A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Modernismo – 2 ª fase A prosa regionalista. O modernismo vive uma segunda fase a partir de 1930, quando é lançado Alguma Poesia, de Carlos Drummond de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Modernismo – 2 ª fase A prosa regionalista. O modernismo vive uma segunda fase a partir de 1930, quando é lançado Alguma Poesia, de Carlos Drummond de."— Transcrição da apresentação:

1 Modernismo – 2 ª fase A prosa regionalista

2 O modernismo vive uma segunda fase a partir de 1930, quando é lançado Alguma Poesia, de Carlos Drummond de Andrade. Os temas sociais ganham destaque e o regionalismo amplia sua temática. Paisagens e personagens típicos são usados para abordar assuntos de interesse universal. Entre os que exploram o romance social voltado para o Nordeste estão Rachel de Queiroz, de O Quinze, Graciliano Ramos, de Vidas Secas, Jorge Amado, de Capitães da Areia, José Américo de Almeida, de A Bagaceira, e José Lins do Rego ( ), de Menino de Engenho. Surgem ainda nessa época os romances de introspecção psicológica urbanos, como Caminhos Cruzados, de Érico Veríssimo. Numa linha mais intimista estão poetas como Cecília Meireles, autora de Vaga Música, Vinicius de Moraes, de Poemas, Sonetos e Baladas, Augusto Frederico Schmidt ( ), de Desaparição da Amada, e Henriqueta Lisboa ( ), de A Face Lívida.

3 O Regionalismo Modernista O Regionalismo é propriedade fundamental da literatura brasileira desde sua formação devido ao fato de o país ter sido povoado a partir de regiões distantes e diferentes entre si, como o litoral nordestino, o litoral fluminense e o interior mineiro.

4 O Regionalismo Modernista Rachel de Queiroz foi a primeira mulher a ingressar na “Academia Brasileira de Letras”. Publicou 23 livros individuais e quatro em parceria. Sua vasta e preciosa obra está traduzida e publicada em francês, inglês, alemão e japonês. Além disso, traduziu 45 obras para o português, sendo 38 romances. Colaborou semanalmente com crônicas no jornal “O Estado de São Paulo”.

5 O Regionalismo Modernista "Começamos oprimidos pela sintaxe e acabamos às voltas com a Delegacia de Ordem Política e Social, mas, nos estreitos limites a que nos coagem a gramática e a lei, ainda nos podemos mexer"

6 O Regionalismo Modernista José Américo de Almeida nasceu em Areia - PB, a 10 de janeiro de Destacou-se na Literatura Brasileira como autor de A bagaceira (1928), obra- prima do romance regionalista moderno, hoje com trinta e duas edições em língua portuguesa, edição crítica e versões em espanhol, francês, inglês e esperanto. Sua obra, com dezessete títulos, abriga ainda ensaios, oratória, crônica, memórias e poesia.

7 O Regionalismo Modernista O mundo rural do Nordeste, com as fazendas, as senzalas e os engenhos, serviu de inspiração para a obra do autor, que publicou seu primeiro livro - Menino de engenho - em 1932.Nordestefazendas senzalasengenhos1932

8 O Regionalismo Modernista


Carregar ppt "Modernismo – 2 ª fase A prosa regionalista. O modernismo vive uma segunda fase a partir de 1930, quando é lançado Alguma Poesia, de Carlos Drummond de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google