A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ray Tracer Distribuído Aluno: Leonardo de Oliveira Martins Rio de Janeiro, 04/07/2007 Pontifícia Universidade Católica do Rio de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ray Tracer Distribuído Aluno: Leonardo de Oliveira Martins Rio de Janeiro, 04/07/2007 Pontifícia Universidade Católica do Rio de."— Transcrição da apresentação:

1 Ray Tracer Distribuído Aluno: Leonardo de Oliveira Martins Rio de Janeiro, 04/07/2007 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-RJ Disciplina: Fundamentos de Computação Gráfica Prof. Marcelo Gattass

2 Introdução A precisão dos algoritmos de ray tracing depende da resolução da tela (imagem) Por este motivo, os algoritmos de ray tracing estão sujeitos ao aparecimento de fenômenos em que detalhes de pequena dimensão podem não ser capturados na imagem ou surgir agrupados em estruturas que, na realidade, não existem (aliasing) A adoção de técnicas de antialiasing em ray tracing permite reduzir o impacte destes fenômenos

3 Introdução Ray Tracing Simples A cor de um pixel é determinada calculando a cor no ponto de intersecção do raio primário correspondente ao pixel com o objeto

4 Introdução Super Amostragem Usar vários raios primários cobrindo uniformemente a área correspondente ao pixel A cor do pixel será a média das cores determinadas por cada um dos raios Com mais de 1 raio primário por cada pixel podemos obter uma idéia mais precisa do que acontece na área correspondente ao pixel

5 Introdução Abordagem proposta Distribuir aleatoriamente os raios pela área, de tal maneira que a distribuição seja uniforme. Com, isso, minimizam-se os efeitos de aliasing devidos à amostragem regular. Esta técnica, denominada de ray tracing aleatório, ray tracing estocástico ou ray tracing distribuído permite calcular cores médias mais corretas, pois os raios encontram-se melhor distribuídos dentro da área correspondente a cada pixel

6 Introdução

7 Problemas Introduz ruído devido à distribuição aleatória No entanto, este ruído encontra-se mais ou menos uniformemente distribuído pela imagem visão humana é muito mais tolerante ao ruído aleatório do que a singularidades locais Número de raios lançados gera uma elevada carga computacional A depender do tamanho da área amostrada Cálculos desnecessários em determinadas regiões

8 Implementação Para a implementação do programa foram utilizados Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Dev-C++ Bibilioteca gráfica OpenGL Interface gráfica -> IUP

9 Exemplos Ray Tracing Comum

10 Exemplos Ray Tracing Distribuído n = lado do quadrado de amostragem = 4

11 Referências HILL, F.S. Computer Graphics sUsing OpenGL. Prentice Hall, 2nd edition Internet: Introdução à Computação Gráfica – Aliasing e Ray Tracing Distribuído. Disponível em 751/raytracingdistr-pdf/download 751/raytracingdistr-pdf/download Raytracing. Disponível em cg/programa/livro/Raytracing.pdf cg/programa/livro/Raytracing.pdf Notas de Aula do curso


Carregar ppt "Ray Tracer Distribuído Aluno: Leonardo de Oliveira Martins Rio de Janeiro, 04/07/2007 Pontifícia Universidade Católica do Rio de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google