A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos."— Transcrição da apresentação:

1

2 Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos

3 Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012 em três momentos: 1 Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo 2 Projeto popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória

4 Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012 em três momentos: 1 Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo 2 Projeto popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória

5 Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012 em três momentos: 1 Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo 2 Projeto popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória

6 Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012 em três momentos: 1 Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo 2 Projeto popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória

7 "O sonho é a energia mais forte que move a humanidade. Mas só os que não se acomodam são capazes de sonhar o verdadeiro sonho transformador. Temos a responsabilidade de avançar na construção de um novo mundo. Mais que nunca o povo brasileiro sabe que isso é possível, que isto é plenamente realizável. E já começou a fazer a sua parte." (Luiz Inácio Lula da Silva)

8

9

10

11

12 Apresentação Projeto: Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos Pesquisa praticipativa: Em busca dos Sonhos de Meu Povo

13 Apresentação Projeto: Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos Pesquisa praticipativa: Em busca dos Sonhos de Meu Povo Como parte do Projeto para as eleições de 2012, os Movimentos sociais da Cidade de Vitória, temos como meta eleger companheiros (as) para a Câmara Municipal e participar de uma coligação para a eleição do Prefeito Municipal.

14 Visando superar a falta de participação popular, e preparar uma chapa representativa dos interesses de cada Bairro, pronta para o embate que se dará durante o processo eleitoral, e para o exercício das funções de representantes leais ao povo, faz parte de nossa agenda de preparação para as eleições o desenvolvimento de uma Pesquisa participativa: Em busca dos sonhos de meu povo", que tem por objetivo levantar, por Bairro e região da Cidade de Vitória, as necessidades sentidas pelos moradores.

15 Este processo de pesquisa participativa servirá para consolidar a confiança entre a população e os candidatos e para a elaboração de um Plano de Gestão Popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos. O projeto de Pesquisa será desenvolvido pela união das forças políticas e movimentos sociais (associações, sindicatos, partidos, tendências, setoriais, etc.) de Serra, organizados em uma Coligação por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória, tendo portanto caráter suprapartidário.

16 Este processo de pesquisa participativa servirá para consolidar a confiança entre a população e os candidatos e para a elaboração de um Plano de Gestão Popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos. O projeto de Pesquisa será desenvolvido pela união das forças políticas e movimentos sociais (associações, sindicatos, partidos, tendências, setoriais, etc.) da Cidade de Vitória, organizados em uma Coligação por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória, tendo portanto caráter suprapartidário.

17 Elegemos a Dilma e elegemos a maioria dos governadores, dos Senadores e Deputados. E agora? O que fazer? Qual nossa agenda de preparação para as eleições de 2012?

18

19 A primeira coisa que nós nos perguntamos é : Por que queremos governar nossa Cidade? Com qual Programa de Governo? Com quem se aliar? Como ter um movimento social popular?

20

21

22

23 Hoje, a ideia se formula como Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012, em três momentos: Momento 1 : Pesquisa participativa Em Busca dos Sonhos de meu Povo Fevereiro – Julho de 2011 Momento 2 : Projeto popular: Construindo o Município que Sonhamos Julho – Novembro de 2011 Momento 3 : Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória Março – Dezembro de 2012

24

25 Hoje, a ideia se formula como Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012, em três momentos: Momento 1 : Pesquisa participativa Em Busca dos Sonhos de meu Povo Fevereiro – Julho de 2011 Momento 2 : Projeto popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos Julho – Novembro de 2011 Momento 3 : Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória Março – Dezembro de 2012

26 Hoje, a ideia se formula como Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012, em três momentos: Momento 1 : Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo Fevereiro – Julho de 2011 Momento 2 : Projeto popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos Julho – Novembro de 2011 Momento 3 : Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória Março – Dezembro de 2012

27 Unindo Forças Como todo projeto, este também exige uma preparação, um momento preliminar, prolegômenos por assim dizer, em que a ideia é exposta à forças democraticas e populares da Cidade de Vitória, aos Movimentos Sociais da Cidade de Vitória e é aprovada, vira meta das Forças que querem uma Gestão Popular na Cidade de Vitória.

28 É nesta fase que estamos agora: Expor a ideia num esforço para dar a ela uma forma de aceitação geral, mas acima de tudo de aplicação local. Fazer dela um momento de união de forças.

29 Unindo Forças Devemos então levar a proposta para a discussão internamente nos movimentos sociais da Cidade de Vitória e junto as forças políticas passíveis de coligação. Cada força pode e deve analisá-la tendo em vista suas agendas, seus objetivos, a importância de suas alianças, as ações ou passos necessários para que atinja seus objetivos, o envolvimento no calendário proposto, a mobilização dos pesquisadores, os produtos de cada passo, os recursos que serão empregados e os procedimentos e cuidados da gestão. o.

30 Unindo Forças Devemos então levar a proposta para a discussão internamente nos movimentos sociais da Serra e junto as forças políticas passíveis de coligação. Cada força pode e deve analisá-la tendo em vista suas agendas, seus objetivos, a importância de suas alianças, as ações ou passos necessários para que atinja seus objetivos, o envolvimento no calendário proposto, a mobilização dos pesquisadores, os produtos de cada passo, os recursos que serão empregados e os procedimentos e cuidados da gestão.

31 Unindo Forças Importante que se tenha a clareza de que o projeto esboçado pressupõe a importância estratégica das Coligações. Necessariamente, o Grupo de Gestão do movimento deve ser formado democraticamente pelas forças coligadas, ou seja, que aderirem ao Movimento. Ao decidir pela participação no Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos cada movimento social deve imediatamente escolher um representante e um suplente para compor a sua coordenação. Deve também indicar entre seus quadros quais pretendem participar da aplicação da pesquisa e em quais bairros s pretendem atuar.

32 Unindo Forças Importante que se tenha a clareza de que o projeto esboçado pressupõe a importância estratégica das Coligações. Necessariamente, o Grupo de Gestão do movimento deve ser formado democraticamente pelas forças coligadas, ou seja, que aderirem ao Movimento. Ao decidir pela participação no Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos cada movimento social deve imediatamente escolher um representante e um suplente para compor a sua coordenação. Deve também indicar entre seus quadros quais pretendem participar da aplicação da pesquisa e em quais bairros pretendem atuar.

33 Unindo Forças São três os passos preparatórios para iniciar a pesquisa participativa:

34 Unindo Forças São três os passos preparatórios para iniciar a pesquisa participativa:

35 Unindo Forças São três os passos preparatórios para iniciar a pesquisa participativa:

36 Memento 1 Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo. Criado o Movimento Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos, sua consolidação segue forjando um Manifesto, um Programa e o Regimento ou carta de princípios, uma sede e um Grupo de Gestão, ao mesmo tempo o esforço pela união de forças continua e se alimenta com o início da pesquisa participativa Em busca dos Sonhos de Meu Povo, que se constitui no Momento 1 da Agenda de Preparação para as eleições de 2012.

37

38 Podem ser resumidos em seis os passos previstos para a realização da pesquisa participativa:

39

40

41

42

43

44 Momento 2 Projeto Popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos. Cumpridas as etapas anteriores tem-se os Sonhos do Povo de Serra por Bairro e para o Municipio, hierarquizados e segundo faixa etária, gênero, etnia, classe de renda, setor de atividade. E agora o que fazer com eles? Como nos organizar para realizar os Sonhos do Povo? Inicia-se o segundo Momento da agenda de preparação para as eleições de 2012: a construção de um Projeto popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos.

45 Momento 2 Projeto Popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos. Cumpridas as etapas anteriores tem-se os Sonhos do Povo da Cidade de Vitória por Bairro e para o Municipio, hierarquizados e segundo faixa etária, gênero, etnia, classe de renda, setor de atividade. E agora o que fazer com eles? Como nos organizar para realizar os Sonhos do Povo? Inicia-se o segundo Momento da agenda de preparação para as eleições de 2012: a construção de um Projeto popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos.

46

47 Momento 2 Projeto Popular: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos. Cumpridas as etapas anteriores tem-se os Sonhos do Povo de Vitória por Bairro e para o Municipio, hierarquizados e segundo faixa etária, gênero, etnia, classe de renda, setor de atividade. E agora o que fazer com eles? Como nos organizar para realizar os Sonhos do Povo? Inicia-se o segundo Momento da agenda de preparação para as eleições de 2012: a construção de um Projeto popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos.

48 Listamos pelo menos seis passos essenciais, que se desdobram em muitos outros, para elaboração do Plano Popular:

49

50

51

52

53

54 Momento 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória Nessa altura, cumpridas as etapas anteriores da agenda, já se tem os Sonhos e as propostas para seu encaminhamento, já se tem organizados os Comitês Setoriais de Bairro e e também os Comites de Representantes de Bairro. E agora? Como garantir que nossos sonhos sejam ao menos perseguidos?

55 Momento 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória Nessa altura, cumpridas as etapas anteriores da agenda, já se tem os Sonhos e as propostas para seu encaminhamento, já se tem organizados os Comitês Setoriais de Bairro e também os Comites de Representantes de Bairro. E agora? Como garantir que nossos sonhos sejam ao menos perseguidos?

56 Momento 3 Campanha: Por uma Gestão Popular da Cidade de Vitória Nessa altura, cumpridas as etapas anteriores da agenda, já se tem os Sonhos e as propostas para seu encaminhamento, já se tem organizados os Comitês Setoriais de Bairro e e também os Comites de Representantes de Bairro. E agora? Como garantir que nossos sonhos sejam ao menos perseguidos?

57 É preciso colocar no poder, na Prefeitura e na Câmara Municipal de Vitória pessoas conhecedoras dos sonhos e compromissadas com o plano popular elaborado: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos. Quem são as pessoas de nossa confiança para conduzir a realização de nossos sonhos? Como vencer as eleições? Inicia-se o terceiro momento da Agenda para a preparação das eleições de 2012: Campanha: Por Uma Gestão Popular da Cidade de Vitória.

58

59

60 Resumimos em quatorze os passos essenciais da Campanha, incluindo a formação da Chapa de Candidatos da Coligação, passos que na prática certamente se desdobrarão:

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75 O que é a Pesquisa popular: Em busca dos sonhos do meu povo

76 Mas o que é essa pesquisa? Como descobrir os sonhos de Meu povo? Como recrutar os pesquisadores?

77

78

79 O ideal é que se faça uma espécie de corrente iniciada pelos militantes dos movimentos políticos e sociais, e que, cada pesquisado passe a fazer também a pesquisa, no trabalho, em casa, na escola, no quotidiano, mas nem tudo é assim tão fácil, entretanto a possibilidade de pessoas que responderem a pesquisa aderirem à função de pesquisador não deve ser desprezada, ao contrário.

80 O ideal é que se faça uma espécie de corrente iniciada pelos militantes dos movimentos políticos e sociais, e que, cada pesquisado passe a fazer também a pesquisa, no trabalho, em casa, na escola, no quotidiano. Mas nem tudo é assim tão fácil. entretanto a possibilidade de pessoas que responderem a pesquisa aderirem à função de pesquisador não deve ser desprezada, ao contrário.

81 O ideal é que se faça uma espécie de corrente iniciada pelos militantes dos movimentos políticos e sociais, e que, cada pesquisado passe a fazer também a pesquisa, no trabalho, em casa, na escola, no quotidiano. M as nem tudo é assim tão fácil. Entretanto a possibilidade de pessoas que responderem a pesquisa aderirem à função de pesquisador não deve ser desprezada, ao contrário.

82 Uma maneira fácil de explicar do que se trata a pesquisa participativa é simulando a abordagem do pesquisador. Seria mais ou menos assim:

83 Nós queremos saber dos sonhos de nosso povo. Estamos fazendo esta pesquisa porque queremos Construir o Município que Sonhamos. Para fazer isso precisamos que você e seus vizinhos digam quais são seus sonhos para seu Bairro e para Cidade de Vitória.

84

85 Nós queremos saber dos sonhos de nosso povo. Estamos fazendo esta pesquisa porque queremos Construir o Município que Sonhamos. Para fazer isso precisamos que você e seus vizinhos digam quais são seus sonhos para seu Bairro e para Cidade de Vitória. Precisamos também que você nos ajude a fazer um plano para realizar os sonhos dos moradores de seu Bairro e de Serra.

86 Nós queremos saber dos sonhos de nosso povo. Estamos fazendo esta pesquisa porque queremos Construir o Município que Sonhamos. Para fazer isso precisamos que você e seus vizinhos digam quais são seus sonhos para seu Bairro e para a Cidade de Vitória. Precisamos também que você nos ajude a fazer um plano para realizar os sonhos dos moradores de seu Bairro e da Cidade de Vitória.

87 Por isso, alem de nos responder a estas questões você está convidado desde já para comparecer as reuniões que vamos realizar aqui no seu Bairro e você vai receber este convite indicando data, local e hora, em seu endereço. As reuniões vão ser para apresentar os resultados desta pesquisa e para organizarmos formas de realizar os sonhos encontrados na pesquisa, os seus e os dos outros, aí então coletivos, para o seu Bairro e para a Cidade de Vitória. Por isso nosso movimento se chama: Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos.

88

89

90 São quatro as perguntas que queremos que você responda: Primeira Pergunta: 1. O que tem ou acontece no seu Bairro e em Serra que você gostaria que não existisse ou acontecesse ? Segunda pergunta: 2. O que tem ou acontece no seu Bairro e em Serra que você gostaria que nunca deixasse de existir ou acontecer? Terceira pergunta: 3. O que não tem ou não acontece no seu Bairro e em Serra que você gostaria muito que existisse ou acontecesse?

91 São quatro as perguntas que queremos que você responda: Primeira Pergunta: 1. O que tem ou acontece no seu Bairro e na Cidade de Vitória que você gostaria que não existisse ou não acontecesse ? Segunda pergunta: 2. O que tem ou acontece no seu Bairro e na Cidade de Vitória que você gostaria que nunca deixasse de existir ou acontecer? Terceira pergunta: 3. O que não tem ou não acontece no seu Bairro e na Cidade de Vitória que você gostaria muito que existisse ou acontecesse?

92

93

94 Quarta pergunta: 4. Quem você conhece no seu Bairro que merece sua confiança para representar seu Bairro ? Queremos também saber seu endereço para poder enviar o convite para as reuniões. Precisamos saber também informações para possibilitar que apresentemos os sonhos por idade, sexo, gênero, etnia, classe social, etc.

95

96

97 Finalmente queremos saber se você quer participar nos ajudando a fazer esta pesquisa. Se você quiser eu te dou o endereço de nossa coordenação e o horário de nossas reuniões.

98 Portanto a pesquisa não é um pedido de informaçôes que depois vão ser manipuladas, sabe deus para o quê: para vender um produto, para ganhar um voto, para eleger um ou mais vereadores.

99 Ela é um convite para participar de um movimento de transformação no jeito de fazer política, para que o cotidiano enfim melhore através da elaboração e gestão de um plano elaborado pela própria população e pela formação de um movimento popular que vai apresentar uma Chapa de Candidatos oriunda dele e compromissada com ele.

100 Ela é um convite para participar de um movimento de transformação no jeito de fazer política, para que o cotidiano enfim melhore através da aplicação de um plano elaborado e conduzido pela própria população e pela formação de um movimento popular que vai apresentar uma Chapa de Candidatos oriunda dele e compromissada com ele.

101

102 A pesquisa é acima de tudo um convite para participar de um processo de mudança que se inicia agora, é também uma promessa de que desta vez vai ser diferente, promessa que o movimento tem que honrar, senão fica tudo na mesma, alimentando o niilismo que queremos superar, e o fracasso virá cedo ou tarde.

103

104

105

106 Ela é um ato de vontade e um compromisso de fazer diferente do que sempre foi feito na política local, uma semente que deve ser cuidada para florescer, crescer e amadurecer e morrer... no nascimento do projeto.

107 É um ato de vontade e um compromisso de fazer diferente do que sempre foi feito na política local, uma semente que deve ser cuidada para florescer, crescer e amadurecer e morrer... no nascimento do projeto.

108 Os resultados não são previsíveis, depende da capacidade do movimento de conquistar a confiança da população através de seu real envolvimento na formulação e condução do projeto. Mas para conquistar a confiança é preciso confiar Para conquistar a confiança do povo é preciso acreditar no povo.

109

110

111 Para conquistar a confiança do povo é preciso acreditar no povo.

112 Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos Uma Agenda Municipal para as Eleições de 2012 em três momentos: Pesquisa participativa: Em Busca dos Sonhos de meu Povo FORMULÁRIOS DE PESQUISA

113

114

115

116 Para terminar (Iniciar) esta jornada

117 A título, por assim dizer, de epilegômenos, importante dizer que não vai nesta proposta nenhuma intenção que não seja a de contribuir, ou melhor, incentivar a busca de caminhos para aprofundar a democracia a nível local, o que só é possível colocando a ciência a serviço do cotidiano.

118 Não se trata de um modelo ou um sistema acabado, mas muito mais de indicar possibilidades, caminhos alternativos, aberturas nas muralhas historicamente dadas, com uma lógica, para permitir a união indispensável aos projetos coletivos, para também impedir os retrocessos.

119 Deixemos de lado os detalhes, pois em cada local há que se partir com o que se tem. As pessoas, os recursos, as técnicas, os tempos, os ritmos devem se ajustar, com o cuidado de não se perder a direção, as metas: aprofundar a democracia, incentivar a mobilização social, a apropriação da política pelo povo, para continuar mudando o Brasil na direção de nosso projeto Socialista em cada Município.

120 Os povos originários da Mãe Africa nos ensinam o Ubuntu: "Eu sou porque nós somos, uma pessoa é uma pessoa por meio de outras pessoas e de todos os seres do universo. Cuidar do outro implica o cuidado para com a natureza (o meio ambiente) e os seres não humanos. Outra forma de ser seria "des-umana", isto é, não humano e desrespeitoso ou até cruel para com os outros.

121 A utopia está em nós. É o que nós podemos inventar. Mas não tu e não eu, mas juntos e com outras pessoas ir construindo em nossas mentes outras formas de se relacionar. A utopia é crermos realmente que podemos viver de maneira diferente. Mas temos que ser muitos os que acreditamos nisso, não uma pessoa.

122 Nossa realização, e a de nossos filhos, dependerá sempre da realização de todos. Daí a importância de saber os sonhos de nosso povo para forjar um projeto popular e construir o Bairro, o Município, o quotidiano que sonhamos.

123 Finalmente, quero recordar e me identificar com as palavras de Dilma Russeff, ainda ministra e candidata, em abril de 2010, no ABC. Que elas nos sirvam de exemplo:

124 Companheiros e Companheiras do ABC. Estou aqui hoje e quero aproveitar este momento para me identificar com maior clareza. Os da oposição precisam dizer quem são. Vocês sabem quem eu sou, e vão saber ainda mais. O que eu fiz, o que planejo fazer e, uma coisa muito importante, o que eu não faço de jeito nenhum. Por isso gostaria de dizer que:

125 1. Eu não fujo quando a situação fica difícil. Eu não tenho medo da luta. Posso apanhar, sofrer, ser maltratada, mas estou sempre firme com minhas convicções. Em cada época da minha vida, fiz o que fiz por acreditar no que fazia. Só segui o que a minha alma e o meu coração mandavam. Nunca me submeti. Nunca abandonei o barco.

126 2. Eu não sou de esmorecer. Vocês não me verão entregando os pontos, desistindo, jogando a toalha. Vou lutar até o fim por aquilo em que acredito. Estarei velhinha, ao lado dos meus netos, mas lutando sempre pelos meus princípios. Por um País desenvolvido com oportunidades para todos, com renda e mobilidade social, soberano e democrático;

127 3. Eu não apelo. Vocês não verão Dilma Rousseff usando métodos desonestos e eticamente condenáveis para ganhar ou vencer. Não me verão usando mercenários para caluniar e difamar adversários. Não me verão fazendo ou permitindo que meus seguidores cometam ataques pessoais a ninguém. Minhas críticas serão duras, mas serão políticas e civilizadas. Mesmo que eu seja alvo de ataques difamantes.

128 4. Eu não traio o povo brasileiro. Tudo o que eu fiz em política sempre foi em defesa do povo brasileiro. Eu nunca traí os interesses e os direitos do povo. E nunca trairei. Vocês não me verão por aí pedindo que esqueçam o que afirmei ou escrevi. O povo brasileiro é a minha bússola. A eles dedico meu maior esforço. É por eles que qualquer sacrifício vale a pena.

129 5. Eu não entrego o meu país. Tenham certeza de que nunca, jamais me verão tomando decisões ou assumindo posições que signifiquem a entrega das riquezas nacionais a quem quer que seja. Não vou destruir o estado, diminuindo seu papel a ponto de tornar-se omisso e inexistente. Não permitirei, se tiver forças para isto, que o patrimônio nacional, representado por suas riquezas naturais e suas empresas públicas, seja dilapidado e partido em pedaços. O estado deve estar a serviço do interesse nacional e da emancipação do povo brasileiro.

130 6. Eu respeito os movimenos sociais. Esteja onde estiver, respeitarei sempre os movimentos sociais, o movimento sindical, as organizações independentes do povo. Farei isso porque entendo que os movimentos sociais são a base de uma sociedade verdadeiramente democrática. Defendo com unhas e dentes a democracia representativa e vejo nela uma das mais importantes conquistas da humanidade.

131 Tendo passado tudo o que passei justamente pela falta de liberdade e por estar lutando pela liberdade, valorizo e defenderei a democracia. Defendo também que democracia é voto, é opinião. Mas democracia é também conquista de direitos e oportunidades. É participação, é distribuição de renda, é divisão de poder. A democracia que desrespeita os movimentos sociais fica comprometida e precisa mudar para não definhar. O que estamos fazendo no governo Lula e continuaremos fazendo é garantir que todos sejam ouvidos.

132 Democrata que se preza não agride os movimentos sociais. Não trata grevistas como caso de polícia. Não bate em manifestantes que estejam lutando pacificamente pelos seus interesses legítimos

133 Aquele país triste, da estagnação e do desemprego, ficou pra trás. O povo brasileiro não quer esse passado de volta. Acabou o tempo dos exterminadores de emprego, dos exterminadores de futuro. O tempo agora é dos criadores de emprego, dos criadores de futuro.

134 Porque, hoje, o Brasil é um país que sabe o quer, sabe aonde quer chegar e conhece o caminho. É o caminho que Lula nos mostrou e por ele vamos prosseguir. Avançando. Com a força do povo e a graça de Deus

135 Parabéns. Obrigado por Você existir. Um 2011 cheio de Ubuntu, Utopias e Realizações. Abraços fraternos

136 Aos Movimentos Sociais da Cidade de Vitória Consultor de Planejamento Carlos Alberto Feitosa Perim Engenheiro Civil Especialista em Planejamento Urbano e Regional Setorial de Ciência e Tecnologia PT-ES, Equipe de Formadores Políticos do PT-ES (027)

137

138

139

140 Aos Movimentos Sociais de Serra Consultor de Planejamento Carlos Alberto Feitosa Perim Engenheiro Civil Especialista em Planejamento Urbano e Regional Setorial de Ciência e Tecnologia PT-ES, Equipe de Formadores Políticos do PT-ES (027)


Carregar ppt "Movimento Popular Construindo a Cidade de Vitória que Sonhamos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google