A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nomes: Bruno, Eduardo e Gabriel.B Turma: 82 Data: 16/05/2011 Professor: Miquéias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nomes: Bruno, Eduardo e Gabriel.B Turma: 82 Data: 16/05/2011 Professor: Miquéias."— Transcrição da apresentação:

1 Nomes: Bruno, Eduardo e Gabriel.B Turma: 82 Data: 16/05/2011 Professor: Miquéias

2 O que foi? A Revolta da Chibata foi um importante movimento social ocorrido, no início do século XX, na cidade do Rio de Janeiro. Começou no dia 22 de novembro de A Revolta da Chibata foi um importante movimento social ocorrido, no início do século XX, na cidade do Rio de Janeiro. Começou no dia 22 de novembro de Neste período, os marinheiros brasileiros eram punidos com castigos físicos. As faltas graves eram punidas com 25 chibatadas (chicotadas). Esta situação gerou uma intensa revolta entre os marinheiros. Neste período, os marinheiros brasileiros eram punidos com castigos físicos. As faltas graves eram punidas com 25 chibatadas (chicotadas). Esta situação gerou uma intensa revolta entre os marinheiros.

3 Causas O estopim da revolta ocorreu quando o marinheiro Marcelino Rodrigues foi castigado com 250 chibatadas, por ter ferido um colega da Marinha, dentro do encouraçado Minas Gerais. O navio de guerra estava indo para o Rio de Janeiro e a punição, que ocorreu na presença dos outros marinheiros, desencadeou a revolta. O motim se agravou e os revoltosos chegaram a matar o comandante do navio e mais três oficiais. Já na Baia da Guanabara, os revoltosos conseguiram o apoio dos marinheiros do encouraçado São Paulo. O clima ficou tenso e perigoso. O estopim da revolta ocorreu quando o marinheiro Marcelino Rodrigues foi castigado com 250 chibatadas, por ter ferido um colega da Marinha, dentro do encouraçado Minas Gerais. O navio de guerra estava indo para o Rio de Janeiro e a punição, que ocorreu na presença dos outros marinheiros, desencadeou a revolta. O motim se agravou e os revoltosos chegaram a matar o comandante do navio e mais três oficiais. Já na Baia da Guanabara, os revoltosos conseguiram o apoio dos marinheiros do encouraçado São Paulo. O clima ficou tenso e perigoso.

4 Continuação: O corpo militar ainda tinha uma série de castigos físicos sob seus membros inferiores (soldados, cabos e sargentos). Isto ocorria em ambas as forças: Exército e Marinha. No Exército, os castigos físicos eram menos violentos e ocorriam em menor escala devido a seu caráter popular, boa parte de seu oficialato, principalmente o baixo (tenentes), eram provindos de camadas populares, dessa forma, não ocorria tanto distanciamento entre soldados e oficiais. O corpo militar ainda tinha uma série de castigos físicos sob seus membros inferiores (soldados, cabos e sargentos). Isto ocorria em ambas as forças: Exército e Marinha. No Exército, os castigos físicos eram menos violentos e ocorriam em menor escala devido a seu caráter popular, boa parte de seu oficialato, principalmente o baixo (tenentes), eram provindos de camadas populares, dessa forma, não ocorria tanto distanciamento entre soldados e oficiais.

5 O que ocorria na marinha? Já a Marinha sempre foi uma força militar tradicionalmente elitizada, dessa forma, seu oficialato não era provindo de grupos populares e sim de grupos aristocráticos, ocorrendo assim, certo desprezo por parte de oficiais em relação aos soldados. Dessa forma, quase todos os desvios de conduta eram castigados com açoitamentos. Em 1910, após a condenação de Marcelino Rodrigues Meneses a 250 chibatadas com obrigatoriedade do restante dos marinheiros a assistirem ao castigo, esses se revoltaram. Já a Marinha sempre foi uma força militar tradicionalmente elitizada, dessa forma, seu oficialato não era provindo de grupos populares e sim de grupos aristocráticos, ocorrendo assim, certo desprezo por parte de oficiais em relação aos soldados. Dessa forma, quase todos os desvios de conduta eram castigados com açoitamentos. Em 1910, após a condenação de Marcelino Rodrigues Meneses a 250 chibatadas com obrigatoriedade do restante dos marinheiros a assistirem ao castigo, esses se revoltaram.

6 Em 1910 Em 22 de novembro de 1910, durante a noite, eles se rebelaram e tomaram o controle do navio Minas Gerais. Outros três navios: São Paulo, Bahia e Deodoro, aderiram ao movimento. Seu líder foi o marinheiro João Cândido. O comandante do Minas Gerais junto com outros oficiais acabou sendo morto e o conflito ganhou dimensões de luta armada ocorrendo morte também do lado dos marinheiros. Em 22 de novembro de 1910, durante a noite, eles se rebelaram e tomaram o controle do navio Minas Gerais. Outros três navios: São Paulo, Bahia e Deodoro, aderiram ao movimento. Seu líder foi o marinheiro João Cândido. O comandante do Minas Gerais junto com outros oficiais acabou sendo morto e o conflito ganhou dimensões de luta armada ocorrendo morte também do lado dos marinheiros.

7 Revoltados Dessa forma os revoltosos depuseram armas e se entregaram às autoridades. Os castigos corporais foram realmente encerrados, porém, a anistia não ocorreu. Os líderes do movimento foram presos, entre eles João Cândido. As condições no cárcere eram extremamente degradantes e muitos desses líderes morreram na prisão. João Cândido, porém, sobreviveu e acabou absolvido em julgamento realizado em Faleceu em 1969 e ficou conhecido como o Almirante Negro. Dessa forma os revoltosos depuseram armas e se entregaram às autoridades. Os castigos corporais foram realmente encerrados, porém, a anistia não ocorreu. Os líderes do movimento foram presos, entre eles João Cândido. As condições no cárcere eram extremamente degradantes e muitos desses líderes morreram na prisão. João Cândido, porém, sobreviveu e acabou absolvido em julgamento realizado em Faleceu em 1969 e ficou conhecido como o Almirante Negro.

8 Depois da revolta Foi originalmente marcada para dez dias depois da posse do Presidente eleito da República, Hermes da Fonseca, a ocorrer no dia 15 de Novembro de Entretanto, a punição aplicada ao marinheiro Marcelino Rodrigues Menezes do Encouraçado Minas Gerais, precipitou o início da revolta. Por ter trazido cachaça para bordo e, em seguida, ter ferido com uma navalha o cabo que o delatou, o marinheiro Menezes foi punido, não com as vinte e cinco chibatadas máximas regulamentares, mas sim com duzentos e cinqüenta, na presença da tropa formada, ao som de tambores, no dia 21 de Novembro.

9 Continuação O exagero dessa punição, considerada desumana, provocou uma indignação da tripulação muito superior à que já vinha sentindo durante a conspiração da revolta. O exagero dessa punição, considerada desumana, provocou uma indignação da tripulação muito superior à que já vinha sentindo durante a conspiração da revolta. Os comitês revolucionários decidiram que a tomada dos navios se daria na noite do dia 22. A idéia não era matar oficiais, mas rendê-los enquanto estivessem dormindo. Os comitês revolucionários decidiram que a tomada dos navios se daria na noite do dia 22. A idéia não era matar oficiais, mas rendê-los enquanto estivessem dormindo.

10


Carregar ppt "Nomes: Bruno, Eduardo e Gabriel.B Turma: 82 Data: 16/05/2011 Professor: Miquéias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google