A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Roma: da Monarquia à República Traços da civilização romana no mundo ocidental: língua latina (port., fran.; ita.; espa.). O direito moderno e a República.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Roma: da Monarquia à República Traços da civilização romana no mundo ocidental: língua latina (port., fran.; ita.; espa.). O direito moderno e a República."— Transcrição da apresentação:

1 Roma: da Monarquia à República Traços da civilização romana no mundo ocidental: língua latina (port., fran.; ita.; espa.). O direito moderno e a República Moderna têm referência na Roma Antiga. Ex.: República Federativa do Brasil. A História política de Roma se divide em: Monarquia, República e Império. Religião Romana: Politeísta: Zeus passou a ser Júpiter, Dionísio: Baco; Atena: Minerva, Afrodite: Vênus.

2 Sociedade Romana Patrícios: Aristocracia em Roma, possuíam gados e terras. Clientes: grupo intermediário, em geral eram as pessoas pobres, escravos libertos, estrangeiros, dependiam de um patrício para sobreviver. Plebeus: eram os mais pobres, agricultores ou artesãos, trabalhavam para os patrícios. Não podiam participar da vida política. Escravos: No período da Monarquia os escravos eram menos numerosos do que mais tarde no período da República e do Império.

3 Monarquia e República Romana Reis romanos governavam até a morte. Este sistema foi enfraquecido pela pressão dos patrícios, estes impuseram uma nova organização política: A República. Res public em latim significa coisa pública/ bem comum. Um representante é eleito. O governo romano contava com os seguintes órgãos: Consulado; Senado; Assembleia por tribo; Assembleia por centúrias; Assembleia da plebe. (ver página 197) As mulheres e os escravos não faziam parte de nenhuma assembleia, pois não tinham o direito de participar das decisões políticas de Roma.

4 Diferenças entre patrícios e plebeus O voto nos comícios era censitário, ou seja, de acordo com a renda, a posição da pessoa no censo. Quanto mais rico mais valia o voto. Os patrícios controlavam as eleições. O espólio adquirido após uma guerra também ficava em maioria com os patrícios. Os plebeus que não pagavam dívidas se tornavam escravos. Os plebeus começaram a se rebelar contra a situação de desigualdade, as revoltas possibilitaram inúmeras conquistas. (Ver página 198).

5 Nova aristocracia: nobilitas Nobilitas: famílias patrícias e plebeus enriquecidos. Expansionismo romano: grandes conquistas militares no interior da Itália. O processo de expansão territorial ocorreu simultaneamente ais conflitos entre patrícios e plebeus. A seguir as guerras dos domínios romanos pela costa do Mar Mediterrâneo.

6 As guerras de conquista: Disputa por rotas de comércio e terras. O mais intenso conflito ocorreu com Cartago (cidade ao norte da África, fundada pelos fenícios). Os conflitos entre romanos e cartagineses ficaram conhecidas como Guerras Púnicas: Primeira, Segunda e Terceira guerra púnica. (Ver página 202).

7 Resultados das guerras As conquistas transformaram Roma; Houve a formação de um novo grupo social: o dos cavaleiros. A economia também sofreu mudanças: A obtenção de terras e escravos levou o surgimento de propriedades escravistas, que produziam principalmente vinho e azeite. Aumento do comércio. (ver página 203).

8 A crise da República Desigualdades sociais geraram o enfrquecimento da República. Diante do descontentamento social surgiram propostas que defendiam reformas profundas como a dos irmãos Graco. Tibério Graco propôs uma reforma agrária. Eleito tribuno da plebe em 133 a.C. Graco acabou assassinado junto com 300 simpatizantes da proposta reformista. Caio Graco continuou o trabalho iniciado pelo irmão, conseguiu aprovar a alguns direitos para os pobres. Sofreu oposição e antes de ser assassinado por um inimigo determinou que um escravo o matasse.

9 Os triunviratos (3 indivíduos no poder chamados de triúnvirus) Primeiro Triunvirato: Julio Cesar (um dos principais líderes militares romanos) mais dois generais romanos no poder Pompeu e Crasso. Após mortes e conflitos Júlio Cesar foi assassinado em 44 a.C., os senadores temiam a volta da monarquia. Segundo Triunvirato: formado por Marco Antônio, Otávio e Lépido. Luta sangrenta entre exército. As tropas de Otávio venceram as de Marco Antônio este acontecimento marcou o fim da república e o início do Império Romano.

10 O Império e a Pax Romana Otávio foi proclamado IMPERADOR EM 27 a.C. Recebeu o título de Augusto, que dava caráter sagrado a sua figura. A partir daí os territórios foram reorganizados, as fronteiras fortalecidas e os povos rebeldes foram pacificados. Início do período conhecido como pax romana.

11 Atividades Página 200 do livro – exercício: 3, 8 Página 212 do livro – exercício 1 Página do guia – 44 exercício 1,2, 3 e 5.

12 PÁGINAS DA PROVA Civilização Grega: 158 a 179 E Civilização Romana: 192 a 209


Carregar ppt "Roma: da Monarquia à República Traços da civilização romana no mundo ocidental: língua latina (port., fran.; ita.; espa.). O direito moderno e a República."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google