A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba Lucas Izoton Vieira Vitória, 05 de setembro de 2007 Seminário Oportunidades de Negócios ES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba Lucas Izoton Vieira Vitória, 05 de setembro de 2007 Seminário Oportunidades de Negócios ES."— Transcrição da apresentação:

1 1 Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba Lucas Izoton Vieira Vitória, 05 de setembro de 2007 Seminário Oportunidades de Negócios ES x Índia

2 2 Missão China 2007

3 3 Período: 14 a 23 de abril de Visita a 101ª Feira de Importação e Exportação da China – Canton Fair. Participantes: 19 pessoas entre dirigentes do setor têxtil, de entidades empresariais, profissionais liberais e parlamentares (deputado federal e senador). Avaliação: baseado nas três dimensões de competitividade, foram observados três setores considerados estratégicos para a economia local: - Têxtil - Vestuário - Calçado Missão Empresarial

4 4 Tamanho da China População: 1,4 bilhão PIB: US$ 3,2 trilhões – agricultura: 12,5% serviços: 40,3% indústria: 47,3% Renda per capita: US$ 2,4 mil US$ 5,5 mil na região mais rica, Sul do país

5 5 Objetivos da Missão Apresentar as potencialidades do Espírito Santo por meio de palestra oficial; Prospectar oportunidades de negócios para as empresas capixabas; Diagnóstico de oportunidades e ameaças da indústria chinesa para a indústria capixaba (têxtil, de vestuário e calçado); Estudar parcerias com empresas participantes da Feira Canton Fair;

6 6 Realizar intercâmbio informacional com órgãos equivalentes aos nacionais; Multiplicar as informações e conhecimentos adquiridos aos setores do nosso Estado através de seminários (principais cidades); Produzir um documento técnico para ser apresentado à CNI, MDIC, MRE e Congresso Nacional; propondo políticas para compensar as desvantagens competitivas. Objetivos da Missão (continuação)

7 7 Comércio Exterior 1. Estados Unidos 2. Argentina 3. China 4. Holanda 5. Alemanha 6. Chile Exportações Brasileiras – Principais países 7. Itália 8. México 9. Venezuela 10. Japão 11. França 12. Bélgica Fonte: MDIC/2006

8 8 Comércio Exterior Importações Brasileiras – Principais países 1. Estados Unidos 2. China 3. Argentina 4. Alemanha 5. Nigéria 6. Japão 7. Chile 8. Coréia do Sul 9. Itália 10. França 11. Argélia 12. Suíça Fonte: MDIC/2006

9 9 Exportações Brasileiras – China Principais Produtos Minério de ferro2,97735 Soja2,43129 Petróleo8369,9 Celulose3474,1 Madeira1061,2 Aço971,1 Açúcar540,6 Outros1,55119,1 Total Exportado8, US$ FOB MI – JAN/DEZ 2006(%) Fonte: MDIC

10 10 Importações Brasileiras – China Principais Produtos Eletrônicos7,46493,4 Têxteis2653,3 Carvão1121,4 Eletrodomésticos750,9 Químicos730,9 Total Importado7, US$ FOB MI – JAN/DEZ 2006 (%) Fonte: MDIC

11 11 1. Estados Unidos 2. China 3. Itália 4. Coréia do Sul 5. Japão Exportações Capixabas Principais Países Argentina 7. Alemanha 8. Holanda 9. Egito 10. França Fonte: MDIC

12 12 1. China 2. Estados Unidos 3. Chile 4. Japão 5. Alemanha Importações Capixabas Principais Países 6. Peru 7. Itália 8. Coréia do Sul 9. Austrália 10. Argentina Fonte: MDIC

13 13 Percepções Os chineses praticam preços difíceis de outros países acompanhar; O efeito predatório é ruim para a geração e manutenção de empregos; Gestão da marca; Isenção de impostos; Custo total de impostos em 17% – 13% = 4% para exportação incluindo municípios, estados, União e outros; Custo baixo de capital; Ausência de encargos trabalhistas.

14 14 O que fazer? Elevação da cota atual de 20% do imposto de importação até a alíquota limite de 35% permitida pela Organização Mundial do Comércio – o sistema de cotas deve ser extinto até 2008; Necessidade de definir estratégias para jeans, casual, malha, planos, private, label e marca própria; Necessidade de agregar valor com design e moda; Redução da entrada de têxteis no país, credenciando apenas cinco portos para esta atividade Política econômica visando identificar vantagens comparativas em cada município. Exemplo: Colatina; Introduzir alterações nas legislações de imposto e sobre o trabalho; Benchmarking.

15 15 Pesquisa Locais : Grande Vitória (Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica). Coleta: 14 e 15 de abril Entrevistas: 400 domiciliares e nos pontos de afluência dos domicílios.

16 16 Os produtos chineses estão invadindo o mercado brasileiro com preços muito inferiores aos da nossa indústria de confecção, de sapatos, etc. O resultado é que o consumidor tem acesso a um produto mais barato, no entanto, causa um fechamento de fábricas e desemprego no Brasil. Você acha que o governo brasileiro deve adotar medidas para impedir a entrada de produtos chineses? Sim, deve adotar uma proibição parcial e dar incentivos para que as empresas brasileiras melhorem os produtos e abaixem os preços para competir com os chineses 45,50% Sim, deve proibir40,50% Não, deve deixar os produtos entrarem livremente9,50% Nr/ns4,50%

17 17

18 18

19 19

20 20

21 21

22 22

23 23

24 24

25 Missão Índia 2007

26 Namaste!

27 Meta da Missão à Índia Elevar o comércio internacional entre o Brasil e a Índia de US$ 2,4 bilhões em 2006 para US$ 10 bilhões até 2010.

28 ÍNDIA Serviços: 53,8% Indústria: 27,6% Agricultura: 18,6% (est 2005) PIB Composição US$ Renda per capita US$ 3,334 bilhões, o 4° do mundo. PIB ,013 bilhãoPopulação km2Área

29 Nova Délhi Capital da Índia desde Antes era Calcutá; Centro de governo e de administração; Setor industrial variado, com destaque para o têxtil e jóias. Sede da Embaixada do Brasil Palácio Presidencial

30 Bangalore Capital e maior cidade do Estado de Kamataka; Situa-se a 914 m de altitude; Devido ao seu clima temperado, é zona turística; Possui 6 milhões de habitantes; É a Capital tecnológica da Índia, onde se situam mais de 1500 empresas e instituições de pesquisa científica e tencológica. Tribunal em Bangalore

31 Visita a Infosys A empresa é uma das pioneiras no processo de offshore outsourcing, que significa a terceirização de atividades de desenvolvimento e Tecnologia da Informação entre empresas de países diferentes; Possui 72 mil empregados em todo o mundo; Foi a primeira companhia do setor de TI a ser listada na Nasdaq; Faturamento: 2006 – US$ 2,1 bilhões 2007 – US$ 3,1 bilhões 2008 – US$ 4,0 bilhões

32 Bombaim ou Mumbai Capital do Estado de Maharashtra e maior cidade da Índia; População de 13 milhões de habitantes e área de 468 km2; Sua região metropolitana é a sexta maior do mundo, com 20 milhões de habitantes; Possui porto natural profundo, pelo qual passam metade do tráfego de passageiros da Índia e grande quantidade de cargas; É a capital comercial e do entretenimento e abriga instituições como o Banco Central, Bolsa de Valores e a matriz de grandes empresas; Quase 45% da população mora em favelas; Atrai migrantes de todo o país, devido a oportunidade comerciais e qualidade de vida. A Porta da Índia

33 O setor têxtil na Índia Existe um ministério exclusivo para a área têxtil (o Brasil não tem área específica para apoiar este setor); A Índia está disputando com a China a liderança do mercado têxtil mundial. É a briga do dragão chinês e do elefante indiano. O cordeiro brasileiro não tem condições de entrar nesta batalha; O governo está investindo US$ 10 bilhões na modernização da indústria têxtil. E o Brasil? A Índia exporta muito fio de poliéster e fibras artificiais para o Brasil; 12% do capital investido no país está no setor têxtil e de confecções; Até 2010 serão criados 25 parques têxteis que vão gerar mais de 12 milhões de empregos. O Brasil todo gera hoje só 1,5 milhão de empregos;

34 As vendas de têxteis e de vestuário para os EUA e União Européia estão crescendo cerca de 30% ao ano; Os principais produtos de vestuário exportados são a base de algodão (camisetas, camisas, blusas e calças); A Índia tem grande competitividade na indústria têxtil e vestuário devido a aplicação de novas tecnologias e a sua verticalização (das fibras até o produto final); Outros fatores de competitividade são: custos baixos de mão-de- obra, experiência no setor, capacitação empreendedora dos empresários, talento natural para o design, além de um grande mercado doméstico que reduz o risco das exportações; O setor têxtil na Índia Continuação

35 A indústria indiana é altamente flexível. As grandes empresas podem exportar produtos básicos de vestuário em grande escala e as pequenas e médias empresas oferecem produtos de moda em quantidades menores; A meta de crescimento dos têxteis indianos entre 2007 e 2012 é de +12% a +14% ao ano. O Brasil está hoje com -5% ao ano. O setor têxtil na Índia Continuação

36 Oportunidades de exportações brasileiras para a Índia O Brasil tem baixa participação no mercado indiano na maioria dos produtos que são considerados oportunidades, o que representa oportunidades sub-aproveitadas; Diversos produtos de setores variados em que o Brasil é competitivo ainda não são exportados para a Índia, portando há oportunidades não aproveitadas.

37 O Brasil enfrenta a concorrência de países desenvolvidos e em desenvolvimento no mercado indiano: Oportunidades de exportações brasileiras para a Índia Continuação Nos produtos agrícolas e de origem agrícola (exceto carnes), existe a concorrência de países em desenvolvimento, como Indonésia, Malásia, Tailândia, Bangladesh, Cingapura e Sri Lanka; A participação dos países desenvolvidos (EUA, Japão, China e Coréia e algumas nações da União Européia) cresce significativamente nos produtos manufaturados.

38 Os principais produtos identificados como oportunidades para exportações brasileiras para a Índia são: Óleo de soja Compostos orgânicos e inorgânicos Celulose e papel Motores e partes de motores Automóveis de passageiros Tubos Catódicos Minério de Ferro Polietileno Couro Autopeças Compressores

39 Principais produtos exportados pelo Brasil para a Índia (2006) Total 39364Outros6º 439Aço5º 983Aviões4º 11104Óleo de Soja3º 16146Minério de Ferro2º 21200Petróleo1º %Valor (US$ milhões)ProdutosOrdem

40 Principais produtos importados pelo Brasil da Índia (2006) Total 34512Outros6º 230Querosene de aviação5º 3374º 566 Fios (poliéster/fibras artificiais) Laminados (ferro/aço) 3º 7101Medicamentos2º 49727Óleo Diesel1º %Valor (US$ milhões)ProdutosOrdem

41 Principais empresas brasileiras exportadoras para a Índia em Acima de US$ 50 milhões – CVRD 2.Acima de US$ 50 milhões – Petrobras 3.Acima de US$ 50 milhões – Embraer 4.Acima de US$ 50 milhões – Usiminas 5.Entre US$ 10 e 50 milhões – Bianchini SA Indústria e Comércio e Agricultura 6. Entre US$ 10 e 50 milhões – Robert Bosch Limitada 7.Entre US$ 10 e 50 milhões – Sama SA – Minerações Associadas 8.Entre US$ 10 e 50 milhões – Bunge Alimentos 9.Entre US$ 10 e 50 milhões – Copesul – Companhia Petroquímica do Sul 10.Entre US$ 10 e 50 milhões – Acesita SA

42 Fonte: MDCI/SECEX

43 A Índia tem uma economia enorme Fonte: FMI, dados de 2005, e IDH/ONU, de 2006

44 Oportunidades para o Espírito Santo Exportações de celulose, rochas, minério de ferro, petróleo, café especiais e etc.; Importações de tecidos, roupas e calçados; Execução de obras de infra-estrutura; Joint-Venture, alianças e parcerias em vários setores.

45 Futura Missão Empresarial do ES na Índia Áreas de Interesse Inovação e Tecnologia; Têxteis, vestuário, calçados e assessórios; Energia; Obras de infra-estrutura local; Rochas.

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58 58 Obrigado!


Carregar ppt "1 Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba Lucas Izoton Vieira Vitória, 05 de setembro de 2007 Seminário Oportunidades de Negócios ES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google