A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Epidemiologia da Doença Renal Crônica no Brasil - 2004 João Egidio Romão Junior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Epidemiologia da Doença Renal Crônica no Brasil - 2004 João Egidio Romão Junior."— Transcrição da apresentação:

1 Epidemiologia da Doença Renal Crônica no Brasil João Egidio Romão Junior

2 Sociedade Brasileira de Nefrologia Depto de Nefrologia da Associação Médica Brasileira Médicos no Brasil Médicos no Brasil Nefrologistas Nefrologistas Serviços Cadastrados 575 Serviços Cadastrados 575 Especialistas em Nefrologia1.021 Especialistas em Nefrologia1.021 ~1%

3 Perfil dos Médicos no Brasil Machado MH et al., Fiocruz/CFM-MS/PNUD.

4 Serviços de Nefrologia no Brasil Regiões Norte Norte Nordeste Nordeste Sudeste Sudeste Sul Sul Centro-Oeste Centro-Oeste Total Total

5 Serviços de Nefrologia no Brasil

6 Centros Cadastrados Cadastrados Com dados (99,8%) Com dados (99,8%) Conv. SUS (93,8%) Conv. SUS (93,8%) Públicas 38 ( 8,3%) (11,7%) Públicas 38 ( 8,3%) (11,7%) Filantrópicas 85 ( 16,2%) (18,2%) Filantrópicas 85 ( 16,2%) (18,2%) Privadas378 ( 72,1%) (69,9%) Privadas378 ( 72,1%) (69,9%) Universitárias 23 ( 4,4%) (12,6%) Universitárias 23 ( 4,4%) (12,6%) Extra-hospital 26 ( 5,0%) (35,8%) Extra-hospital 26 ( 5,0%) (35,8%) Serviços de Nefrologia no Brasil

7 % Pacientes com Convênio Serviços de Nefrologia no Brasil

8 Equipamentos Equipamentos Proporção Proporção Tanque duplo Tanque duplo Tanque simples Tanque simples Central Central Osmose reversa Osmose reversa R. + deionizador R. + deionizador Deionizador Deionizador Outros Outros

9 Serviços de Nefrologia no Brasil Total de Médicos Média/Centro 4,72 4,90 5,02 4,86 Total de Médicos Média/Centro 4,72 4,90 5,02 4,86 Média de Sócios 39,6% 37,2% 35,4% 37,5% Prof. Enfermagem Média / Centro 16,9 18,3 18,4 Prof. Enfermagem Média / Centro 16,9 18,3 18,4 Prof. Administrativos Prof. Administrativos Média / Centro 3,9 4,4 Média / Centro 3,9 4,4

10 Incidência de Pacientes em TRS Brasil Brasil 6,7% Norte13,5% Nordeste13,4% Sudeste 6,6% Sul 2,1% Centro-Oeste11,0% = –>

11 Incidência de Pacientes em TRS Incidência por milhão/ano

12 Pacientes Pacientes Hemodiálise (89,9%) (89,5%) ( 89,6%) ( 89,2%) Hemodiálise (89,9%) (89,5%) ( 89,6%) ( 89,2%) CAPD ( 7,7%) ( 7,5%) ( 6,8%) ( 6,4%) CAPD ( 7,7%) ( 7,5%) ( 6,8%) ( 6,4%) D.P.A (89,9%) (2.1%) ( 2,9%) ( 2,9%) D.P.A (89,9%) (2.1%) ( 2,9%) ( 2,9%) D.P.I ( 1,2%) ( 0,8%) ( 0,6%) D.P.I ( 1,2%) ( 0,8%) ( 0,6%) Prevalência de Pacientes em TRS Brasil

13 Distribuição Etária dos Pacientes em TRS %

14 Sorologias virais Hepatite B (HBsAg) 4,3% 3,5% 3,2%2,5% Hepatite C (Anti-HCV) 19,4% 16,7% 15,4%12,6% SIDA (Anti-HIV) 0,3% 0,4% 0,5%0,5% Sorologia Viral em Pacientes em TRS Brasil

15 Pacientes em diálise no Brasil, por Modalidade. Pacientes

16 Sobrevida em TRS, segundo gênero Tempo (meses)

17 Pacientes em TRS PacientesDistr.IdadeMasc. Mortali- dade HEMO % 49.7± %14.7% CAPDDPA % 52.1± %15.5%

18 Diálise no Brasil 1.Mortalidade em Hemodiálise Japão 9,7% Chile13,4% Europa14,8% Uruguai15,9% Brasil16,1% Venezuela21,1% Am. Latina21,1% Argentina21,3% Estados Unidos22,3% África do Sul25,9%

19 transplantes/ano Ano SBN-ABTO Transplante Renal no Brasil


Carregar ppt "Epidemiologia da Doença Renal Crônica no Brasil - 2004 João Egidio Romão Junior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google