A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Economia e Sociedade Açucareira Açúcar, Plantation e Escravidão Prof. Alan Carlos Ghedini.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Economia e Sociedade Açucareira Açúcar, Plantation e Escravidão Prof. Alan Carlos Ghedini."— Transcrição da apresentação:

1 Economia e Sociedade Açucareira Açúcar, Plantation e Escravidão Prof. Alan Carlos Ghedini

2 Características coloniais gerais Colônia de exploração Existência de Pacto Colonial – Monopólio Economia de exportação de produtos tropicais Natureza predatória extrativista, com ênfase às demandas do mercado metropolitano

3 Pacto Colonial Metrópole Colônia Produtos Tropicais Produtos Manufaturados MONOPÓLIO

4 A lavoura colonial Existência da grande propriedade monocultora Características: Latifúndio Monocultura Mão-de-obra escrava Indígena até 1758 Negra africana até 1888 Voltada ao mercado externo

5 Economia Baseada num produto chave – os ciclos (conjunturas/fases) econômicos Pau-Brasil Fase de alto extrativismo predatório daquela madeira Cana-de-açúcar Marca a efetivação da posse portuguesa na Colônia Primeiro engenho: São Vicente (1532) Produção baseada no formato da plantation Até a União Ibérica (1580 – 1640), portugueses e holandeses fizeram da Colônia a maior produtora mundial de açúcar Pecuária e Lavoura de Subsistência Atividades ligadas ao abastecimento das áreas açucareiras

6 A estrutura do Engenho As divisões do Engenho eram: Casa-Grande, onde vivia o senhor e sua família Senzala, local onde estavam alocados os escravos Capela, espaço para o culto católico Casa da Moenda, espaço de produção do açúcar

7 A atividade açucareira A atividade açucareira fazia uso do sistema de Plantation, que era: Latifúndio Monocultura Voltado ao Mercado Externo Uso de mão-de-obra escrava A sociedade açucareira era do tipo: Patriarcal Rural De baixa mobilidade social

8 Outras características sociais Nessa sociedade agrária: Cabia à mulher a geração de filhos e sua educação Ela estava destinada a organização do espaço privado Os grandes proprietários estavam no comando da vida política nas câmaras municipais Eram chamados de homens bons Não se observava mobilidade social na sociedade açucareira

9 União Ibérica (1580 – 1640) A morte de D. Sebastião em Alcácer Quebir, deixa vago o trono português. Cardeal Dom Henrique, assume, mas morre em 1580 sem deixar herdeiros Felipe II de Espanha, reivindica o trono As duas coroas fundem-se dando origem a União Ibérica

10 O caso da Holanda Ex-possessão espanhola, a Holanda passa, com a União Ibérica, a ser inimiga também de Portugal Quebra-se o comérico açucareiro entre Portugal e Holanda A Holanda invade a Bahia e, depois, Pernambuco O conde Maurício de Nassau-Siegen governa o Brasil Holandês Após a trégua dos 10 anos, Nassau implementa um forte projeto de desenvolvimento da colônia, com grande urbanização Depois de sua saída do governo, recomeçam as guerras A mais famosa foi a Batalha dos Guararapes

11 Batalha dos Guararapes

12 Criação de Gado No sistema de Engenho de Açúcar, tudo estava voltado ao beneficiamento da cana O crescimento da lavoura açucareira e das populações locais deu origem a outras atividades A criação de gado foi fundamental nesse sistema de alimentação da economia do açúcar. A pecuária também colaborou com a interiorização do território

13 A escravidão negra africana A prática escravista era bastante antiga na África A principal forma de escravidão era aquela decorrente de guerras entre as nações africanas Diferenças étnicas, religiosas, culturais ou políticas levam grupos rivais ao conflito Com a expansão islâmica no século VII, vieram milhões de escravos, do Sul (África Subsaariana)

14 Escravidão negra africana na Colônia

15 Portugal e a escravidão Os Portugueses teriam sido os pioneiros na escravidão moderna A escravidão passou de um elemento secundário, a uma condição de atividade bastante lucrativa e intercontinental Reinos africanos de maior poder, ampliaram o apresamento de escravos

16 Comércio de pessoas... Para o Brasil vieram de 4 à 5 milhões de escravos em apenas três séculos Como era um negócio altamente lucrativo, outros países sentiram-se atraídos à sua prática Inglaterra França Espanha Holanda Esse comércio também serviu às práticas mercantilistas

17 No projeto escravocrata, até a Bíblia foi usada De acordo com a lenda bíblica, os africanos seriam descendentes de Cam, filho de Noé, amaldiçoada pelo pai. Isso aparece no chamado Mapa T-O, ao lado

18 O impacto da escravidão nas sociedades africanas O grande fluxo de escravos para fora da África, causou uma desestabilização nas sociedades daquele continente As divisões internas, entre os grupos humanos no continente africano foram potencializadas Esse estado é, ainda hoje, uma das causas dos conflitos étnicos em África

19 Houve resistência Embora, os portugueses tenham dificultado a organização dos escravos, estes realizavam uma forte oposição à escravidão: Suicídios Infanticídios Rebeliões Fugas Quilombos

20 Palmares Foi o maior Quilombo na Colônia Foi completamente destruído após várias expedições contra aquela comunidade Foi o bandeirante Domingos Jorge Velho, aquele que derrotou os quilombolas de Palmares A morte de seu líder, Zumbi dos Palmares, em 20 de Novembro 1695, é hoje lembrada com o Dia da Consciência Negra.


Carregar ppt "Economia e Sociedade Açucareira Açúcar, Plantation e Escravidão Prof. Alan Carlos Ghedini."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google