A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 13 Teoria dos Jogos e Estratégia Competitiva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 13 Teoria dos Jogos e Estratégia Competitiva."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 13 Teoria dos Jogos e Estratégia Competitiva

2 Slide 2 Jogos e decisões estratégicas Jogos não cooperativos versus jogos cooperativos Jogo cooperativo Os jogadores negociam contratos que sejam obrigados a cumprir e que lhes permitam planejar estratégias conjuntas Exemplos: Negociação entre um comprador e um vendedor em torno do preço da mercadoria; a formação de uma joint venture entre duas empresas (Microsoft e Apple) É possível negociar contratos que os jogadores sejam obrigados a cumprir

3 Slide 3 Jogos e decisões estratégicas Jogo não cooperativo Não é possível negociar e implementar contratos que os jogadores sejam obrigados a cumprir Exemplo: Duas empresas concorrentes tomam suas decisões de preço e propaganda de forma independente, levando em consideração o provável comportamento da rival Jogos não cooperativos versus jogos cooperativos

4 Slide 4 Estratégias dominantes Estratégia dominante É uma estratégia ótima para um jogador, independentemente do que seu oponente possa fazer. Um exemplo A e B vendem produtos concorrentes As duas empresas devem decidir se realizarão ou não campanhas de propaganda de seus produtos

5 Slide 5 Estratégias dominantes Empresa A Faz propaganda Não faz propaganda Faz propaganda Não faz propaganda Empresa B 10, 515, 0 10, 26, 8 Matriz de payoff para o jogo da propaganda

6 Slide 6 Estratégias dominantes Empresa A Faz propaganda Não faz propaganda Faz propaganda Não faz propaganda Empresa B 10, 515, 0 10, 26, 8 Observações Para A, fazer propaganda é a melhor opção, independentemente da escolha de B Para B, fazer propaganda é a melhor opção, independentemente da escolha de A Matriz de payoff para o jogo da propaganda

7 Slide 7 Estratégias dominantes Jogo sem estratégias dominantes A decisão ótima de um jogador que não possua uma estratégia dominante depende das ações do outro jogador.

8 Slide 8 10, 515, 0 20, 26, 8 Empresa A Faz propaganda Não faz propaganda Faz propaganda Não faz propaganda Empresa B Estratégias dominantes Jogo da propaganda modificado

9 Slide 9 10, 515, 0 20, 26, 8 Empresa A Faz propaganda Não faz propaganda Faz propaganda Não faz propaganda Empresa B Estratégias dominantes Observações A não tem uma estratégia dominante; sua decisão depende das ações de B Para B, a decisão ótima é fazer propaganda Pergunta O que A deveria fazer? (Dica: pense na decisão de B) Jogo da propaganda modificado

10 Slide 10 O problema da escolha de produto Exemplos de equilíbrio de Nash Dois fabricantes de cereais matinais O mercado de cereais crocantes admite apenas um produtor O mercado de cereais açucarados admite apenas um produtor Cada empresa dispõe de recursos suficientes para lançar apenas um produto Trata-se de um jogo não cooperativo Retomando o equilíbrio de Nash

11 Slide 11 Empresa 1 CrocanteAçucarado Crocante Açucarado Empresa 2 -5, -510, 10 -5, -510, 10 Retomando o equilíbrio de Nash Problema da escolha do produto

12 Slide 12 Retomando o equilíbrio de Nash Situação Você (V) e um concorrente (C) vendem refrigerantes Local: praia com 200 metros de comprimento Os banhistas encontram-se distribuídos uniformemente pela praia Preço de V = preço de C Cada cliente comprará do vendedor mais próximo Jogo de localização na praia

13 Slide 13 Retomando o equilíbrio de Nash 1. Onde os vendedores se localizarão (ou seja, qual é o equilíbrio de Nash)? Oceano 0BPraiaA200 metros CVCV Jogo de localização na praia

14 Slide 14 Retomando o equilíbrio de Nash 2. Outros exemplos desse tipo de problema de decisão: Localização de um posto de combustível Eleições presidenciais Oceano 0BPraiaA200 metros CVCV Jogo de localização na praia

15 Slide 15 Retomando o equilíbrio de Nash Estratégias maximin Situação Duas empresas competem no mercado de softwares de criptografia Ambas usam o mesmo padrão de criptografia (ou seja, os arquivos criptografados por um programa podem ser lidos pelo outro – o que é uma vantagem para os consumidores)

16 Slide 16 Retomando o equilíbrio de Nash Situação A parcela de mercado da Empresa 1 é muito maior que a da Empresa 2 Ambas as empresas estão considerando a possibilidade de adoção de um novo padrão de criptografia Estratégias maximin

17 Slide 17 Retomando o equilíbrio de Nash Empresa 1 Não investirInvestir Empresa 2 0, 0-10, 10 20, , 0 Não investir Investir Estratégias maximin

18 Slide 18 Retomando o equilíbrio de Nash Empresa 1 Não investirInvestir Empresa 2 0, 0-10, 10 20, , 0 Não investir Investir Observações Estratégia dominante para a Empresa 2: Investir Equilíbrio de Nash Empresa 1: investir Empresa 2: Investir Estratégias maximin

19 Slide 19 Retomando o equilíbrio de Nash Empresa 1 Não investirInvestir Empresa 2 0, 0-10, 10 20, , 0 Não investir Investir Observações Se a Empresa 2 não investir, a Empresa 1 incorrerá em perdas significativas A Empresa 1 poderá optar por não investir Assim, estará minimizando as perdas potenciais, que poderão atingir, no máximo, 10 --estratégia maximin Estratégias maximin

20 Slide 20 Se ambas as empresas são racionais e bem informadas: Ambas decidem investir Ocorre um equilíbrio de Nash Retomando o equilíbrio de Nash Estratégias maximin

21 Slide 21 Entretanto: Se a Empresa 2 não é racional ou não tem informação completa A estratégia maximin da Empresa 1 é não investir A estratégia maximin da Empresa 2 é investir. Se 1 souber que 2 está usando uma estratégia maximin, 1 decidirá investir Retomando o equilíbrio de Nash Estratégias maximin

22 Slide 22 Estratégias mistas Estratégia pura O jogador faz uma escolha específica Estratégia mista O jogador faz uma escolha aleatória entre duas ou mais ações possíveis, com base em um conjunto de probabilidades Retomando o equilíbrio de Nash

23 Slide 23 Retomando o equilíbrio de Nash Jim Luta livreÓpera Luta livre Ópera Joan 2,10,0 1,20,0 A guerra dos sexos

24 Slide 24 Retomando o equilíbrio de Nash Jim Luta livreÓpera Luta livre Ópera Joan 2,10,0 1,20,0 Estratégias puras Ambos vão à luta livre Ambos vão à ópera Estratégias mistas Jim opta pela luta livre com probabilidade 2/3 Joan opta pela luta livre com probabilidade 1/3 A guerra dos sexos

25 Slide 25 Jogos repetitivos A interação entre empresas oligopolistas pode ser representada como um jogo repetitivo. As repetições do jogo permitem que as empresas criem reputações acerca de seu comportamento e estudem o comportamento das concorrentes.

26 Slide 26 Jogos repetitivos Empresa 1 Preço baixoPreço alto Preço baixo Preço alto Empresa 2 10, 10100, , 50-50, 100 Problema da determinação de preços

27 Slide 27 Jogos repetitivos Empresa 1 Preço baixoPreço alto Preço baixo Preço alto Empresa 2 10, 10100, , 50-50, 100 Jogo não repetitivo A melhor estratégia para cada empresa é a adoção de um preço baixo Jogo repetitivo A estratégia tit-for- tat é a melhor Problema da determinação de preços

28 Slide 28 Jogos repetitivos Conclusão Num jogo repetitivo: O dilema dos prisioneiros pode ter uma solução cooperativa, na qual cada jogador adota a estratégia tit-for-tat. Um resultado cooperativo é mais provável em mercados com as seguintes características: Poucas empresas Demanda estável Custos estáveis A obtenção de um resultado cooperativo é difícil, pois os fatores mencionados estão sujeitos a mudanças no longo prazo.

29 Slide 29 Jogos seqüenciais Os jogadores tomam suas decisões um de cada vez Cada jogador deve considerar todas as possíveis ações e reações racionais dos demais Exemplos Reação à campanha de propaganda de um concorrente Decisões de entrada em um setor Reação a políticas de regulamentação

30 Slide 30 Forma extensiva de um jogo Situação Dois novos cereais matinais (crocantes/ açucarados) podem ser lançados no mercado Os novos produtos só serão rentáveis se houver apenas um produtor de cada As vendas dos cereais açucarados deverão superar as vendas dos crocantes (mas ambos serão rentáveis com apenas um produtor) Jogos seqüenciais

31 Slide 31 Jogos seqüenciais Empresa 1 CrocanteAçucarado Crocante Açucarado Empresa 2 -5, -510, 20 -5, -520, 10 Problema modificado da escolha de produtos

32 Slide 32 Jogos seqüenciais Empresa 1 CrocanteAçucarado Crocante Açucarado Empresa 2 -5, -510, 20 -5, -520, 10 Pergunta Qual é o resultado mais provável, considerando que as empresas tomam suas decisões de forma simultânea, independente e sem conhecer a decisão da concorrente? Problema modificado da escolha de produtos

33 Slide 33 Suponha que a Empresa 1 lance o seu cereal antes da Empresa 2 (trata-se de um jogo sequencial). Pergunta Qual será o resultado desse jogo? Jogos seqüenciais Forma extensiva de um jogo

34 Slide 34 Jogos seqüenciais Crocante Açucarado Crocante Açucarado -5, -5 10, 20 20, 10 -5, -5 Empresa 1 Crocante Açucarado Empresa 2 Empresa 2 Forma extensiva de um jogo da escolha do produto

35 Slide 35 Jogos seqüenciais Vantagem em ser o primeiro Nesse jogo de escolha do produto, ser o primeiro a se mover é claramente vantajoso.

36 Slide 36 Jogos seqüenciais Suponha um duopólio Vantagem em ser o primeiro

37 Slide 37 Jogos seqüenciais Duopólio Vantagem em ser o primeiro

38 Slide 38 Jogos seqüenciais Empresa 1 7,5 Empresa 2 112,50; 112,5056,25; 112,50 0; 0112,50; 56,25 125; 93,7550; 75 93,75; ; ; , Escolha do nível de produção

39 Slide 39 Jogos seqüenciais Empresa 1 7,5 Empresa 2 112,50; 112,5056,25; 112,50 0; 0112,50; 56,25 125; 93,7550; 75 93,75; ; ; , Esta matriz de payoff ilustra vários resultados Se as decisões são simultâneas, ambas produzem 10 Pergunta O que acontece se a Empresa 1 se move primeiro? Escolha do nível de produção

40 Slide 40 Ameaças, compromissos, e credibilidade Movimentos estratégicos O que uma empresa pode fazer para conquistar uma posição vantajosa no mercado? Impedir a entrada de novas empresas Induzir as concorrentes a reduzir a produção, aumentar o preço ou abandonar o mercado Estabelecer acordos implícitos com outras empresas

41 Slide 41 Como fazer o primeiro movimento Demonstre compromisso A Empresa 1 terá de refrear seu comportamento de modo que convença a Empresa 2 de que a Empresa 1 não tem outra escolha Ameaças, compromissos, e credibilidade

42 Slide 42 Empresa 1 Preço altoPreço baixo Preço alto Preço baixo Empresa 2 100, 8080, , 2020, 0 Ameaças, compromissos, e credibilidade Determinação do preço de computadores e de processadores de texto

43 Slide 43 Empresa 1 Preço altoPreço baixo Preço alto Preço baixo Empresa 2 100, 8080, , 2020, 0 Pergunta A Empresa 1 seria capaz de forçar a Empresa 2 a cobrar um preço alto, sob ameaça de reduzir seu próprio preço? Determinação do preço de computadores e de processadores de texto Ameaças, compromissos, e credibilidade

44 Slide 44 Compromisso e credibilidade Situação A empresa Race Car Motors, Inc. (RCM) produz automóveis A empresa Far Out Engines (FOE) produz motores especiais de automóveis, que são vendidos, na maior parte, à RCM Trata-se de um jogo sequencial, no qual a RCM é a líder Tendo em vista que a RCM determina a produção, a ameaça da FOE construir motores grandes não é crível. Ameaças, compromissos, e credibilidade

45 Slide 45 Far Out Engines Automóveis pequenos Automóveis grandes Motores pequenos Motores grandes Race Car Motors 3, 63, 0 8, 31, 1 Ameaças, compromissos, e credibilidade Problema da escolha da produção

46 Slide 46 Pergunta De que forma a FOE poderia induzir a RCM a produzir automóveis grandes? Ameaças, compromissos, e credibilidade Compromisso e credibilidade

47 Slide 47 0, 60, 0 8, 31, 1 Far Out Engines Automóveis pequenos Automóveis grandes Motores pequenos Motores grandes Race Car Motors Problema modificado de escolha da produção Ameaças, compromissos, e credibilidade

48 Slide 48 Perguntas 1. Qual é o risco dessa estratégia? 2. De que forma a existência de agentes com comportamento irracional poderia conferir à FOE algum poder na determinação da produção? Ameaças, compromissos, e credibilidade Compromisso e credibilidade

49 Slide 49 Ameaças, compromissos, e credibilidade Estratégias de negociação Caso as empresas ou as pessoas façam promessas que possam ser cumpridas, resultados alternativos serão possíveis.

50 Slide 50 Ameaças, compromissos, e credibilidade Considere o seguinte exemplo: Duas empresas devem lançar no mercado um dentre dois bens complementares.

51 Slide 51 Ameaças, compromissos, e credibilidade Empresa 1 Produz AProduz B Produz A Produz B Empresa 2 40, 550, 50 5, 4560, 40

52 Slide 52 Ameaças, compromissos, e credibilidade Empresa 1 Produz AProduz B Produz A Produz B Empresa 2 40, 550, 50 5, 4560, 40 Com acordo: Decisões de produção: A 1 B 2 Sem acordo: Decisões de produção: A 1 B 2 Equilíbrio de Nash

53 Slide 53 Ameaças, compromissos, e credibilidade Suponha que: cada empresa esteja negociando a entrada em um consórcio de pesquisa com uma terceira empresa.

54 Slide 54 Ameaças, compromissos, e credibilidade Empresa 1 Opera sozinhaParticipa do consórcio Opera sozinha Participa do consórcio Empresa 2 10, 1010, 20 40, 4020, 10

55 Slide 55 Ameaças, compromissos, e credibilidade Empresa 1 Opera sozinha Participa do consórcio Opera sozinha Participa do consórcio Empresa 2 10, 1010, 20 40, 4020, 10 Estratégia dominante Ambas participam do consórcio

56 Slide 56 Ameaças, compromissos, e credibilidade Interligação dos problemas de negociação A Empresa 1 anuncia que participará do consórcio somente se a Empresa 2 concordar em produzir A, enquanto a Empresa 1 produz B. O lucro da Empresa 1 aumentará de 50 para 60

57 Slide 57 Ameaças, compromissos, e credibilidade Fortalecimento do poder de negociação Credibilidade Redução da flexibilidade

58 Slide 58 Pergunta Como a Wal-Mart conseguiu tornar-se a maior empresa de varejo dos EUA no momento em que muitas empresas tradicionais do setor fechavam as portas? Dica Como a Wal-Mart adquiriu poder de monopólio? Jogo de investimento preemptivo com um equilíbrio de Nash Exemplo: Estratégia de investimento preemptivo da Wal-Mart Ameaças, compromissos, e credibilidade

59 Slide 59 Wal-Mart Entra na cidadeNão entra na cidade Entra na cidade Não entra na cidade Empresa X -10, -1020, 0 0, 00, 20 Ameaças, compromissos, e credibilidade O jogo preemptivo das lojas de desconto

60 Slide 60 Wal-Mart Entra na cidade Não entra na cidade Entra na cidade Não entra na cidade Empresa X -10, -1020, 0 0, 00, 20 Dois equilíbrios de Nash Canto inferior esquerdo Canto superior direito Para ser bem- sucedida, a empresa deve atuar preemptivamente Ameaças, compromissos, e credibilidade O jogo preemptivo das lojas de desconto

61 Slide 61 Desencorajamento à entrada Para impedir a entrada de novas empresas no setor, a empresa estabelecida deve convencer as concorrentes potenciais de que sua entrada não será lucrativa.

62 Slide 62 Desencorajamento à entrada Empresa estabelecida EntraNão entra Preço alto (acomodação) Preço Baixo (guerra) Entrante potencial 100, 20200, 0 130, 070, -10 Possibilidade de entrada

63 Slide 63 Desencorajamento à entrada Situação Um monopolista estabelecido (I) e um entrante potencial (X) Custo irreversível de X (para construir uma planta de produção) = $80 milhões

64 Slide 64 Desencorajamento à entrada Situação Se X não entra, I aufere um lucro de $200 milhões. Se X entra e cobra um preço alto, I aufere um lucro de $100 milhões e X obtém $20 milhões. Se X entra e cobra um preço baixo, I aufere um lucro de $70 milhões e X obtém -$10 milhões. Pergunta De que forma I pode impedir a entrada de X ? A ameaça é crível?

65 Slide 65 Desencorajamento à entrada De que forma I pode impedir a entrada de X? 1. Realização de investimento em capacidade adicional antes da entrada de X (compromisso irrevogável) 2. Comportamento irracional

66 Slide 66 Desencorajamento à entrada Empresa estabelecida EntraNão entra Preço alto (acomodação) Preço baixo (guerra) Entrante potencial 50, 20150, 0 130, 070, -10 Situação após investimento de $50 milhões

67 Slide 67 Desencorajamento à entrada Empresa estabelecida EntraNão entra Preço alto (acomodação) Preço baixo (guerra) Entrante potencial 50, 20150, 0 130, 070, -10 Situação após investimento de $50 milhões A ameaça de guerra de preço é crível X optará por não entrar

68 Slide 68 Desencorajamento à entrada Apesar de haver apenas dois grandes produtores no mercado, a competição é intensa. A competição ocorre principalmente através de inovações redutoras de custos. Exemplo: Batalhas das fraldas descartáveis

69 Slide 69 Desencorajamento à entrada P&G Com P&DSem P&D Com P&D Sem P&D Kimberly-Clark 40, 2080, , 40-20, 60 Concorrendo por meio de pesquisa e desenvolvimento (P&D)

70 Slide 70 Desencorajamento à entrada P&G Com P&DSem P&D Com P&D Sem P&D Kimberly-Clark 40, 2080, , 40-20, 60 Ambas gastam em P&D Pergunta Por que as empresas não cooperam? Concorrendo por meio de pesquisa e desenvolvimento (P&D)

71 Slide 71 Resumo Um jogo é cooperativo quando os participantes podem se comunicar uns com os outros e fazer acordos que tenham que ser cumpridos; caso contrário, o jogo seria não cooperativo. O equilíbrio de Nash é uma combinação de estratégias em que todos os jogadores fazem o melhor que podem, dadas as estratégias dos demais jogadores. Alguns jogos não apresentam equilíbrio de Nash com estratégias puras, mas possuem um ou mais equilíbrios quando são utilizadas estratégias mistas. Estratégias que não são ótimas para jogos com apenas um lance poderão ser ótimas para jogos repetitivos. Em um jogo seqüencial, os participantes se movem cada um de uma vez.

72 Slide 72 Resumo Uma ameaça vazia é assim denominada porque aquele que a faz teria pouco interesse em executá-la. Para desencorajar a entrada, uma empresa estabelecida deverá ser capaz de convencer qualquer empresa concorrente potencial de que sua entrada não seria lucrativa. Situações de negociação são exemplos de jogos cooperativos.


Carregar ppt "Capítulo 13 Teoria dos Jogos e Estratégia Competitiva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google