A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED Janeiro de 2008 Ministério do Trabalho e Emprego.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED Janeiro de 2008 Ministério do Trabalho e Emprego."— Transcrição da apresentação:

1 1 Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED Janeiro de 2008 Ministério do Trabalho e Emprego

2 2 Nível de Emprego Celetista – Janeiro de Em janeiro de 2008, foram gerados empregos com carteira assinada, o que representou uma elevação de 0,49% no estoque do mês anterior, confirmando a tendência expressiva de crescimento do emprego celetista. 2. Em termos absolutos e relativos, esses resultados foram recorde, para o mês, na série histórica do CAGED. 3. Nos últimos 12 meses, foram gerados empregos (+ 6,03%). 4. Entre 2003 e 2008 forma gerados postos de trabalho.

3 3 Evolução do Emprego Celetista Comparativo dos meses de Janeiro nos anos de 2003 a 2008

4 4 Nível de Emprego Celetista: Resultado Setorial (Janeiro/2008) 1. Os setores de atividade que mais contribuíram para o desempenho positivo no mês de janeiro de 2008 foram: Indústria de Transformação: postos (+0,84%), o maior saldo e a maior taxa de crescimento da série histórica do Caged para o período. Serviços: postos (+ 0,43%), a segunda maior geração de empregos para o período. A primeira ocorreu em janeiro de 2005 ( postos ou + 0,56%) Construção Civil: postos (+2,53%), a maior taxa de crescimento dentre os setores e o melhor resultado da série do CAGED, para o mês, tanto em termos absolutos quanto relativos Agropecuária: postos (+0,54%) 2. O comércio foi o único setor com resultado negativo: postos (- 0,22%) devido à influência de fatores sazonais associados à dispensa de empregados, após as festas de fim de ano.

5 5 Evolução do Emprego Celetista por Setor de Atividade: Comparativo dos meses de Janeiro nos anos de 2004 a 2008

6 6 Nível de Emprego Celetista Resultado da Indústria de Transformação – Janeiro/ O bom desempenho da Indústria de Transformação decorreu da expansão do emprego nos 12 ramos que a integram, dos quais seis apresentaram resultado recorde, para o mês de janeiro: Indústria de Produtos Alimentícios: postos (+0,72%); Indústria Mecânica: postos (+ 1,83 %); Indústria Metalúrgica: postos (+ 1,21 %); Indústria Material de Transportes : postos ( +1,24%); Indústria de Calçados: postos ( 1,28%); Indústria de Produtos Minerais Não Metálicos : postos (+ 0,55 %). Merece destaque a Indústria Química ( postos ou + 0,70%) que obteve o segundo melhor resultado para o período, superado apenas pelo ocorrido em 2006 ( postos ou + 0,77%)

7 7 Nível de Emprego Celetista Resultado do setor Serviços – Janeiro/ O dinamismo do setor Serviços está relacionado principalmente ao desempenho dos seguintes ramos: Serviços de Alojamento e Alimentação: postos (+0,53%), expansão associada ao turismo. Serviços de Comércio e Administração de Imóveis e Serviços Técnicos Profissionais: postos (+ 0,72%), elevação vinculada aos serviços prestados às empresas (limpeza, vigilância, seleção e recrutamento de mão- de-obra, informática, entre outros). 2.O Ensino, devido a sazonalidade relacionada ao término do ciclo escolar, foi o único ramo que apresentou declínio : postos ou - 0,56%.

8 8 Nível de Emprego Celetista: Resultado da Agropecuária – Janeiro/ O setor agrícola gerou empregos celetistas (+ 0.54%) em janeiro deste ano. 2. Segmentos que mais se destacaram em janeiro: Cultivo da Cana-de-Açúcar ( postos), especialmente em São Paulo ( postos) e Goiás ( postos), que superam a eliminação de empregos nos estados do Nordeste, particularmente nos estados de Pernambuco ( postos), Bahia ( postos) e Rio Grande do Norte ( postos), que foram os mais afetados. Cultivo de outros Produtos da Lavoura Permanente ( postos), especialmente em Santa Catarina ( postos) e no Rio Grande do Sul ( postos).

9 9 Nível de Emprego Celetista: Geração de Empregos nos Estados e Regiões do Brasil – Janeiro de Em termos geográficos os dados mostram expansão do emprego em quase todas as Regiões: Sudeste: postos (+ 0,48%), o maior saldo da série histórica, para o mês de janeiro.Destaque para os estados de São Paulo: postos (+0,68%), resultado recorde para o período e Minas Gerais: postos (+0,34%), o segundo melhor resultado, inferior apenas ao ocorrido em 2005 ( postos ou +0,45%). O estado do Rio de Janeiro foi o que apresentou desempenho mais modesto ao registrar a variação de - 0,01% ou postos, que pode ser interpretada como relativa estabilidade.; Sul: postos (+0,91%), a maior geração de empregos da série do CAGED, para o período. Destaque para o Rio Grande do Sul: postos (+0,97%), maior saldo do período e Santa Catarina postos (+1,20%), que obtive o segundo maior saldo e a maior taxa de crescimento da região; Centro-Oeste: postos (+1,12%), a maior criação de empregos da série para o mês de janeiro. Destaque para o estado do Goiás postos (+1,47%) que obteve saldo recorde para o período, Mato Grosso (+1,63%), a maior geração de postos de trabalho no mês e a maior taxa de crescimento em nível nacional e Mato Grosso do Sul postos (+ 1,22%), segundo melhor desempenho do período;

10 10 Nível de Emprego Celetista: Geração de Empregos nos Estados e Regiões do Brasil – Janeiro de continuação Norte: postos (+0,10%), resultado bastante favorável com relação ao verificado em janeiro de 2007 ( postos ou – 0,08%). Destaque para os estados do Amazonas +840 postos (+0,25%), Tocantins postos ( 0,64%) e Rondônia postos ( + 0,36%). Em termos relativos, o destaque coube ao estado de Roraima que apresentou a maior taxa de crescimento da região ( 1,08% decorrente da criação de 285 postos de trabalho); Nordeste: postos (- 0,17%), resultado influenciado pela presença de fatores sazonais relacionados ao fim do ciclo da cana-de-açúcar. Os estados mais afetados foram: Ceará ( postos - 0,71%), Pernambuco ( postos – 0,31% ), Rio Grande do Norte ( postos - 0,61%) e Alagoas ( postos - 0,46%) Em contrapartida, merece destaque o estado da Bahia ( postos + 0,22%).

11 11 Nível de Emprego Celetista Regiões Metropolitanas dos Estados da BA, CE, MG, PA, PE, PR, RJ, RS e SP - Janeiro de O conjunto das nove Áreas Metropolitanas respondeu pelo crescimento de 0,39%, decorrente da criação de postos, resultado recorde para o período. 2. Em janeiro, como esperado, a elevação do emprego nesses aglomerados urbanos foi menor do que nas cidades não metropolitanas ( postos ou + 0,51%), em razão dos efeitos sazonais positivos do agronegócio no interior do centro-sul do país. 3. Dentre as Regiões Metropolitanas, São Paulo foi a área que mais se sobressaiu, ao gerar postos/+0,65%, apresentando o melhor desempenho, em termos absolutos, para o mês, na série do CAGED. O interior desse aglomerado urbano também foi destaque, ao responder pelo aumento de postos/+ 0,71%.

12 12 Evolução do Saldo do Emprego Formal Período de Janeiro de 2003 a 2008

13 13 Saldo de Admissões e Desligamentos Período: Janeiro DF: Brasil – UF – Saldo: vínculos


Carregar ppt "1 Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED Janeiro de 2008 Ministério do Trabalho e Emprego."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google