A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Império Romano. Expansionismo romano Supremacia romana no Mediterrâneo Aumento de riquezas Aumento do número de escravos Poderio militar A Crise e suas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Império Romano. Expansionismo romano Supremacia romana no Mediterrâneo Aumento de riquezas Aumento do número de escravos Poderio militar A Crise e suas."— Transcrição da apresentação:

1 Império Romano

2 Expansionismo romano Supremacia romana no Mediterrâneo Aumento de riquezas Aumento do número de escravos Poderio militar A Crise e suas consequências A Guerra Civil As instituições políticas da República começaram a se desintegrar. os patrícios queriam manter a República e os seus privilégios os cavaleiros almejavam o controle do poder político os clientes que serviam de instrumento na luta política o Exército constituiu-se em instrumento político nas mãos dos generais. Impacto na economia da nova potência Falências dos pequenos proprietários êxodo rural e suas consequências Política do pão e circo Proposta de reforma agrária os irmãos Graco (Tibério foi morto; suicídio de Caio)

3 Ditaduras Militares Para conter essas lutas comandantes militares assumiram o governo e implantaram a ditadura durante anos pelos generais Mário - defensor da plebe Sila – defensor dos conservadores Sua saída em 79 a.C., abriu espaço para tomada do poder por uma aliança formada pelos generais Pompeu e Júlio César, conquistadores da Espanha e Gália respectivamente, e pelo banqueiro Crasso, o mais rico de Roma.

4 O Governo dos Triúnviros O Primeiro Triunvirato. Morte de Crasso – 53 a.C.. Pompeu foi derrotado e morto. Júlio César tornou-se ditador vitalício de Roma Apesar da popularidade, César foi assassinado a punhaladas em pleno Senado em 44 a.C. O Segundo Triunvirato. Em 36 a.C. Lépido foi afastado pelo Senado. Marco Antônio foi considerado traidor de Roma. Otávio venceu Marco Antônio em na Batalha de Accio em 31 a.C. Após conquista do Egito, Otávio regressou como senhor absoluto de Roma, recebendo o título de Augusto antes dado apenas a deuses. Tinha início o Império Romano. As revoltas civis acalmaram-se com a imposição do Segundo Triunvirato formado por Otávio (líder do Ocidente), Marco Antônio (líder do Oriente) e Lépido (líder da África), todos ligados a Júlio César. Após eliminarem os opositores de César, os novos triúnviros iniciaram suas disputas internas.

5 27 a.C.: divisão das províncias em dois grupos (Imperador e Senado) 14 da era cristã, até 235: Principado: Governo baseado no poder centralizado e vitalício do princeps, ou o principal do Senado quatro dinastias de imperadores Júlios-Cláudios, os Flávios, os Antoninos e os Severos Governantes com forte apelo popular: Calígula, Nero e Cômodo Crescente integração política das aristocracias das várias províncias do Império, resultante das disputas entre elas e a oligarquia senatorial romana Senado aberto à participação de cidadãos provenientes das províncias 27 a.C.: divisão das províncias em dois grupos (Imperador e Senado) 14 da era cristã, até 235: Principado: Governo baseado no poder centralizado e vitalício do princeps, ou o principal do Senado quatro dinastias de imperadores Júlios-Cláudios, os Flávios, os Antoninos e os Severos Governantes com forte apelo popular: Calígula, Nero e Cômodo Crescente integração política das aristocracias das várias províncias do Império, resultante das disputas entre elas e a oligarquia senatorial romana Senado aberto à participação de cidadãos provenientes das províncias O Principado – Caio Augusto Júlio César – primeiro imperador Redução das conquistas Aperfeiçoou a administração Período da pax romana O Principado – Caio Augusto Júlio César – primeiro imperador Redução das conquistas Aperfeiçoou a administração Período da pax romana Alto Império

6 A crise e a desagregação do Império Baixo Império Crise generalizada: o estado não conseguiu preservar a unidade política e administrativa do imenso território. Baixo Império Crise generalizada: o estado não conseguiu preservar a unidade política e administrativa do imenso território. Aumento dos contingentes militares Aumento das despesas do Estado Desequilíbrio entre a receita e a despesa pública Desvalorização da moeda, alta dos preços e processo inflacionário Aumento dos contingentes militares Aumento das despesas do Estado Desequilíbrio entre a receita e a despesa pública Desvalorização da moeda, alta dos preços e processo inflacionário

7 Século III – Crise do escravismo Colonato – pessoas empobrecidas do campo e das cidades procuravam os grandes proprietários rurais e, em troca de proteção, passavam a trabalhar em suas terras como colonos, sem poder deixar o lote recebido, numa prestação de serviços perpétua e hereditária. Êxodo urbano Queda no comércio Enfraquecimento político-militar Invasão dos povos bárbaros (germânicos) Século III – Crise do escravismo Colonato – pessoas empobrecidas do campo e das cidades procuravam os grandes proprietários rurais e, em troca de proteção, passavam a trabalhar em suas terras como colonos, sem poder deixar o lote recebido, numa prestação de serviços perpétua e hereditária. Êxodo urbano Queda no comércio Enfraquecimento político-militar Invasão dos povos bárbaros (germânicos)

8 Imperadores reformistas do dominato Diocleciano 284 Dividiu o império Oriente e Ocidente Introduziu a tetrarquia – dois coimperadores: Augustos – dois auxiliares diretos: Césares Diocleciano 284 Dividiu o império Oriente e Ocidente Introduziu a tetrarquia – dois coimperadores: Augustos – dois auxiliares diretos: Césares Constantino Restabeleceu a unidade do poder Criou o Edito de Milão (313) Capital do império Constantinopla (324) Constantino Restabeleceu a unidade do poder Criou o Edito de Milão (313) Capital do império Constantinopla (324) Teodósio Criou a Lei Tessalônica (391) Nova divisão em Oriente e Ocidente Invasões bárbaras em suas fronteiras Teodósio Criou a Lei Tessalônica (391) Nova divisão em Oriente e Ocidente Invasões bárbaras em suas fronteiras Dominato Regime de governo centralizado que deriva de dominus (senhor) estabelecido depois de um período de crise política e militar (séculos II e III) no qual dois ou mais imperadores eram aclamados simultaneamente pelas legiões do exército e nenhum deles conseguia se manter no poder por muito tempo. Também implicava o caráter sacro do poder imperial

9 O Cristianismo Surgiu na Galileia Baseava-se nos ensinamentos de Jesus Expressava uma visão de mundo diferente da romana pagã Seus ensinamentos desafiavam tanto a elite religiosa judaica quanto as autoridades romanas. Era uma religião para as camadas populares, uma palavra de esperança para aqueles que pela opressão e sofrimento, esperavam a salvação após a morte. Nero deu inicio a perseguição dos cristãos 313 – Edito de Milão – Constantino 391 – Lei Tessalônica – Teodósio O Cristianismo Surgiu na Galileia Baseava-se nos ensinamentos de Jesus Expressava uma visão de mundo diferente da romana pagã Seus ensinamentos desafiavam tanto a elite religiosa judaica quanto as autoridades romanas. Era uma religião para as camadas populares, uma palavra de esperança para aqueles que pela opressão e sofrimento, esperavam a salvação após a morte. Nero deu inicio a perseguição dos cristãos 313 – Edito de Milão – Constantino 391 – Lei Tessalônica – Teodósio

10 As migrações dos povos bárbaros Metalurgia Fabricação de armas, carros de combate e barcos Aspectos culturais e religiosos vinculados ao espírito guerreiro da sociedade Sem unidade religiosa e templos Poemas e canções improvisadas nas festas enalteciam os heróis dos combates Cada tribo cultuava seu herói mitológico, lembrado também nos rituais. Metalurgia Fabricação de armas, carros de combate e barcos Aspectos culturais e religiosos vinculados ao espírito guerreiro da sociedade Sem unidade religiosa e templos Poemas e canções improvisadas nas festas enalteciam os heróis dos combates Cada tribo cultuava seu herói mitológico, lembrado também nos rituais. Espada germânica: símbolo do povo guerreiro

11 Contato entre romanos e germanos 12 a.C.: avanço até o rio Elba Recuo da fronteira do império até o Reno Baixo Império: Guerreiros germânicos: guarda pessoal do imperadores 12 a.C.: avanço até o rio Elba Recuo da fronteira do império até o Reno Baixo Império: Guerreiros germânicos: guarda pessoal do imperadores Povos aliados ocupam regiões da fronteira. Segunda metade do século IV: Deslocamentos de povos para o Império Romano Acesso é barrado. Investidas de visigodos, ostrogodos, vândalos e outros povos germânicos levam o terror à população. Colapso das estruturas políticas e socioeconômicas do império. Povos aliados ocupam regiões da fronteira. Segunda metade do século IV: Deslocamentos de povos para o Império Romano Acesso é barrado. Investidas de visigodos, ostrogodos, vândalos e outros povos germânicos levam o terror à população. Colapso das estruturas políticas e socioeconômicas do império.

12 A cultura cosmopolita de Roma: religião, artes, direito Ruínas do teatro de Afrodisias, na atual Turquia Júpiter e Juno, tela de Carraci, século XVI

13 A cultura cosmopolita de Roma: religião, artes, direito Justiniano I foi o imperador bizantino responsável pela codificação do Direito romano, base dos sistemas jurídicos de vários países atuais, como Itália, França, África do Sul, Escócia e Brasil.

14 Aspectos do cotidiano romano Cena de casamento romano. A mulher casava-se entre 12 e 18 anos, e os homens, entre 35 e 40 anos.


Carregar ppt "Império Romano. Expansionismo romano Supremacia romana no Mediterrâneo Aumento de riquezas Aumento do número de escravos Poderio militar A Crise e suas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google