A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vigilância de Óbito Infantil e Fetal 2013 Selma Barreto V. Rios DIVEP/SUVISA/SESAB.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vigilância de Óbito Infantil e Fetal 2013 Selma Barreto V. Rios DIVEP/SUVISA/SESAB."— Transcrição da apresentação:

1 Vigilância de Óbito Infantil e Fetal 2013 Selma Barreto V. Rios DIVEP/SUVISA/SESAB

2 CONCEITOS BÁSICOS

3 CRIANÇAS MENORES DE UM ANO

4 É um produto da concepção que, após expulsão ou extração completa do corpo da mãe, independente da duração da gravidez... RESPIRE...ou apresente qualquer outro sinal de vida Batimentos do coração, Pulsações do cordão umbilical ou Movimentos efetivos dos músculos de contração voluntária, estando ou NÃO cortado o cordão umbilical e estando ou NÃO desprendida a placenta. (OMS) NASCIDO VIVO

5 Classificação dos Tipos de Recém-nascidos

6 Idade Gestacional RN A TERMO Idade gestacional: 37 a 41 semanas e 6 dias. RN PREMATURO Idade gestacional: menor que 37 semanas ou seja, até 36 semanas e 6 dias. RN PÓS-TERMO Idade gestacional: 42 semanas ou mais.

7 Peso ao Nascer RN DE BAIXO PESO (RNBP) RN com menos de 2.500g. RN DE MUITO BAIXO PESO (RNMBP) RN com menos de 1.500g. RN DE EXTREMO BAIXO PESO (RNEBP) RN com menos de 1.000g.

8 Crescimento Intrauterino RN ADEQUADO PARA A IDADE GESTACIONAL (AIG) Peso ao nascer entre o percentil 10 e o percentil 90. RN PEQUENO PARA A IDADE GESTACIONAL (PIG) RN com peso ao nascer abaixo do percentil 10. RN GRANDE PARA A IDADE GESTACIONAL (GIG) RN com peso acima do percentil 90.

9 É a morte do produto da gestação, antes da expulsão ou de sua extração completa do corpo materno, independente da duração da gravidez. (O M S) ÓBITO FETAL (Nascido morto ou Natimorto)

10 É a expulsão ou extração de um produto da concepção com: Menos de 500 gramas E/OU Estatura menor ou igual a 25 cm OU Menos de 22 semanas de gestação, sem sinais de vida e sendo ou não espontâneo ou induzido. (OMS) ABORTAMENTO

11 Cálculo da Mortalidade Infantil

12 Mortalidade Infantil (0 – 364 dias) Neonatal (0-27dias) Precoce (0-6 dias) Tardio (7- 27 dias) Pós-neonatal ( dias)

13 Classificação da TMI Baixa: < 20 óbitos infantis/1.000 nascidos vivosMédias: 20 a 49 óbitos infantis/1.000 nascidos vivosAltas: 50 óbitos infantis/1.000 nascidos vivos

14 Nº de óbitos de crianças menor de 1 ano residentes em determinado local e período TMI = X Total de nascidos vivos de mães residentes no mesmo local e período COEFICIENTE OU TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL – TMI Representa o risco de uma criança morrer antes de completar um ano de vida

15 Nº de óbitos de crianças de 0 a 27 dias de vida completos residentes em determinado local e período TMN = X Total de nascidos vivos de mães residentes no mesmo local e período COEFICIENTE OU TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL – TMI Componentes: Neonatal: Representa o risco da criança morrer antes de completar 28 dias de vida Neonatal precoce: 0 a 6 dias Neonatal tardio: 7 a 27 dias

16 Nº de óbitos de crianças de 28 a 364 dias de vida completos residentes em determinado local e período TMPN = X Total de nascidos vivos de mães residentes no mesmo local e período Componentes: Pós-Neonatal: Representa o risco da criança, tendo ultrapassado as 4 primeiras semanas de vida, morrer antes de completar 1 ano COEFICIENTE OU TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL – TMI

17 Mortalidade Perinatal (22 semanas – 7 dias) Óbitos fetais ( 22 semanas de gestação) Óbitos neonatais Precoces (0-6 dias)

18 COEFICIENTE OU TAXA DE MORTALIDADE PERINATAL - CMP Representa o risco de morte fetal e de crianças no período neonatal precoce Soma dos óbitos fetais e neonatais precoces (0 a 6 dias completos de vida) em determinado local e período CMP = X Número de nascimentos totais (nascidos vivos mais óbitos fetais)no mesmo local e período

19 Situação Atual

20 Percentual de nascidos vivos, segundo idade materna. Bahia, Fonte: DIS/DIVEP/SINASC Data de atualização: 07/07/2013

21 CaracterísticasBahia (%) % de NV de mães com 7 ou + consultas de pré-natal realizadas. 44,05 % de NV prematuros 10,53 % de NV com baixo peso ao nascer 8,38 % de NV de parto cesáreos 39,94 Algumas características dos Nascidos Vivos de mães residentes. Bahia, Fonte: DIS/DIVEP/SINASC Data de atualização: 07/07/2013

22 TMI Bahia (1.000 nascidos vivos) Idade Ano < 7 dias13,611, dias2,72,3 28 a < 1ano10,34,8 < 1ano26,618,0 Mortalidade Infantil. Bahia, Fonte: DIS/DIVEP/SIM/SINASC Data de atualização: 07/07/2013

23 Principais grupos de causas de óbitos fetais. Bahia, Fonte de dados: DATASUS / SIM Data de coleta: 22/07/2013

24 Principais causas de óbito em menores de 1 ano. Bahia, Faixa etária/CausaÓbitos Infantis N% 0 – 6 dias Transtornos relacionados à duração da gravidez Feto e recém-nascido afetados por fatores maternos – 27 dias Septicemia bacteriana do recém- nascido – 364 dias Outros sintomas, sinais e achados anormais de exames Septicemia Ignorado (Menor de 1 ano)1 Restante das afecções perinatais10.02 Total Fonte de dados: DATASUS / SIM Data de coleta: 22/07/2013

25 Principais grupos de causas de óbitos de menores de 1 ano. Bahia, Fonte de dados: DATASUS / SIM Data de coleta: 22/07/2013

26 PROCESSO DE PACTUAÇÃO PROCESSO DE PACTUAÇÃO

27 Processo de Pactuação COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE Resolução nº 5, de 19 de Junho de 2013 Dispõe sobre as regras do processo de pactuação de Diretrizes,Objetivos,Metas e Indicadores para os anos de ,com vistas ao fortalecimento do planejamento do Sistema Único de Saúde(SUS) e a implementação do Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde(COAP)

28 Processo de Pactuação Relevância do Indicador O percentual de investigação de óbitos infantis e fetais mede o esforço de aprimoramento da informação sobre mortalidade infantil, levando à reclassificação de óbitos infantis notificados como fetais e à identificação de determinantes que originaram o óbito, com o objetivo de apoiar aos gestores locais na adoção de medidas direcionadas a resolver o problema que possam evitar a ocorrência de eventos similares.

29 Processo de Pactuação Tipo de Indicador Universal Diretriz Nacional Diretriz 3 – Promoção da atenção integral à saúde da mulher e da criança e implementação da Rede Cegonha, com ênfase nas áreas e populações de maior vulnerabilidade. Objetivo Nacional Objetivo Organizar a Rede de Atenção à Saúde Materna e Infantil para garantir acesso, acolhimento e resolutividade.

30 Processo de Pactuação Meta Investigar os óbitos infantis e fetais Indicador Indicador 25 - Proporção de óbitos infantis e fetais investigados

31 Processo de Pactuação Método de Cálculo Método de Cálculo Municipal, Regional, Estadual e DF Total de óbitos infantis e fetais investigados ___________________________________ X 100 Total de óbitos infantis e fetais ocorridos Fonte Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM): módulo de investigação. Observação: O numerador é composto pelos casos investigados cadastrados no Módulo de Investigação do SIM e o denominador é composto por todos os casos notificados e registrados no mesmo Módulo.

32 MONITORAMENTO

33 Proporção de Óbitos Infantis e Fetais Investigados, Bahia *. Fonte: 2006 a SIM /Fichas de Investigação; 2010 a 2013-SIM WEB (julho/2013) Nota: Meta Mínima Bahia a ser alcançada- Anos de 2008 e 2009 – 25%; ano 2010: 35%, : 45% N%N%N%N%N%N%N%N% , , , , , , , ,3

34

35

36 Monitoramento Situação da Vigilância de óbitos infantis e fetais, Bahia, 2012 Dos 417 municípios, 6 (1,43%) não possuem registro de óbito cadastrado no SIM; Dos 411 municípios que registraram óbito no SIM,303 (73,7%) realizaram investigação e cadastraram no SIM WEB; Desses 303 municípios, 204 (67,3%) conseguiram atingir a meta Bahia estabelecida; Das 28 regiões de Saúde, 19 (67,8%) atingiram a meta Bahia estabelecida; Das 9 Macrorregiões,a Leste e Norte registraram 23,5% e 32% respectivamente, das investigações cadastradas no SIM WEB,portanto não atingiram a meta Bahia; Destaque para as regiões de Saúde de Itapetinga, Paulo Afonso e Porto Seguro com porcentual >=75% de investigados; Oportunidade da Vigilância de Óbitos Infantis e Fetais : NOTIFICAÇÃO = 45,6% e INVESTIGAÇÃ O= 48,4%;

37 Processo de Pactuação Meta Brasil: 40% Meta Bahia: 45%

38 Monitoramento Situação da Vigilância de óbitos infantis e fetais, Bahia, 2013 Dos 417 municípios, 67 (16%) não possuem registro de óbito cadastrado no SIM; Dos 350 municípios que registraram óbito no SIM,107 (30,5%) realizaram investigação e cadastraram no SIM WEB; Desses 350 municípios, 58 (16,5%) conseguiram atingir a meta Bahia estabelecida; Das 28 regiões de Saúde, 0 (0%) atingiram a meta Bahia estabelecida; Das 9 macrorregiões de Saúde, a Extremo Sul registra 44,3% das investigações cadastradas no SIM WEB; Chamando atenção as macrorregiões de Saúde Oeste e Leste, com 7,64 e 9,05% ou seja apresentam os menores porcentuais de investigação cadastradas no SIMWEB ; Oportunidade da Vigilância de Óbitos Infantis e Fetais= NOTIFICAÇÃO = 49,0% e INVESTIGAÇÃO = 82,5%;

39 Óbitos infantis e fetais, segundo oportunidade de notificação e investigação. Bahia, Regiões de Saúde Notificados OportunaInvestigação OportunaNotificados OportunaInvestigação Oportuna N%N%N%N% Alagoinhas107 43, , , ,4 Barreiras78 37, , , ,0 Brumado68 38, , ,9 5 55,6 Camaçari154 60, , , ,3 Cruz das Almas 60 54,1 7 18, ,5 0 0,0 Feira de Santana , , , ,0 Guanambi59 36, , , ,0 Ibotirama40 38, , ,6 6 85,7 Ilhéus16 8,6 8 20,0 4 7, ,0 Irecê121 64, , , ,5 Itaberaba53 47, , ,7 1 33,3 Itabuna21 7, , ,9 9 90,0 Itapetinga22 16, , , ,0 Jacobina63 39,6 7 15, ,4 0 Jequié77 30, , , ,6 Juazeiro185 76, , , ,4 Paulo Afonso102 71, , , ,0 Fonte de dados: SIM WEB Meta Brasil 2012: 35% Meta Bahia 2012: 45% Data de atualização: Julho 2013 Meta Brasil 2013: 40% Meta Bahia 2013: 45%

40 Óbitos infantis e fetais, segundo oportunidade de notificação e investigação. Bahia, Regiões de Saúde Notificados OportunaInvestigação OportunaNotificados OportunaInvestigação Oportuna N%N%N%N% Porto Seguro169 76, , , ,1 Ribeira do Pombal 47 37, , , ,0 Salvador747 53, , , ,7 Sta. Maria da Vitória 32 23, , , ,0 Sto. Antônio de Jesus 58 29, , , ,0 Seabra21 28, ,6 5 16,1 0 0,0 Senhor do Bonfim 71 60, , , ,0 Serrinha99 36, , , ,9 Teixeira de Freitas 66 39, , ,6 8 47,1 Valença21 11, , ,1 6 54,5 Vitória da Conquista 68 21, , ,4 5 62,5 Fonte de dados: SIM WEB Meta Brasil 2012: 35% Meta Bahia 2012: 45% Data de atualização: Julho 2013 Meta Brasil 2013: 40% Meta Bahia 2013: 45%

41 Óbitos infantis e fetais, segundo número de notificações, percentual de investigação e ano de ocorrência. Bahia, Regiões de Saúde Notificados no SIM% InvestigaçãoNotificados no SIM% Investigação Alagoinhas Barreiras Brumado Camaçari Cruz das Almas Feira de Santana Guanambi Ibotirama Ilhéus Irecê Itaberaba Itabuna Itapetinga Jacobina Jequié Juazeiro Paulo Afonso Fonte de dados: SIM WEB Meta Brasil 2012: 35% Meta Bahia 2012: 45% Data de atualização: 01 Julho 2013 (2013) 11 Junho 2013 (2012) Meta Brasil 2013: 40% Meta Bahia 2013: 45%

42 Óbitos infantis e fetais, segundo número de notificações, percentual de investigação e ano de ocorrência. Bahia, Regiões de Saúde Notificados no SIM% InvestigaçãoNotificados no SIM% Investigação Porto Seguro Ribeira do Pombal Salvador Sta. Maria da Vitória Sto. Antônio de Jesus Seabra Senhor do Bonfim Serrinha Teixeira de Freitas Valença Vitória da Conquista Fonte de dados: SIM WEB Meta Brasil 2012: 35% Meta Bahia 2012: 45% Data de atualização: 01 Julho 2013 (2013) 11 Junho 2013 (2012) Meta Brasil 2013: 40% Meta Bahia 2013: 45%

43 Óbitos infantis evitáveis, segundo tipo de evitabilidade. Bahia, * Fonte: Painel de Monitoramento da Mortalidade Infantil e Fetal *Dados preliminares Data de atualização: Julho de 2013 Lista Brasileira,Malta e colaboradores

44 Muito Obrigada! Telefone: (71) Site: GT Óbito Infantil e Fetal Equipe: Selma Rios Consultora: Ana Gabriela Victa Estagiária: Marta Lopes


Carregar ppt "Vigilância de Óbito Infantil e Fetal 2013 Selma Barreto V. Rios DIVEP/SUVISA/SESAB."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google