A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AUDIÊNCIA PÚBLICA 15 de janeiro de 2008. A CESP PERFORMANCE OPERACIONAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AUDIÊNCIA PÚBLICA 15 de janeiro de 2008. A CESP PERFORMANCE OPERACIONAL."— Transcrição da apresentação:

1 AUDIÊNCIA PÚBLICA 15 de janeiro de 2008

2 A CESP

3 PERFORMANCE OPERACIONAL

4 4 A CESP opera um parque gerador composto por 6 usinas hidrelétricas localizadas no Estado de São Paulo com capacidade instalada total de MW e energia assegurada total de MW médios RJ MG Rio Grande Rio Pardo Rio Mogi Guaçu Rio Paraíba PR Rio Paranapanema Rio Tietê MS Rio Paraná São Paulo Rio Grande Ilha Solteira Três Irmãos Jaguari Paraibuna Porto Primavera (Sergio Motta) Jupiá DESCRIÇÃO DO ATIVO

5 TOTAL Paraiba Paraná Paraibuna Abr/20/1978 Jaguari Mai/05/1972 Bacia/Usina Nº de Unidades Capac. Instalada Energia Assegurada MW médios Início Operação Ilha Solteira (IS) Jul/18/1973 Três Irmãos (TI) Nov/28/1993 Complexo IS / TI Jupiá Abr/14/1969 Porto Primavera Jan/23/1999 PARQUE GERADOR 5

6 Antes da Reestruturação Societária Após Reestruturação Societária 6

7 GERADORA PURA - 100% Origem Hidráulica Terceira maior empresa do setor em produção de energia elétrica 1,2 milhão de clientes empregados 22 Usinas MW capacidade instalada US$ 9,8 bilhões de passivo US$ 21,6 bilhões de ativo EBITDA US$ 518 MM Endividamento Total / EBITDA - 19 anos 86 clientes empregados 6 Usinas MW capacidade instalada US$ 5,2 bilhões de passivo US$ 10,8 bilhões de ativo EBITDA (UDM): US$ 779 MM Endividamento Total / EBITDA - 5,1 anos Antes da Privatização Geração Transmissão Distribuição Geração 30 / 09 / 2007 CESP ATUAL 7

8 (MW) Acréscimo de 46,8% = MW (Apenas usinas que compõem o atual parque gerador da CESP) CAPACIDADE INSTALADA 8

9 A CESP é uma referência no setor em desempenho operacional com alta disponibilidade de suas unidades geradoras e baixa taxa de falhas se comparados com o padrão ANEEL e à média do setor. Índice de Disponibilidade 93,3% 92,3% 92,4% 93,5% DisponibilidadePadrão ANEEL 94,6% 88,0% 2006 Taxa de Falhas 1,19 0,84 0,68 0,99 2,16 2,34 2,64 2, Taxa de FalhasMédia do Setor 0,89 2, Fonte: ABRAGE PERFORMANCE OPERACIONAL 9

10 A CESP vem consistentemente produzindo energia acima de sua energia assegurada definida pela ANEEL Produção de Energia (GWh) Energia Assegurada , Produção de Energia Produção nominal da CESP Obs: Produção até o mês de setembro (Nov/07) PERFORMANCE OPERACIONAL 10

11 Portfólio de clientes diversificado, principalmente focado em distribuidoras que dão maior estabilidade e previsibilidade às vendas e em clientes livres que propiciam maior flexibilidade aos negócios da Companhia, com um percentual substancial de sua capacidade disponível para contratação a partir de 2013 CCEAR (Distribuidores) Consumidores Livres Sobra de Energia Energia Assegurada MW – Centro de Gravidade 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% % % % % % % % % % % 78 2% % % % % % % % % % 350 9% % % 230 6% % 230 6% % % % % % % % Set/07 PORTFÓLIO DE CLIENTES 11

12 ASPECTOS FINANCEIROS

13 FIDC III R$ 650 milhões Ago/2006 FIDC IV R$ 1,25 bilhão Abr/2007 Operações de Bônus (Call + Tender Offer) US$ 220mm = R$ 488mm - Ago/2006 US$ 350mm = R$ 750 mm - Jan/2007 Oferta Pública das Ações Preferenciais Classe B (PNB) – R$ 2,0 bilhões Jul/2006 Privatização CTEEP – R$ 1,2 bilhão Jul/2006 1,2 2,0 1, ,65 CTEEPCTEEP OF.PÚBLICAOF.PÚBLICA BÔNUSBÔNUS FIDC IV 1, FIDC III Aumento de Capital R$ 3,2 bilhões Prazo: 10 anos Carência: 5 anos (para o principal) Recursos Envolvidos na Reestruturação – R$ 6,3 bilhões Para adequar sua geração de caixa ao serviço da sua dívida a CESP lançou um programa amplo de reestruturação da sua estrutura de capital que contou com os seguintes instrumentos: PLANO DE REESTRUTURAÇÃO 13

14 R$ Milhões 9M2007 EBITDA 14

15 Investimentos de Capital R$ milhões PLANO DE INVESTIMENTOS 15

16 Não incluindo a Variação Cambial e as Despesas Não Recorrentes - 34% R$ milhões DESPESAS FINANCEIRAS LÍQUIDAS 16

17 Evolução por Moeda US$ Bilhões 42% Dez-98Mar-99Dez-99Dez-00Dez-01Dez-02Dez-03Dez-04Dez-05Dez-06Set-07 Moeda EstrangeiraMoeda Nacional 8,0 6,8 4,3 4,7 4,1 3,8 3,6 3,9 4,2 3,5 3,9 DÍVIDA FINANCEIRA 17

18 (Passivo Circulante + Exigível a LP) - (Ativo Circulante + Realizável a longo prazo) R$ milhões ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO 18

19 30/Set/07: R$ milhões DÍVIDA FINANCEIRA POR CREDOR 19

20 30/Set/07: R$ milhões (36%) DÍVIDA EM MOEDA ESTRANGEIRA 20

21 30/Set/07: R$ milhões (64%) DÍVIDA EM MOEDA NACIONAL 21

22 Base 30/09/07 R$ Milhões (Empréstimos e Financiamentos + FIDC + Plano de Pensão + Valores a Pagar) PERFIL DA DÍVIDA / 2019

23 ESTRUTURA DE CAPITAL

24 CRIAÇÃO DE AÇÕES PREFERENCIAIS CLASSE B CONVERSÃO VOLUNTÁRIA DE ON e PNA´s (PNB relação 1:1) CONCENTRAÇÃO DA LIQUIDEZ EM UMA ÚNICA CLASSE DE AÇÃO (PNB) COMPROMETIMENTO COM O MERCADO DE CAPITAIS Adesão ao Nível 1 de Práticas Diferenciadas de Governança Coorporativa com Incorporação ao Estatuto: Tag-Along de 100% para PNB (Novo Mercado) Mandato 2 anos Diretoria e Conselho de Administração (Nível 2) 20% Conselheiros Independentes (Nível 2) Adesão à Câmara de Arbitragem da Bovespa (Nível 2) Adoção de Normas Internacionais de Contabilidade (US-GAAP) a partir de Janeiro de 2009 (Nível 2) Grupamento das ações em agosto/07 (1.000 x 1) CESP voltou a compor a carteira do ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial para o período de 01/12/07 a 30/11/08 OFERTA PÚBLICA DE AÇÕES 24

25 CAPITAL TOTAL ORDINÁRIAS x PREFERENCIAIS DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL 25

26 30/09/07 ONPNAPNBTOTAL Fazenda do Estado de São Paulo93,68-3,3433,37 CIA Metropolitano(Metrô)1,62-8,095,73 CIA Paulista de Parcerias - CPP--6,564,21 CIA.Saneam.Básico SP – SABESP0,01--- SUBTOTAL – ESTADO DE SÃO PAULO95,31-17,9943,31 Banco Santander BANESPA0,89-11,407,62 Banco Opportunity (Fundos)0,15-12,357,98 ELETROBRÁS0,0382,08-2,05 Mercado3,6317,9258,2639,04 SUBTOTAL-DEMAIS ACIONISTAS4,70100,0082,0156,69 T O T A L100,00 Em percentual % PRINCIPAIS ACIONISTAS 26

27 ESTRUTURA E MODELO DE VENDA

28 Leilão de venda em lote único das ações ordinárias nominativas representativas do bloco de controle da CESP e preferenciais nominativas classe B de titularidade direta da Fazenda do Estado de São Paulo A modalidade do leilão será a de envelope fechado com repique de viva voz O Preço Mínimo de venda das ações será informado quando da publicação do Edital de Venda O pagamento do preço final do leilão será à vista, em moeda corrente nacional Para participação no leilão, os investidores deverão fazer a pré-identificação junto à CBLC, comprovando a habilitação jurídica, regularidade fiscal e qualificação econômico-financeira, nos termos do Manual de Instruções que será divulgado pela BOVESPA Cada participante do leilão deverá apresentar garantia financeira à CBLC, por meio de uma corretora Restrição à participação no leilão de companhias públicas estaduais Vedado pela Lei do PED, Art. 24, § 2º ESTRUTURA E MODELO DE VENDA 28

29 Serão ofertadas aos empregados da CESP ações representativas de 5% do Capital Total da CESP, tendo como parâmetro o tratamento dado em operações semelhantes O novo controlador terá a obrigação de comprar as sobras da oferta aos empregados O vencedor do leilão deverá pagar ao Estado uma quantia adicional, para compensar o deságio da oferta aos empregados Será assegurado assento no Conselho de Administração de um representante dos empregados, enquanto a CESP mantiver o registro de companhia aberta OFERTA AOS EMPREGADOS 29

30 Obrigações aos Empregados Cumprimento dos Acordos Coletivos Assegurar plano de previdência complementar Manutenção de registro de companhia aberta enquanto houver dívidas garantidas pelo Estado Manutenção da sede no Estado de São Paulo Contribuição Hidrovia Tietê-Paraná Contribuição Instituto Criança Cidadã durante 3 anos Contribuição Fundação Patrimônio Histórico durante 3 anos Outras que venham eventualmente a serem definidas OBRIGAÇÕES DO COMPRADOR 30

31 CONTRATO DE CONCESSÃO

32 Foi solicitada à ANEEL anuência à mudança de controle acionário da CESP A renovação da concessão de Porto Primavera também já foi solicitada à ANEEL CONTRATO DE CONCESSÃO 32 UsinaTérmino da Concessão Porto Primavera2008 Três Irmãos2011 Jupiá2015 Ilha Solteira2015 Jaguari2020 Paraibuna2021

33 CRONOGRAMA PRELIMINAR DE VENDA

34 O Conselho Diretor do PED recomendou e o Governador aprovou, em 21 de dezembro de 2007, um plano de trabalho para o desenvolvimento do processo com estimativa de realização do leilão até o final do primeiro trimestre de 2008 Cumpridos todos os requisitos legais, o Estado poderá realizar o leilão a partir de 20 de fevereiro de 2008 CRONOGRAMA PRELIMINAR DE VENDA 34 Prazo Mínimo LegalData Mínima Audiência Pública–15 de janeiro Publicação do Edital15 dias úteis08 de fevereiro Realização do Leilão10 dias20 de fevereiro


Carregar ppt "AUDIÊNCIA PÚBLICA 15 de janeiro de 2008. A CESP PERFORMANCE OPERACIONAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google