A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Entomologia Florestal PUCRS Profa. Betina Blcohtein.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Entomologia Florestal PUCRS Profa. Betina Blcohtein."— Transcrição da apresentação:

1 Entomologia Florestal PUCRS Profa. Betina Blcohtein

2

3

4 Stethorus sp. Coccinellidae Dilobopterus sp.Phytalus sp. Mantodea Orthoptera HeteropteraNeuroptera

5 Ovos isolados Helicoverpa zea (Lepidoptera: Noctuidae) Phytalus sp. (Coleoptera) Forma de postura: Oviparidade:

6 Ovos em massa Teia anartoides (Lepidoptera) (Hemiptera: Fulgoroidea)

7 Esperança (Orthoptera) POSTURA NAS PLANTAS Louva-a-Deus (Mantodea)

8 POSTURA EM TECIDOS VEGETAIS: POSTURA ENDOFÍTICA Mosca-das frutas (Diptera, Tephritidae)

9 POSTURA SOBRE ANIMAIS Piolho (Phthiraptera)

10 Mosca da Berne Dermatobia hominis (DIPTERA: CUTEREBRIDAE)

11 Diptera (Tachinidae) POSTURA SOBRE O CORPO DO HOSPEDEIRO

12 POSTURA NO INTERIOR DE OUTROS INSETOS Parasitóides Bracon hylobii – Parasitóide em oviposição Pupas parasitóides sobre restos da larva hospedeira

13 OVOS COLOCADOS SOBRE A ÁGUA Mosquito (Diptera)

14 Ovos podem ficar protegidos numa OOTECA (envoltório ou cápsula que encerra os ovos) Louva-a-deus (Mantodea)

15 Exemplos de OOTECA Baratas (Blattodea)

16 Desenvolvimento embrionário é completado dentro do corpo da fêmea que deposita larva ou ninfa em vez de ovos. Ex: Alguns dípteros, e pulgões e pulgões Sternorrhyncha – Aphididae - pulgão

17 Fêmeas depositam ovos que contém embriões em adiantado estádio de desenvolvimento ou mesmo larvas recém eclodidas. Diptera - Tachinidae

18 Ovos se desenvolvem completamente, sem nunca terem sido fertilizados. Pode ser facultativa ou obrigatória. pulgão

19 Tipos de Partenogênese: Tipos de Partenogênese: Arrenótoca: ovos originam machos (zangões) Telítoca: ovos originam fêmeas (pulgão tropical) Deuterótoca ou Anfítoca: ovos originam machos e fêmeas (pulgões de clima frio) pulgão

20 Produção de ovos ou de formas jovens por indivíduos imaturos; por partenogênese larval Diptera - Cecidomyiidae e Chironomidae

21 Retenção de caracteres imaturos no estágio adulto Fêmea do “bicho-cesto” Lepidoptera – Psychidae, Oiketicus kirbyi

22 Produção de dois ou mais embriões a partir de um único ovo (subdivisão do zigoto) Ex: Vespas - Braconidae. Cotesia spp.

23 Os dois sexos acham-se presentes no mesmo indivíduo. Extremamente raro em insetos! Cochonilhas - Icerya purchasi (Sternorrhyncha, Margarodidae)

24 Ovo > adultopupa > forma jovem > adulto Ovo >

25 Stethorus sp. Coccinellidae Dilobopterus sp.Phytalus sp. Mantodea Orthoptera HeteropteraNeuroptera

26

27  Mudança de forma durante o desenvolvimento do estágio de ovo até adulto (imago). Ecdise ou muda; processo de eliminação do exoesqueleto Exúvia: cutícula (exoesqueleto) abandonada pelo inseto. Estádio (estágio) ou ínstar: intervalo de tempo entre duas ecdises ou entre a eclosão do jovem até 1ª muda.

28 Exúvia

29 TIPOS TIPOS Ametabolia : não há mudança de forma. Ametabolia : não há mudança de forma. Ex: Thysanura

30 Metamorfose incompleta caracterizada pela ausência de pupa. (Ovo > Ninfa > adulto) Paurometabolia: O recém eclodido se assemelha ao adulto, porém não tem asas e órgão genitais imaturos.

31 Paurometabolia : Ex: Heteroptera (percevejos)

32 Paurometabolia Ex: Orthoptera (cachorrinho-da-terra)

33  Hemimetabolia : formas jovens aquáticas (NÁIADES) (NÁIADES)  Ex: Ephemeroptera (efemérida), Odonata (libélula) e Plecoptera

34

35 Holometabolia : metamorfose completa Ovo-Larva-Pupa-Adulto Ovo-Larva-Pupa-AdultoEx: Lepidoptera (mariposas) Coleoptera (besouros) Diptera (moscas) Hymenoptera (vespas)

36 LEPIDOPTERA

37 COLEOPTERA

38 DIPTERA OVO LARVA PUPA ADULTO (IMAGO)

39  Tipos de larvas: LARVAS ÁPODES (c/ segmentação abdominal; apêndices apenas na cabeça. Dípteros, sifonápteros, coleópteros e himenópteros) OLIGÓPODES (c/ apêndices torácicos e cefálicos; s/ pernas abdominais transitórias. Neurópteros,tricópteros e coleópteros) POLÍPODES (c/ apêndices cefálicos, torácicos e espuripédios ou pseudópodes. Lepidópteos, mecópteros, himenópteros e tricópteros)

40 Eruciforme : falsas pernas abdominais presentes, com colchetes ou ganchos. Lepidoptera

41 Limaciforme: aspecto de lesma, superfície ventral achatada. Diptera - Syrphidae

42 Vermiforme : ápoda, porção anterior afilada e posterior truncada. Díptera.

43 Curculioniforme : cabeça distinta, larva ápoda e levemente encurvada. Besouros - Curculionidae.

44 Escarabeiforme : cabeça distinta, larva encurvada “C” e pernas longas Besouros - Scarabaeidae

45 Buprestiforme : ápoda, protórax expandido lateralmente. Besouros - Buprestidae.

46 Cerambiciforme : pernas torácicas curtas, vestigiais ou ausentes, segmentação acentuada. Besouros - Cerambycidae.

47 Carabiforme : pernas torácicas curtas, com 5 artículos. Cabeça prognata. Besouros - Carabidae

48 Elateriforme : corpo bastante quitinizado, pernas torácicas curtas. Cor de ferrugem – larva arame. Besouros - Elateridae.

49 Campodeiforme : pernas torácicas longas e ágeis. Besouros - Coccinellidae.

50 LARVAS AQUÁTICAS Mosquito (Diptera)

51 FORMA JOVEM AQUÁTICA ( Náiades ) Libélula (Odonata)

52 Percevejo Esperança

53 Adultos e ninfas de barata Periplaneta americana

54 Adultos e ninfas de tripes

55 Ninfas de percevejo

56 Livres ou exaratas: apêndices visíveis e afastados do corpo Coleoptera

57 Obteca (nuas ou em casulos): Apêndices intimamente ligados ao corpo Borboleta Mariposa

58 Coarctata: pupa dentro da última exúvia larval, nenhum apêndice do futuro inseto é visível. Diptera

59

60 PRINCIPAIS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS ENVOLVIDAS NA METAMORFOSE PRINCIPAIS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS ENVOLVIDAS NA METAMORFOSE a.Gânglios cerebrais (células nervosas secretoras) Corpos cardíacos (armazenam hormônios que estimulam periodicamente a glândula protorácica)Corpos cardíacos (armazenam hormônios que estimulam periodicamente a glândula protorácica) b. Glândula protorácica(produzem “ecdisona”) b. Glândula protorácica (produzem “ecdisona”) c. Corpos alados:atuam na glândula protorácica segregam o hormônio juvenil chamado de “neotenina”, que impede o aparecimento de caracteres adultos e é liberado constantemente na hemolinfa, não sendo armazenado. c. Corpos alados: atuam na glândula protorácica segregam o hormônio juvenil chamado de “neotenina”, que impede o aparecimento de caracteres adultos e é liberado constantemente na hemolinfa, não sendo armazenado.

61 Hormônio Juvenil (neotenina – corpo alado) Neurohormônio (corpo cardíaco)


Carregar ppt "Entomologia Florestal PUCRS Profa. Betina Blcohtein."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google