A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Outubro de 1846 – Junho de 1847 A Guerra Civil da Patuleia 1 2012 / 03 / 07.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Outubro de 1846 – Junho de 1847 A Guerra Civil da Patuleia 1 2012 / 03 / 07."— Transcrição da apresentação:

1 Outubro de 1846 – Junho de 1847 A Guerra Civil da Patuleia / 03 / 07

2 Almeida Garrett in Viagens na Minha Terra (publicado em1846) 2012 / 03 / 07 2 Recordei-me com amargura e desconsolação dos tremendos sacrifícios a que foi condenada esta geração – Deus sabe para quê – Deus sabe se para expiar as faltas dos nossos passados, se para comprar a felicidade dos nossos vindouros

3 A Patuleia 2012 / 03 / 07 3 Situação conjuntural Pretexto para a deflagração Guerra civil da Patuleia As condições do País, geradas ou agravadas ao longo do Verão de 1846 A Emboscada (demissão do Governo Palmela) 6 de Outubro de 1846 Outubro de 1846 Junho de 1847 – Convenção de Gramido

4 4 Perda de apoio social 2012 / 03 / 07 4 Os três eixos da fraqueza palmelista

5 A Emboscada (6 de Outubro de 1846) e suas consequências 2012 / 03 / 07 5 Demissão de Palmela – por decisão da rainha; Novo governo dirigido por Saldanha Emboscada Reaproximação ao Cabralismo Readmissão de funcionários civis e militares conotados com o cabralismo Possibilita … Formação da Junta Provisional do Supremo Governo do Reino Constitui-se no Porto como oposição ao governo de Lisboa Resultado

6 O desencadear da Guerra Civil da Patuleia 2012 / 03 / 07 6 A notícia da Emboscada chega rapidamente ao Porto – Formação da Junta revolucionária A notícia da formação da Junta chega rapidamente a Lisboa – Enviado rapidamente ao Porto o Duque da Terceira A notícia do envio do Duque chega rapidamente ao Porto. É imediatamente preso ao desembarcar Rapidamente a Junta apela para o exército, que se divide: uma parte mantém-se fiel à rainha; outra apoia a Junta. Reactivam-se guerrilhas miguelistas, em vastas regiões do país – aliança com a Junta

7 Origem da expressão Patuleia 2012 / 03 / 07 7 Garantidamente É uma expressão contemporânea dos acontecimentos Proposta de explicação Significaria patas ao léu – pés descalços. O movimento teria assim uma raiz popular Proposta de explicação A palavra chegaria por via do espanhol patuleo - que a teria ido buscar ao malaio. Significaria grupo indisciplinado e desordeiro

8 8 V.C B Br V.R V P A C. B G L C St Lx P E B S F 2012 / 03 / A Guerra Civil da Patuleia (Outubro de 1846 – Junho de 1847) Regiões controladas pelo governo na primavera de 1847 Cidades controladas por Juntas Governativas dos rebeldes dentro do território controlado pelo governo Ch

9 Situação na Primavera de 1847 – in Oliveira Martins /Portugal Contemporâneo 2012 / 03 / 07 9 Desde o princípio do ano que as cadeias estavam cheias de setembristas e miguelistas; desde então as emigrações ferviam. O Governo comunicara às potências a decisão de bloquear o Douro, mas isso não passava de uma fórmula, porque a marinha portuguesa acabara de todo e os poucos vapores que havia tinham caído em poder dos rebeldes, senhores do mar. Mas o mais triste, o mais grave, era o caso das notas do banco, infernal papelada que (…) levava a miséria a toda a parte.

10 Situação na Primavera de 1847 (continuação) 2012 / 03 / O Visconde de Algés, no Tesouro, achava-se perdido, porque de fora não vinha dinheiro e em casa não o havia antes quanto mais agora. Se nem para Saldanha chegava! Em Madrid estava o embaixador, o Conde de Tomar e para ele se voltavam os olhos, se dirigiam as súplicas e os pedidos de conselhos. Não seria possível arranjar em Madrid um empréstimo? Com efeito o Conde de Tomar em Madrid conseguiu alguma

11 Situação na Primavera de 1847 (continuação) 2012 / 03 / coisa. Os banqueiros propunham-se dar três milhões esterlinos, com a comissão de dois e meio. Mas … davam só um milhão no primeiro ano, o resto depois. Um milhão seja: tudo o que vier … Mas queremos três anos de juros adiantados. O Governo, desanimado, caiu em si. Um pouco mais, e os banqueiros cobrando adiantados os juros, não dariam nada, ficando credores de muito. O que prometiam emprestar vinha a sair a 25,5 por cento.

12 Situação na Primavera de 1847 (continuação) 2012 / 03 / O governo não teve coragem para tanto; o ministro sumiu-se deixando o lugar a Tojal. E o rebate das notas a crescer, e gemendo todos com fome, e a bordo do Audaz os infelizes prisioneiros de Torres, à espera do degredo! E uma rebeldia surda a sussurrar por todos os cantos! … No Governo Civil o Marquês de Fronteira, com seu irmão D. Carlos de Mascarenhas à frente da Guarda Municipal, mantinham dificilmente a ordem. Lisboa parecia um acampamento: tudo

13 Situação na Primavera de 1847 (continuação) 2012 / 03 / estava armado em batalhões de cores e feitios diversos: voluntários, fuzileiros, caçadores da rainha, caçadores da Carta. Havia exercícios constantes, e paradas, e revista, e o comandante- chefe, D. Fernando, que não nascera para empresas belicosas, via- se forçado a arrastar a sua indolência, correndo os quartéis, vivendo num estado penoso de agitação, por coisas que, bem no fundo, lhe eram, ou antipáticas, ou indiferentes.

14 Situação na Primavera de 1847 (continuação) 2012 / 03 / Aos empregados não se pagava desde Outubro, em Lisboa que é uma cidade secretaria. A desordem, a excitação, a fome, traziam à flor do charco social os detritos humanos das cidades. Positiva fome lavrava em Lisboa no 2º trimestre do ano fúnebre de 47. Para lhe acudir distribuíam-se diariamente 2500 pães (ver as listas e contas no Diário)

15 Situação na Primavera de 1847 (continuação) 2012 / 03 / Como sombras se tinham visto dissipar muitas forças do Governo. A coluna que em Alcácer defendia Lisboa da Patuleia do Alentejo, fora uma noite aprisionada inteira. A tripulação do Porto, vapor mandado a Vigo e a Viana, em serviço, prendeu em viagem os oficiais e levou o barco ao Porto, a entregar-se à Junta. (…) Em Lisboa havia constantes rusgas para arregimentar voluntários, e Saldanha, imóvel por impotente, avisava que resignaria à presidência do Conselho se não viessem soldados de Espanha ou um acordo com o inimigo.

16 16 V.C B Br V.R V P A C. B G L C St Lx P E B S F 2012 / 03 / Actuação da Quádrupla Aliança nos termos do acordo de Maio de 1847 Regiões controladas pelo governo na primavera de 1847 Cidades controladas por Juntas Ch Frota inglesa de bloqueio à barra do Douro Tropas espanholas

17 Condições estabelecidas pela Convenção de Gramido - 29 de Junho de / 03 / Ocupação do Porto e fortes das duas margens por tropas espanholas Entrega das armas da Junta às forças aliadas Honras militares e segurança de pessoas e bens para as tropas da Junta Garantias de segurança de pessoas e bens aos cidadãos do Porto Passaporte gratuito a todos os que quiserem deixar o Porto Melhoria da condições dos oficiais do antigo exército realista Os aliados marcarão a data da entrada das tropas portuguesas no Porto


Carregar ppt "Outubro de 1846 – Junho de 1847 A Guerra Civil da Patuleia 1 2012 / 03 / 07."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google