A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETO DE BANCO DE DADOS Ceça Moraes. Ceça Moraes 2 Conteúdo  O problema dos dados não compartilhados  Banco de Dados  Compartilhamento de dados 

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETO DE BANCO DE DADOS Ceça Moraes. Ceça Moraes 2 Conteúdo  O problema dos dados não compartilhados  Banco de Dados  Compartilhamento de dados "— Transcrição da apresentação:

1 PROJETO DE BANCO DE DADOS Ceça Moraes

2 Ceça Moraes 2 Conteúdo  O problema dos dados não compartilhados  Banco de Dados  Compartilhamento de dados  Sistema de Gerência de Banco de Dados  Modelos de Banco de Dados  Modelo conceitual  Modelo lógico  Modelo conceitual como modelo de organização  Projeto de BD

3 Ceça Moraes 3 Como Informática é adotada em organizações...  Informática é implementada gradativamente  Exemplo - empresa hipotética Implementa gradativamente sistemas para:  Vendas  Produção  Compras  Onde ficam os dados de produto?

4 Ceça Moraes 4 Sistemas isolados e Dados não compartilhados

5 Ceça Moraes 5  Problema:  redundância de dados  Tipos de redundância de dados  redundância controlada de dados software gerencia redundância  redundância não controlada de dados usuário gerencia redundância Sistemas isolados e Dados não compartilhados

6 Ceça Moraes 6 Redundância não controlada Conseqüências  Entrada repetida da mesma informação  Inconsistências de dados  Como evitar:  Compartilhamento de dados  Cada informação é armazenada uma única vez  Usar o conceito de Banco de Dados

7  Conjunto de dados integrados que atendem a um conjunto de sistemas Banco de Dados

8 Ceça Moraes 8 Banco de dados - conseqüências  Compartilhamento de dados tem reflexos na estrutura do software  Estrutura interna dos arquivos passa a ser mais complexa  Devem atender às necessidades dos diferentes sistemas  Controle de acesso  Sistema de gerenciamento de banco de dados – SGBD

9 Ceça Moraes 9 Evolução do Desenvolvimento de SW  Início da programação de aplicações:  Programa continha todas operações interface de usuário transformações de dados e cálculos operações de armazenamento de dados tarefas de comunicação com outros sistemas e programas,....

10 Ceça Moraes 10 Evolução do Desenvolvimento de SW  Foram identificadas funcionalidades comuns  Exibição dos dados na interface gerenciadores de interface de usuário  Comunicação com processos remotos gerenciadores de comunicação  Manutenção de grandes repositórios compartilhados de dados Sistemas de gerenciamento de banco de dados (SGBD)

11 Ceça Moraes 11 Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados  Software que incorpora as funções de definição, recuperação e alteração de dados em um banco de dados  Facilita desenvolvimento de aplicações de BD  Manutenção de programas torna-se mais simples  Produtividade de programadores aumenta

12 Ceça Moraes 12 Modelos de Dados  Modelo de (banco de) dados  Descrição formal dos tipos de dados que estão armazenados em um banco de dados  Exemplo: uma indústria  Modelo de dados informa: para cada produto, são armazenados seu código, preço e descrição  Modelo de dados não informa: quais os produtos que estão armazenados no BD

13 Ceça Moraes 13 Esquema de Banco de Dados  Para construir um modelo de dados usa-se  linguagem de modelagem de dados textual gráfica  Um modelo de dados pode ser apresentado de várias formas (texto, figura,...)  Cada apresentação do modelo recebe a denominação esquema de banco de dados

14 Ceça Moraes 14 Modelo de Dados Níveis de Abstração

15 Ceça Moraes 15 Modelo Conceitual  Independente de tipo de SGBD  Registra  Estrutura dos dados do banco de dados  Não registra  Como estes dados estão armazenados para um SGBD específico

16 Ceça Moraes 16 Modelo Conceitual Diagrama ER  Técnica mais difundida de modelagem conceitual  Abordagem entidade-relacionamento (ER)  Modelo conceitual é representado através de diagrama entidade- relacionamento (DER)

17 Ceça Moraes 17 Diagrama ER

18 Ceça Moraes 18 Modelo Lógico  Nível de abstração visto pelo usuário do SGBD  Geralmente os desenvolvedores  Dependente do tipo particular de SGBD que está sendo usado

19 Modelo Lógico

20 19/8/  Descrição textual do exemplo anterior:

21 Ceça Moraes 21 Modelo Físico  Contém detalhes de armazenamento interno de informações  Detalhes que  Não têm influencia sobre a programação de aplicações no SGBD  Influenciam a performance no processamento das aplicações  Usados por profissionais que fazem sintonia de performance em banco de dados  DBAs

22 Ceça Moraes 22 Processo de Projeto de Banco de Dados  Bancos de dados são componentes importantes dos sistemas de informação (SIs)  O projeto do banco de dados é uma atividade essencial na fase de desenvolvimento  A falta de abordagens adequadas para o projeto:  ineficiência em atender a demanda de aplicações  problemas com a manutenção dos dados  A causa é a falta de clareza em entender a natureza exata dos dados em um nível conceitual (abstrato)

23 Ceça Moraes 23 Processo de Projeto de Banco de Dados  Abordagem em etapas:  ETAPA 1 – Modelagem Conceitual  ETAPA 2 – Projeto Lógico  ETAPA 3 – Projeto Físico

24 Ceça Moraes 24 Etapas da Modelagem de BD Projeto Lógico Modelagem Conceitual Análise de Requisitos Projeto Físico BD

25 Ceça Moraes 25 Modelagem Conceitual Projeto Lógico Modelagem Conceitual Análise de Requisitos Projeto Físico BD (1)Descrição de alto nível da estrutura do BD (2)Não contém detalhes de implementação (3)Independente do tipo de SGBD usado (4)Construção de modelos semânticos (5)Ponto de partida do projeto de BD

26 Ceça Moraes 26 Projeto Lógico (1)Descrição da estrutura que pode ser processada pelo SGBD (2)Obtido a partir do mapeamento do modelo conceitual (3)Dependente da classe de modelos de dados utilizada pelo SGBD, mas NÃO do SGBD específico escolhido para a implementação (4)Futuras alterações no modelo lógico devem ser primeiro efetuadas no MC Retrabalho e refinamento constantes Projeto Lógico Modelagem Conceitual Análise de Requisitos Projeto Físico BD

27 Ceça Moraes 27 Projeto Físico (1)Mapeamento do modelo lógico em um esquema físico de acordo com o SGBD específico (2)Descrição da implementação da base de dados (3)Descreve as estruturas de armazenamento e os métodos de acesso (4)Exemplos: alocação de espaços, particionamento físico das tabelas, etc. Projeto Lógico Modelagem Conceitual Análise de Requisitos Projeto Físico BD

28 Ceça Moraes 28 Processo de Modelagem Considerações  O esquema físico do banco de dados é influenciado pelas fases por que passou a construção do banco de dados  A fase de projeto conceitual é tida como uma das mais (senão a mais) delicada em todo esse processo  A meta é obter um esquema conceitual o mais completo possível  Máximo da semântica envolvida na informação

29 Ceça Moraes 29 Processo de Modelagem Considerações  Colaboração bilateral  Projetista: entender e transformar os requisitos dos usuários em esquemas conceituais.  Usuários: descrever suas necessidades e o significado dos dados

30 O que vamos fazer..... Ceça Moraes 30

31 Ceça Moraes 31 Exercícios  Exercício 1.1: A definição do fator de bloco de um arquivo faz parte do modelo conceitual, do modelo lógico ou do modelo físico?  Exercício 1.2: A definição do tipo de um dado (numérico, alfanumérico,…) faz parte do modelo conceitual, do modelo lógico ou do modelo físico?

32 Ceça Moraes 32 Referências  Heuser, Capítulo 1

33 Referências  Projeto de Banco de Dados – Carlos Alberto Heuser, Capítulo 1 19/8/


Carregar ppt "PROJETO DE BANCO DE DADOS Ceça Moraes. Ceça Moraes 2 Conteúdo  O problema dos dados não compartilhados  Banco de Dados  Compartilhamento de dados "

Apresentações semelhantes


Anúncios Google