A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A NUCLEAÇÃO DE NOVOS GRUPOS DE PESQUISA E ENSINO: DISTRIBUIÇÃO EQUILIBRADA DE RECURSOS INTELECTUAIS NO PAÍS João Lúcio de Azevedo ESALQ/USP, UMC, UCS,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A NUCLEAÇÃO DE NOVOS GRUPOS DE PESQUISA E ENSINO: DISTRIBUIÇÃO EQUILIBRADA DE RECURSOS INTELECTUAIS NO PAÍS João Lúcio de Azevedo ESALQ/USP, UMC, UCS,"— Transcrição da apresentação:

1 A NUCLEAÇÃO DE NOVOS GRUPOS DE PESQUISA E ENSINO: DISTRIBUIÇÃO EQUILIBRADA DE RECURSOS INTELECTUAIS NO PAÍS João Lúcio de Azevedo ESALQ/USP, UMC, UCS, CBA II Conferência da Pós-Graduação - UNESP 19 a 21 /09/2006

2 NUCLEAÇÃO Conceitos gerais Botânica.Capacidade de uma espécie propiciar uma significativa melhoria das condições ambientais permitindo o aumento da probabilidade de ocupação de um ambiente por outras espécies. Ciências exatas. Teorias de nucleação de cristais; nucleação e crescimento de folhas de metais (cobre sobre titânio por exemplo) CNBB: Pastoral Universitária.Sistema pelo qual alguns grupos (nucleadores), nucleiam novos grupos (nucleados) a partir de grupos incipientes ou ainda não existentes Ensino público (Lei de nucleação das escolas:Lei 9394 de 20/12/96 das diretrizes e bases da educação nacional) Reorganização do parque escolar público, concentrando várias escolas sob a coordenação unificada de uma escola-polo. Pode ser uma fusão (duas ou mais escolas em uma) por motivos econômicos ou sociai. Educação. Junção de disciplinas em núcleos (disciplinas básicas, aplicadas, optativas, práticas, etc )

3 Nucleação Na pós-graduação Várias formas A) Docente de reconhecida competência ou capacidade de persuasão convence um ou mais estudantes que realizam a pós-graduação sob sua orientação. Ao fim da PG os iniciados ampliam o centro nucleador ou vão a outros centros (de origem ou outros) que mantém forte ligação com o núcleo original e depois vão diminuindo o vínculo e multiplicando-se

4 Nucleação B) Institucional- própria instituição (universidade, por exemplo USP após sua formação C) Próprio programa de pós-graduação Exemplos positivos e negativos

5 Nucleação VANTAGENS Para o País Melhor distribuição regional Ampliação de áreas de conhecimento carentes Melhora no ranking de publicações Formação de RH adaptados a cada demanda

6 Avaliação Trienal 2001 e 2004: número de programas por conceito

7 Avaliação Trienal 2001 e 2004: % de programas por conceito

8 Avaliação Trienal 2004 Distribuição dos Cursos de Pós-graduação por Região

9 Avaliação Trienal 2004 Distribuição dos Programas por Grande Área do Conhecimento

10 Nucleação Para a instituição A) preenchimento das suas obrigações de solidariedade B)maior facilidade de competir em programas integrados C) Maior visibilidade D)melhor competitividade em projetos com agências financiadoras

11 Nucleação Para a pós-graduação Corresponder as exigências da CAPES ( Ex: ofício CAPES : incluir apreciação do programa sobre iniciativas de solidariedade, nucleação e visibilidade. Ex: significado das notas 6 e 7: exclusivas para programas que ofereçam doutorado com nível de excelência, desempenho equivalente ao dos mais importantes centros internacionais de ensino e pesquisa, alto nível de inserção internacional, grande capacidade de nucleação de novos grupos de pesquisa e ensino e cujo corpo docente desempenhe papel de liderança e representatividade na referida comunidade

12 Programas Nucleadores e Programas Nucleados

13 Nucleação Para o docente Atendimento as demandas do país, instituição, programa de PG e pessoais Maior facilidade de obtenção de recursos financeiros Carreira universitária Preenchimento de critérios para obtenção de bolsa de produtividade científica (CNPq)- Passagem da categoria 2 para 1 A :Nucleação de grupos de investigação reconhecidos e fortalecimento de outras instituições de pesquisa no país e da sua própria.

14 G.J. MENDEL / | \ H. DE VRIES C.E. CORRENS E. VON TSCHERMAK H.A. KREBS | J.A. ROPER......................................................................................................................................................................................................................... | | F.G. BRIEGER | J.T.A. GURGEL | J.L. AZEVEDO 1.1 - 1.20 2.1 2.23 3.1 - 3.5 2 1 4 3.2 3.2.1 - 3.2.17 2.2 2.2.1 2.2.43 2.4.1 - 2.4.12 2.4.7 2.4.7.1 - 2.4.7.7 2.6 2.6.1 2.7 2.7.1 - 2.7.5 2.13 2.13.1 - 2.13.5 2.13.1 2.13.1.1 - 2.13.1.3 2.4 2.14 2.14.1 - 2.14.4 2.16 2.16.1 - 2.16.5 2.17 2.17.1 - 2.17.2 2.21 2.21.1 - 2.21.17 3 2.2.1 2.1.1.1 - 2.2.1.7 2.2.19 2.2.19.1 - 2.2.19.12 2.2.20 2.2.20.1 - 2.2.20.10 2.2.24 2.2.24.1 - 2.2.24.10 = = MS = DR = MS e DR = = MS = DR = MS e DR

15 5.1 5.57 5 5.37 5.37.1 5.13 5.13.1 - 5.13.15 5.17 5.17.1 5.19 5.19.1 - 5.19.2 5.24 5.24.1 - 5.24.7 5.27 5.27.1 - 5.27.7 5.1.1 - 5.1.16 5.1 5.9 5.9.1 - 5.9.23 5.3 5.3.1 - 5.3.2

16 H.A. KREBS | J.A. ROPER......................................................................................................................................................................................................................... | J.L. AZEVEDO R.H. Neder 6.1 - 6.10 7.1 7.38 8.1 - 8.13 7 7.9 7.9.1 - 7.9.6 7.2 7.2.1 - 7.2.27 7.10 7.10.1 - 7.10.6 8 6 6.9.1 6.10.1 7.7 7.7.1 - 7.7.6 7.12 7.12.1 9 9.1 - 9.18 9.1 9.1.1 - 9.1.36 10 11 11.1 121314 15 15.1 - 15.20 15.1 15.7 15.1.1 - 15.1.14 15.7.1 - 15.7.11 15.2 15.2.1 - 15.2.5 16.1 - 16.17 16.1 16.11 16.1.1 - 16.1.13 16.11.1 - 16.11.6 16 A. Ando J.R. Zinsly

17 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 17.1 - 17.13 20.1 - 20.10 23.1 - 23.5 24.1 - 24.19 26.1 - 26.7 17.2 26.4 17.2.1 - 17.2.2 26.4.1 - 26.4.11 27 28 29 30 31 32 33 27.1 - 27.27 32.1 - 32.4 33.1 - 33.9 27.1 27.3 27.5 27.6 27.1.1 - 27.1.4 27.3.1 - 27.3.3 27.5.1 - 27.5.2 27.6.1 - 27.6.4 34 35 36 37 38 39 40 41 42 34.1 - 34.7 36.1 - 36.16 38.1 - 38.10 39.1 - 39.5 42.1 - 42.14 36.1 36.1.1 - 36.1.3

18 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 43.1 - 43.19 46.1 - 46.6 49.1 50.1 - 50.4 51.1 - 51.7 43.2 43.2.1 - 43.2.3 53 54 55 56 57 58 59 60 61 53.1 - 53.13 58.1 - 58.7 61.1 - 61.4 53.1 53.3 53.4 53.1.1 - 53.1.8 53.3.1 - 53.3.4 53.4.1 - 53.4.8 62 63 64 65 66 67 68 69 63.1 - 63.16 64.1 - 64.33 65.1 67.1 - 67.2 68.1 - 68.5 64.1 64.3 64.6 64.24 64.1.1 - 64.1.9 64.3.1 - 64.3.3 64.6.1 - 64.6.4 64.24.1 - 64.24.2 64.12 64.12.1 - 64.12.4

19 70 71 72 73 74 75 76 77 78 70.1 - 70.92 72.1 73.1 - 73.11 74.1 - 74. 2 76.1 - 76.6 77.1 - 77.2 78.1 - 78.22 78.13 78.13.1 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 79.1 - 79.22 81.1 82.1 85.1 - 85.2 86.1 79.4 79.5 79.6 79.4.1 - 79.4.16 79.5.1 79.6.1 - 79.6.2 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 89.1 - 89.2 91.1 94.1 - 94. 2 96.1 - 96.5

20 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114

21 Obrigado!


Carregar ppt "A NUCLEAÇÃO DE NOVOS GRUPOS DE PESQUISA E ENSINO: DISTRIBUIÇÃO EQUILIBRADA DE RECURSOS INTELECTUAIS NO PAÍS João Lúcio de Azevedo ESALQ/USP, UMC, UCS,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google