíficos, porque herdarão a Terra. 4.ª) bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. 5.ª) Bem-aventurados aqueles que são misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. 6.ª) Bem-aventurados aqueles que têm puro o coração, porque verão a Deus. 7.ª) bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, porque o reino dos céus é para eles. 8.ª) Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós. (Mateus, 5, 1 a 12)

10 1.ª) Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus. Não é aquele que é pobre do ponto de vista material; não é aquele que se deprecia; não é aquele que é covarde; não é aquele que esconde seu talento. É aquele que reconhece que é: carente na esfera do espírito; que não possui as riquezas e os dons espirituais; que depende de Deus.

11 Por pobres de espírito Jesus não entende os homens desprovidos de inteligência, mas os humildes: Ele disse que o reino dos céus é deles e não dos orgulhosos. Os homens de ciência, compenetrados de si mesmos, elevam-se de tal maneira que acabam por negar a divindade; e os que admitem-na, contestam-lhe a ação providencial sobre as coisas deste mundo, persuadidos de que só eles bastam para governá-lo.

12 A negação divindade é muito mais fruto do orgulho do que da convicção: isto poderia fazê-los descer do pedestal em que se encontram. "Em dizendo que o reino dos céus é para os simples, Jesus quer dizer que ninguém é nele admitido sem a simplicidade de coração e a humildade de espírito; que o ignorante que possui essas qualidades será preferido ao sábio que crê mais em si do que em Deus". (Kardec, 1984, p. 101 e 102) A negação divindade é muito mais fruto do orgulho do que da convicção: isto poderia fazê-los descer do pedestal em que se encontram. "Em dizendo que o reino dos céus é para os simples, Jesus quer dizer que ninguém é nele admitido sem a simplicidade de coração e a humildade de espírito; que o ignorante que possui essas qualidades será preferido ao sábio que crê mais em si do que em Deus". (Kardec, 1984, p. 101 e 102)

13 2.ª) Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.

14 Chorar por si só não tem valor nenhum, por isso, muitos choram sem consolação. É o caso das constantes lástimas pelas perdas egoístas ou ambições frustradas, das lágrimas excessivas pelos entes queridos que partiram. O choro com valor é aquele que evoca um arrependimento sincero ante o erro cometido, não só com relação ao próximo como com relação a Deus. Nesse sentido chorar é ter saúde espiritual.

15 3.ª) Bem-aventurados aqueles que são brandos e pacíficos, porque herdarão a Terra.

16 MANSIDÃO É FORÇA DO ESPÍRITO Ser manso não significava ser um covarde servil, mas um crente na bondade de Deus e na benignidade do universo, mesmo quando a alma vive imersa no sofrimento e não vê razão para isso. Essa regra exprimia a aceitação da vontade de Deus. O mundo acha que o manso é covarde, vacilante, fraco. Mas, mansidão não é fraqueza é sim "força tornada gentil".

17 A Mansidão é uma atitude interna de quem é pobre de espírito e de quem chora. É o ponto de vista que a pessoa faz de si mesma, que se expressa da forma com que o cristão vê os outros.

18 4.ª) bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

19 Cairbar Schutel, em seu livro Parábolas e Ensinos de Jesus, diz que: bem- aventurados os que se revoltam contra a injustiça, mas são resignados e calmos. Ai dos indiferentes, dos acomodatícios, dos covardes, dos servis, que em proveito próprio aplaudem a injustiça. Cairbar valoriza as atitudes dos homens que procuram implantar, aqui em nosso próprio planeta, a verdadeira justiça e não deixar nas mãos de Deus, para que seja implantada nos céus.

20 Podemos tomar como exemplo, Mahatma Gandhi que lutou pacificamente pela justiça entre os homens. Muitas pessoas, como Gandhi, tem fome e sede de justiça, e lutam por ela dentro de seus lares, no trabalho, na rua,..., procurando dentro da Lei do Amor e da Sabedoria eliminar as desigualdades e os sofrimentos.

21 5.ª) Bem-aventurados aqueles que são misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

22 Misericórdia é ter compaixão da dor alheia. Ser misericordioso é, acima de tudo, suportarmos os defeitos daqueles que nos rodeiam, de não guardarmos qualquer ressentimento, não alimentarmos desejos de vingança, e estarmos sempre dispostos a servir, mesmo sabendo que não obteremos nada em troca e teremos que suportar ingratidão alheia. Para exercermos a misericórdia, não basta somente ter a compaixão pela dor do próximo, é necessário, acima de tudo, fazer algo de concreto para minorá-la.

23 Kardec nos fala, no Evangelho Segundo o Espiritismo, Que a misericórdia é o complemento da brandura, porquanto aquele que não for misericordioso, não pode ser brando e pacífico. Ela consiste no esquecimento e perdão das ofensas.

24 6.ª) Bem-aventurados aqueles que têm puro o coração, porque verão a Deus

25 Já dizia Santo Agostinho: concede-se aos puros de coração a faculdade de ver Deus, pois têm puro o olho com que se contemplam as coisas celestiais. Busca o Senhor com a sensibilidade do coração. Um coração puro é um coração sensível. Assim como é necessário ter os olhos sãos, do corpo, para ver a luz natural, não se pode ver a Deus se não tiver purificado aquele que pode percebê-lo

26 Ter o coração puro é não dar abrigo a paixões inferiores, tais como: o ódio, a inveja, o orgulho, a maledicência,... As paixões inferiores turvam a visão espiritual. Kardec diz que: a pureza do coração é inseparável da simplicidade e da humildade. Exclui toda a idéia de egoísmo e orgulho. (...) A verdadeira pureza não está somente nos atos, está também nos pensamentos. Porquanto aquele que tem puro coração, nem sequer pensa no mal.

27 7.ª) bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, porque o reino dos céus é para eles.

28 Nesta bem-aventurança, Jesus refere-se aos idealistas que ousaram enfrentar as limitações e os preconceitos de suas épocas. Podemos recorrer à História e ver que milhares de cristãos tiveram coragem de proclamar a sua fé e serem conduzidos aos Circos Romanos para serem devorados por feras famintas. Outros homens contestaram dogmas absurdos da Igreja e foram condenados à morte, casos de Giordano Bruno e João Huss. Geralmente estas pessoas são atacadas, caluniadas, encarceradas e até mortas, por defenderem suas opiniões e ponto de vista, mas ficaram para sempre na História como precursoras de novas idéias que contribuiram para reformular a Ciência, a Religião, as Artes, a sociedade.

29 O verdadeiro reformador jamais recorre à violência e à agressividade para impor as suas idéias. Sempre se dispõe a agir com bondade, dentro da Paz.

30 8 - Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Alegrai-vos e regozijai-vos, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois foi assim que perseguiram os profetas, que vieram antes de vós.

31 Há um trecho no livro de Paulo Alves Godoy, Os quatro Sermões de Jesus, que resume muito bem o significado desta bem- aventurança: Bem-aventurados são aqueles que sofreram para elevar, bem alto, o nome de Jesus Cristo, os que tudo fizeram para que a doutrina cristã se implantasse na face da Terra Mais vale ser odiado que odiar, ser ofendido que ofender, ser perseguido que perseguir.

32 Quanto mais rude e dolorosos os golpes recebidos, maior será a recompensa no Céu. Exemplifiquemos sendo bons e caridosos para com todos os nossos Irmãos sejamos simples e resignados. O Mestre oferece flores celestiais para todos aqueles que perseverarem até o fim seguindo os seus ensinamentos.

33 Que vosso amor seja sem hipocrisia, detestando o mal e apegados ao bem; com amor fraterno, tendo carinho uns para com os outros, cada um considerando o outro como mais digno de estima. Sede diligentes, sem preguiça, fervorosos de espírito, servindo ao Senhor,, tomando parte nas necessidades dos santos, buscando proporcionar a hospitalidade. Abençoai os que vos perseguem; abençoai e não amaldiçoeis.

34 Segundo Mahatma Gandhi, para o Cristianismo bastava só o Sermão da Montanha.?

35 Mahatma Gandhi, a Grande Alma da Índia, que não era cristão, afirmou que se todos os livros sagrados da humanidade se perdessem, mas não O Sermão da Montanha, nada se teria perdido. Quando nos unirmos com base nos ensinamentos de Cristo no Sermão da Montanha, teremos solucionado os problemas, não só de nossos países, mas do mundo inteiro. Os ensinamentos de Jesus sobre o amor, se aplicados, podem sanar os males da humanidade. O Sermão da Montanha: Esta é a mais linda sonata de amor contida nos Evangelhos.

36 MUITA PAZ, MUITA LUZ E AMOR A TODOS

37 Literatura – Livros Espíritas Imagens e formatação : Suely dos Anjos


Carregar ppt "SERMÃO DA MONTANHA. O objetivo deste estudo é relembrar as regras básicas do comportamento humano, trazidas por Jesus, no sentido de melhor auxiliar a."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google