A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Abertura do Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Abertura do Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro."— Transcrição da apresentação:

1

2 Abertura do Setor de Astronomia - CDCC

3 Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC Universidade de São Paulo - USP Endereço: Av. Trabalhador São-Carlense, n.400 Tel: 0-xx (Observatório) Tel: 0-xx (CDCC) Localização: Latitude: 22° 00' 39,5"S Longitude: 47° 53' 47,5"W Crédito do logo: Setor de Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva.

4 Sessão Astronomia

5 O Que é a Sessão Astronomia? As Sessões Astronomia são palestras proferidas por monitores do Setor de Astronomia todos os sábados às 21h00. Iniciadas em 1992, foram criadas com o objetivo de falar sobre Astronomia ao nosso público em uma linguagem simples e acessível a todas as faixas etárias. Estas palestras se tornaram uma opção de diversão e informação para a comunidade local e também para visitantes de nossa cidade. Os temas abordados são os mais variados possíveis. O material multimidia contido aqui consiste numa opção áudiovisual complementar que o proferssor do Sistema de Ensino pode utilizar como auxílio a suas aulas. O conteúdo das Sessões Astronomia podem ser acessados no seguinte endereço: Crédito do logo: Sessão Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva

6 Apresentação: Victor Raphael de Castro Mourão Roque

7 Identificação do Tema: Título : Nosso satélie a Lua. Autor : Victor Raphael de Castro Mourão Roque Data da Apresentação:01/10/2005 Apresentador : Victor Raphael de Castro Mourão Roque Resumo/ABSTRACT: Nome do Arquivo: fundo Disponível em: of/Light.jpg Acesso em:

8 Dados Premilinares Diâmetro: km Temperatura: -223ºC até 123ºC Gravidade: 1,62 m/s 2 Lua Não possui Atmosfera Massa: 1/81 Terras Distância (Km): a média

9 Dados premilinares Comentário: Para iniciar a palestra mostraremos alguns dados só para título de curiosidade. Animação: astro_j.mpeg. Acesso em: 10/07/2005

10 Medindo distância

11 Medindo Disntância Comentário: Antigamente, para medir a distância entre Terra-Lua era usado trigonometria, e tudo mais. Mas hoje em dia, com lasers e essas coisas modernas não precisamos mais disso, e usamos um princípio muito mais simples. Usamos a velocidade e reflexão da luz. Colocamos um espelho na Lua que é formado por vários prismas e temos vários observatório aqui na que mandam um feixe de laser. Medindo o tempo que o laser demora a voltar para a Terra e multiplicando pela velocidade da luz temos a distância entre Terra- Lua Título observatório do texas Disponível em: Acesso em: Título espelho na lua Disponível em: _aid3440_moonreflector_w600.jpg Acesso em:

12 Movimentos da Lua - Mês Sideral 27 dias depois é o tempo necessário para a Lua completar uma volta em torno da Terra, em relação a uma estrela (27,32 dias) Spica 01/02 Spica 28/02

13 Mês Sideral Comentário: O primerio movimento que falaremos é o chamado mês sideral, ou período sideral, que é obtido através do movimento da Lua comparado com o de alguma estrela fixa. Definimos como mês sideral o tempo no qual a Lua demora para dar uma volta completa em relação às estrelas e tem duração de 27,32 dias. Mas o período sideral não é suficiente para a Lua completar todas as suas fases, como podemos ver na figuras. Logo é evidente que temos outro movimento a ser medido. Imagens obtidas através do programa Starry Night

14 Movimentos da Lua - Mês Sinódico 13/01/06 14/12/05 O intervalo de tempo entre duas fases iguais consecutivas (29,53 dias) 235 meses sinóticos = 19 anos solares ciclo metônico 235 meses sinóticos = 19 anos solares ciclo metônico

15 Mês Sinódico Comentário: E aí que entra o que chamamos de mês sinodico ou período sinódico. E já podemos definir como o período que a Lua leva de para completar as suas fases ou o período de duas fases iguais consecutivas. Esse período sempre foi mais utilizado pelos astrônomos na antigüidade como medida de tempo, pois é mais fácil definir uma fase do que localizar a posição da Lua no céu. A duração desse mês é de 29,53 dias, muito próximo dos dias que distribuímos nos meses que usamos no calendário. Apesar da proximidade o ano não contém um número exato de meses sinódicos (muito menos de siderais). Em certos anos temos 13 meses enquanto outros 12. Isso foi uma das difículdades dos astronômos antigos para conciliar o ano solar com as meses sinóticos. Solução: 19 anos solares são exatamente 235 meses sinódicos, sendo esse período conhecido como ciclo metônico. Imagens obtidas através do programa Starry Night

16 Localização Espacial - Orbita

17 Localização espacial Comentário: A Lua orbita a terra em uma orbita eliptica com excentricidade de 0,0549. Esse desenho temos um exagero proposital para facilitar a visualização da órbita, e podemos ver que uma hora a lua está mais próxima e outra mais distante. Título Orbita.jpg Disponível em: Acesso em:

18 Localização Espacial - Inclinação

19 Influência do Sol

20 Conseqüência da influência eclíptica equador 23,5º Lua 28,5º 18,5º 0º0º 5º5º 5º5º mês draconítico (nódico): 27, 21 dias

21 Localização espacial Comentário: A órbita da Lua em torno da Terra tem uma inclinação de 5º em relação à ecliptica. Essa inclinação parece pequena mais já é suficiente para impedir que ocorra um eclipse solar toda lua nova ou um eclipse lunar toda lua cheia. Essa inclinação é aproximadamente constante, variando muito pouco, mas, devido a forte influência gravitacional do Sol no sistema Terra-Lua, o plano orbital rotaciona em torno do eixo da eclíptica num período de 18,6 anos, sendo chamado de regresssão dos nodos. Por causa desse ciclo a órbita da Lua varia desde 18,5º a 28,5º com relação ao equador. Esse fenômeno provoca uma mudança na imagem da Lua para o observador localizado nessa zona. Mais tarde veremos como que a imagem é afetada. Podemos ver pelo esquema que a Lua atravessa a eclíptica em alguns pontos. Esses pontos chamamos de nodos lunares. Quando a Lua atravessa o plano do sul para o norte falamos que é um nodo ascendente e quando ocorre o inverso temos o nodo descendente. A passagem sucessiva da Lua pelo nodo ascendente (ou descendente) é chamado de mês draconítico (ou nódico) e tem período de 27,21 dias. Título Inclinação da órbita Disponível em: Acesso em:

22 Eclipses 346,62 dias -> 18 anos e 11 dias (Ciclo de Sarros)

23 Eclipses Comentário: Todos sabem que os eclipses ocorrem quando há um alinhamento dos três corpos em questão. Mais tecnicamente é quando a Lua atravessa por um dos nodos e esses estiverem apontado para o Sol. Podemos ver pela imagem que, em certos instantes o sol e um dos nodos estão na mesma direção e isso ocorre a cada 346,62 dias. Dezenove ciclos, ou 18 anos e 11 dias a configuração se repete, e isso já era conhecido pelos Babilônicos e é chamado de Ciclo de Sarros. Título eclipse - condições Disponível em: Acesso em: Título eclipse - condições. 3d Disponível em: Acesso em:

24 Fases da Lua

25 Comentário: Lua Nova: a face iluminada não pode ser vista da Terra. Lua Quarto-Crescente: metade do disco iluminado pode ser visto da Terra. Vista do hemisfério sul da Terra, a forma da Lua lembra a letra C (vista do hemisfério norte lembra a letra D). Cheia toda a face iluminada da Lua está voltada para a Terra. A Lua está no céu durante toda a noite, com a forma de um disco. Lua Quarto-Minguante metade do disco iluminado pode ser visto da Terra, como em Quarto-Crescente. Vista do hemisfério sul da Terra, a forma da Lua lembra a letra D (vista do hemisfério norte lembra a letra C) Título fases da lua Disponível em: Acesso em:

26 Mas e a inclinação??? o que tem a ver?? Sul Zênite 22,5º Norte 28,5º18,5º

27 Mas e a inclinação ??? o q tem a ver?? Comentário: Para a zona que fica entre 18,5º e 28,5º a regra que a Lua decrescente se parece com um D e a Lua crescente se parece com um C não existe pois podemos observar dos dois lados. é o que ocorre na figura. podemos olhar de um lado ou do outro a mesma fase com a imagem projetada diferente. Título fases da lua Disponível em: Acesso em:

28 A parte mais importante da palestra... Como achar o coelho??? Como achar o coelho???

29 Referências livro: Lua Nosso Planeta Irmão, Peter Cadogan - ed.Francisco Alves Agradecimentos: Marina Trevisan e suas bolinhas de Isopor


Carregar ppt "Abertura do Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google