A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução aos Sistemas Distribuídos Alexandre Bragança 2001 DEI / ISEP baseado em Tecnologia de Sistemas Distribuídos, Marques e Guedes, FCA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução aos Sistemas Distribuídos Alexandre Bragança 2001 DEI / ISEP baseado em Tecnologia de Sistemas Distribuídos, Marques e Guedes, FCA."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução aos Sistemas Distribuídos Alexandre Bragança 2001 DEI / ISEP baseado em Tecnologia de Sistemas Distribuídos, Marques e Guedes, FCA

2 Sistemas Distribuídos n Aplicação Distribuida n Sistema Distribuido n Suporte –Redes –Sistemas Operativos –Linguagens –Modelos –...

3 Evolução n Condicionantes Tecnológicas –Redes de Computadores –Computadores Pessoais –Sistemas Abertos –Arquitecturas Multiprocessador

4 Evolução n Condicionantes dos Utilizadores –Utilizadores Finais n Partilha de informação, comunicação, transparência,... –Programadores n Normalização de interfaces, independência de tipo de arquitectura,... –Gestores n Evolução, extensibilidade, fiabilidade, gestão global do sistema,...

5 Problemas Introduzidos n Comunicação por mensagem –vs espaço de endereçamento partilhado n Modelo de Faltas –Uma definição de sistema distribuido é a seguinte: está-se a usar um sistema distribuido quando a falha de um computador de que nunca se ouviu falar nos impede de continuar a trabalhar n Desempenho

6 Problemas Introduzidos n Distribuição do Sistema Operativo –Software do sistema repartido entre várias máquinas -> problemas de sincronização n Segurança –Este tipo de sistema está mais vulnerável a problemas de segurança n Heterogeneidade –Arquitecturas diversas, diversas representações de dados (Ex: ASCII vs EBCDIC

7 Vantagens n Adequação à Repartição Geográfica n Modularidade n Extensibilidade n Maior Disponibilidade n Desempenho Optimizado n Custo (downsizing)

8 Abordagens Possiveis … para Software que executa em Sistemas Computacionais que não partilham uma memória comum n Programação directa sobre o periférico que permite comunicar com outro sistema

9 Abordagens Possiveis n Bibliotecas de funções ou interfaces de programação normalizados (Ex: Sockets) n Aplicações standard construidas sobre esses interfaces (Ex: telnet, ftp)

10 Abordagens Possiveis n Plataformas Cliente/Servidor –Consistem numa evolução das interfaces anteriores n Este tipo de ambientes implementam serviços adicionais: –RPC –Gestão de nomes –Segurança –Sincronização de relógios –etc.

11 Abordagens Possiveis n Sistema Operativo Distribuido n Por exemplo: Se a gestão de processos for realizada de forma integrada, os processos passam a ser entidades com capacidade de migrar entre as máquinas existentes no sistema.

12 Arquitecturas Multiprocessador n Multiprocessadores de Memória Partilhada –Uma cópia do SO executa simultaneamente e em paralelo em todos os processadores –Problemas de sincronização mesmo relativamente ao código dos sistemas operativos –Os programas do utilizador também devem ser diferentes para tirar partido dos processadores (threads)

13 Arquitecturas Multiprocessador n Multiprocessadores de Memória Distribuida –Processadores com uma memória privada interligados por uma rede de alto débito –Processadores apenas comunicam por troca de mensagens –A rede de interligação é geralmente fiável –Todos os processadores correm o mesmo sistema operativo –Utilizador tem uma visão do sistema idêntica a um sistema centralizado

14 Protocolos A API Sockets

15 Comunicações UDP

16 Comunicação TCP


Carregar ppt "Introdução aos Sistemas Distribuídos Alexandre Bragança 2001 DEI / ISEP baseado em Tecnologia de Sistemas Distribuídos, Marques e Guedes, FCA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google