A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luiz Felipe Nobre NÓDULO PULMONAR “os Dez Mandamentos” CNAP / SBPT São Paulo, 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luiz Felipe Nobre NÓDULO PULMONAR “os Dez Mandamentos” CNAP / SBPT São Paulo, 2013."— Transcrição da apresentação:

1 Luiz Felipe Nobre NÓDULO PULMONAR “os Dez Mandamentos” CNAP / SBPT São Paulo, 2013

2 NÓDULO PULMONAR Def. Opacidade relativamente esférica com diâmetro <3cm envolta por parênquima pulmonar. Não deve haver associação com atelectasia ou linfonodomegalia Opacidade focal Radiografia do tórax TC Nódulo pequeno < 1 cm

3

4  Nódulo pulmonar CARCINOMA BRONCOGÊNICO Aspectos Radiológicos CARCINOMA BRONCOGÊNICO Aspectos Radiológicos

5 TC - TÉCNICA Menor espessura possível !! NP pixel voxel

6 TC - TÉCNICA Menor FOV possível !! FOV - “field of view” n° de PIXELS 20 X X x x 512 densitometria (valores de atenuação pixel a pixel) NP

7 NP: “os dez mandamentos” 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico Dr. Richard Webb – CT of the Solitary Pulmonary Nodule: Lessons Learned from Screening Studies

8 NP: “os dez mandamentos” 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico

9 Nódulos são achado comum: Mayo Clinic Rastreamento anual 1520 pts; > 50; > 20 maços/anoRastreamento anual 1520 pts; > 50; > 20 maços/ano Seguimento por 4 anos (5 TC)Seguimento por 4 anos (5 TC) 5 mm (colimação)5 mm (colimação) 74%: 3356 nódulos não calcificados74%: 3356 nódulos não calcificados 51%: nódulo(s) no primeiro exame51%: nódulo(s) no primeiro exame Rastreamento anual 1520 pts; > 50; > 20 maços/anoRastreamento anual 1520 pts; > 50; > 20 maços/ano Seguimento por 4 anos (5 TC)Seguimento por 4 anos (5 TC) 5 mm (colimação)5 mm (colimação) 74%: 3356 nódulos não calcificados74%: 3356 nódulos não calcificados 51%: nódulo(s) no primeiro exame51%: nódulo(s) no primeiro exame Swensen et al. Radiology 226:756, 2003 Swensen et al. Radiology 235:259, 2005

10 Maioria benignos: Mayo Clinic Rastreamento de 1520 pacientesRastreamento de 1520 pacientes 2% dos pacientes tinham câncer (31/1520)2% dos pacientes tinham câncer (31/1520) 3,9% dos pacs. com nódulo tinham câncer (31/780)3,9% dos pacs. com nódulo tinham câncer (31/780) 1,9% dos nódulos não calcificados eram câncer (31/1646)1,9% dos nódulos não calcificados eram câncer (31/1646) Swensen et al. Radiology 226:756, 2003 Swensen et al. Radiology 235:259, 2005

11 pacs. de alto risco estadiados (tabagistas crônicos) apenas 1-2% dos nódulos serão CApacs. de alto risco estadiados (tabagistas crônicos) apenas 1-2% dos nódulos serão CA não fumantes:não fumantes: » menor incidência de CA (0,05%) » menos de 0,1% dos nódulos serão CA na população em geral:na população em geral: » estimando-se 20% de fumantes » menos de 0,5% dos nódulos serão CA pacs. de alto risco estadiados (tabagistas crônicos) apenas 1-2% dos nódulos serão CApacs. de alto risco estadiados (tabagistas crônicos) apenas 1-2% dos nódulos serão CA não fumantes:não fumantes: » menor incidência de CA (0,05%) » menos de 0,1% dos nódulos serão CA na população em geral:na população em geral: » estimando-se 20% de fumantes » menos de 0,5% dos nódulos serão CA Maioria benignos: Mayo Clinic

12 DIFUSA SÓLIDA CENTRAL “PIPOCA” LAMINAR Calcificações benignas

13 TCAR – 0,5 a1 mm. FOV fechado Helicoidal – 5 a 7 mm. DIFUSA SÓLIDA Calcificação

14 “PIPOCA” Mulher, 40 anos, assintomática, nega tabagismo Condrohamartoma Calcificação

15 Calcificações indeterminadas EXCÊNTRICASALPICADAAMORFA

16 Homem, 64 anos carga tabágica 15 maço/ano Adenocarcinoma Mulher, 70 anos, astenia Tumor carcinóide Mulher, 55 anos com emagrecimento e tosse Adenocarcinoma

17 densitometria (valores de atenuação pixel a pixel) GorduraGordura

18 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

19 Qual nódulo é maligno?

20 17892 pacientes, 747 nódulos suspeitos17892 pacientes, 747 nódulos suspeitos nódulos em VF: 59% malignos (17/29)nódulos em VF: 59% malignos (17/29) nódulos semisólidos: 48% malignos (27/56)nódulos semisólidos: 48% malignos (27/56) nódulos sólidos: 11% malignos (15/137)nódulos sólidos: 11% malignos (15/137) 75% dos CA: nódulos em vidro-fosco ou semisólidos75% dos CA: nódulos em vidro-fosco ou semisólidos pacientes, 747 nódulos suspeitos17892 pacientes, 747 nódulos suspeitos nódulos em VF: 59% malignos (17/29)nódulos em VF: 59% malignos (17/29) nódulos semisólidos: 48% malignos (27/56)nódulos semisólidos: 48% malignos (27/56) nódulos sólidos: 11% malignos (15/137)nódulos sólidos: 11% malignos (15/137) 75% dos CA: nódulos em vidro-fosco ou semisólidos75% dos CA: nódulos em vidro-fosco ou semisólidos Câncer x opacidade em vidro fosco Li et al, Radiology 233; 793, 2004

21 Shimizu et al. Chest 2005, 127:871 Crescimento lepídico adenorcinoma in situ Opacidade em vidro fosco

22 acompanhamento 8 meses probabilidade para câncer? Kim. Radiology 2007; 245:267 nódulos em vidro fosco persistentes 75%: CBA or adenoca invasivo misto 19% : inflamatórios ou cicatrizes 6%: hiperplasia adenomatosa

23 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

24 classificação de Noguchi para adenocarcinomas Adenocarcinomas pequenos (< 2 cm)Adenocarcinomas pequenos (< 2 cm) A e B: CBA sem ou com colapso alveolarA e B: CBA sem ou com colapso alveolar C: CBA misto e adenocarcinoma invasivoC: CBA misto e adenocarcinoma invasivo D-F: adenocarcinoma invasivoD-F: adenocarcinoma invasivo correlação com prognóstico:correlação com prognóstico: A e B: 5 anos de sobrevida 100% C: histologia e prognóstico variáveis D-F: mais agressivos, pior prognóstico Adenocarcinomas pequenos (< 2 cm)Adenocarcinomas pequenos (< 2 cm) A e B: CBA sem ou com colapso alveolarA e B: CBA sem ou com colapso alveolar C: CBA misto e adenocarcinoma invasivoC: CBA misto e adenocarcinoma invasivo D-F: adenocarcinoma invasivoD-F: adenocarcinoma invasivo correlação com prognóstico:correlação com prognóstico: A e B: 5 anos de sobrevida 100% C: histologia e prognóstico variáveis D-F: mais agressivos, pior prognóstico Noguchi et al. Cancer 1995; 75: 2844

25 ATENUAÇÃO x HISTOLOGIA classificação de Noguchi e adenocarcinoma VFsemisólido VF com halo SólidoA94%6%0%0% B7%71%21%0% C0%17%29%50% D-F0%0%0%100% Yang et al, AJR 2001; 176:1399

26 classificação de Noguchi e prognóstico A-B / Vidro fosco C / Semisólidos D-F / Sólidos Noguchi et al. Cancer 1995; 75; 2844

27 Shimizu et al. Chest 2005, 127:871 Adenocarcinoma invasivo

28 sinal do Halo: opacidade em VF com centro sólido Takashima et al. Lung Cancer 2002; 36:175 CarcinomaBronquioloalveolar: Noguchi Tipo B

29 semi-sólido inflamatório

30 Adaptado de: Godoy MCB, Naidich DP. J Thorac Imag 2012;27(4):240-8 Nódulo em vidro fosco < 0,5 cm Fazer nada Múltiplos ou em screening: TC anual ≥ 0,5 cm TC em 3 meses Estável TC anual por 3-5 anos  tamanho ou atenuação Cirurgia Nódulo semissólido Único Múltiplos TC em 3 meses Persistente PET/CT Cirurgia TC em 3 meses Persistente TC anual PET/CT Cirurgia (maior nódulo)

31 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

32 Achados sugestivos de benignidade forma: alongado, poligonal, margens côncavasforma: alongado, poligonal, margens côncavas contornos regularescontornos regulares localização subpleural (contato pleural)localização subpleural (contato pleural) nódulos satélitesnódulos satélites forma: alongado, poligonal, margens côncavasforma: alongado, poligonal, margens côncavas contornos regularescontornos regulares localização subpleural (contato pleural)localização subpleural (contato pleural) nódulos satélitesnódulos satélites Takashima et al. AJR 2003; 180:1255 Li et al, Radiology 233; 793, 2004 Xu et al, Radiology 250; 264, 2009

33 forma alongadaforma alongada » razão altura x larg: 1.6 (CA razão 1.2) poligonal (não redondo ou oval)poligonal (não redondo ou oval) » 23-38% dos nóds. benignos; 0-7% CA margens côncavasmargens côncavas » 48% dos nóds. benignos; 23% CA forma alongadaforma alongada » razão altura x larg: 1.6 (CA razão 1.2) poligonal (não redondo ou oval)poligonal (não redondo ou oval) » 23-38% dos nóds. benignos; 0-7% CA margens côncavasmargens côncavas » 48% dos nóds. benignos; 23% CA Takashima et al. AJR 2003; 180:1255 Li et al, Radiology 233; 793, 2004 Achados sugestivos de benignidade

34 Takashima et al. AJR 2003; 180:1255 alongado, poligonal, margens côncavas seguimento.

35 Takashima et al. AJR 2003; 180: 955 Nódulos solitários ≤ 1 cm detectados em TC de rastreamento * = diferença significativa benignosmalignos Sólidos*Subpleurais*Alongados*Poligonais* Margens côncavas Nódulos Satélites Broncogramas aéreos 91%31% razão %45%24%12.5%24%6% razão 1.2 0%12%8%28%

36 Subpleural: contato pleural Xu et al, Radiology 250; 264, 2009 Linfonodos intrapulmonares

37 sarcoidose Nódulos satélites

38 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

39 Achados sugestivos de malignidade margens irregulares ou espiculadasmargens irregulares ou espiculadas redondosredondos nódulo contendo ar: espaços císticos, escavação, broncogramas aéreosnódulo contendo ar: espaços císticos, escavação, broncogramas aéreos margens irregulares ou espiculadasmargens irregulares ou espiculadas redondosredondos nódulo contendo ar: espaços císticos, escavação, broncogramas aéreosnódulo contendo ar: espaços císticos, escavação, broncogramas aéreos Takashima et al. AJR 2003; 180:1255 Li et al, Radiology 2004; 233: 793 Xu et al, Radiology 2009; 250: 264

40 espaços císticos, escavação, broncogramas aéreosespaços císticos, escavação, broncogramas aéreos 23 / 42 (67%): CA23 / 42 (67%): CA 14 / 151 (9%): benignos14 / 151 (9%): benignos espaços císticos, escavação, broncogramas aéreosespaços císticos, escavação, broncogramas aéreos 23 / 42 (67%): CA23 / 42 (67%): CA 14 / 151 (9%): benignos14 / 151 (9%): benignos Nódulos com conteúdo aéreo Li et al, Radiology 233; 793, 2004

41 Nódulo com broncogramas aéreos + contornos irregulares Adenocarcinoma invasivo Carcinoma bronquioloalveolar

42 Nódulo com broncogramas aéreos inflamatório

43 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

44 Tamanho é IMPORTANTE!! (supera morfologia) Diâmetro e probabilidade de câncer: Tamanho é IMPORTANTE!! (supera morfologia).… Diâmetro e probabilidade de câncer: ≤ 3 mm: 0.2%≤ 3 mm: 0.2% 4-7 mm: 2.7%4-7 mm: 2.7% 8-30 mm: 18%8-30 mm: 18% > 30 mm: 100%> 30 mm: 100% ≤ 3 mm: 0.2%≤ 3 mm: 0.2% 4-7 mm: 2.7%4-7 mm: 2.7% 8-30 mm: 18%8-30 mm: 18% > 30 mm: 100%> 30 mm: 100% Swensen et al, Radiology 235:259, 2005 Swensen et al, Radiology 226:756, 2003

45 Detterbeck et al. Chest 2009; 136:260 DIÂMETRO x PROGNÓSTICO

46 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

47 25% no diâmetro = 2x volume da esfera 25% no diâmetro = 2x volume da esfera intervalo de crescimento CA: diasintervalo de crescimento CA: dias tempo de duplicação 16 mesestempo de duplicação 16 meses Usualmente etiologia benigna nódulo estável 2 anos = benignonódulo estável 2 anos = benigno VPP 65% 25% no diâmetro = 2x volume da esfera 25% no diâmetro = 2x volume da esfera intervalo de crescimento CA: diasintervalo de crescimento CA: dias tempo de duplicação 16 mesestempo de duplicação 16 meses Usualmente etiologia benigna nódulo estável 2 anos = benignonódulo estável 2 anos = benigno VPP 65% 1 cm1.25 cm Avaliação do crescimento t. DE DUPLICAÇÃO

48 tumor agressivo (TDV 42 dias) 12 anos diâmetro diagnóstico tumor indolente (TDV 1486 dias) Velocidade de crescimento do câncer de pulmão (TDV dias)

49 CBA com crescimento lento 15 anos antes

50 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

51 Acompanhamento de NP detectado em rastreamento

52 2 cm 2.5 cm 2 mm 2.5 mm

53 Acompanhamento de NP detectado em rastreamento 0/378 nódulos < 5 mm foram malignos no seguimento em TC por 1 ano0/378 nódulos < 5 mm foram malignos no seguimento em TC por 1 ano 14/238 nódulos 5-9 mm. foram malignos14/238 nódulos 5-9 mm. foram malignos nódulos < 5 mm: não indicado controle abaixo de 1 anonódulos < 5 mm: não indicado controle abaixo de 1 ano 0/378 nódulos < 5 mm foram malignos no seguimento em TC por 1 ano0/378 nódulos < 5 mm foram malignos no seguimento em TC por 1 ano 14/238 nódulos 5-9 mm. foram malignos14/238 nódulos 5-9 mm. foram malignos nódulos < 5 mm: não indicado controle abaixo de 1 anonódulos < 5 mm: não indicado controle abaixo de 1 ano Henschke et al, Radiology 2004; 231:164

54 Recomendações Sociedade Fleischner MacMahon et al. Radiology 237:395, Nov 2005 Tamanho (diam. médio) Baixo risco (ex: não fumante) Alto risco (ex: fumante) ≤ 4 mm fim da investigação TC em 12 meses: encerrar controle se igual > 4-6 mm TC em 12 meses: encerrar controle se igual 6-12 meses meses se igual > 6-8 mm 6-12 meses meses se igual 3-6 meses meses se igual > 8 mm Opções: TC em 3, 9 e 24 meses, PET, biópsia, e/ou TC com contraste

55 Recomendações Sociedade Fleischner nódulos em vidro fosco: seguimento por longo período (excluir adenoca. indolente)nódulos em vidro fosco: seguimento por longo período (excluir adenoca. indolente) pacientes com febre: controle evolutivo precoce (excluir infecção)pacientes com febre: controle evolutivo precoce (excluir infecção) pacientes com metástases suspeitas ou conhecidas: usar protocolo para investigação de neoplasia, recomendado controle evolutivo precocepacientes com metástases suspeitas ou conhecidas: usar protocolo para investigação de neoplasia, recomendado controle evolutivo precoce pacientes jovens (< 35 a.): considerar TC de baixa dose em 6-12 mesespacientes jovens (< 35 a.): considerar TC de baixa dose em 6-12 meses pacientes idosos ou com outras doenças: TC de controle pode ser contra-indicadapacientes idosos ou com outras doenças: TC de controle pode ser contra-indicada nódulos em vidro fosco: seguimento por longo período (excluir adenoca. indolente)nódulos em vidro fosco: seguimento por longo período (excluir adenoca. indolente) pacientes com febre: controle evolutivo precoce (excluir infecção)pacientes com febre: controle evolutivo precoce (excluir infecção) pacientes com metástases suspeitas ou conhecidas: usar protocolo para investigação de neoplasia, recomendado controle evolutivo precocepacientes com metástases suspeitas ou conhecidas: usar protocolo para investigação de neoplasia, recomendado controle evolutivo precoce pacientes jovens (< 35 a.): considerar TC de baixa dose em 6-12 mesespacientes jovens (< 35 a.): considerar TC de baixa dose em 6-12 meses pacientes idosos ou com outras doenças: TC de controle pode ser contra-indicadapacientes idosos ou com outras doenças: TC de controle pode ser contra-indicada

56 Schultz. Thorax 2008; 63:335

57 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

58 em vidro fosco: 813 diasem vidro fosco: 813 dias semisólido (misto) : 457 diassemisólido (misto) : 457 dias sólido: 149 diassólido: 149 dias em vidro fosco: 813 diasem vidro fosco: 813 dias semisólido (misto) : 457 diassemisólido (misto) : 457 dias sólido: 149 diassólido: 149 dias ATENUAÇÃO x t.DUPLICAÇÃO Hasagawa et al, Brit J Radiology 73:1252, 2000

59 Controle em 2 anos nem sempre é suficiente… carcinomas indolentes podem crescer muito lentamentecarcinomas indolentes podem crescer muito lentamente geralmente opacidades em vidro fosco (CBA)geralmente opacidades em vidro fosco (CBA) seguimento de nódulos em VF > 2 anos é recomendadoseguimento de nódulos em VF > 2 anos é recomendado nódulos sólidos (adenocarcinoma invasivo) tendem a crescer mais rapidamentenódulos sólidos (adenocarcinoma invasivo) tendem a crescer mais rapidamente carcinomas indolentes podem crescer muito lentamentecarcinomas indolentes podem crescer muito lentamente geralmente opacidades em vidro fosco (CBA)geralmente opacidades em vidro fosco (CBA) seguimento de nódulos em VF > 2 anos é recomendadoseguimento de nódulos em VF > 2 anos é recomendado nódulos sólidos (adenocarcinoma invasivo) tendem a crescer mais rapidamentenódulos sólidos (adenocarcinoma invasivo) tendem a crescer mais rapidamente

60 tumor agressivo (TDV 42 dias) 12 anos diâmetro diagnóstico tumor indolente (TDV 1486 dias) Velocidade de crescimento do câncer de pulmão (TDV dias) 2 anos

61 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

62 Rigor na técnica de aquisição e reconstrução das séries! aquisição com maior colimação possívelaquisição com maior colimação possível realizar avaliação nas séries originais, com no máximo 1 mm. de espessurarealizar avaliação nas séries originais, com no máximo 1 mm. de espessura imagens reconstruídas com maior espessura podem não demonstrar características fundamentais para o diagnósticoimagens reconstruídas com maior espessura podem não demonstrar características fundamentais para o diagnóstico na dúvida, reformatar imagens com menor FOVna dúvida, reformatar imagens com menor FOV aquisição com maior colimação possívelaquisição com maior colimação possível realizar avaliação nas séries originais, com no máximo 1 mm. de espessurarealizar avaliação nas séries originais, com no máximo 1 mm. de espessura imagens reconstruídas com maior espessura podem não demonstrar características fundamentais para o diagnósticoimagens reconstruídas com maior espessura podem não demonstrar características fundamentais para o diagnóstico na dúvida, reformatar imagens com menor FOVna dúvida, reformatar imagens com menor FOV

63 TC multislice: aquisição 1 mm. TC multislice: aquisição 1 mm. série reconstruída (3 mm). nódulo indeterminado (??)

64 TC multislice: aquisição 1 mm. TC multislice: aquisição 1 mm. série original série original nódulo calcificado (granuloma)

65 MIP Maximum Intensity Projection

66 nódulos centrolobulares (infecção) nódulos subpleurais / justa-cissurais MIP Maximum Intensity Projection

67 1. Nódulos são comuns, e a maioria benignos 2. Nódulos em vidro-fosco podem ser malignos 3.Atenuação correlaciona-se com histologia e prognóstico 4.Alguns achados sugerem benignidade 5. Alguns achados sugerem malignidade 6. Tamanho é critério importante (probabilidade, prognóstico) 7. Câncer pode crescer lentamente 8. Controle com intervalo curto não é indicado 9. Dois anos não costuma ser intervalo suficiente 10. Rigor técnico é fundamental para definir diagnóstico NP: “os dez mandamentos”

68 CTPET PET/CT PET Arquivo Dr. Edwaldo Camargo / SP


Carregar ppt "Luiz Felipe Nobre NÓDULO PULMONAR “os Dez Mandamentos” CNAP / SBPT São Paulo, 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google