A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa."— Transcrição da apresentação:

1 1 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa 4. Tarifas aéreas e armazenagem aeroportuária 2. Infra-estrutura 6. Estudos de casos

2 2 Desafios da Logística …

3 3 Principais aeroportos no mundo LAX MIA HKG NRT JFK FRA LHR ANC AMS CDG GRU MEM SEL TPE ORD SDF EWR ATL DAY IND DFW VCP Fonte:Air Cargo World Magazine – VCP/GRU não fazem parte da lista

4 4 Ranking dos aeroportos de carga Fonte: Airport Council International

5 5 Uma questão fundamental da logística Níveis de Serviço x Custos logísticos Infelizmente, nenhum sistema de logística pode maximizar o atendimento ao cliente e minimizar o custo de distribuição ao mesmo tempo. (Kotler e Armstrong 2003)

6 6 Níveis de Serviço

7 7 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa 4. Tarifas aéreas e armazenagem aeroportuária 2. Infra-estrutura 6. Estudos de casos

8 8 Transporte Aéreo Órgãos e empresas no modal aéreo Ministério da Defesa – Comando da Aeronáutica ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil IATA – International Air Transport Association Companhias Aéreas Agentes de carga ou operadores logísticos Tipos de Aeronaves All Cargo Full Pax Combi

9 9 Aviões cargueiros Antonov 124/100 B747MD11DC8B707B /770100/60060/40045/27036/22028/160 ALL CARGO TON/M 3 Modelo - ACFT

10 10 Aviões de passageiros B747DC10A310B767B757Fokker100 14/9014/9011/709/605/301,2/7 FULL PAX TON/M 3 Modelo - ACFT

11 11 Aviões combinados MD11B747 25/15030/180 COMBI TON/M 3 Modelo - ACFT

12 12 Radiografia F

13 13 Radiografia F

14 14 Novo navio cargueiro da MAERSK Emma Maersk operando no Porto de Rotterdam

15 15 Transporte Internacional - Marítimo Medidas dos Containers

16 16 Transporte Internacional - Marítimo Capacidades dos Containers

17 17 Tipos de Containers Dry Boxadequado para cargas secas em geralDry Box - adequado para cargas secas em geral Bulk ContainerCom escotilhas posicionadas para carregamento e descarga - granéis sólidosBulk Container - Com escotilhas posicionadas para carregamento e descarga - granéis sólidos

18 18 Ventilated - com pequenas aberturas nas laterais - utilizado para cargas que requisitam ventilação naturalVentilated - com pequenas aberturas nas laterais - utilizado para cargas que requisitam ventilação natural ReeferUnidade de refrigeração auto sustentável ou acoplável (ar ou força) - ideal para cargas perecíveisReefer - Unidade de refrigeração auto sustentável ou acoplável (ar ou força) - ideal para cargas perecíveis Tipos de Containers

19 19 OpenTop - para cargas com dificuldade de manuseio pelas portasOpenTop - para cargas com dificuldade de manuseio pelas portas Open Side, Flat Rack e Plataforma -Apresentam uma ou mais paredes móveis. Para facilidades de acesso ou para cargas oversizeOpen Side, Flat Rack e Plataforma -Apresentam uma ou mais paredes móveis. Para facilidades de acesso ou para cargas oversize Tipos de Containers

20 20 Tank - Container - envolto por uma armação apropriada, trata-se de um tanque destinado ao transporte de líquidos em geral e perigososTank - Container - envolto por uma armação apropriada, trata-se de um tanque destinado ao transporte de líquidos em geral e perigosos Tipos de Containers

21 21 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa 4. Tarifas aéreas e armazenagem aeroportuária 2. Infra-estrutura 6. Estudos de casos

22 22 Terminais de Carga Terminais de Carga Doméstica – TECA: Terminais das Empresas Aéreas - As empresas aéreas poderão possuir terminais de carga somente para movimentação de carga doméstica. Os Correios também possuem terminais próprios de carga em alguns aeroportos. Terminais de Carga Internacional – TECA: Somente a INFRAERO poderá movimentar e armazenar carga internacional (Exportação e Importação) nos aeroportos brasileiros. Ela é à Fiel Depositária junto a Receita Federal (Aduana).

23 23 Equipamentos nos aeroportos Carro para transporte de carga granel Dolly – equipamento de movimentação pallets

24 24 UNITIZAÇÃO Unitizar uma carga significa agrupar as partes, visando facilitar o manuseio, armazenagem e transporte em suas etapas de transferência entre origem e destino final.

25 25 Vantagens da unitização redução do nº de volumes manipuladosredução do nº de volumes manipulados menor nº de manuseiosmenor nº de manuseios racionalidade de mão-de- obraracionalidade de mão-de- obra possibilidade de uso mecanizadopossibilidade de uso mecanizado contribui para redução de custos operacionaiscontribui para redução de custos operacionais contribui para redução de custos de embalagenscontribui para redução de custos de embalagens redução de avarias e extraviosredução de avarias e extravios redução do prêmio de seguroredução do prêmio de seguro

26 26 Pallet É uma unidade que, na sua forma, assemelha-se a um estrado. Pode ser de madeira, metais, plásticos e papelões, de uso descartável ou constante. Também chamado de sub-unidade de carga, visa auxiliar na movimentação e estocagem (verticalização) de bens.

27 27 Unitização no transporte aéreo Unit Load Devices (ULDs): são unidades de cargas com vários formatos, tamanhos e especificações, também considerados acessórios do veículo transportador.

28 28 Containers e Pallets Aeronáuticos

29 29

30 30

31 31

32 32 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa 4. Tarifas aéreas e armazenagem aeroportuária 2. Infra-estrutura 6. Estudos de casos

33 33 Freight prepaid - o pagamento do frete deve ser feito na origem, para emissão do conhecimento de embarque. Freight collect - poderá ser pago em qualquer lugar, normalmente ocorrendo no destino, quando da retirada do conhecimento de embarque. Responsabilidade pelo frete

34 34 Conhecimento de embarque aéreo AWB - Airwaybill MAWB - Master Airway Bill HAWB - House Airway Bill

35 35 Centros de consolidação dos operadores logísticos Fornecedor AFornecedor BFornecedor CFornecedor D Centro de Consolidação / Op.Logístico MAWB HAWB Cliente A HAWB Cliente B HAWB Cliente C HAWB Cliente D

36 36 Cópia de AWB Exportador Importador

37 37 Tipos de Tarifas Aéreas Mínima Geral Consolidada Classificada

38 38 Tarifas Mínimas US$ 35 para países limítrofes (exceto Colômbia e Venezuela) US$ 50 para as Américas do Norte e Central, Peru, Colômbia e Venezuela US$ 50 para a Europa De US$ 60 a US$ 80 para a Ásia e Oceania

39 39 Tarifa Consolidada (mais comum) ëAté 45 Kg ëde 45Kg até 100Kg ëde 100Kg até 300Kg ëde 300Kg até 500Kg Acima de 500Kg Tarifa da Consolidada

40 40 Tarifas Classificadas animais vivos carga valiosa (ouro, diamante, jóias etc) restos humanos publicações periódicas, livros sonorizados etc

41 41 Collect Fee % sobre o valor do frete Taxa de Desconsolidação Delivery Fee é a taxa p/ entrega dos documentos Taxas Acessórias – Modal Aéreo Fuel Surcharge Security Surcharge

42 42 Comunicado ao mercado

43 43 Definições e cálculo do frete aéreo Peso Cubado: peso da carga definido com base nas dimensões do volume Fator de Estiva: 1 M3 = 1/6 TON = 166 Kg Peso Bruto: peso propriamente dito Cálculo Frete Internacional

44 44 Exemplo: 01 Volume, peso bruto 50 kg Dimensões : 100 cm x 50 cm x 40 cm (CLA) Peso Cubado =100 x 50 x 40 = 33kg Peso Bruto 50 kg > Peso Cubado 33 kg, logo, Peso Taxado = 50 kg Cálculo Frete Internacional

45 45 Tarifação sobre VALOR CIF ou KG ARMAZENAGEM AEROPORTUÁRIA INFRAERO PORTARIA DO COMANDO DA AERONÁUTICA NR. 219/GC5 de 27/03/2001 Armazenagem Primária INFRAERO: empresa estatal do Ministério da Aeronáutica, responsável pela administração dos aeroportos brasileiros, assim como dos terminais de carga (TECA) e de passageiros ATAERO – Adicional Tarifa Aeroportuária

46 46 Armazenagem Primária Importação

47 47 Armazenagem Primária Exportação

48 48 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa 4. Tarifas aéreas e armazenagem aeroportuária 2. Infra-estrutura 6. Estudos de casos

49 49 Exportação – Peso das pequenas empresas Fonte: SEBRAE Participação das MPE nas Exportações de alguns países Brasil 12% México 50% Itália 53% USA 57%

50 50 Correios – Programa Exporta Fácil Dispensa o registro no Radar e o RE Centralização da fiscalização aduaneira Registro gratuito da exportação no Siscomex (DSE) pelos CORREIOS O cliente recebe via postal o Certificado de Exportação Limite de embarque até US$ ,00 Limite de 30 kg por volume

51 51 O DESEMBARAÇO ALFANDEGÁRIO ACONTECE DENTRO DOS CORREIOS

52 52 Níveis de serviços dos Correios + PRIORITÁRIOECONÔMICO VALOR AGREGADO - + PREÇO -

53 53 Solução Logística RastreamentoparaRemessasExpressas

54 54 Comparativo de custos entre players Tipo de Serviço: Door to Door

55 55 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa 4. Tarifas aéreas e armazenagem aeroportuária 2. Infra-estrutura 6. Estudos de casos

56 56 Estudo de caso 1 – Exportação ASA aérea Material oversize: 10,5m x 3,0m x 1,8m (C x L x A) Somente duas cias. aéreas com equipamento nose door, para atendimento à Europa Forte pressão da produção por rapidez no ciclo Destino à região de Bilbao

57 57

58 58 Comparativo custos e nível de serviço

59 59 Exportação ASA para Bilbao via Luxemburgo

60 60 Classificação IATA - Cargas perigosas Classe 1 – explosivos Classe 2 – gases Classe 3 – líquidos inflamáveis Classe 4 – sólidos inflamáveis Classe 5 – combustíveis e materiais oxidantes Classe 6 – substâncias tóxicas e infecciosas Classe 7 – materiais radioativos Classe 8 – corrosivos Classe 9 – mercadorias perigosas diversas

61 61

62 62 Combinação explosiva – vôo cargueiro UPS Em Fev 2006, num vôo de Atlanta para Filadélfia, dois produtos reagiram causando pouso de emergência.

63 63 Caso 2 – Exportação expressa de pequenos volumes

64 64 Acompanhamento da logística via web

65 65 HUB Warehouse UPS - Louisville VÍDEO 8 minutos

66 66 OBRIGADO!


Carregar ppt "1 AGENDA 1. Panorama dos transportes internacionais 3. Aspectos operacionais e formas de unitização 5. Exportações e os serviços de logística expressa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google