A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SOL E CHUVA: UM OLHAR DE ESPERANÇA NOS EXTREMOS DA VIDA Marcionei Miguel da Silva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SOL E CHUVA: UM OLHAR DE ESPERANÇA NOS EXTREMOS DA VIDA Marcionei Miguel da Silva."— Transcrição da apresentação:

1 SOL E CHUVA: UM OLHAR DE ESPERANÇA NOS EXTREMOS DA VIDA Marcionei Miguel da Silva

2 Em busca de palavras para descobrir o sentido da vida, procurei arrancar de meu coração um novo suspiro para alçar vôo nas esquinas da solidariedade. Em busca de palavras para descobrir o sentido da vida, procurei arrancar de meu coração um novo suspiro para alçar vôo nas esquinas da solidariedade.

3 As palavras escondem, na mística de suas mensagens, verdades “inconvenientes”. Contudo, em se tratando de verdades, elas sempre são convenientes na síntese final de nossa vida. As palavras escondem, na mística de suas mensagens, verdades “inconvenientes”. Contudo, em se tratando de verdades, elas sempre são convenientes na síntese final de nossa vida.

4 Quando falamos sobre as realidades da vida que nos fazem pensar, buscamos as palavras para expressar os sentimentos mais profundos de nossa alma. Quando falamos sobre as realidades da vida que nos fazem pensar, buscamos as palavras para expressar os sentimentos mais profundos de nossa alma.

5 O que falar? Por que jogar na extensão de todo campo, se nosso fôlego ainda está destreinado para uma jornada tão exigente? O que falar? Por que jogar na extensão de todo campo, se nosso fôlego ainda está destreinado para uma jornada tão exigente?

6 Quando estamos em busca do sentido da vida abrimos os olhos ao futuro, tocamos o invisível e agimos de acordo com nossas expectativas e necessidades. Quando estamos em busca do sentido da vida abrimos os olhos ao futuro, tocamos o invisível e agimos de acordo com nossas expectativas e necessidades.

7 Temos pressa para compreender o mundo e esperamos que um outro nos fale a respeito dos princípios éticos que nos são dados. Antes de relatar o que “pode” e o que “não pode” fazer é importante fazer-se outra pergunta: “o que a consciência me autoriza fazer?”. Temos pressa para compreender o mundo e esperamos que um outro nos fale a respeito dos princípios éticos que nos são dados. Antes de relatar o que “pode” e o que “não pode” fazer é importante fazer-se outra pergunta: “o que a consciência me autoriza fazer?”.

8 Temos fome de saber, vemos a vida e nos acomodamos com as frases fáceis e mensagens curtas. Nos divertimos com nossas escolhas e dormimos à luz de nossas gratificações. Temos pressa para ver o amanhã e vivemos momentos de insegurança nas esquinas da vida. Temos fome de saber, vemos a vida e nos acomodamos com as frases fáceis e mensagens curtas. Nos divertimos com nossas escolhas e dormimos à luz de nossas gratificações. Temos pressa para ver o amanhã e vivemos momentos de insegurança nas esquinas da vida.

9 Fazemos escolhas o tempo todo em nossa vida e agimos de acordo com nossos impulsos na maior parte de nossa história. Mas isso não é o que mais nos preocupa. Fazemos escolhas o tempo todo em nossa vida e agimos de acordo com nossos impulsos na maior parte de nossa história. Mas isso não é o que mais nos preocupa.

10 Sentimos vontade de acertar e tomamos nossas decisões, com o olhar carregado de esperança, mas temos novos pensamentos repousando sobre o mundo, que nos apresenta o palco da vida para que a gente saiba encenar as peças que nos foram dadas para serem encenadas sem máscaras. Sentimos vontade de acertar e tomamos nossas decisões, com o olhar carregado de esperança, mas temos novos pensamentos repousando sobre o mundo, que nos apresenta o palco da vida para que a gente saiba encenar as peças que nos foram dadas para serem encenadas sem máscaras.

11 As anotações que estamos jogando sobre o papel nasceram de uma simples pergunta: qual o sentido da vida? As anotações que estamos jogando sobre o papel nasceram de uma simples pergunta: qual o sentido da vida?

12 Não é nossa intenção ensinar a viver, mas apenas mostrar o horizonte que se esparrama muito além da estrada onde nossos pés ousam tocar. Nessa dinâmica interativa, não é justo andarmos de carona com outros. A vida exige protagonismo. Não é nossa intenção ensinar a viver, mas apenas mostrar o horizonte que se esparrama muito além da estrada onde nossos pés ousam tocar. Nessa dinâmica interativa, não é justo andarmos de carona com outros. A vida exige protagonismo.

13 A ousadia é a marca registrada dos fortes. Mas não basta ser forte, é preciso ser sábio. A sabedoria é a marca registrada dos santos. Estamos em busca da felicidade. A força nos dá poder, mas nem sempre liberdade. Queremos a liberdade. A santidade é a resposta de nossas buscas e a pergunta de nossa alma. A ousadia é a marca registrada dos fortes. Mas não basta ser forte, é preciso ser sábio. A sabedoria é a marca registrada dos santos. Estamos em busca da felicidade. A força nos dá poder, mas nem sempre liberdade. Queremos a liberdade. A santidade é a resposta de nossas buscas e a pergunta de nossa alma.

14 Temos pressa para vencer e vontade de viver. Almejamos as respostas num “piscar de olhos”. Queremos colocar em nossa cabeça conclusões completas às indagações da vida. Temos pressa para vencer e vontade de viver. Almejamos as respostas num “piscar de olhos”. Queremos colocar em nossa cabeça conclusões completas às indagações da vida.

15 O papel se antecipa às práticas e as palavras desenham o projeto do futuro. Viver é sempre mais difícil do que pensar na vida. Temos tantas palavras e tantas lições em nosso coração que poderíamos viver mil anos, ainda assim sobraria assunto. Em quinze minutos produzimos palavras para a eternidade. O papel se antecipa às práticas e as palavras desenham o projeto do futuro. Viver é sempre mais difícil do que pensar na vida. Temos tantas palavras e tantas lições em nosso coração que poderíamos viver mil anos, ainda assim sobraria assunto. Em quinze minutos produzimos palavras para a eternidade.

16 Sol e chuva é uma metáfora a respeito da vida. A nossa vida é uma semente que jamais germinará se faltar a terra onde lançá-la. Façamos uma conversa sobre as coisas mais importantes. Por onde começar? Sol e chuva é uma metáfora a respeito da vida. A nossa vida é uma semente que jamais germinará se faltar a terra onde lançá-la. Façamos uma conversa sobre as coisas mais importantes. Por onde começar?

17 É prudente fazer a leitura de nossa existência a partir da realidade onde estamos. Fazendo a pergunta certa para compreender as respostas que já estamos dando, tropeçamos com menos frequência. É prudente fazer a leitura de nossa existência a partir da realidade onde estamos. Fazendo a pergunta certa para compreender as respostas que já estamos dando, tropeçamos com menos frequência.

18 Não partimos do nada, tampouco poderemos ignorar a estrada trilhada. Não vamos começar de novo a vida. Tudo já está em andamento, o que nos resta é ajustar os trilhos de nossos passos. Não partimos do nada, tampouco poderemos ignorar a estrada trilhada. Não vamos começar de novo a vida. Tudo já está em andamento, o que nos resta é ajustar os trilhos de nossos passos.

19 ACEITAÇÃO Nascemos num determinado período de nosso tempo e ganhamos de presente uma família. Esse é o primeiro passo: aceitar o que somos, a família que temos e o período histórico em que estamos. Nascemos num determinado período de nosso tempo e ganhamos de presente uma família. Esse é o primeiro passo: aceitar o que somos, a família que temos e o período histórico em que estamos.

20 PRIMEIRO PASSO Não inventamos a roda. Em outras palavras, o mundo que nos cerca é nossa história. A sabedoria está na compreensão das verdades que nos foram dadas. Isso não significa que nossa história se restringe à roda que nos foi dada. Temos que inventar novos projetos em sintonia com o amor de Deus. Não inventamos a roda. Em outras palavras, o mundo que nos cerca é nossa história. A sabedoria está na compreensão das verdades que nos foram dadas. Isso não significa que nossa história se restringe à roda que nos foi dada. Temos que inventar novos projetos em sintonia com o amor de Deus.

21 HUMILDADE A vida abre as portas e a gente circula nas estradas que a liberdade nos presenteia. Não poucas vezes somos pegos de surpresa nas esquinas da vida. Nem sempre nossos planos estão em sintonia com nossos sonhos. A vida abre as portas e a gente circula nas estradas que a liberdade nos presenteia. Não poucas vezes somos pegos de surpresa nas esquinas da vida. Nem sempre nossos planos estão em sintonia com nossos sonhos.

22 Temos que ter a humildade para reconhecer que jogamos as melhores sementes sobre pedras. Nesse caso não haverá broto. Quando acordamos a tempo, podemos salvar o futuro, mas nem sempre temos coragem de nos colocar de pé. Temos que ter a humildade para reconhecer que jogamos as melhores sementes sobre pedras. Nesse caso não haverá broto. Quando acordamos a tempo, podemos salvar o futuro, mas nem sempre temos coragem de nos colocar de pé.

23 FORMAÇÃO Preparemo-nos para a vida. Além das exigências físicas, biológicas, psicológicas, religiosas, sociais e econômicas, buscamos o sentido de nossas buscas. Temos sede do infinito e queremos sempre mais. Preparemo-nos para a vida. Além das exigências físicas, biológicas, psicológicas, religiosas, sociais e econômicas, buscamos o sentido de nossas buscas. Temos sede do infinito e queremos sempre mais.

24 OPÇÕES Por onde caminhar? Qual estrada é a melhor resposta para as intrigantes perguntas da vida? Nunca estamos prontos. Quando o caminho está posto pensamos sobre outras possibilidades. Sempre pensamos a respeito de outras histórias. Por onde caminhar? Qual estrada é a melhor resposta para as intrigantes perguntas da vida? Nunca estamos prontos. Quando o caminho está posto pensamos sobre outras possibilidades. Sempre pensamos a respeito de outras histórias.

25 Deixamos as porteiras abertas e revelamos nossa insegurança. Não temos coragem de tomar decisão e, não poucas vezes, nos sentimos covardes. Tomar a decisão certa é nosso grande sonho. Isso seria muito bom se a gente pudesse fazer desde a nossa juventude. Deixamos as porteiras abertas e revelamos nossa insegurança. Não temos coragem de tomar decisão e, não poucas vezes, nos sentimos covardes. Tomar a decisão certa é nosso grande sonho. Isso seria muito bom se a gente pudesse fazer desde a nossa juventude.

26 Quem tem coragem de pensar “para toda a vida?” Os anos parecem longos demais, as mudanças rápidas e os projetos frágeis. Quem tem projetos que sejam capazes de durar uma vida toda? Quem tem coragem de pensar “para toda a vida?” Os anos parecem longos demais, as mudanças rápidas e os projetos frágeis. Quem tem projetos que sejam capazes de durar uma vida toda?

27 Em nossos dias as pessoas vivem “Tempos Líquidos”, como costuma falar Zigmund Bauman. Pois bem, o que seria “Tempos Sólidos?”. Os muitos caminhos que nos são apresentados precisam ser delineados com sabedoria. Em nossos dias as pessoas vivem “Tempos Líquidos”, como costuma falar Zigmund Bauman. Pois bem, o que seria “Tempos Sólidos?”. Os muitos caminhos que nos são apresentados precisam ser delineados com sabedoria.

28 Não podemos correr estrada como loucos. Faz- se necessário escolher, discernir, excluir, acolher, mudar e também perseverar no pouco que abraçamos. Não podemos correr estrada como loucos. Faz- se necessário escolher, discernir, excluir, acolher, mudar e também perseverar no pouco que abraçamos.

29 PERGUNTAS E RESPOSTAS Por onde começar as perguntas? Que respostas buscamos? Por onde começar as perguntas? Que respostas buscamos?

30 FAMÍLIA Essa é a nossa busca natural. Esposa e filhos: eis uma proposta. Essa é a nossa busca natural. Esposa e filhos: eis uma proposta.

31 VIDA RELIGIOSA E SACERDÓCIO Eis uma proposta nascida de uma vocação. Não se trata de um projeto pessoal, mas de um chamado de Deus. A fé se faz presente na plataforma da dinâmica vocacional. Eis uma proposta nascida de uma vocação. Não se trata de um projeto pessoal, mas de um chamado de Deus. A fé se faz presente na plataforma da dinâmica vocacional.

32 Nos tornamos religiosos e sacerdotes para amar mais a Deus colocando-nos a serviço das pessoas. É preciso coragem para enfrentar as dificuldades, as cruzes e as estradas íngrimes. Devemos pensar nos outros e também em nós mesmos. Nos tornamos religiosos e sacerdotes para amar mais a Deus colocando-nos a serviço das pessoas. É preciso coragem para enfrentar as dificuldades, as cruzes e as estradas íngrimes. Devemos pensar nos outros e também em nós mesmos.


Carregar ppt "SOL E CHUVA: UM OLHAR DE ESPERANÇA NOS EXTREMOS DA VIDA Marcionei Miguel da Silva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google