A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ao aproximar-se o final do Ano Litúrgico, a Liturgia nos convida a estarmos prontos a prestar conta a Deus da administração dos bens que ele nos concedeu.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ao aproximar-se o final do Ano Litúrgico, a Liturgia nos convida a estarmos prontos a prestar conta a Deus da administração dos bens que ele nos concedeu."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Ao aproximar-se o final do Ano Litúrgico, a Liturgia nos convida a estarmos prontos a prestar conta a Deus da administração dos bens que ele nos concedeu. É um apelo à VIGILÂNCIA para a vinda do Senhor, que pode vir a qualquer momento em nossa vida.

4 A 1ª Leitura apresenta a figura da "mulher virtuosa", que sabe administrar a sua casa. (Pr 31, ) Esse poema retrata a Mãe de família, que valoriza o trabalho, o compromisso, a generosidade e o "temor de Deus". Esses valores garantem ainda hoje para todos uma vida feliz, tranqüila e próspera.

5 Na 2ª leitura, Paulo fala da 2ª vinda do Senhor e como devemos esperar e preparar esse momento: vigilantes e sóbrios na presença do Senhor. (1Ts 5,1-6) No Evangelho, com a Parábola dos TALENTOS, Jesus fala da sua 2ª vinda no fim dos tempos e a atitude com que os discípulos devem esperar e preparar essa vinda. (Mt 25,14-30)

6 Um "senhor" partiu em viagem e deixou sua fortuna nas mãos dos servos. A um, deixou cinco talentos, a outro dois e a outro um. Quando voltou, chamou-os e pediu-lhes conta da gestão. Os dois primeiros tinham duplicado a soma recebida; mas o terceiro escondeu o talento recebido, pois conhecia a exigência do "senhor" e tinha medo. Os dois primeiros servos foram louvados pelo "senhor", e o terceiro foi severamente criticado e condenado.

7 A Parábola refere-se à Vinda do Senhor Jesus, no final dos tempos... - O "Senhor" representa Jesus, que antes de deixar este mundo, para viajar de volta ao Pai, deixou os seus "Bens" aos discípulos. - Os Talentos são os "bens" que Jesus deixou na sua Igreja: o Evangelho, a sua mensagem de salvação; o Batismo, a Eucaristia e todos os sacramentos, seu amor pelos pobres, sua atenção para os doentes... - Os Servos, depositários desses bens, são os discípulos de Jesus, somos todos nós, que devemos produzir na medida de nossas possibilidades...

8 Depositários dos Bens de Cristo... Nós somos agora no mundo as testemunhas de Cristo e do projeto de salvação que o Pai tem para os homens. - É com o nosso coração que Jesus continua a amar os publicanos e os pecadores do nosso tempo; - é com as nossas palavras que Jesus continua a consolar os que estão tristes e desanimados;

9 - é com os nossos braços abertos que Jesus continua a acolher os imigrantes que fogem da miséria e da degradação; - é com as nossas mãos que Jesus continua a quebrar as cadeias que prendem os escravizados e oprimidos; - é com os nossos pés que Jesus continua a ir ao encontro de cada irmão que está só e abandonado; - é com a nossa solidariedade que Jesus continua a alimentar as multidões famintas do mundo e a dar medicamentos e cultura àqueles que nada têm…

10 O que a Parábola nos diz hoje? A Parábola mostra a grande responsabilidade de quem se omite, deixando que os bens do Senhor permaneçam infrutíferos, privando desta forma a comunidade e o mundo dos frutos a que têm direito. - os "servos" da parábola, que frutificaram os "bens", nos mostram como devemos proceder:

11 Eles lutaram, esforçaram-se, arriscaram, ganharam... Não se deixaram dominar pelo comodismo e arriscaram... Não devemos nos deixar dominar pelo comodismo e ter a coragem de lutar contra a injustiça e propor os valores do Evangelho; Não aceitar que os "grandes" decidam os destinos do mundo e lutar contra os projetos desumanos que desfiguram esta terra; Não aceitar que a Igreja se identifique com a riqueza, com o poder e torná-la mais pobre, mais simples, mais humana, mais evangélica;

12 Não aceitar que a liturgia deva ser sempre tão solene que assuste os mais simples, nem tão etérea que não tenha nada a ver coma vida do dia a dia... - e o servo, que enterrou os "bens", mostra como não devemos proceder: contentar-se com o que se tem e não querer mais, por medo ou covardia... Não fazer render os "bens" que Deus nos confiou... não dar frutos...

13 Como usamos os talentos que o Senhor nos confiou? - Em muitas comunidades encontramos pessoas ricas de talentos... de estudo, de tempo e de recursos... mas não se doam aos outros... Dizem que não tem tempo, não tem jeito... e não fazem nada pela comunidade...

14 - No entanto, encontramos pessoas pobres, humildes, muito ocupadas... e com pouco ou nenhum estudo, que se entregam com generosidade a serviço da Comunidade: nas pastorais, nos movimentos e no serviço de caridade... * No fim de nossa vida, o que desejamos ouvir? "Servo bom e fiel... vem participar da minha alegria..." ou "Servo mau e preguiçoso... Servo inútil... joguem-no fora... na escuridão... onde haverá choro e ranger de dente?" A Escolha será nossa!... Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa CS

15 Meditada por: Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa CS MEU DOMINGO Com a Palavra de Deus Formatação: Nelso Geraldo Ferronatto Música: Vigiai eu vos digo Reginaldo Veloso CD: Liturgia IV - Advento Paulus https://www.youtube.com/user/MeuDomingo/videos


Carregar ppt "Ao aproximar-se o final do Ano Litúrgico, a Liturgia nos convida a estarmos prontos a prestar conta a Deus da administração dos bens que ele nos concedeu."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google