A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Apocalipse O livro da Revelação Estudo 12 Eis o tabernáculo de Deus Texto bíblico: Apocalipse 20 e 21 Texto áureo: Ap 21.3-4 E ouvi uma grande voz, vinda.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Apocalipse O livro da Revelação Estudo 12 Eis o tabernáculo de Deus Texto bíblico: Apocalipse 20 e 21 Texto áureo: Ap 21.3-4 E ouvi uma grande voz, vinda."— Transcrição da apresentação:

1 O Apocalipse O livro da Revelação Estudo 12 Eis o tabernáculo de Deus Texto bíblico: Apocalipse 20 e 21 Texto áureo: Ap E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

2 Este PPS é um recurso adicional que o nosso site oferece aos professores da EBD que ministram suas aulas, seguindo o currículo da JUERP para as igrejas batistas do Brasil. Ele não é montado com a finalidade de substituir a inspiração e o aprofundamento que cada professor deve procurar semanalmente no melhor preparo da lição que irá ministrar no domingo à sua classe. Para tal durante a semana ele deverá compulsar a sua Bíblia, os melhores comentários, o texto de sua revista, os artigos e sermões que possua a respeito do assunto, para então, no fim de semana receber este recurso como um subsídio a mais para a sua ministração. Aliás, ele não deve ser considerado como uma peça pronta. O professor deve ainda examiná-lo e aprimorá-lo segundo o nível cultural e intelectual de seu alunado.

3 Apocalipse 20 e 21 – Introdução (I) As coisas começam a se juntar num magnífico painel revelador. No início do capítulo 20, vemos o Gênesis, os Evangelhos e o Apocalipse se unindo numa expressão de grande significado para nós. É como se a Bíblia toda se sintetizasse, escrita durante 1500 anos por cerca de 40 dos mais diferentes homens, para nos apresentar o princípio (Gênesis), o meio (Cristo) e o fim (a vitória final), numa frase apenas. A mesma serpente que enganou a Adão e Eva (no Gênesis), é o Diabo, o pai da mentira, que tenta a Jesus (nos Evangelhos), e o Satanás, o nosso adversário, que está presente para o seu fim (no Apocalipse).

4 Apocalipse 20 e 21 – Introdução (II) O fim está chegando para o pecado. Diabo, besta e falso profetas, foram as manifestações perversas de toda a maldade que desde a queda de Adão e Eva, circunvagou em torno do mundo. O Diabo, seu pai e introdutor no mundo; a besta, sua revelação maior; e o falso profeta, o disseminador de suas ciladas estão sendo condenados por toda a eternidade. Babel Sodoma O que eles causaram às cidades de Babel, Sodoma e Gomorra, quando corromperam os seus habitantes, bem como a muitas outras depois destas, que durante todo esse tempo que o mundo tem vivido, foram também destruídas pela prática do mal e do pecado, está agora sendo destinado a eles.

5 Apocalipse – O último ato vai começar Estes dois capítulos nos apresentam o contraste final entre o reino de Satanás e o reino de Deus. Do horror do extermínio e da condenação final do pecado, para a solenidade do julgamento de todos os homens e mulheres de todas as épocas E a seguir, a visão da vida eterna, o novo céu e a nova terra que o Senhor tem preparado desde a fundação do mundo, para os seus escolhidos, os santos que com ele se identificaram enquanto viveram.

6 Apocalipse – O palco se abre 1 E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. 2 Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. 3 E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.

7 Mais uma vez, lembremo-nos que os números são simbólicos. Mil, inclusive, para o judeu, tinha um sentido de infinito. Para alguns, esta prisão está por ocorrer (são os pré-milenistas); para outros, seguir-se-á ao milênio (são os post-milenistas); para muitos isto não acontecerá (são os a- milenistas). Para nós, crentes em Cristo, esta prisão já se deu, quando Cristo nos libertou por sua morte, ressurgindo três dias depois, trazendo- nos então, a dádiva do Espírito Santo, que, para todo o sempre, nos deu o poder da vitória sobre o mal. Sempre que uma pessoa se converte entregando sua alma a Jesus, esta vitória é celebrada nos céus. Apocalipse – Os mil anos e os tempos do mundo

8 Apocalipse 20.4–6 - O julgamento final 4 E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos. 5 Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição. 6 Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.

9 Apocalipse – A derrota definitiva já aconteceu Quando Cristo se entregou na cruz do Calvário e ressurgiu três dias depois, o reinado de Satanás se encerrou. Para nós, ele está "amarrado", pois diz-nos a própria Palavra de Deus, que aquele que é "selado por Deus, o Maligno não lhe toca". Assim, estamos vivendo esses "mil anos", não mil anos na acepção matemática do tempo, mas no sentido de um tempo grande, indeterminado, que se encerrará quando o Senhor vier. Em termos da eternidade que temos por gozar, assim como para Deus "mil anos é como um dia, e um dia como mil anos", assim será para nós também.

10 Apocalipse – A queda do mal e seu fim 7 E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, 8 E sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha. 9 E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou. 10 E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.

11 Apocalipse – O fim do domínio do mal Esta deverá ser uma visão realmente fantástica, para nós, os crentes de hoje, quer passemos para este momento após a morte terrena, quer estejamos vivos quando ela chegar. Muitos de nós temos visto se não ao vivo, mas em filmes ou TV, o desenrolar de um julgamento. A solene sala do tribunal, o juiz, os jurados, as testemunhas, os guardas, os acusadores, os escreventes, o réu, os promotores e os advogados de defesa, todos formando um ambiente de rigor e tensão. Pois bem, imaginem isto em proporção infinitamente mais solene e maior. Milhões estarão diante do trono de Deus para o julgamento final.

12 Apocalipse – Uma previsão para todos os tempos Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. Isto já aconteceu inúmeras vezes no mundo. Grandes cidades, antros do mal, foram destruídas em pouco tempo, tornando-se desertos de um dia para o outro. Quem vai a Roma hoje, verifica que grande parte de suas ruínas estão situadas sob o nível do solo atual, pois a cidade hoje existente, foi construída e reconstruída diversas vezes, soterrando as partes antigas que haviam sido destruídas. Berlim, Londres e Paris, grandes capitais da Europa, foram praticamente destruídas na Segunda Guerra Mundial, ressurgindo sobre os seus próprios escombros. 11 E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles. 12 E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram- se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. 13 E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. 14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. 15 E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo

13 Apocalipse – A realidade do inferno A mensagem do inferno e sua realidade, precisa ser devidamente compreendida por nós crentes de hoje. O inferno, como lugar, está citado no Antigo e no Novo Testamento. Como "seol", "gaena" ou "hades", ele é citado como um lugar de sofrimento e agonia. Cristo falou sobre ele; Pedro escreveu sobre ele; Paulo idem; João no Apocalipse, por diversas vezes, o menciona. Assim, não tentemos minimizar o que está por vir para aqueles que não se identificarem com Cristo. O inferno, com todo o seu terror é uma realidade dentro do plano da Revelação divina. Se cremos na vida eterna com o Senhor, porque a Bíblia nos ensina assim, temos que crer também na morte eterna, para aqueles que rejeitam ao Senhor Jesus. A Bíblia assim o diz.

14 Apocalipse – A vitória do Cordeiro O Senhor vem agora, e na Revelação final de seu plano redentor para o homem, promete, um novo céu, uma nova terra, um novo mar. Sem dúvida alguma, se os primeiros tanto nos extasiaram, quanto mais não nos extasiarão aqueles que estão por vir neste novo mundo que nos está sendo preparado? Diante de algo assim tão maravilhoso e impressionante que, como crentes sejamos encontrados pelo Senhor Deus, como dignos herdeiros desta bênção que a eternidade significará para cada um de nós, os que fomos remidos pelo sangue de Cristo no Calvário..

15 1 E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2 E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. 3 E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. 4 E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. 5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. Apocalipse – A visão da cidade santa

16 Apocalipse – A história se completa O texto a seguir é muito solene e dramático. O Pai fala de sua eternidade, para a seguir referir-se ao diálogo do Filho com uma humilde mulher da cidade de Sicar em Samária, à beira do poço de Jacó. João, o único evangelista que narrou o encontro de Cristo com a mulher samaritana, deve ter ficado com seus olhos embaçados pela emoção de ver repetidas pelo Pai, a expressão que ele captou do Filho (Jo ), quando este contou aos discípulos, o que lhe acontecera enquanto estavam ausentes. Esta fonte da água da vida a que se refere o Senhor é aquela que Jesus ofereceu à mulher samaritana e oferece a todo aquele que em qualquer tempo venha nele crer como Salvador.

17 Apocalipse – O destino final do mal 6 E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida. 7 Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho. 8 Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.

18 Apocalipse – A nova Jerusalém Afinal, surge a cidade de Deus, a cidade santa. Enquanto em todos os demais momentos da Bíblia, o surgimento da cidade foi sempre um símbolo do mal e da perdição, eis agora uma cidade santa afinal. Babel, Sodoma e Gomorra, Babilônia e a própria Jerusalém terrena se foram. Surge então a cidade eterna a "morada" que o Senhor tem preparado para os seus desde a fundação do mundo. Mais uma vez temos que lembrar da linguagem figurada que cerca toda a mensagem apocalíptica. A cidade que vai ser descrita é belíssima, mas, no entanto, o que deve destacar-se aos nossos olhos é esta expressão muito significativa: "da parte de Deus". Sim, é uma cidade especial, diferente, porque preparada especialmente por Deus para os santos redimidos pelo sangue de Cristo.

19 Capítulos – A cidade santa 9 E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. 10 E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. 11 E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente. 12 E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. 13 Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas. 14 E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. 15 E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro.

20 Apocalipse – A nova Jerusalém Esta visão deve ter marcado profundamente a João. O símbolo maior da cidade de Jerusalém terrena, era o seu templo. A cidade, parecia só ter significado mais especial para o judeu, exatamente porque ali estava situado o santuário de Deus, o templo projetado por Davi, construído por Salomão, reconstruído por Zorobabel e reformado por Herodes. João, escrevendo nos anos 90, sabia que aquele templo tinha sido destruído por Tito e seus legionários quando ali chegaram nos anos 70. Por isso mesmo, quando viu a nova cidade que do céu descia, seus olhos devem ter pesquisado rapidamente a nova estrutura, imaginando ver ali um novo e esplendoroso templo. Algo magnífico e que devia em muito sobrepujar aquele que ele conhecera. Afinal, por que templo?... Por que local de culto?... Sim, se lá a vida será um eterno culto ao Rei dos reis, por que um templo separado?... Ela, a cidade em sua totalidade, será o grande templo do Senhor, na pessoa do próprio Senhor Deus que ali estará, e nos envolverá a todos em seu amor.

21 16 E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais. 17 E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo. 18 E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro. Apocalipse – A visão da Jerusalém eterna 19 E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda; 20 O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista. 21 E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente. 22 E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. 23 E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. 24 E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra. 25 E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite. 26 E a ela trarão a glória e honra das nações. 27 E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro

22 Conclusão Como você se sentiu no dia 21, sexta-feira passada? Em algum momento achou que o fim do mundo estava mesmo para chegar? E se chegasse? Seria problema para você? Ou você como crente está preparado para ele? Por causa dessas balelas humanas será que nós não estamos pensando no fim do mundo como algo muito distante e improvável? Como você vê a volta de Cristo? As imagens do Apocalipse são de autoria de Pat Marvenko Smith, artista plástica, que nos anos 80, aceitou o desafio de fazer estas ilustrações para a sua classe de EBD (Google). Fotos e gravuras ilustrativas idem.


Carregar ppt "O Apocalipse O livro da Revelação Estudo 12 Eis o tabernáculo de Deus Texto bíblico: Apocalipse 20 e 21 Texto áureo: Ap 21.3-4 E ouvi uma grande voz, vinda."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google