A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Parte I 2. Os motores de crescimento numa perspectiva de longo prazo AT 5 - A importância mutável dos recursos naturais Sumário 1 – Os Recursos naturais:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Parte I 2. Os motores de crescimento numa perspectiva de longo prazo AT 5 - A importância mutável dos recursos naturais Sumário 1 – Os Recursos naturais:"— Transcrição da apresentação:

1 1 Parte I 2. Os motores de crescimento numa perspectiva de longo prazo AT 5 - A importância mutável dos recursos naturais Sumário 1 – Os Recursos naturais: alguns conceitos 2 – Os recurso naturais nas vagas de inovação: energia e matérias-primas 3 - Os recursos naturais e as assimetrias internacionais no crescimento económico

2 2 Conceitos Recursos Naturais Recursos Naturais Renováveis (económicos e não económicos) Recurso Naturais Não Renováveis Reserva ==> conceito económico Dotação ==> conceito associado à geografia

3 3 Os recursos naturais nas vagas de inovação Primeiro Kondratiev (K1) Fase A: Fase B: 1814 – Sector líder: indústria do algodão / ferro e extracção de carvão. -Matérias-primas: algodão, ferro. -Recurso energético: carvão. -Energia: vapor / moinhos de vento e de água. - País líder: Inglaterra Difusão da máquina a vapor a outros países: França, Bélgica, Alemanha, Império Austro-Hungaro, Estados Unidos.

4 4 Os recursos naturais nas vagas de inovação Segundo Kondratiev (K2) Fase A:1849 – 1873 Fase B: Sector líder: indústria do metalurgica -Matérias-primas: ferro e aço -Recurso energético: carvão -Energia: vapor(máquinas a vapor de alta pressão) -País líder: Inglaterra (até ao fim da fase A) Catching-up (arranque): Alemanha, Estados Unidos.

5 5 Fonte: Cameron, Rondo (2000: 224), História Económica do Mundo... Figura 1 – Minas de carvão na Europa

6 6 Períodotoneladas c c Quadro 1 - Consumo de algodão : nos países europeus (até 1810) nos países modernizados (depois de1960) Fonte: Paul Bairoch (2000), Mitos e Paradoxos da História Económica,p.213

7 7 Gráfico 1 – Produção de ferro em Inglaterra ( ) Fonte: Freeman e Louça (2001: 159), As time goes By...

8 8 Fonte: Freeman e Louçã (2001: 161), As time goes By... Gráfico 2 – Preço do ferro em Inglaterra

9 9 Quadro 2– Preços do carvão (xelins/tonelada) AnosPreços Fonte: Freeman e Louçã (2001).

10 10 Anos$ por tonelada Fonte: Freeman e Louçã (2001: 234) Quadro 3 – Preço do aço nos Estados Unidos

11 11 Os recursos naturais nas vagas de inovação K1 e K2 - problematizar o papel dos recursos naturais - Abundância destes recursos naturais pioneirismo em termos de crescimento económico - GB tinha vantagem pelas suas reservas mas... - A utilização do carvão não resultou da sua abundância, mas sim de transformações tecnológicas. - Difusão da máquina a vapor foi lenta não pela escassez de carvão mas pelas modificações que a sua utilização implicava ao nível da indústria têxtil. -Ferro: novas formas de fundição -Produtos sintéticos

12 12 Os recursos naturais nas vagas de inovação Terceiro Kondratiev (K3) Fase A:1896 – 1920 Fase B: Sector líder: indústria química, de material eléctrico e automóvel/ outros sectores: terciário. -Matérias-primas: ferro, aço, cobre, borracha, outros -Recurso energético: carvão e petróleo. -Energia: eléctrica (hidro e termo). - País líder: Estados Unidos. Catching-up: Japão, Rússia, Itália, etc.

13 13 Os recursos naturais nas vagas de inovação Quarto Kondratiev (K4) Fase A: 1947– 1973 Fase B: Sector líder: Bioquímica e electrónica / manutenção da importância das indústrias do K3. -Matérias-primas: produtos sintéticos -Recurso energético: petróleo; urânio -Energia: electricidade -País líder: Estados Unidos Catching-up: Portugal, Coreia do Sul, etc.

14 14 Gráfico 3 – Uso de electricidade nos Estados Unidos Fonte: Freeman e Louçã (2001: 228)

15 15 Gráfico 4 – Preço do cobre Fonte: Freeman e Louçã(2001: 241).

16 /841909/131925/291934/38 França Carvão Petróleo Estados Unidos Carvão (betuminoso) Cravão(antracite) Petróleo (bruto) Quadro 4 – Preços em dólares correntes por tonelada equivalente de carvão Fonte: Bairoch, Paul (2001: 215), Mitos e Paradoxos da História Económica.

17 17 DataReservas (10 6 ton)Reservas (nº anos) (670 biliões de barris) 35 Quadro 5 - Reservas mundiais de petróleo

18 18 Os recursos naturais nas vagas de inovação K4 e K3 - problematizar o papel dos recursos naturais Produtos sintéticos ==> diminuição da importância das regiões exportadoras de recursos naturais Comércio Internacional: alteração das especializações produtivas Fonte energética: electricidade e sua mobilidade / novas formas de a produzir Crescente importância do petróleo ==> novas regiões inseridas no comércio internacional

19 19 Recursos naturais e CEM: um balanço - CEM ==> pressão sobre os recursos naturais (esgotamento / poluição) mas Progresso Tecnológico permite maior eficiência na sua utilização - Papel dos recursos naturais é diferente ao longo das vagas de inovação ==> contraste entre os K1 e K2 / K3 e K4 - Importância do comércio internacional - Alterações estruturais ==> alterações nos sectores líder (industrialização e terciarização)

20 20 Os recursos naturais e as assimetrias internacionais Gráfico 5 - Recursos Naturais vs PIB per cpaita Fonte: Weil, D. N., Economic Growth, 2005.

21 21 Quadro 6 – Produção e balança comercial de energia comercial (em milhões de toneladas equivalentes em carvão) Fonte: Paul Bairoch (2000: 95), Mitos e Paradoxos da História Económica Europa Ocidental Produção469,8728,7714,6507,3617,5 Balança Comercial 12,131,510,4- 67,0- 846,3 América Norte Produção527,8873,3847,41195,92453,6 Balança Comercial 3,715,333,48,7- 168,1 Papel dos países menos desenvolvidos na modernização: o fornecimento de matérias-primas

22 22 Quadro 7 – Produção e balança comercial dos principais minérios (milhares de toneladas de conteúdo de metal) Fonte: Paul Bairoch (2001: 99), Mitos e Paradoxos da História Económica.

23 23 Os recursos naturais e as assimetrias internacionais A dotação de recursos naturais tem importância diferente conforme o período em estudo ausência de correlação entre riqueza de recursos e níveis de produto per capita. Importância do comércio externo dos produtos naturais: baixa especialização produtiva (dutch disease) vs dependência económica. O contraste histórico entre finais do século 19 e finais do século 20 (matérias-primas energéticas / produtos sintéticos). No 4 e 5K: crescente importância da I&D para o crescimento económico abrindo oportunidades para mais países entrarem para o CEM, transformando o capital humao no factor estratégico.

24 24 Objectivos Compreender a relação entre CEM e a alteração na importância relativa dos recursos naturais. A relatividade temporal do conceito de reserva e dotação. Demonstrar que o CEM, na tendência, tornou a dotação de uma economia em recursos naturais uma variável menos determinante do seu desempenho. Enunciar os factores explicativos dessa tendência.


Carregar ppt "1 Parte I 2. Os motores de crescimento numa perspectiva de longo prazo AT 5 - A importância mutável dos recursos naturais Sumário 1 – Os Recursos naturais:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google